« CARO DOUTOR DIAS DA CUNHA | Entrada | CONTRASTE »

outubro 17, 2005

O INSURGENTE, A CULTURA E A CIÊNCIA

Os (muitos) textos publicados n'O Insurgente sobre a atribuição do Prémio Nobel da Literatura a Harold Pinter devem ser recordados da próxima vez que se discutir o tema "A Direita e a Cultura.
Ainda no mesmo blogue, os textos do Brainstormz devem ser recordados quando se discutir "A Direita e a Ciência".
Finalmente gostaria de recordar ao HFerreira e ao AAA que (no referencial da Terra) obviamente o Sol gira à volta desta.

Publicado por Filipe Moura às outubro 17, 2005 07:33 PM

Comentários

Tudo bem. Mas não se atreva a dizer que o mundo não foi criado em sete dias ou que o homem tem alguma coisa a ver com os símios.

Publicado por: virtuoso em outubro 17, 2005 09:04 PM

Filipe,
acho que estás a ser injusto. No Blasfémias também houve textos de grande relevância para o(s) tema(s) que referes.

Virtuoso,
a Terra é plana em primeira aproximação.

Publicado por: Ricardo Alves em outubro 17, 2005 11:22 PM

Caro Filipe Moura,

Obrigado pelas referências!

Publicado por: BrainstormZ em outubro 17, 2005 11:24 PM

Ricardo, em primeira aproxmação, a Terra não será, na verdade, uma linha? (numa lógica unidimensional)

Publicado por: João André em outubro 18, 2005 12:10 AM

Gosto muito das teorias da Direita Evangélica Americana, que pretende substituir o conceito de selecção natural pelo de "inteligent design". É curioso: a esquerda opõe-se ao darwinismo em sentido económico, enquanto a direita se opõe ao darwinismo em sentido cientifico.

Darwin é uma espécie de calcanhar de Aquiles da política contemporânea em ambos os sentidos.

E no entanto, seria tão fácil aceitá-lo em ambos os casos.

Publicado por: virtuoso em outubro 18, 2005 01:39 AM

Virtuoso,

O que eu acho interessante é que a esquerda, tão pronta a acrditar na autoorganização da matéria, tenha tanta dificuldade em acreditar na autoorganização da economia.

Publicado por: JoaoMiranda em outubro 18, 2005 01:57 AM

Continuando...

É um blog sério dedicado ao melhor do rock e do blues. Vais gostar!

Abção.

Publicado por: Diego Quadros em outubro 18, 2005 06:25 AM

Xiii...

Desculpem, pessoal, postei o comentário na janela errada. Foi mal!

Mas o convite vale pra vocês também!

Abço!

Publicado por: Diego Quadros em outubro 18, 2005 06:27 AM

João Miranda: a matéria não obedece a nenhuma lei humana. A economia começa por ser uma criação puramente humana, como tal objecto de visões inevitavelmente contraditórias.

O conceito da autoorganização da economia faz-me lembrar o conceito do comunismo. Que um dia há-de triunfar ineitavelmente se deixado a si mesmo. A única coisa que é preciso fazer por quem a defende (ou ao comunismo) é suportá-lo enquanto isso não acontece.

O erro dessa autoorganização da economia é que se esquece das pessoas. Não se esquça que não há economia se as pessoas não a fizerem.

Publicado por: João André em outubro 18, 2005 08:27 AM

Exacto Joao Andre':

Um sistema economico (ou um blog) e' tao bom ou tao mau como as pessoas e as ideias que o animam.

Publicado por: Luis Oliveira em outubro 18, 2005 08:50 AM

"O que eu acho interessante é que a esquerda, tão pronta a acrditar na autoorganização da matéria, tenha tanta dificuldade em acreditar na autoorganização da economia."

O que eu acho interessantissimo e' o JM associar a teoria da auto-organizacao da materia 'a esquerda; por outro, colocar a auto-organizacao da economia no mesmo plano da auto-organizacao da materia, i.e. colocar as supostas "leis" da economia ao mesmo nivel das "leis" fisicas.

Tudo isso e' absurdo, mas fico-me pela seguinte consideracao. Uma economia auto-organizada sem forte controlo estatal e tambem privado (carteis, oligopolios, ....) nunca foi observada; a auto-organizacao da materia e' observada todos os dias no laboratorio e na Natureza.

Conclusao: e' um facto experimental, observavel, que a materia se auto-organiza; a economia auto-organizada e' uma conjectura que requer demonstracao - e esta parece muito, muito longe de ser possivel.

Adenda: em muitos aspectos, uma economia auto-organizada por pequenos grupos de pessoas, interagindo com outros grupos, numa estrutura em rede ate' poderia ser muito interessante. A verdade, porem, e' que nao fazemos ideia alguma quais os passos necessarios para tornar possivel que essa estrutura emergir de forma espontanea.

Publicado por: MP-S em outubro 18, 2005 09:06 AM

Publicado por: MP-S em outubro 18, 2005 09:06 AM

A auto-organização da economia também. Os carteis, oligopólios, palnos quinquenais e por aí fora não existem num mundo etéreo fora da economia. Tal como a matéria de auto-organiza, o mesmo acontece à economia. Tal como existem formas de organização mais estáveis que outras na organização da matéria, o mesmo acontece com a economia. Ou será que a decomposição radioactiva se deve ao neoliberalismo?

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 18, 2005 12:01 PM

«O que eu acho interessante é que a esquerda, tão pronta a acrditar na autoorganização da matéria, tenha tanta dificuldade em acreditar na autoorganização da economia.»

Pois, exacto: as pessoas são átomos!
Isto é: não têm projectos de poder, jamais escondem as suas intenções, nunca exercem o direito de sair do mundo económico, etc.
;)

Publicado por: Ricardo Alves em outubro 18, 2005 12:42 PM

Pois, exacto: as pessoas são átomos!
Isto é: não têm projectos de poder, jamais escondem as suas intenções, nunca exercem o direito de sair do mundo económico,[...]

Projectos de poder, enfim, mas esqueces-te que as particulas escondem as suas intenções atrás da incerteza de Heisenberg, e quanto as pessoas sairem do mundo económico, só se fôr depois de morrerem, e mesmo assim...

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 18, 2005 12:54 PM

Podes-te gabar de que escreveste a maior borracheira de que a estupidez lusitana se pode gloriar. Alguns como tu quando contrariados atribuem-no à estupidez e à “incultura” do povo.

Publicado por: José Tim em outubro 18, 2005 01:13 PM

Alguns como tu quando contrariados atribuem-no à estupidez e à “incultura” do povo.

... e outros à da dos oponentes - não esquecendo o seu óbvio alcoolismo. É verdade, gosto de beber uns copos, e até, vê lá tu, quiçá de fumar uns charros.

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 18, 2005 02:07 PM

Pedro:

Podes me explicar o que e' que a incerteza de Heisenberg tem que ver com as "inten,coes" seja de quem for?

Publicado por: Luis Oliveira em outubro 18, 2005 02:42 PM

as pessoas são átomos [...] jamais escondem as suas intenções [...]

(do comentário do MP-S)

Apenas sublinhei que, independentemente da percepção humana do comportamento das particulas e das suas motivações (causas), estas escondem-se na incerteza quantica. De facto o MP-S limita-se a adoptar uma perspectiva da ciência ultrapassada nos anos 20 do século XX. Uma visão comtiana e positivista do conhecimento, contrapondo a esta 'ciência' um humanismo de pacotilha, salpicado com umas belas pitadas de Rousseau. Enfim, gostos.

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 18, 2005 02:54 PM

Engraçado, o João Miranda colocou o meu comentário (e o do MP-S) no Blasfémias sem autorização e pediu comentários. Faz lembrar aqueles inquisidores que faziam os hereges passar pelo meio de uma turba sanguinária a caminho da fogueira, de forma a dar uma boa oportunidade a que as pessoas pudessem bater em pessoas de quem nunca tinham ouvido falar apenas porque defendiam coisas diferentes. Eu acho de um imenso mau gosto, mas é lá com ele. Além disso furtou-se à discussão sobre o assunto aqui no BdE. Claro que é lá com ele, mas saber que o transportou para o recinto dele quando foi ele a iniciá-lo aqui demonstra bastante falta de fair-play.

De resto, que é que se passa aqui? Comparar o comportamento de um átomo com o de uma pessoa? Rousseau versus Einstein? Mas que é isto, está tudo doido? Voltem lá à vaca fria meus caros, que isto começa a descambar...

Publicado por: João André em outubro 18, 2005 04:26 PM

O João Miranda gosta de ser ele a controlar as discussões. Vê-se.

Publicado por: Ricardo Alves em outubro 18, 2005 04:52 PM

Joao Andre:

O Joao Miranda e useiro e veseiro nessas coisinhas, o Paulo Querido que o diga.

Quanto a vaca fria eu concordo plenamente com o Filipe (embora neste post ele nao seja muito explicito).

Publicado por: Luis Oliveira em outubro 18, 2005 06:19 PM

Os comentario do MP-S sobre economia e altamente pertinente. As propostas do Joao Miranda sao no fundo de natureza revolucionaria. E ja o Popper dizia que nesta coisa das revolucoes o grande problema e que ha sempre consequencias que nao poderiam ser previstas a partida ... para alem das que podiam ser previstas, e ninguem quer admitir.

Publicado por: Luis Oliveira em outubro 18, 2005 06:29 PM

Podes-te gabar de que escreveste a maior borracheira de que a estupidez lusitana se pode gloriar. Alguns como tu quando contrariados atribuem-no à estupidez e à “incultura” do povo.

Publicado por: José Tim em outubro 19, 2005 01:06 PM