« BOA ACÇÃO DO DIA | Entrada | BLOGUES COERENTES »

outubro 14, 2005

À PORTA DA FNAC

Nunca ouviu falar de Harold Pinter, mas já encomendou o último Harry Potter.

Publicado por José Mário Silva às outubro 14, 2005 11:49 AM

Comentários

O que quer dizer com este comentário?
Há cultura boa e cultura má?
A estética da criação artistica à absoluta ou relativa?

Publicado por: Louco em outubro 14, 2005 12:30 PM

Há quem pergunte se "há cultura boa e cultura má"? Claro que não: toda a gente sabe que é tudo igual, equivalente e indiferente.
Por fim, um comentador com um nome ajustado.

Publicado por: LR em outubro 14, 2005 12:33 PM

Estou apenas a reproduzir uma informação factual (algo que presenciei "à porta da FNAC"), reforçada pela coincidência temporal e pela homofonia.

Publicado por: José Mário Silva em outubro 14, 2005 12:34 PM

reformulo: quem decide é o que é boa e má cultura?

Publicado por: Louco em outubro 14, 2005 12:53 PM

Hummm... Cheira-me que essa pessoa deve ser o seu colega de blog, o Filipe Moura.

Publicado por: virtuoso em outubro 14, 2005 12:58 PM

Pelo menos o Harry Potter tem a grande vantagem de não pretender passar de fantasia, ao contrário dos delírios políticos de Pinter, que muita gente - a começar por aqui - toma por realidades.

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 14, 2005 01:27 PM

?...

Publicado por: tchernignobyl em outubro 14, 2005 03:05 PM

Louco,
Eu. Tu. Ele. Mas só a alguns é reconhecido o dom de fazer da una opinião o generalizado consenso. Imperfeições do ser humano, que queres...

Zé Mário,
Por favor, não mandes para o lixo este último comentário do Bigorna. Atribuir ao Nobel a invenção da pólvora é coisa só ao alcance de mentes mui especiais!

Publicado por: LR em outubro 14, 2005 03:14 PM

E verdade. A Quiteria Barbuda descobriu mesmo a polvora agora...

Publicado por: Filipe Moura em outubro 14, 2005 03:43 PM

E quem define o "dom"? Inspiração divina, quem sabe. "dom de fazer da una opinião o generalizado consenso" : Parece-me um pouco despota este tipo de pensamento. Tenho o direito de discordar desse consenso? Ou tenho que ter algum dom, para poder discordar?

Publicado por: Louco em outubro 14, 2005 04:13 PM

Louco,
Não se trata de um "tipo de pensamento"; é sim uma mera constatação do estado das coisas neste nosso mundo. É bem conhecido o aforismo "Arte é tudo que os críticos de Arte dizem que é Arte". Será absurdo e redutor; mas não temos definição operativa melhor à mão...
Podes discordar do que quiseres, como é natural. Só que essa discórdia não melhora grandemente a nossa capacidade de entender fenómenos culturais/artísticos contemporâneos. Eu também discordo dos fogos florestais, mas embalde, ao que parece.

Publicado por: LR em outubro 14, 2005 04:27 PM

Com eu não gosto de me resignar a aforismos, ou ao mundo como ele é, reconheça-me então o direito de achar que o Harry Potter pode também ser forma de arte relevante. E também de achar que o contributo de Pinter não é assim tão relevante. Ainda menos consensual, nem que seja pelo desconhecimento que a maioria das pessoas tem dele.

Publicado por: Louco em outubro 14, 2005 04:35 PM

Caro amigo,

Por mim, até pode preferir Marco Paulo a Boulez, Maluda a Kiefer, Rebelo Pinto a Pynchon. Longe de mim querer coarctar os seus direitos. Tudo isto é cultura, tudo isto é, a seu modo, relevante. A partir daqui, cada um constrói as suas redes, os seus percursos, a topografia da SUA cultura. Isto é como a asneira, inteiramente livre. E ainda bem.

Publicado por: LR em outubro 14, 2005 04:48 PM

Não conheço a obra de Pinter, apenas as suas opiniões políticas. No entanto transcrevo o comentário de um conservador americano (Roger Simon) sobre a atribuição deste prémio Nobel:

Unlike many selections by the Nobel Committee in the recent past, I think the award is eminently deserved. Whatever one may think of Mr. Pinter's recent political opinions... and I think they are execrable... he is unquestionably one of the great playwrights of the second half of the Twentieth Century, in my estimation the most important since Samuel Beckett. The Caretaker and The Dumb Waiter by themselves assure him a place in the pantheon of modern dramatists. As a writer of English dialogue, he is non-pareil. The Nobel Committee is to be commended for their choice. Let us hope this marks a turn away from the sectarian on their part and toward recognized literary excellence.

UPDATE: To be clear, judging by past performance, I would not be surprised if the Nobel committee was influenced by Pinter's Euro-trendy anti-Americanism. But that doesn't diminish my tremendous admiration for the playwright's best work, most of which was done, admittedly, decades ago.

O que prova que é possível separar apreciação ideológica de apreciação artística, pelo menos para alguns. Posso gostar, por exemplo, de ler Saramago enquanto penso que os seus ideais são ridículos.

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 14, 2005 04:50 PM

Bem-vindo ao clube, Pedro Oliveira.
Se o meu escritor preferido continua a ser Jorge Luis Borges, não o é decerto pelo seu posicionamento ideológico ou comprometimentos políticos.

Publicado por: José Mário Silva em outubro 14, 2005 08:14 PM

isto é cómico...
a lista de escritores de quadrante ideológico diverso que cada um à esquerda e à direita, admira, é enorme.
e a lista daqueles que são segregados por preconceitos ideológicos, sujeita a actualizações, "releituras", é igualmente enorme.
Igualmente enorme é a lista de escritores de que gostamos ou desgostamos por motivos fúteis, pessoais, porque a tromba é irritante, etc...
Mas à míngua de um pouco de imaginação, é sempre um bom motivo de conversa a história de que o rigor "ideológico" antecede sempre a apreciação estética. à esquerda, claro, à esquerda estão sempre todos os vícios.

Publicado por: tchernignobyl em outubro 14, 2005 09:37 PM

sorry, o bigorna foi na onda... o que vale é que ele não se faz rogado, vai comer uma sopita de couves ali no tugúrio e daqui a pouco está aí outra vez.

Publicado por: tchernignobyl em outubro 14, 2005 09:39 PM

Este site fala de muitos escritores, mas ainda não vi sobre a escritora que escreveu o livro "A Lua de Joana".

Publicado por: Sandra Maia em novembro 17, 2005 09:20 AM

Este site fala de muitos escritores, mas ainda não vi sobre a escritora que escreveu o livro "A Lua de Joana".

Publicado por: Sandra Maia em novembro 17, 2005 09:20 AM