Câmara Oculta

janeiro 01, 2006

Este ano, é Teu...

Valor

... é o ano do Teu Valor!
Que sejas ágil como a gazela e suave como a seda...

Editado por Eduardo., às 10:18 PM | Provas de Contacto... 3

dezembro 31, 2005

A encerrar...

Volupia

Até para o ano...

Editado por Eduardo., às 01:03 PM | Provas de Contacto... 0

novembro 13, 2005

Mastros de gelo...

era gelo

"Eis que surgiu a borrasca em rajadas
e era tirânica e forte;
com insidiosos ventos nos fustigavam
e lá para o Sul nos empurrou.

Com mastros inclinados e proa submersa
como quem, perseguido por gritos e pancada,
ainda calca a sombra do inimigo
e prá frente inclina a cabeça,
corria o barco no rosnar de tempestade
e para o Sul agora fugiamos.

E eis, cai chuva misturada com neve
e cresceu um portentoso gelo:
e gelo da altura do mastro veio flutuando,
verde como esmeralda.

E, através das rajadas, os enevoados rochedos
emitiam uma sinistra claridade;
nem formas humanas nem animais ali
avistamos:
tudo dentro era gelo."

S. T. Coleridge, A balada do velho marinheiro, 1798

Luisa e Eduardo

Editado por Eduardo., às 01:40 AM | Provas de Contacto... 1

outubro 31, 2005

Roses never die...

 

Roses never Die

They just keep on grouwing, for our delight...

Editado por Eduardo., às 06:01 PM | Provas de Contacto... 1

junho 27, 2005

Ocultação

Fotografia de Tom River

Editado por Luísa, às 01:57 PM

junho 06, 2005

em caminhos do Sonho...

Fotografia de Gary DTonhouse - GoldenPathway.jpg









Pelo Sonho é que vamos
comovidos e mudos
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não frutos
Pelo Sonho é que vamos.


Sebastião da Gama










Editado por Luísa, às 06:41 PM | Provas de Contacto... 1

maio 12, 2005

Chuva diáfana...

Chuva diáfana

Sob o sol, chovias-me em cima, verde, diáfana...

Editado por Eduardo., às 02:55 AM

abril 22, 2005

Só nosso...

MToye.jpg
Martin Toyé

Hoje, estaremos no beiral das nossas estrelas...
A nossa sombra percorrerá a calçada de sua luz, ante o silêncio do mar...

Editado por Eduardo., às 03:48 PM | Provas de Contacto... 1

Declaração de Amor

Norbert Guthier
Fotografia de Norbert Guthier


Excita-me a tua presença, ó Árvore - ó Árvores todas!
Desejo-te (desejo-vos) como se fosses Carne, e eu Desejo.
Como se eu fosse o vento que preside às tuas bodas,
e te cicia em redor, e te fecunda num aliciante beijo.

Ponho os olhos em ti e entretenho-me a pensar que sou mãos,
todo mãos que te envolvem o tronco e te sacodem convulsivamente.
Requebras-te com volúpia, e os teus emaranhados cabelos louçãos
fustigam o ar como látegos, com toda a força que este amor me consente.

Ó árvore minha débil! Ó prazer dos meus olhos extáticos!
Ó filtro da luz do Sol! Ó refresco dos sedentos!
Destila nos meus lábios as gotas dos teus ésteres aromáticos,
unge a minha epiderme com teus macios unguentos.

Desnuda-me a tua intimidade, ó Árvore! Diz-me a que segredos recorres
para te desenrolares em flores e emfrutos num cíclioco desvairio.
Porque é que tudo morre à tua volta e tu não morres,
e aceitas sempre o Amor com renovado cio.

Inicia-me nos teus mistérios, ó feiticeira dos cabelos verdes!
Ensina-me a transformar um raio de Sol em suculenta carnadura,
e nesses perfumes subtis que a toda a hora perdes,
prolongando o teu ser no ar que te emoldura.

É através de ti, ó Árvore, que celebro os esponsais entre mim e a Natureza.
É através de ti que bebo a nuvem fresca e mordo a terra ardente.
É de ti que recebo as leis do Amor e da Beleza.
Amo-te, ó Árvore, apaixonadamente!

António Gedeão

Editado por Luísa, às 12:52 PM

abril 10, 2005

Variações

John Lombardo
Fotografia de John Lombardo

... na música... como no amor...

Editado por Luísa, às 11:48 AM | Provas de Contacto... 2