sábado, abr 15

malandro
EM Ópera do Malandro

An old familiar scene (Elf Power) (mp3)

In, Back to the Web (2006)
Elf Power

An old familiar scene

Há excertos de conversas que nos soam a familiares, Há expresões associadas a preconceitos que são tranversais à sociedade, Não importa se são utilizadas pela D. Delfina, que faz as limpezas ao fim do dia la no escritório, enquanto esvazia o reservatório do furador, Não importa se são proferidas pelo Dr. Delfim, que está a fazer obras num prédio de 8 andares, do qual é proprietário no centro de Lisboa, enquanto falamos das alterações que quer fazer no projecto de arquitectura.

"O canal que eu mais gosto de ver é a TVI, Na SIC não dá nada de jeito, é só telenovelas brasileiras, é só paneleiragem..."
vs
"A ideia era fazer uma coisa mais paneleira."

Óra, isto da "paneleiragem" tem muito que se lhe diga. Gostava de num e noutro caso ter perguntado aquelas duas pessoas o que é que queriam dizer com essas palavras derivadas de "paneleiro", palavra esta que não costumo utilizar e com a qual nem simpatizo assim tanto. Fica no ar a incertza do que será a "paneleiragem" que se passa nas telenovelas brasileiras da SIC e o que será "uma coisa mais paneleira" em termos arquitectónicos... Garanto-vos que não percebi qualquer umas das duas.

 
Comentários

Nunca gostei destes espartilhos denominativos...serei só eu? enfim...

Comentário de: Thiago às abril 17, 2006 09:27 AM

Depende sempre de quem o diz e das suas intenções...

Já ouvi "aberrações da natureza" :) Encarei a expressão como um espasmo da ignorância dessa pessoa amiga.

Comentário de: espectador às abril 16, 2006 10:04 PM

R. eu prefiro panasca.
:-)

Comentário de: malandro às abril 16, 2006 08:33 AM

Sempre gostei de "paneleiro" e derivados. Não se relaciona com o esterótipo do homem frágil e adejante (como "bicha", "larilas", "maricas"), não é politicamente correcto (como "gay") nem soa muito clínico (como "homossexual").
Dentro da panóplia à escolha, /me gosta de ser "paneleiro"...

Comentário de: R às abril 15, 2006 11:23 PM

Eu acho que o termo está cada vez mais vulgarizado. E desprovido de conteúdo (se alguma vez o teve). Começa a entrar, em certos meios, no domínio das palavras carinhosas, como que a significar produção e sofisticação. É como dizer ao colega da equipa de rugby que trouxe um polo rosa pela primeira vez:" Ó Antunes, tu hoje estás muito gayzola". ;)

Comentário de: Catatau às abril 15, 2006 09:02 PM

Será que tem alguma coisa a ver com a arte de fazer panelas de barro?

/me wonders...

Comentário de: Graven às abril 15, 2006 06:23 PM