« UM INSTANTE DA NUIT BLANCHE | Entrada | ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (II) »

outubro 05, 2005

ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (I)

"Quem testemunha pela testemunha?", excelente artigo de Antonio Tabucchi no DN.

Entre Mário Soares e Cavaco Silva há uma diferença de idade, sem dúvida. Mas um homem que vai a caminho dos 70, como Cavaco Silva, quando havia o salazarismo já era bastante crescido. Será que, estudante de economia em
Inglaterra, não se apercebeu que em Portugal havia uma ditadura? E será que não se apercebeu disso por ter nascido "entre o pobre e o remediado" em Boliqueime? Conheço portugueses da idade dele que nasceram pobres,
muito pobres, e que conseguiram estudar no estrangeiro, mas com a consciência do País de onde vinham.

Cavaco Silva é um bom economista, não há dúvida. Dentro da linha da economia que pertence à sua visão do mundo, of course o neoliberalismo. Que não me parece propriamente o modelo económico mais favorável para os
"pobres e remediados". Mas não era o Salazar, também ele, um entendido em Finanças, na linha da sua visão do mundo? A economia não é uma ciência objectiva como a química ou a física, é uma ciência humana. O Portugal
salazarista era um país miserável, mas os indigentes (80% da população) tinham a satisfação de poder dizer que as moedas que mendigavam nas esquinas eram uma moeda forte. Não duvido que Cavaco Silva tenha estudado
bem na Inglaterra da sua juventude. Mas tenho a impressão de que ele viveu os seus tempos estudantis ingleses como alguém que vinha da Bélgica ou da França, e não de um país totalitário. Faltava-lhe pois o que se chama
"consciência política". O que, para um político, é uma falta grave. E quem não a teve aos 20/30 anos, quando o seu país precisava dela, não sei se a poderá ter em idade mais que madura, quando o seu país já a tem, porque
alguém se bateu para lha conquistar e continua a bater-se contra qualquer ameaça que a possa desfalcar.

Publicado por Filipe Moura às outubro 5, 2005 08:40 AM

Comentários

Eu acho que o António Tabucchi está a cair num erro grave: subestimar o adversário. O Cavaco Silva (para alem do Mário Soares) é das raras pessoas que neste país quando vêm à luz da ribalta para falar de política sabe do que fala.

Publicado por: Luis Oliveira em outubro 5, 2005 02:57 PM

Este Tabucchi está convencido de que é escritor, ficção tão notável como as suas outras. O espantoso é que alguém se lembre de chamar "excelente" a este artigo, que, como é óbvio, só podia ter saído da indigência mental do autor.

Publicado por: Crispim em outubro 5, 2005 07:03 PM

felizmente que temos o crispim a árbitro do que é ou não excelente.
E com excelentes argumentos.
Com efeito que melhor argumento sobre a nulidade do tabucchi do que essa afirmação ser produzida pelo venerável ( e excelente) crispim?
o crispim não está "convencido" de que é crítico literário. O crispim é a crítica literária personificada.
Excelente.

Publicado por: tchernignobyl em outubro 5, 2005 07:09 PM

Mas o que eu achei mais giro no comentário do Crispim é aquele link que por uma razão qualquer não linka a lado nenhum. O que é giro é que estes crispins usam de uma linguagem insultuosa para criticar os outros (de uma forma muito pessoal, não se trata aqui de debater ideias) mas depois não nos dizem quem eles são. Excelente não será, mas idóneo é, lá isso é.

Publicado por: Luís Oliveira em outubro 5, 2005 07:44 PM

O tchernigobyl tem um conflito insanável com a Gramática. Um dia destes, vou enviar-lhe um saquinho de vírgulas, por exemplo. Que desgraça!
O Luís Oliveira (?) fala em "linguagem insultuosa", como se soubesse o que significam quer um quer o outro termo. Que miséria!

Publicado por: Crispim em outubro 6, 2005 07:06 PM

Caro Crispim:

Gostaria que me explicasse que parte do que eu escrevi aqui é que o leva a fazer acreditar que eu não sei o que é linguagem insultuosa?

E já agora se não for pedir demais queria que me explicasse quem é que está a acusar de "indigência mental"? É que o visado pode ter a veleidade de pensar que se trata de linguagem insultuosa ... Mas quem sou eu para questionar o uso que o senhor faz da linguagem.

Com os meus cordeais cumprimentos.

Publicado por: Luís Oliveira em outubro 6, 2005 07:30 PM

Caro Luís Oliveira:
Acha mesmo que o indivíduo em causa faz jus à designação de escritor?
E que aquele artigo é excelente?
Cumprimentos (cordiais e não cordeais...).

Publicado por: Crispim em outubro 6, 2005 08:36 PM

Crispim:

Quanto ao artigo acho que já disse o que tinha a dizer.

Quanto ao Tabucchi confesso desconhecer a obra dele.

Boa noite

Publicado por: Luís Oliveira em outubro 6, 2005 08:55 PM

Luís Oliveira:
Pois, é isso.
Boa noite!

Publicado por: Crispim em outubro 6, 2005 09:38 PM


o cavaco além de não saber comer bolo de rei decentemente, finge não querer o que mais quer na vida: ser presidente da républica.

Publicado por: bento em outubro 7, 2005 06:34 PM