« August 2006 | Entrada | October 2006 »

September 27, 2006

Benfica vs. Manchester United

A análise a este jogo vai ser fita tendo em conta as notas tiradas ontem, em pleno Estádio da Luz.

Assim sendo, o Benfica começou a jogar com Quim; Alcides, Luisão, Anderson e Leo; Petit, Karagounis e Katsouranis; Paulo Jorge, Simão e Nuno Gomes.

O Manchester United apresentou: Van Der Saar; Neville, Ferdinand, Vidic e Heinze; O'Shea, Carrick e Scholes; Ronaldo, Rooney e Saha.

Na 1ª parte:

Katsouranis funcionava como o primeiro tampão defensivo na zona central, cabendo depois a Petit e Karagounis a restante marcação. Após os primeiros dez minutos, trocou de posição com Karagounis. No entanto, o jogo do Benfica padecia de um pensador, uma vez que a quantidade de bolas pelo ar indicava uma falta clara de ideias para jogar a bola e transpô-la da defesa para o ataque. Daí, é perfeitamente plausível que as oportunidades de golo do Benfica surgissem de fora da área, com remates de Karagounis e Nuno Gomes, este beneficiando de um erro defensivo de Vidic.
Após os 20 minutos de jogo, era notório que Rooney não recuava para defender, sendo que Alcides também não atacava, uma vez que o jogo estava a ser todo ele canalizado pelo corredor esquerdo na busca da inspiração de Simão e Leo. Com este esquema ofensivo pelas alas e pelo povoamento do corredor central, a táctica do Benfica ficava sempre assente em três defesas, sempre que um dos laterais subia, o que ao mesmo tempo limitava o outro.
Ainda houve uma tentativa ténue de colocar Simão na faixa direita para aproveitar essa falha defensiva, mas assim Paulo Jorge não era capaz de suster as subidas de Gary Neville, voltando depois tudo ao normal. Outra das situações que ficou na retina é a de que Petit consegue parar muitas vezes as jogadas de ataque do Benfica, já que não consegue aproveitar as linhas de passe disponíveis para alargar o jogo pelas alas, cortando assim movimentos de rotura e variação de flancos.

Da parte inglesa, Michael Carrick, um tradicional pivot defensivo, apareceu nos primeiros minutos como 2º avançado no apoio a Saha. Ronaldo e Rooney estavam muito pegados à linha e apenas o português assumia alguma preponderância na organização de jogo. A partir dos 15 minutos foi notório que o Man Utd estava à espera de uma falha da defesa do Benfica. Rooney não defendia e Scholes, que estava incumbido de compensar o colega, também via o peso dos seus 31 anos a contar.
Para além disso, O'Shea é a nova aposta de Alex Ferguson para a posição de médio defensivo. Com um jogo muito lento e previsivel, este internacional irlandês estava a mais num meio campo muito povoado e que servia muito pouco Saha. Para além disso, o Man Utd peca pelo mesmo exemplo do Benfica quanto à organização de jogo. Ou seja, não tem um jogador capaz de pegar no jogo, pensá-lo e distribui-lo. O facto do Man Utd não ter atacado na primeira parte explica-se nos 0 cantos.

Na 2ª parte:

Foi com certa perplexidade que Manú não constava da lista de convocados, uma vez que Paulo Jorge e Simão eram os únicos com capacidade de actuarem pelas linhas. nélson também estava no banco e Miccoli também pode fazer a posição, mas o Benfica ganha mais com ele em cunha como 2º avançado para aproveitar as segundas bolas.
O golo do Man Utd surge de um remate interceptado de Petit, último pivot do eixo central do meio campo e com os laterais balanceados no ataque. Ronaldo recuperou a bola e num contra-ataque de 2 para 2, Saha flectiu para o meio e rematou com o seu melhor pé, o esquerdo. Vários erros:
- Petit não deveria ter feito o remate, porque era o último jogador
- Um dos laterais deveria estar pronto para a compensação do contra-atque
- Anderson não defendeu o meio (único local para onde Saha se poderia deslocar), para além de vir a recuar, o que possibilitou um avanço ao jogador francês

Após o golo, Fernando Santos tirou Karagounis (o único jogador a tentar pensar o jogo) para colocar Nuno Assis. A opção lógica poderia passar pela saída de Petit, o recuo de Katsouranis e a implementação de dois médios centro que pensam o jogo e que poderiam alternar na organização de jogo. A troca de Paulo Jorge por Miccoli, colocando depois Nuno Assis numa ala retirou pensamento ao jogo do Benfica, baseado no bombardeamento de bolas para jogadores com a estrutura física de Nuno Gomes e Miccoli, frente a jogadores habituados a jogar no futebol inglês. Com a entrada de Mantorras, o Benfica passou a actuar num 3x4x3, com Alcides, Luisão e Leo, um meio-campo de losango e Nuno Gomes no apoio a Mantorras e Miccoli.
Resultados práticos foram muito poucos e o resultado foi o que se viu a partir do minuto 60, altura do golo de Saha.

Rooney está claramente em baixa de forma e Ferguson não aposta em Solskjaer para fazer o lugar do inglês. O Man Utd usou a táctica de jogar no contra-ataque e conseguiu os seus intentos, possibilitando depois a Ronaldo aparecer mais solto, sem a marcação apertada de que tinha sido alvo na primeira parte.

O Manchester pode ser considerado um vencedor justo, porque a sua estratégia vingou...

Publicado por Danielovsky às 11:54 PM | Comentários (0)

Rui Santos

Como é que se consegue ser isento se passa mais de metade do tempo do seu programa (???) a falar do Benfica e do seu Presidente?

Como é que se consegue estar a falar durante 5 minutos sobre o Apito Dourado e não ter sequer a coragem de dizer nomes, andando por ali a rondar?

Como é que se consegue ainda dar tempo de antena a jornalistas (???) desta estirpe?

Publicado por Danielovsky às 11:34 PM | Comentários (0)

September 25, 2006

O 4x4x2

José Mourinho tenta a algum custo, assentar o 4x4x2, para conseguir ter ao mesmo tempo Didier Drogba e Andrey Shevchenko na mesma equipa. O esquema montado por Mourinho no último fim-de-semana com vista ao rival de sempre (Fulham) assentava no 4x4x2 em losango, com a presença de Robben e Essien como médios mais interiores, Makelélé na posição de pivot defensivo e Lampard a assegurar a missão de organizador de jogo. A defesa foi modificada, assegurando a presença de Paulo Ferreira na posição de central, devido à lesão de Terry no aquecimento.
Na frente, Drogba e Shevchenko iam tentando alvejar as redes de Niemi.

O meio-campo foi sempre o problema do Chelsea, que apesar de exercer algum domínio e uma estonteante percentagem de posse de bola, não conseguia criar oportunidades de golo para os seus avançados.

E aí reside o principal dilema da equipa "blue", que é o de começar a rentabilizar o investimento feito em Shevchenko, que ainda só marcou um golo para a Premiership e outro para a Charity Shield.

Talvez a principal razão seja o esquema táctico adoptado por Mourinho, que opta pelos dois avançados, em detrimento do 4x3x3 que tão bons resultados deu no passado.


Foto: Gettyimages

Em Milão, Shevchenko tornou-se mortífero quando bem servido por Kaká e Rui Costa, ou beneficiando do sistema táctico de Ancelotti, que apesar de ser bastante eficaz do ponto de vista defensivo, a forma de atacar padecia de uma certa dependência dos seus elementos mais criativos, como o brasileiro ou Pirlo.

A possibilidade de Mourinho alterar o sistema táctico abre a possibilidade de poder rentabilizar as peças que tem no seu Chelsea, se bem Salomon Kalou e Wright-Phillips se apresentam como os elos mais fracos. De resto, para a posição de médio centro e de organizador de jogo, a abundância e qualidade abundam, como é o caso de Ballack, Joe Cole ou mesmo Obi Mikel.

Talvez favoreça e beneficie deste esquema o ucraniano, mas também o Chelsea, procurando e tendo melhores soluções para ganhar a tão almejada Champions League.


Usando um esquema similar, o Sporting de Paulo Bento também padece de uma carência semelhante à do vizinho da Segunda Circular: a ausência de um nº10, que consiga pautar o jogo, pensá-lo e executá-lo.

Usando o mesmo sistema de losango no meio-campo, o único jogador do Sporting que é capaz de ocupar as 4 posições é João Moutinho, que aliando a técnica à sua disponibilidade física permite que Paulo Bento tenha no jogador algarvio a sua reserva para qualquer emergência.

Na posição de nº10, apenas aparecem Carlos Martins (sempre perseguido pelas lesões) e Romagnoli (intermitente como qualquer argentino que seja descendente dessa posição maldita desde o fim de Maradona).

Ultimamente, Paulo Bento tem utilizado Yannick Djaló como nº10, a tentar servir Alecsandro e Liedson, mas o jovem jogador não consegue um rendimento tão bom como aquele que seria o desejado e onde provavelmente renderia mais: como segundo avançado.


Fonte: Gettyimages

A solução do Sporting neste caso, passa sempre pela disponibilidade dos jogadores que compõem o restante meio-campo e que será a partir deles que o jogo terá de ser pensado e estruturado. Pelo menos, até as lesões e a intermitência passarem...

Publicado por Danielovsky às 07:26 PM | Comentários (0)

September 18, 2006

Outras bolas...

- A selecção de basquetebol conseguiu o apuramento para o Europeu de 2007, que se vai disputar aqui ao lado em Espanha, mais concretamente em Sevilha, durante o mês de Setembro. Não o conseguia há 55 anos, altura em que foi convidada! Não faltarão para o ano alguns velhos do Restelo a pedir o título europeu...

- Começou este fim de semana o Campeonato da Liga de Andebol, este ano com a presença de Benfica, FC Porto e Sporting, aliando-se a outros clubes de nomeada como o ABC, Belenenses, V.Setúbal e Ginásio do Sul. Começou no entanto com o problema das arbitragens, já que esse capítulo ainda não foi resolvido entre LPA e FPA. Resultado: Donner foi expulso na Madeira por se envolver com um árbitro escolhido pela FPA para arbitrar um jogo da LPA. Confusos? Eles também andam há 3 anos...

Publicado por Danielovsky às 09:25 PM | Comentários (0)

Tradição vs. Modernidade

Como qualquer comum mortal que se preze e goste do jogo que é o futebol, tem de ter clubes de referência em vários países que o levem a gostar desse mesmo futebol / clube.

Em Espanha, tenho dois exemplos muito próprios no seu ser e estrutura, aliados a outro tipo de questões que não são agora para aqui chamadas: o FC Barcelona e o Athletic de Bilbao, vulgo Athletic.

Bilbao viveu ontem, em San Mamés, denominada a Catedral do futebol espanhol, um dia mau. O rival de Madrid foi golear ao País Basco a única equipa que actua com jogadores provenientes da sua região, que não tem estrangeiros e que é a par de Barcelona e Real Madrid, o único clube que ainda não desceu de divisão em Espanha.

O resultado final foi de 4-1 para os visitantes, e ao somar a 2ª derrota consecutiva e por números iguais ou superiores a 3, cerca de 40000 vozes em basco pediram a demissão do Presidente Fernando Lamikiz.

O Bilbao é um clube único. O seu treinador, Sarriugarte, veio das camadas jovens e os seus jogadores são todos bascos, mantendo uma tradição do clube, que nem a Lei Bosman mudou.

Entretanto, Lamikiz, o presidente, pretende construir um novo estádio em Bilbao, derrubando San Mamés, e nisso o povo basco não gosta de ser pisado, vendo até com bastantes reticências a mudança para um novo recinto.

O grande rival na região (Real Sociedad), até há dois anos, seguia a mesma política de Bilbao, mas tinha jogadores estrangeiros. Com a chegada de Boris, a Real Sociedad perdeu aquilo que para os bascos é o mais importante: o orgulho.

O Bilbao decidiu continuar na sua "causa" e provavelmente estará a pagar um pouco por isso. Mas a força está na cabeça dos bascos e não desistem tão facilmente.

Esperemos que sim...

Publicado por Danielovsky às 09:14 PM | Comentários (1)

Apitos

Nunca é demais revelar as boas coisas e as boas coisas podem ser lidas neste post do José Diogo Quintela no Gato Fedorento, que por sua vez faz uma ligação a um escrito da Leonor Pinhão na edição da última quinta-feira d'A Bola.

Falei da vergonha que havia em ver escutas nos jornais. Escutas que obviamente estariam em segredo de justiça e que são transcritos nos jornais, violando claramente a lei.

José Diogo Quintela fala também da vergonha que os jornais não têm ao transcreverem escutas e ao pactuarem com a situação. Leonor Pinhão dá ainda mais credibilidade à teoria dos poderosos que povoam o futebol em Portugal.

Eugénio Queirós hoje vem dizer aqui que a culpa não é dos jornalistas e que os mesmos são entendidos como os bodes expiatórios de sempre.

O problema não é serem os bodes expiatórios de sempre, mas também eles pactuarem, de forma directa ou indirecta no que actualmente se está a passar. Por isso também, os direitos que o Sindicato dos Jornalistas hoje reclama em tons de abaixo-assinado (ver Zapping) tem a sua lógica e a sua importância se o que está descrito no abaixo assinado for realmente cumprido e não encapotado, como muitas vezes é pelos jornalistas.

E depois temos o problema das carreiras profissionais e o fim da investigação jornalística de todos se queixam, mas que não fazem nada para o mudar.

O Apito Dourado é a consequência e a perfeita ilustração do que este país é: corrupção, poder concentrado, acusações mútuas sem consequência, assobios para o lado e mentira.

Por isso mesmo, os principais intervenientes têm de mudar para que realmente aquilo que pregam seja tomado em conta...

Publicado por Danielovsky às 07:54 PM | Comentários (1)

Figuras do Fim de Semana - Bruno Marioni (Toluca)

Os adeptos leoninos certamente lembrar-se-ão de um Bruno Gimenez que veio para este cantinho á beira-mar plantado para encher os bolsos de Carlos Janela, Norton de Matos e mais uns quantos, enquanto que em termos futebolísticos foi praticamente zero.

Depois andou desaparecido, voltou à Península Ibérica, mas para as Canárias, onde ainda marcou uns golitos no Tenerife, mas já com outro nome, porque o Gimenez dava-lhe azar.

Bruno Marioni voltou à Argentina, até ser contratado pelo Toluca, da 1ª Divisão Mexicana. Tudo seria normal não tivesse o indíviduo marcado 4 golos na goleada do Toluca sobre o Tigres por 7-0!

Tudo bem que dois deles foram de penalty, mas conseguiu a proeza de juntar mais dois e fazer um poker neste fim de semana fraquito em destaques.

Os adeptos do Sporting não o querem trocar pelo Bueno?

Publicado por Danielovsky às 07:46 PM | Comentários (0)

De sábado a terça

A extensão das jornadas de futebol em Portugal têm o dom de se tornarem chatas e aborrecidas.

O espanto depois é tal que os entendidos vêm dizer que há poucas pessoas nos estádios, que não há emoção e que os espectáculos são pobres.

Esticar uma jornada que começa no sábado com um só jogo, prolongá-la para domingo, segunda e terça é digno de figurar nos arautos de como não organizar uma competição desportiva.

O espectáculo continua na próxima semana em que Benfica e FC Porto jogam Sexta-feira, Sporting joga no Sábado, dois jogos ainda existem no Domingo e o U.Leiria ainda joga na Segunda.

Palavras para quê?

Publicado por Danielovsky às 07:38 PM | Comentários (0)

Meninos...

Ao saber que os D'ZRT vão participar na festa de aniversário d'Os Belenenses, fico a saber que a relação é mesmo a indicada. Os meninos que fizeram queixinhas para ficarem na Primeira Liga recebem aqueles que fazem as delícias dos meninos...

Publicado por Danielovsky às 07:34 PM | Comentários (1)

Um título para esta foto, sff

chungas.jpg

Publicado por Danielovsky às 06:36 PM | Comentários (4)

September 12, 2006

Vergonha ou não...

As notícias sobre nomeações de árbitros escolhidas por presidentes de clubes e pelo presidente da Liga vem adensar ainda mais o panorama do futebol português nos seus contornos mais suspeitos.

Tanto as pessoas não têm vergonha, uma vez que continuam a exercer os seus cargos, como os jornais não têm pejo em continuar a escrever nas suas páginas conversas transcritas de processos judiciais.

A vergonha é de ambos e de todos!

Publicado por Danielovsky às 02:41 PM | Comentários (2)

September 11, 2006

Desastre Total

É o que se pode dizer da prestação do Benfica no último fim de semana, no Porto.

Sem rotinas de jogo, sem esquema táctico, com um treinador preso de movimentos e de falas, o Benfica teve um dia mau de mais para ser verdade.

Qual será o problema?

Publicado por Danielovsky às 04:59 PM | Comentários (0)

O golo mais patético deste fim-de-semana

Pode ser visto aqui.

Os agradecimentos especiais a Pepe Reina, guarda-redes do Liverpool e a Andrew Johnson, avançado do Everton, por mais um belo momento de futebol...

P.S. Já em Novembro de 2004 se falava neste blog de Andrew Johnson, na altura no Crystal Palace. Lesionou-se e voltou para jogar a época passada. O Everton contratou-o e ele já tem 4 golos marcados em 4 jogos...

Publicado por Danielovsky às 04:36 PM | Comentários (0)

Figuras do Fim de Semana - Rolando Bianchi (Reggina)

Rolando Bianchi é considerado a figura do fim de semana devido aos três golos que marcou pela Reggina frente ao Palermo, e que mesmo assim não serviram para a sua equipa reduzir algum ponto aos 15 negativos com que começou este ano a Série A.

Com uma formação feita na Atalanta, Bianchi também participou na Selecção Italiana que esteve presente em Portugal em 2006, no Europeu de Sub-21. O ano passado esteve no Cagliari e na Sampdória, sem ter conseguido atingir patamares elevados de notoriedade e golos.

Este ano promete ser diferente, pelo menos avaliando pela primeira jornada...

Publicado por Danielovsky às 04:26 PM | Comentários (0)

September 07, 2006

Curtas

- Luis Filipe Vieira foi à Festa do Avante no passado sábado dizer que AGORA é necessário a FPF mandar na LPFP. Agora? E durante estes últimos anos que o Benfica apoio incontestavelmente a direcção da Liga?

- Luiz Felipe Scolari disse que o empate na Finlândia seria um bom resultado. Uma Selecção que é 4ªClassificada no último Mundial de futebol não se pode contentar com um empate na Finlândia...

- O FC Porto vai mudar de sistema, mas o sistema continua agarrado ao FC Porto. Por isso mesmo, Pinto da Costa viu mais um processo do Apito Dourado ser arquivado...

- O Sporting vai ter uma semana fatídica no que a jogos diz respeito. Banalidades de uma liga que prefere ter um Aves-Sp.Braga numa sexta-feira...

Publicado por Danielovsky às 09:53 PM | Comentários (0)

September 05, 2006

E a seguir? Pode-se demitir?

Scolari muito pessimista: «Não temos grandes probabilidades de ganhar»

Publicado por Danielovsky às 07:28 PM | Comentários (0)