domingo, abr 16

malandro
EM Ópera do Malandro

RESTOLHO (MAFALDA VEIGA) (mp3/sample)

in, Passaros do sul
Mafalda Veiga


Restolho

Há dias encontrei no mapa, e por terras de Portugal, uma localidade chamada Minas da Panasqueira. Enviei um sms a um amigo, que é daquelas bandas, a perguntar-lhe se seria uma mina de panacas, Ele disse-me apenas que eu teria que descobrir o que significava panasco nas beiras, Apurei entretanto que as minas são de volfrâmio, Ocorreu-me que panasco poderia ser... o activo, e até fazia sentido: o panasco e a panasca :-), O meu amigo esclareceu-me entretanto que "panasqueira" tinha a sua origem em "panasco", que por aquelas terras beirãs quer dizer, segundo ele, restolho.
Depois desta descoberta fiquei a pensar no que se teria tornado a música da Mafalda Veiga, se ela tivesse nascido nas beiras, Para que não haja dúvidas, aqui fica o resultado:

Geme o panasco, triste e solitário
a embalar a noite escura e fria
e a perder-se no olhar da ventania
que canta ao tom do velho campanário.

Geme o panasco, preso de saudade
esquecido, enlouquecido, dominado
escondido entre as sombras do montado
sem forças e sem cor e sem vontade.

Geme o panasco, a transpirar de chuva
nos campos que a ceifeira mutilou
dormindo em velhos sonhos que sonhou
na alma a mágoa enorme, intensa, aguda.

Mas é preciso morrer e nascer de novo
semear no pó e voltar a colher
há que ser trigo, depois ser panasco
há que penar para aprender a viver
e a vida não é existir sem mais nada
a vida não é dia sim, dia não
é feita em cada entrega alucinada
pra receber daquilo que aumenta o coração.

Quem sabe se ela não canta esta versão quando passa pelas beiras :-)
__

(E estive eu para escolhar o refrão desta música para nome deste blogue...)

 
Comentários

...tem cuidado nesta terra de boa gente houve sempre de tudo e de todo o lado, mas quanto a panascas e à tua primeira intrepetação, deixa-me dizer, não se criam fazem-se, depois andam por aí...cuidado ao passares por lá, pois lá também há pessoas com mau gosto...

Comentário de: Moura Dias às julho 7, 2006 11:02 PM

"ele há coisas que só mesmo os beirões sabem" ;)

Comentário de: bicho às abril 17, 2006 11:20 PM

Achei o post muito interessante :-) e eu já estive nas famigeradas minas...o mais interessante ainda é a construção tipo revolução industrial que se encontra à volta dos panascos...

Comentário de: Thiago às abril 17, 2006 09:24 AM

Passei a gostar mais da música!
A sério que sim!

Comentário de: aequillibrium às abril 16, 2006 11:47 PM

Que dizer,

Gosto mais desta versão "malandra" que o original da mafaldinha... Também nunca fui muito fã de gajas aos guinchos...
hehehehe

abraços coloridos.
Mister Agá

Comentário de: Mr. H às abril 16, 2006 10:11 PM

pelo menos ficámos a saber que o panasco geme...

Comentário de: mineiro às abril 16, 2006 08:26 PM

'tás cada vez mais delirante... este post está simplesmente ge-ni-al... :)
as minas da panasqueira são famosíssimas, ainda me lembro de na escola primária me terem ensinado isso (uma professora gordinha, rosada e com gd buço; a menina rosalita, se n me engano...): "o volfrâmio encontra-se nas minas da panasqueira e o ouro nas minas de jales" ;)

Comentário de: R às abril 16, 2006 07:36 PM

E se fores a um dicionário corográfico, vais topar com topónimos bem mais interessantes. Sabes onde é Anais? Pista: terra de sarrabulho. ;))

Comentário de: Catatau às abril 16, 2006 02:52 PM

acabas de destruir todo o sentido desta musica. que desilusão....

Comentário de: outro às abril 16, 2006 01:59 PM