domingo, fev 12

malandro
EM Ópera do Malandro

HOME TO ME (TRACE WIREN) (mp3)

In, Johnny's cafe (2006)
Trace Wiren

Home to me

E a propósito das mudanças:
Já escolhi a casa nova e, em resposta a alguns gajos que andam por aí a difamar-me dizendo que escolho com a pila, garanto-vos que não foi por causa dos gajos que mudei e que escolhi a casa nova e nem cheguei sequer a conhecer o meu antigo colega de casa com cara de persunto, e foi mesmo por causa da máquina de lavar roupa que decidi mudar.
As voltas que a nossa vida dá: ainda há dois natais atrás, na minha carta ao Pai Natal, pedia coisas de gajo (falo do berbequim, claro) e agora mudo de casa por causa de um eletrodoméstico de gaja... Realmente não há muitas coisas tão panasca como um gajo despedir-se dos amigos com a frase "desculpem mas não posso ficar, tenho que ir para casa pôr a roupa branca a lavar" ou "tenho duas máquinas de roupa para estender"...

 
Comentários

zé, admito que tenho alguns "preconceitos" relativos a idade. prefiro gajos de 25 anos... há gostos assim, mas ja fui conhecer um gajo, com quem teclava, que tem 56 anos, e continuo a falar com ele, ir lanchar de vez em kuanto, e gosto muito de falar com ele. a amizade não fica balizada por idades.
quem sabe um dia um combinamos uma bejeca para os lados de tancos...

Comentário de: malandro às fevereiro 25, 2006 11:34 AM

Passaste oficialmente à categoria de amigo: é por isso que recebes um abraço.

ZR.

Comentário de: Zé Ribeiro às fevereiro 20, 2006 11:26 PM

Malandro:

Se não fosse a diferença de idades, eu cinquentão, tu trintão e auto-limitado a intervalos etários de semi-amplitude cinco, ainda te propunha que juntássemos os nossos ovos ...

Poupadinhos como somos, enriquecíamos ...

Um abraço,
velhote.

Zé Ribeiro.

Comentário de: Zé Ribeiro às fevereiro 20, 2006 11:23 PM

Zé, n anda aki nada escondido com rabo de fora. Não sou gajo de andar a dar o rabo assim ao manifesto :P

quanto ao "frango com molho de tomate", n retiro nada do que escrevi e nem é prato que costume fazer, mas a semana passada fiz umas trutas no forno com limão e pimenta que n cairam nada mal.

e tb sou um gajo popadinho e tb remendo meia com ovos de madeira. parece que n somos muito diferente...

Comentário de: malandro às fevereiro 17, 2006 07:37 PM

Olha que "vou fazer umas coisas com o berbequim..." não soa muito melhor.

Espero que entres na nova casa com o pé direito. :D

Comentário de: João às fevereiro 16, 2006 04:36 AM

Concordo ctg Zé...

Comentário de: Thiago às fevereiro 13, 2006 10:11 AM

Hum ... anda aqui machismo escondido com o rabo de fora.

Estou a lembrar-me de um post antigo do nosso anfitrião em que ele manifesta o seu espanto por um tipo ir fazer, amorosamente, frango de tomate para o companheiro ( de cama e de vida ) se regalar quando chegar a casa. E não era só espanto. Também a afirmação que nunca o faria e nunca viveria com um gajo ( que ele me corrija, se estou enganado ).

E agora isto, da máquina de lavar e da roupa a estender ... e da panasquice associada.

Eu cá não tenho nenhum problema em viver com um gajo, cozinhar-lhe pratos de que ele goste, fazer-lhe todos os miminhos que o façam feliz. E andar de avental, e estender roupa, e fazer ponto cruz ( estou agora a tentar copiar "As banhistas" do Seurat sobre uma trama de 50x30 ), e remendar meias sobre ovos de madeira ( já ninguém o faz, mas eu sou muito poupado ), ... e por aí fora.

E, ao viver largos anos com uma mulher, fazia exactamente as mesmas coisas.

Para mim, homens e mulheres querem-se exactamente do mesmo tipo - docinhos.

Zé Ribeiro.

Comentário de: Zé Ribeiro às fevereiro 13, 2006 09:40 AM

Muito bem, catatau, uma workmate! Eu prefiro um bedmate... e pode ser de qlqr marca!

Concordo contigo, nada é incompativel... aliás acho que cada vez menos existem coisas incompativeis...:)

Um abraço

Comentário de: joao às fevereiro 12, 2006 09:15 PM

Qual é o problema por ter a máquina a lavar e depois estender a roupa?! Ou aspirar a casa, por exemplo. Experimenta fazer isso em tronco nu, com o botão das calças desabotoado. As vizinhas (e, com sorte, um ou outro vizinho) não vão querer outra coisa.
É tudo uma questão de atitude. E essas coisas não são assim tão incompatíveis com o berbequim ou com a máquina de soldar: eu até tenho um workmate da Black and Decker! ;))

Comentário de: Catatau às fevereiro 12, 2006 08:31 PM

estendi de manhã uma máquina de roupa escura- estou na varanda a estudar. Também à espera que seque para logo de seguida a passar a ferro e arrrumar.

As vizinhas já me conhecem por estender tão bem a roupa e de me verem fazer a fascina em casa...

Permissões dadas por viver num prédio! Acho que cada vez menos são coisas de gajas e passam a ser obrigatórias para quem mora sozinho!

Comentário de: joao às fevereiro 12, 2006 03:50 PM

o pior mesmo é quando se chega a 2f e se diz com ar sorridente: "este fds fiz duas máquinas de roupa" - é sinal que se entrou definitivamente no mundo dos adultos e já não há regressão possível...

Comentário de: R às fevereiro 12, 2006 02:25 PM

Fantástico, como sempre. Os teus posts casam situações comuns com originalidade na perfeição.
Quanto À nova casa, vai dando notícias.
:)

Comentário de: dcg às fevereiro 12, 2006 11:32 AM