quarta-feira, nov 2

malandro
EM Ópera do Malandro

RETRATAMENTO (DA WEASEL) (mp3)

"Podes usar e abusar tipo brinquedo favorito
Mas tem cuidado, por favor, não o deixes partido… "

in, Re-definições
Da Weasel



Retratamento



Há dias alguém comentava "... e ele pode ser activo ou então pode se reactivo...".

Mais do que consternado fiquei meditativo. Será que o reactivo é o mesmo que o passivo? (o que não me parece); será antes o versátil? (mais provável), ou será ainda uma outra "definição" mais nuclear? E enquanto penso e não penso, fiquei sem saber o que sou, mas com as ciências comportamentais estão em constante mutação (ou evolução se preferirem)...

 
Comentários

Concordo com o Eu-zinho, para que servem as etiquetas e os rótulos nas pessoas?! Para seleccionar a escolha, tipo-talho: "Eu hoje era capaz de alinhar num act..." ou "Está a apetecer-me mesmo um pass no espeto..."?
Concordo, contudo, que haja preferências. Sem dúvida que as pessoas podem gostar "mais ou menos de". Ou até se recusarem a fazer "isto" ou "aquilo", mas daí a tatuar o gosto...
"Never say never..." ;)

Comentário de: Catatau às novembro 3, 2005 08:13 AM

Concordo com o Le Gourmet... rótulos são para as latas e para as frascos. Acima de tudo diversão! De qq forma o conceito de reactivo não deixa de ser intrigante!?
Quanto ao "bater na mãe" e à defenestração ainda bem que assim foi... caso contrário seriamos mais uma comunidade autónoma a querer sair "de lá". Mal por mal... já estamos fora!

Comentário de: Eu_zinho às novembro 2, 2005 11:32 PM

Eu detesto esses rótulos! Desde que haja vontade e imaginação, pode haver divertimento entre dois gajos entesoados! Quando alguém me pergunta "act ou pass?" eu respondo "Sou". Acho que os papéis estanques não passam de um mito (ou de um preconceito, conforme lhe queiram chamar!).

BTW, a Raínha Ibérica não era para levar a sério... mas não tenho dúvidas que tudo teria sido bem melhor se "alguém" não tivesse batido na Mãe há coisa de 900 anos (provavelmente na altura as boas maneiras não seriam o que são hoje!) ou se não tivessem lançado o Miguel de Vasconcelos pela janela!

Comentário de: LeGourmet às novembro 2, 2005 10:42 PM