« September 2006 | Entrada | November 2006 »

October 31, 2006

Fim de Semana Europeu - Destaques

Quando se fala do Nice, o primeiro nome que nos vem à cabeça é o de Honorato Campos Éderson, um nº10 estratega brasileiro que chegou em 2005 à pequena cidade francesa da Côte D'Azur.
No entanto, e no mesmo ano chegava Bakari Koné, proveniente do Lorient, onde tinha estado duas épocas a amadurecer para aparecer a um alto nível no Nice.
Este fim de semana, e depois de uma goleada imposta pelo Lyon em sua casa, o Olympique de Marselha dirigia-se até bem perto de casa com o intuito de não aumentar ainda mais a diferença de oito pontos que já o separava do penta-campeão francês.
Bakari Koné não esteve pelos ajustes e diabólico com a sua velocidade ia desmanchando o puzzle defensivo da equipa do Velódrome.
Fez a assistência para o primeiro golo, provocou o penalty do segundo e foi o verdadeiro quebra-cabeças dos defesas marselheses. Por isso é um dos destaques deste fim de semana.

Aaron Hunt, apesar do nome parecer inglês, é um verdadeiro alemão. Com uma passagem por um clube modesto chamado Goslar, ainda nos escalões jovens, é adquirido pelo Werder Bremen em 2001 para prestar provas nos escalões jovens do clube.
A partir daí, e com a entrada na idade maior, Frank Schaaf começa a dar-lhe oportunidades na equipa principal e este ano conseguiu apanhar a sua oportunidade.
Dotado de um bom pé esquerdo, deambula pela frente de ataque em parceira com Miroslav Klose e servidos por Diego, tornam-se num trio de respeito que merece estar na frente da Bundesliga.

Publicado por Danielovsky às 10:39 PM | Comentários (0)

October 30, 2006

Os equívocos

Fernando Santos e Jesualdo Ferreira deram ontem mostras de virtuosa teimosia no clássico do Dragão.
Apostando no seu típico 4x3x3, o FC Porto continua refém da liberdade genial de Anderson e Ricardo Quaresma. O português numa das alas, o brasileiro a assumir-se como nº10.
Com a entrada de Paulo Assunção para o papel de pivot defensivo, Jesualdo Ferreira pretendia dar alguma liberdade a Lucho Gonzalez e a Anderson. Lisandro e Postiga vagueavam no ataque, mas com o português a assumir naturalmente o papel de nº9.

No Benfica, Fernando Santos apostou num Benfica com dois avançados (Nuno Gomes mais móvel que Kikin), dois extremos (Simão na esquerda e Paulo Jorge na direita) e dois médios de contenção defensiva (Petit e Katsouranis). Com um meio-campo muito de combate e com pouca propensão defensiva da parte de Nuno Gomes, a liberdade era muito maior para os jogadores do FC Porto do que do Benfica.

Foi com essa naturalidade que o FC Porto conseguiu dois golos em 20 minutos, mercê de uma pressão alta e da genialidade dos jogadores acima referidos. A lesão de Anderson e a entrada de Raul Meireles serviu acima de tudo num sentido de contenção defensiva e segurança no resultado.

Assim, e com Raul Meireles um pouco perdido em campo, o Benfica começou a soltar-se do início demolidor do FC Porto e executou dois remates perigosos à baliza de Helton, que correspondeu com duas defesas difíceis.

O golo de Katsouranis no início da segunda parte veio dar mais consistência a esse sentido perdido de Meireles, coadjuvado pela entrada de Nuno Assis e Mantorras. Com a entrada do angolano, o Benfica ganhou a criatividade que Fonseca não teve e com Assis a combatitividade que Paulo Jorge não transmitiu.

Não foi de espantar, que com a saída de Quaresma (a outra fonte criativa do dragão), o FC Porto perdeu todo o seu fulgor, já que Lucho anda arredado da melhor forma da época passada.

O Benfica empatou numa jogada simples e consentida na zona central do meio-campo defensivo azul, e por isso mesmo, o excesso de jogadores naquela zona foi crucial.

O FC Porto no final do jogo aumentou ligeiramente a pressão e num lance de insistência, apontou o terceiro golo por Bruno Moraes. Culpa dos centrais benfiquistas que não foram lestos a afastar a bola.

Em conclusão, o que se constata é que o FC Porto vive demasiado do futebol de Anderson, bem como da inspiração de Quaresma. O Benfica vive dos equívocos e das experiências de Fernando Santos, bem como do futebol de Simão e da acção defensiva, que tem sido pouco mais de regular.

Não há resultados justos ou injustos para o jogo de sábado. Há apenas o resultado: 3-2!

Publicado por Danielovsky às 02:23 PM | Comentários (0)

October 24, 2006

Na retina - Bwin Liga


Foto: UEFA

Bruno Amaro é um jovem médio que á prazer ver jogar. Proveniente do Penafiel, é no Nacional de Carlos Brito que tem conseguido atingir um patamar superior de qualidade futebolística, porque não inventa, não compromete e joga sempre pelo seguro, para além de deter um fortíssimo pontapé. É o nº61 da equipa da Madeira e provavelmente para o ano, o destino será outro ainda bem maior.


Foto: Sportal

Onyekachi Kevin Amuneke é o irmão mais novo de Amunike, jogador nigeriano que esteve no Sporting e no Barcelona. Tem em comum o facto de jogar com o pé esquerdo e ter momentos da magia africana a espaços durante os jogos que faz com a camisola do V.Setúbal. Depois de ter andado perdido nos escalões inferiores de Porto e Benfica, Amuneke foi para a Noruega jogar no Landskrona, clube onde o sportinguista Farnerud também deu os seus toques. Com uma habilidade inata para jogar na linha, mas também no apoio ao ponta de lança, Amuneke vai ser concerteza uma das figuras desta Bwin Liga.


Foto: Naval 1º Maio

Nei começa a ser a figura do campeonato, pelo menos à 7ª jornada. Com 5 golos apontados, o avançado da Naval tem feito esquecer Bruno Fogaça, o melhor marcador do clube a época passada. Com o seu sentido de oportunidade, o avançado brasileiro tem mostrado alguns dos dotes que fizeram dele o autor de um dos melhores golos da liga de 2004/2005, então ao serviço do Moreirense, quando marcou um golo ao Sp. Braga ainda antes do meio-campo. Rápido, com alguma técnica, é um jogador típico de contra-ataque e espontaniedade. Para seguir com atenção...

Publicado por Danielovsky às 07:07 PM | Comentários (0)

O dia já passou

E nem foi celebrado convenientemente! O Brandos fez 3 anos!

3 anos a discutir futebol e neste momento a entrar numa outra fase da sua vida.

As quezílias que se passam todos os dias não dão vontade de comentar, pelo que a análise ao que se passa com quem menos culpa tem do que acontece no futebol é a melhor homenagem que se pode fazer.

Assim sendo, as avaliações, as tácticas, os movimentos, as estrelas de agora e do futuro serão aqui avaliadas.

Porque a bola é um costume...

Publicado por Danielovsky às 04:41 PM | Comentários (0)

October 23, 2006

Fim de Semana Europeu

O Efeito Guti

Guti sempre foi irreverente num Real Madrid que, ao longo destes últimos anos, tem enveredado por uma política de estrelas em deterimento dos jovens da cantera. Por isso mesmo, as críticas que Guti faz muitas vezes têm o seu sentido de responsabilidade. Com a chegada de Fabio Capello, Guti tem tido um papel mais preponderante neste Real Madrid e ocupa a sua posição de origem, a de médio interior esquerdo.
Com a sua visão de jogo e disponibilidade física, Guti tem sido o motor deste Real Madrid e passa despercebido no conjunto estrelar de Madrid.

Os jovens irreverentes

Toulalan, Kim Kallstrom, Tiago e Benzema são os jovens irreverentes do Ol. Lyon, que já tem 8 pontos de vantagem sobre o Marselha, que foi ontem copiosamente derrotado em casa por 1-4.
Com a venda de Diarra ao Real Madrid, Houllier encontrou no mercado interno a substituição perfeita: Toulalan. Este médio de 23 anos, formado nas escolas dos Nantes assegura todo o futebol do Lyon, especialmente na transição defesa-ataque, onde tem Juninho, Tiago ou Kallstrom para depois estes construirem. Para além de Toulalan, Houllier ainda tem Diarra (contratado ao Lens) capaz de executar os mesmos movimentos do que o francês. Benzema é o substituto natural de Fred: 18 anos, 12 jogos, 6 golos.

A dupla explosiva

Klaas Jan Huntelaar e Kenneth Perez são as figuras deste fim de semana num dos muitos clássicos que aconteceram: Feyenoord-Ajax. Com dois golos cada, os avançados dos "lanceiros" foram os principais protagonistas numa goleada que colocou Erwin Koeman a meditar sobre o futuro do clube de Roterdão. Provenientes de clubes mais pequenos, é com Henk ten Cate que os avançados têm mostrado toda a sua virtuosidade, velocidade e oportunismo, como ficou bem provado neste último jogo.

Publicado por Danielovsky às 04:54 PM | Comentários (1)

October 18, 2006

Por essa Europa fora

Estamos no meio de Outubro e em metade da Champions League. Existe sempre a possibilidade de aquisições a meio da época e por isso começam a ser sonantes alguns nomes que possam transitar por essa Europa fora.

Assim sendo, temos alguns exemplos:

Dudu Cearense é a nova explosão do futebol brasileiro em terrenos frios, mais concretamente na Rússia. Com 20 anos, e proveniente do Rennes, este jovem brasileiro assume as despesas da equipa do CSKA, em parceria com Daniel Carvalho, o verdadeiro nº10. Sendo um médio "box-to-box", Dudu enche o campo com o seu futebol, mostrando que o saber não ocupa idade, sendo dos mais esclarecidos e consistentes jogadores que o CSKA tem mostrado na Europa do Futebol.

Nery Alberto Castillo já não é a primeira vez que dá nas vistas na Champions League. O ano passado já tinha mostrado alguns apontamentos interessantes e este ano, já marcou dois golos, um deles fenomenal frente ao Shaktiar Donetsk. Tem sido a muleta de Konstantinou e de Rivaldo e serve perfeitamente para ocupar qualquer uma das faixas de uma grande equipa europeia. Raça, velocidade e técnica não lhe faltam, pelo que só lhe falta evoluir um pouco mais fisicamente.

Nicolae Dica está a atingir aos 26 anos, o estatuto de ser um dos melhores jogadores romenos da actualidade. No entanto, o facto do futebol romeno estar a tomar caminhos menos próprios e de ainda ser um campeonato menos conhecido do mainstream europeu faz com que na grande competição de clubes se torne mais conhecido. Assim se passa com Dica, que logo no primeiro jogo da Champions abrilhantou uma vitória robusta do Steaua sobre o Dynamo Kiev com dois golos, um deles com uma execução só ao nível dos verdadeiros artistas. Descubram-no na liga romena. Vale bem a pena.

Todas as fotos foram retiradas do site da UEFA.

Publicado por Danielovsky às 06:56 PM | Comentários (0)

October 17, 2006

Celtic - Benfica

"Se eu tivesse o telemóvel de Deus, seria tudo mais fácil!", quem o diz é Carlos Bianchi. E bem que poderia dizer o mesmo Fernando Santos, que após uma exibição convincente, segura e tranquilo no último Sábado frente a um U.Leiria, não conseguiu chegar a 50% desse espírito na noite de hoje, em Celtic Park.

Utilizando a mesma equipa que ganhou no Magalhães Pessoa, mas com a introdução de Alcides no lugar de Nélson, Fernando Santos optou por defender-se das bolas altas, do que atacar pelo lado direito, deixando o Celtic com a tarefa facilitada para atacar pelo seu corredor esquerdo e para Nakamura brilhar.

O Benfica teve de sofrer nos primeiros 10-15 minutos com a pressão exercida pelo Celtic com as suas bolas altas. Alcides fechava no meio, Katsouranis recuava para o lado direito e o meio-campo aparecia depois coxo, já que Simão, Nuno Gomes e Miccoli raramente recuavam.

A partir dos 20 minutos pensou-se que o Benfica ia por fim tentar fazer algo parecido com o que tinha acontecido em Leiria com triangulações, passes rasteiros e desmarcações. No entanto, os remates perigosos eram todos feitos de fora da área e em contra ataque.

Com o início da segunda parte, o pressing do Celtic foi igual ao da primeira parte, mas com efeitos diferentes. Maloney (bom jogador) desenvolveu uma jogada no meio-campo do Benfica (carente de marcação) e soltou para a linha, Alcides estava a fechar o meio e como tal chegou tarde ao cruzamento rasteiro que permitiu a Miller apontar o primeiro golo da noite.

Logo após, um contra-ataque mortífero e que serviu para explicar a Fernando Santos a teoria do contra-ataque, Miller rebentou com qualquer esperança do Benfica pontuar em Glasgow.

Fernando Santos ainda colocou Nélson e Fonseca, para actuar num esquema de 4-4-2 explícito, mas também não é explícito porque é que Manú não é sequer convocado.

Evander Sno, uma das promessas do Celtic mostrou a Petit o que é jogar e fazer a transição defesa-ataque: ou seja, não inventar, jogar pelo seguro, não comprometer, procurando sempre pela solução mais óbvia.

Para além disso, a quebra física da equipa encarnada foi bem visível, a partir do segundo golo do Celtic. Porque será?

Publicado por Danielovsky às 10:04 PM | Comentários (0)

October 15, 2006

Calma, paciência e um grande grego

Foi este o segredo do Benfica ontem em Leiria...

Publicado por Danielovsky às 10:18 PM | Comentários (0)

October 10, 2006

O grande derby

Este fim de semana, Buenos Aires parou. Parou para ver o derby dos derbys. O River-Boca é o que mais mexe, o que mais movimenta e o que mais acalenta emoções, desejos e golos.

E o deste fim de semana não foi excepção. No Arturio Vespuci Liberti, campo do River, a equipa da casa venceu por 3-1 e ficou a apenas 1 ponto do rival de sempre, Boca.

Para além de ter sido o encontro rápido, imprevisível e "gladiador" como sempre é, o destaque vai para os marcadores dos golos, comprovando assim a enorme qualidade que o futebol argentino dispõe.


Fonte: Gettyimages

Gonzalo Higuain é mais uma das pérolas do futebol argentino a despontar na equipa dos "Milionários". Com apenas 18 anos, "Pipita" deslumbrou e apontou mais dois golos, a somar aos cinco que já tinha este ano na Liga Argentina.


Fonte: Gettyimages

Rodrigo Palacio é outra das figuras do Boca actual. Com uma presença nos convocados do último Mundial disputado na Alemanha, o avançado de 24 anos ainda não saiu da Argentina, quiçá à espera de uma melhor oportunidade para brilhar. No entanto, é mais um a despontar nesse encanto futebolístico que dá pelo nome de Argentina.

Publicado por Danielovsky às 06:05 PM | Comentários (0)

October 08, 2006

Os 4-1

Muito se tem falado da derrocada, muito se tem falado de Couceiro, muito se tem falado das suas opções.

O que é certo é que Couceiro nunca mostrou o porquê de ser o escolhido para os Sub-21, pertence a um grupo de interesses que mina o futebol português há muitos anos e nem as conferências de imprensa conjuntas com os jogadores conseguem safá-lo.

Se Portugal não for apurado para o Europeu de Sub-21 só resta um caminho a Couceiro. O mesmo que ele escolheu quando o Belenenses o ano passado desceu de divisão...

Publicado por Danielovsky às 11:29 PM | Comentários (0)

4 pontos???

O grupo de Portugal para o apuramento do Europeu 2008 é o seguinte:
- Bélgica
- Sérvia
- Cazaquistão
- Polónia
- Azerbeijão
- Finlândia
- Arménia

Luiz Felipe Scolari diz que basta vencer todos os jogos em casa e empatar os jogos fora para fazer 28 pontos e assim garantir o apuramento. Também diz que empantando os jogos fora é mais fácil porque os adversários assim perdem dois.

Escusado será dizer que é mais importante a Arménia, o Azerbeijão e o Cazaquistão perderem dois pontos em casa do que o semi-finalista do último Campeonato do Mundo ganhar um...

Coerências...

Publicado por Danielovsky às 11:05 PM | Comentários (0)

October 02, 2006

Uma questão de espaço

Foi o que aconteceu hoje em Braga, por ocasião do Sp.Braga - FC Porto.

Com esquemas idênticos, mas com personagens diferentes, as duas equipas ocuparam o espaço de maneira a haver espaço para jogar. Confusos?

Com um meio-campo repartido entre Madrid, Hugo Leal e Castanheira, Caravalhal conseguiu moldar melhor a equipa que Jesualdo Ferreira, que começa a demonstrar o porquê de ter sido eliminado, por ex. contra o Gondomar, numa eliminatória da Taça de Portugal, em pleno Estádio da Luz.

O FC Porto apresentou Paulo Assunção como pivot defensivo, Raúl Meireles e Lucho no eixo central, deixando Quaresma e Anderson (que crime!) nas alas. Logicamente que o Sp.Braga aproveitou para lançar rápidas transições de bola, com Madrid irreprensível no corte e Hugo Leal mestre no passe da segunda linha.

Foi assim que Wender descobriu Marcel para o golo do Braga e foi também que Quaresma, aproveitando um desnorte também de Paulo Santos, que possibilitou a Postiga o seu segundo golo no campeonato de maneira consecutiva.

Na segunda parte, o mesmo espaço concedido e Luis Filipe, com Quaresma "nas covas", aproveitou a auto-estrada que se lhe abriu e rematou colocado ao poste direito de Helton.


A questão do espaço também pode ser aproveitada para o Benfica - Desp. Aves.

Com um meio-campo formado por Karagounis, Rui Costa, Simão e Paulo Jorge, como foi o do Benfica da 2ª parte, a equipa encarnada arrisca-se a ser goleada por uma equipa que faça mais cócegas do que o D. Aves.

A disponibilidade que o Aves teve à sua mercê na segunda parte no meio campo adversário sem ser capaz de criar oportunidades de golo revelam bem a fragilidade da equipa do Prof. Neca.

Veremos se o espaço é definido nestas duas semanas de trabalho. Bem que precisam...

Publicado por Danielovsky às 11:34 PM | Comentários (0)