« ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (I) | Entrada | ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (III) »

outubro 05, 2005

ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (II)

"O calado é o melhor", por Mário Mesquita no Público.

Teria sido mais interessante que este confronto se tivesse verificado em 1991, quando Cavaco Silva, no auge da sua força como líder do Executivo, poderia ter defrontado Mário Soares, também ele no máximo da sua
popularidade enquanto Presidente. Mas Cavaco Silva e o PSD preferiram a via segura do apoio envergonhado a Soares do que o afrontamento leal que teria clarificado a política portuguesa. A campanha converteu-se num
cortejo monárquico. Deve ser muito incómodo, para o respeitado professor de economia, verificar que lhe reaparece, de novo, pela frente, a figura de Mário Soares, com mais idade, sem dúvida, mas com inegável capacidade de combate e juventude de espírito.
Qualquer que venha a ser o resultado eleitoral, Soares, ao candidatar-se, já deu um enorme contributo no sentido de demonstrar que os portugueses não estão reduzidos à opção entre o radicalismo utópico de certa esquerda
e a tecnocracia conformista, aliada à direita, que reduz a democracia aos critérios do mercado e aceita a unipolaridade, centrada em Washington, como única (des)ordem internacional possível. Mas, em todo o caso, veremos o que diz Cavaco, quando ressurgir e for obrigado pelas circunstâncias a abandonar a expressão por monossílabos. Para já, temos estado limitados, do lado do professor da Universidade Nova, à velha táctica designada por "o calado é o melhor". Mas chegará a hora em que o culto do silêncio e dos tabus deixará de ser suficiente. Teremos de voltar a ouvi-lo, com a atenção exigível a qualquer bom cidadão... Será, simultaneamente, um prazer (a quebra do silêncio) e um suplício (para quem não o aprecie na qualidade de orador).

Publicado por Filipe Moura às outubro 5, 2005 08:41 AM

Comentários

Se fosse o coração a mandar, realmente o afrontamento teria sido o mais adequado e o mais justificado, contudo, o conflito (na época)beneficiaria, e bastante, Mário Soares. Também tenho curiosidade de saber como é que Cavaco vai encarar agora um Soares, que ao contrário do que Mário Mesquita diz, está velho fisicamente e mentalmente - apesar de reconhecer que está "bom para a idade".

Mário Mesquita está é bastante desactualizado (como muitos outros pós-modernos) no que concerne à visão "reducionista" da "direita" e de certa "esquerda", que teimam em querer continuar a acreditar e em divulgar. É muito por causa deste tipo de visão limitada e cega, que o país está cada vez pior. Este é um problema que só com o passar do tempo se poderá ultrapassar, pois neste momento quem detém o poder são indivíduos com mentalidade semelhante à do Mário Mesquita. Felizmente está a chegar a hora da geração rasca, e esta conversa da treta irá terminar.

http://geracao-rasca.blogspot.com

Publicado por: André Carvalho em outubro 5, 2005 08:30 PM


Ir para lá o Soares ou o Cavaco não faz grande diferença.
É preciso não esquecer que o Soares antes de andar com o Louça em manifs anti bombardeamento do Iraque, defendeu a guerra do golfo.
E antes disso ainda conspirou com o Carlucci contra a jovem democracia portuguesa.
E antes disso ainda, andou em conversações com o Marcello Caetano para o reconhecimento prévio do seu partideco de direita desnecessária.
Se o Cavaco comesse bolo de rei decentemente até eu não votava no Soares na 2ªvolta.
Mas como o Cavaco não se sabe comportar e a Joana me parece inteligente, voto no Soares.

Publicado por: bento em outubro 6, 2005 06:15 PM