« IMAGENS PARA IREM VENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE | Entrada | ARTIGOS PARA IREM LENDO ENQUANTO A GENTE POUCO ESCREVE (I) »

outubro 04, 2005

UM INSTANTE DA NUIT BLANCHE

Os burgueses gritavam, bebiam e riam, deixando o chão cheio de garrafas, latas e outro lixo. Ao mesmo tempo, os proletários funcionários municipais apanhavam o lixo dos burgueses. E os sem abrigo tentavam, mas não conseguiam dormir com o barulho dos burgueses.

Publicado por Filipe Moura às outubro 4, 2005 08:13 PM

Comentários

Andas distraído, Filipe Moura. Hoje em dia, os burgueses reciclam as garrafas e as latas - colocam tudo em vidrões e latões, ou lá como se chamam - e, no receio do futuro, aplaudem o Francisco Louçã enquanto votam no PS - muito embora, alguns, mais irresponsavelmente votem mesmo no Bloco - enquanto refilam contra o ruído, graffitis, e delinquência dos descendentes dos proletários. Os mesmos que, quando não estavas a olhar, arrebanharam alegremente os velhos vícios da burguesia.

Publicado por: Pedro Oliveira em outubro 5, 2005 12:04 AM

Tu não és um burguês, Filipe?

Publicado por: André em outubro 6, 2005 11:36 AM

André, eu sou a primeira pessoa na minha família a ter acabado o 12º ano. Mas de qualquer maneira é evidente que, neste contexto, sou burguês. Um burguês com contrato a prazo e sem saber qual será o seu futuro profissional, mas burguês, sim. Mas tentei não fazer muito barulho...

Olha, as fotos do Monte St Michel (câmaras digitais - que coisa tão burguesa, não?) ficaram gravadas num CD em Lisboa, só depois é que me lembrei...

Publicado por: Filipe Moura em outubro 7, 2005 12:38 AM