« A MONA DE CARMONA | Entrada | CHIADO »

agosto 31, 2005

O PRESIDENTE MÁRIO SOARES

Embora não possa (nem deva, nem queira) passar ao lado de todo o papel de Mário Soares na história do Portugal moderno, o que mais conta para mim neste momento é o Mário Soares presidente. O presidente da altura da contestação estudantil ao aumento das propinas e a repressão sangrenta que se lhe seguiu, patrocinada pelo cavaquismo - um dos episódios mais negros da democracia portuguesa. Mário Soares recordou que também ele fora um aluno contestatário e vetou a lei, exigindo para a sua aprovação um maior consenso num assunto daquele melindre.
Procurei sempre nunca me deixar influenciar pelas opiniões de outros nos assuntos mais polémicos, e formar sempre as minhas próprias. Nem por Mário Soares nem por ninguém. Depois de ter saído da Presidência, Mário Soares foi contra a regionalização (um "erro colossal" que de vez em quando o PCP tenta, irresponsavelmente, desenterrar). Foi favorável ao derrube do regime talibã no Afeganistão, mas não mais do que isso, tendo sido das primeiras pessoas a pedir o fim dos bombardeamentos, uma vez concretizado esse objectivo. Logicamente foi contra a guerra no Iraque. Finalmente foi - e é - a favor da Constituição Europeia.
Sou novo para evocar os episódios que referi no início. O que me interessa é que, desde que tenho direito a voto, não me lembro de alguma vez ter estado em desacordo, nos assuntos essenciais, com Mário Soares. Se se confirmar a sua candidatura à Presidência da República, o meu voto nele será normalíssimo. Para mim, sempre foi o presidente Mário Soares.

Publicado por Filipe Moura às agosto 31, 2005 07:52 PM

Comentários

"Eu acho que isso seria um erro brutal! Não pode ser!"

Publicado por: monty em agosto 31, 2005 08:28 PM

É novo, e perdoe-me, é parvo! Na miudeza do conhecimento quase bíblico com Mário Soares, conheci, não o Presidente, mas o Arrogante, o Mal-Criado, o Bazófias. E epítetos à parte, Mário, o Traidor Alegre, não merece nem terá o meu voto. Mário, o Contrabandista, deveria ter a consciência sóbria de 80 anos para saber que a ambição manifesta em cada gesto seu não passa impune ao rastreio popular. Mário, o bastião da Liberdade Bacoca, é daqueles pilares que se auto-implantaram pela retórica. Mário sonha com uma peregrinação fúnebre à imagem do Cunhal. E se sonha... nunca a terá. Nem a peregrinação nem o meu voto e muito menos o meu respeito.

Publicado por: Justo Erro em agosto 31, 2005 08:32 PM

Mário Soares entende a política como uma actividade aristocrática. E a aristocracia como um estatuto de impunidade. Por isso, sempre foi activo e conivente nas negociatas de corredor. Não lhe recordo nenhuma intervenção dignificadora da função política ou do ideal de Estado; sendo o contrário a verdade. Para mim, foi mais um oportunista que fez da política uma profissão e um cabaz de compadrios.

Soares contra Cavaco, na final? Voto branco.

Publicado por: Valupi em agosto 31, 2005 09:00 PM

Manifesto do Bloco de Esquerda

(…)

3.6 - O Bloco defende a regionalização e a criação de comunidades territoriais regionais e metropolitanas com órgão eleitos. A descentralização é modernidade, melhor serviço
às populações e novos espaços de promoção da cidadania. Não faz sentido continuar a adiar a realização do referendo sobre a regionalização, como pretende o PS. A obrigação constitucional de realização de um referendo sobre a regionalização deverá ter lugar durante a actual legislatura e despoletar um intenso debate nacional sobre as grandes opções estratégicas para o desenvolvimento regional sustentável.

Julho 2005

Publicado por: Margarida em agosto 31, 2005 09:04 PM

Rica surpresa, como se já não soubessemos para quem é que andas a trabalhar! Olha, se já substituiste a rosca ao chuveiro, como te aconselharam, não te esqueças de lavar bem esses tomates pouco fotogénicos e pores um avental limpo no dia em que fores dar o teu voto à pedreirada.

Publicado por: Bombatomica em agosto 31, 2005 09:25 PM

2004-04-28 00:00:00 - PS propõe referendo sobre a regionalização após 2006

Socialistas querem alterações progressivas que culminem em consulta pública na próxima legislatura Proposta passa por reforçar poderes das cinco regiões administrativas...


O PS vai propor hoje, no Parlamento, que a regionalização do território comece a ser implantada, como prevê a Constituição, de acordo com o mapa das cinco comissões de coordenação regional, sendo depois submetida a referendo durante a próxima legislatura. No debate em plenário desta tarde, para analisar a descentralização em curso, o presidente da comissão de Poder Local, Jorge Coelho vai defender que é preciso caminhar para a regionalização. (...)
www.ps.pt

Publicado por: Margarida em agosto 31, 2005 09:27 PM

Não, Bomba, está descansado que eu não trabalho para ninguém... As minhas opiniões são sempre minhas.

Publicado por: Filipe Moura em agosto 31, 2005 09:30 PM

porque Mário Soares é o político português com maior prestigio internacional, porque não há na esquerda ninguèm capaz de derrotar Cavaco Silva como ele tão bem percebeu, porque esta candidatura está a irritar DEMAIS a direita com uma tentativa de axincalhamento, o que é bom sinal.
e vai ganhar.

Publicado por: tambem apoio em agosto 31, 2005 09:52 PM

Por acaso já leu a Constituição da República Portuguesa? Porventura reparou no n.º 1 do seu art.º 6º?

Pois a Constituição afirma, textualmente, o carácter unitário do Estado: «O Estado é unitário e respeita na sua organização e funcionamento o regime autonómico insular e os princípios da subsidiariedade, da autonomia das autarquias locais e da descentralização democrática da administração pública.»

Por conseguinte, quem afirma que a regionalização é "um erro colossal" não sabe do que está a falar.

Apesar da autonomia política das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, não há indícios de que tal tenha contribuído para a desagregação territorial nacional, mesmo sabendo que as ditas Regiões Autónomas possuem governos e assembleias legislativas próprias.

Pelo contrário, o que constatamos é que a sua autonomia muito contribuiu quer para o seu desenvolvimento regional, quer para o afastamento de um certo fantasma que pairou sobre ambos os arquipélagos após o 25 de Abril e que se chamava separatismo.

E não é este tipo de autonomia política que está em causa no processo da regionalização, pois nem as regiões terão governos autónomos, nem poderes legislativos. As regiões são apenas uma das três categorias de autarquias locais previstas na Constituição: «No continente as autarquias locais são as freguesias, os municípios e as regiões administrativas.»

No n.º 4 do mesmo artigo, afirma-se que «A divisão administrativa do território será estabelecida por lei.» Ora a lei que o estabelece é A Lei de Criação das Regiões Administrativas, Lei n.º 19/98, de 28 de Abril, que afirma no n.º 2 do seu art.º 1º: «Os poderes, a composição e a competência das regiões administrativas, bem como o funcionamento dos seus órgãos, são os constantes da Lei n.º 56/91, de 13 de Agosto.», isto é, a Lei Quadro das Regiões Administrativas.

O que não deixa de ser curioso é que esta Lei Quadro foi aprovada na Assembleia da República por unanimidade no tempo em que era seu presidente Vítor Pereira Crespo, eleito pelo PSD, o então partido do Governo. Promulgada pelo Presidente da República Mário Soares em 26 de Julho, foi referendada pelo Primeiro-Ministro Aníbal Cavaco Silva em 31 de Julho.

Publicado por: Margarida em agosto 31, 2005 09:52 PM

A Margarida é uma jovem deveras entediante... e entendam, de uma vez por todas, que as críticas e o repúdio à candidatura "Soarística" não é da Direita. Vem das entranhas mais recônditas da Esquerda ajuizada. Ninguém é imune ao elogio negro interno! E repito:

Na miudeza do conhecimento quase bíblico com Mário Soares, conheci, não o Presidente, mas o Arrogante, o Mal-Criado, o Bazófias. E epítetos à parte, Mário, o Traidor Alegre, não merece nem terá o meu voto. Mário, o Contrabandista, deveria ter a consciência sóbria de 80 anos para saber que a ambição manifesta em cada gesto seu não passa impune ao rastreio popular. Mário, o bastião da Liberdade Bacoca, é daqueles pilares que se auto-implantaram pela retórica. Mário sonha com uma peregrinação fúnebre à imagem do Cunhal. E se sonha... nunca a terá. Nem a peregrinação nem o meu voto e muito menos o meu respeito.

Publicado por: Justo Erro em agosto 31, 2005 10:22 PM

O badocha está arrumado. Cavaco vai ganhar ao arrogante e aristocrata octogenário.
É evidentemente incapaz de derrotar o homem que mais fez por um Portugal decente.

Publicado por: Miguel Nascimento em agosto 31, 2005 10:30 PM

Então, não me diga que lhe deu jeito omitir o Mário Soares maquiavélico, que não olhou aos meios da CIA e do amiguinho Frank Carlucci para atingir os seus fins. E não me venha com a resposta clássica de que foi uma inevitabilidade face à ameaça soviética que pairava à época. Para evitar um erro não se opta por outro equívoco sob o argumento de que é um mal menor. É esse miserabilismo que legitima sociedades medíocres.

Publicado por: 44 cm em agosto 31, 2005 10:52 PM

é sempre bom começar dessa maneira,esquecendo-se...vendo um bilhete, ainda,para a liberdade! Serenem-se os eventuais aligeiramentos,permanecendo-se em épocas de brilhantina fedorenta,amigos... ainda vamos durar alguns e muitos bons anos,deus dirá se me engano! Não me esqueço de quem nunca me fez mal e nunca me lembro de quem nunca me fez bem,fazendo contas vivia-se...escolho a minha equipa e deito a lingua de fora,não te escolheria,efectivamente és lento,moves-te com concordar tudo,eu,este que mete o comentário,diz que o Mário para presidente seria uma óptima ideia,a razão seria,achando que ninguém é eterno,ou então esta merda seria mesmo um inferno,voltando,porque acharia que seria bem que ele fosse eleito e voltara a sê-lo o unico do país que adoro,estragam-me o cantinho,fique bem assente,que morra numa quarta-feira numa semana de verão super quente. Antes de acabar,sinto já um ódio bem perto de mim,olhando-me como se de um espécime diferente se tratara,nada de paneleirices,bem assinalado,não te rodeias de mera merda,nem bufas silenciosas,o receio que te impede te faz precorrer km que se dizem,que união,durará?!

Publicado por: triciclo em agosto 31, 2005 10:59 PM

MAS QUEM É QUE VAI VOTAR NUMA BESTA QUE PISOU E ATEOU FOGO À BANDEIRA NACIONAL? QUEM VOTA EM SOARES, É BURRO, ESTÚPIDO, IGNORANTE E, COM CERTEZA NÃO TEM AMOR À PÁTRIA!!! Desculpem o acesso comentário, mas claro que quem vota em Soares uma terceira vez é porque gosta de ver Portugal, em bom termo, e perdoem-me... na Merda. É convosco meus caros, mas o meu voto nunca irá para um corrupto, ladrão de ouro das colónias, despresível, gozão e , above all... Assassino, sim porque se não fosse ele fazer a descolonização daquela maneira, muitos milhares de vitimas estariam vivas e Portugal não teria o rombo financeiro em que está metido! Votar.. SEMPRE.. mas em conciencia, meus caros!

Publicado por: Ikuna em agosto 31, 2005 11:37 PM

ui, desculpem os erros, é da pressa em responder...
Aceso e consciência... =)

Publicado por: Ikkuna em agosto 31, 2005 11:40 PM

Ò sÔr guarda, desapareça. Frases imortais.

Publicado por: raul em agosto 31, 2005 11:58 PM

Grande discurso e grande bofetada nos seus críticos mais jovens, este de Mário Soares na apresentação da sua candidatura, um espírito jovem com 81 anos.

Aquela que ele disse que esteve numa manifestação na rua contra a guerra do Iraque vai levá-lo à vitória.

O povo tem memória e na campanha Soares vai perguntar muitas vezes a Cavaco onde estava nessa altura. Estaria com Durão Barroso, o delfim de Cavaco Silva? Estaria na cimeira dos Açores, com o seu delfim Durão Barroso?

Fez Cavaco Silva alguma coisa para evitar o desastre de Bush e de Durão Barroso nos tempos que antecederam a guerra do Iraque?

Suponhamos que nessa altura Cavaco Silva era presidente da República. O que teria ele feito, iria receber Bush nos Açores e dar o aval de Portugal ao disparate que foi a guerra do Iraque? O que teríamos em troca desse apoio a Bush? Provavelmente o que tiveram Aznar e Blair, terrorismo em casa.

Perceberam, idiotas cavaquistas e portugueses em geral, o que está em jogo na próxima eleição?
Querem terrorismo em casa por uma causa idiota que não nos diz respeito?

Cavaco Silva é autor moral da idiotice de Durão Barroso ao apoiar Bush na guerra do Iraque, porque Durão Barroso era o seu delfim. Não venha agora fingir que se distancia da posição de Durão Barroso quanto à guerra do Iraque, porque os portugueses nada viram dele nessa altura e depois.

Os portugueses não gostam de múmias oportunistas e videirinhas. Gostam de Mário Soares, poque ele enfrenta os toiros quando todos fogem ou ficam calados.

Viva Mário Soares, um dos mais valentes dos portugueses!
Viva Portugal!

Publicado por: zepovinho em setembro 1, 2005 12:30 AM

Este senhor "povinho", como se auto-designa, é terrivelmente assustador! As lobotomias neo-natais têm este efeito... Congratulo-me por este "zépovinho" não representar uma centelha de todos nós. Demonstra a total e completa ignorância da coluna vertebral (inexistente) de Mário Soares.
Vou tomar sais.

Publicado por: Justo Erro em setembro 1, 2005 01:41 AM

"repressão sangrenta"? Esse episódio histórico escapou-me...

Publicado por: Daniel Marques em setembro 1, 2005 07:35 AM

Sangrenta...??

Ia escrever que um dos episódios mais negros da democracia portuguesa foi o PREC, com Vasco Gonçalves e Cunhal, mas lembrei-me, entretanto, que naqueles tempos ainda não havia democracia...

Publicado por: André em setembro 1, 2005 09:11 AM

Margarida,

porquê o transcrever os programas dos partidos e aseguir o texto da constituição? Alguém por aqui deu uma opinião em nome de um partido? Além disso duas notinhas:

1 - a constituição refere "princípios da subsidiariedade, da autonomia das autarquias locais e da descentralização democrática da administração pública". Eu não vejo aqui nada a dizer "regiões administrativas", antes pelo contrário. A minha forma de ler isto parece-me muito mais directa para o aumento das competências das autarquias em termos administrativos. E isso implica simplesmente deslocar algumas das funções que apenas podem ser cumpridas em Lisboa para a área de influ~encia das autarquias. Isso pode ser bom e pode ser mau, não vou discutir isso agora, mas o texto não implica quaisquer regiões.

2 - "a sua [da Madeira e dos Açores] autonomia muito contribuiu quer para o seu desenvolvimento regional". Talvez, mas a verdade é que continuam com atraso no desenvolvimento em relação à maioria do país e deixam espaço a tipos como o tio Alberto João. Além de terem esse desenvolvimento à custa do resto do país. Até pode ter razão, sem a autonomia os arquipélagos poderiam ser verdadeiras ilhas do terceiro mundo, mas a mim não me parece. Seja como for defendo a sua autonomia. Não porque seja absolutamente indispensável ao desenvolvimento regional, mas porque é lógica no seu enquadramento geográfico. Já a justificação do fim das tendências separatistas é absurda: poderá ter acalmado meia dúzia de mentecaptos, mas sejamos sinceros, nenhum dos arquipélagos sobreviveria independente. E os seus dirigentes sabem-no, senão não estariam a fazer chantagens para conseguir mais dinheiro do governo central.

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 09:25 AM

"repressão sangrenta"

E assim se banaliza mais um adjectivo. Francamente.

Publicado por: Victor Lazlo em setembro 1, 2005 09:57 AM

Justo Erro
Teria piada se quisesse esclarecer o que mais o entediou…se a exposição do BE, ou do PS ou do PSD, ou do Soares, ou do Cavaco. Não é que seja importante mas talvez ajudasse a perceber ao que vem…

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 10:00 AM

Não vos lembrais da repressão sangrenta? Eu lembro! Gás lacrimogénio e mostarda, tiros, baionetas, cacetetes, fumo, tanques, ambulâncias, mortos, feridos e sangue, muuuuuuuuito sangue.

Publicado por: zangalamanga em setembro 1, 2005 10:15 AM

Expliquem-me P.F. como é que um senhor que nem sequer já tem paciência para aturar os seus netos vai conseguir ESTUDAR parte das centenas de diplomas legais que todos os dias saem em Diário da República!
A meu ver se o Dr. Mário Soares ganhar a presidência da República vamos ter um fantoche como presidente, uma situação semelhante à vivida no Vaticano quando o Papa João Paulo II se encontrava gravemente doente e incapacitado e quem governava era o actual Papa.
Eu ainda tenho fé no Povo Português e espero que ele não dê mais um tiro no pé como aconteceu nas eleições passadas.
O Dr. Mário Soares tem um lugar de destaque na nossa História Contemporânea por ter lutado contra um regime ditatorial mas não fascista (fascismo só existiu na Itália e em Portugal nós tivemos uma coisa chamada Salazarismo,) e ter evitado uma guerra civil quando os comunistas queriam impor uma ditadura de proletariado já ultrapassada e perigosa para o país. Que deixe e incentive os novos a governarem: esse é o maior contributo que ele pode deixar e é a diferença entre ele e o Dr. Oliveira Salazar.

Publicado por: João Miguel em setembro 1, 2005 10:20 AM

João André
1 - O Filipe Moura tentou que a malta pensasse que só o PCP é a favor da regionalização e disse que esta é “um erro colossal”. Eu provei-lhe que não só o BE e o PS a defendem HOJE, como também no passado ela foi apadrinhada por TODOS os partidos e a lei que a institui foi assinada pelo Soares e Cavaco. E que a regionalização não é um “erro colossal” mas um preceito constitucional que aguarda efectivação há 30 anos...

2 – É bom que releia o que escrevi: “No n.º 4 do mesmo artigo, afirma-se que «A divisão administrativa do território será estabelecida por lei.». No nº 4 do mesmo artigo (o 6º), percebeu agora?

3 – Diz que a autonomia é boa mas deixa “espaço a tipos como o tio Alberto João”? Mas antes mesmo da autonomia não era já o Alberto João o big shot lá do sítio? E não têm sido DE FACTO, os madeirenses que o têm eleito? Ou você é dos que querem uma democracia tutelada por cima (ou pelo continente)?

4 – Diz que os separatistas eram “meia dúzia de mentecaptos”. Seriam? Então como é que explica que tenham eleito – desde sempre na Madeira e durante dezenas de anos nos Açores – tanto o Alberto João como o Mota Amaral, putativos chefes/coniventes desses mesmos separatistas?

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 10:28 AM

"centenas de diplomas legais que todos os dias saem em Diário da República!"???. Este João Miguel NUNCA viu um Diário da República. Na ânsia do bota abaixo, mete água e afunda-se.
Pela amostra, continuamos a ter a direita mais estúpida do mundo.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 10:37 AM

Não venho argumentar a minha posição quanto ao voto... e nem posso votar, mas isso é assunto que não interessa para agora. Em democracia deve-se respeitar o que cada um escreve (apesar de os insultos pessoais serem mais bacocos e parvos do que chamar esse e outros nomes)e cada um tem o direito à sua opinião. Está tudo em cima de Mário Soares.. todos lhe cascam, porque sabem que ele é dinossauro que aguenta e mais... responde. Isto é muito parecido com o futebol... milhentos treinadores de bancada que opinam... opinam... mas jamais assumiram na vida pública um pentelho que fosse... resumindo, todos vomitam ideias mas nenhum se assume... já têm 35 anos? Toca a angariar assinaturas, porra... candidatem-se, tornem o país mais atraente,mais jovem e assim evitam que os "senis" se sintam obrigados a candidatar-se...

Publicado por: Seven em setembro 1, 2005 10:43 AM

Já consultei as três séries do D.R., sobretudo a III série (símbolo flagrante do clientelismo político do poder local ao nível dos concursos públicos de pessoal e se não sabe isso tente concorrer pode ser que se surpreenda Margarida). E para que uma lei ou decreto-lei saiam em DR é necessária a aprovação do Presidente da República, pelo menos era assim até algum tempo atrás por isso acho que a nossa Constituição ainda não foi alterada nesse ponto, ou foi?
Não concordo com esta candidatura do Dr. Mário Soares porque entendo que já não tem condições físicas nem intelectuais para dar a devida atenção que o país merece. Entendo também que o Partido Socialista tinha e tem elementos para uma candidatura mais pacífica e talvez vencedora.
Em relação aos partidos da restante Esquerda nem vale a pena falar neles porque já se sabe o que se espera deles: a desistência, para não variar. Podiam ao menos fazer uma coligação de esquerda com o PS, tal como fez a nossa direita, e apoiarem um candidato capaz e com hipóteses de vencer e ajudar o nosso país que tanto precisa e que está todos os dias a cair num abismo profundo, vítima de uma esquerda governada por ex-elementos guterristas que só pensam neles e nos seus amiguinhos.
Mas é esta a esquerda que temos, que patrocina uma fobia perigosa em relação à direita, fobia essa só existente em algumas cabecinhas.
Eu sou novo e neste momento tenho mais receio da acção irresponsável da esquerda porque por causa dela e da acção dela o país está a assistir a um novo surto de emigração de portugueses para o estrangeiro, situação semelhante à que se viveu na fase final do Estado Novo, e não encontra mecanismos viáveis para tirar a nossa Nação da grave crise em que se encontra pedindo antes sacrifícios que começam a ser incompostáveis para nós portugueses.
Eu sou de direita, mas apoio um qualquer governo (de esquerda ou de direita) que consiga resolver os problemas no nosso país que tanto deu ao Mundo e tanto ainda tem para dar.

Publicado por: João Miguel em setembro 1, 2005 11:17 AM

João Miguel

Se já consultou as três séries do DR, dê-me s.f.f. só UM exemplo de um DR que tenha as tais "centenas de diplomas legais" de que falou, ou de UM dia em que as três séries contenham as tais "centenas de diplomas legais"...

Fala agora da "acção irresponsável da esquerda", mas ainda não reparou que quem tem governado o país nos últimos 29 anos têm sido o PS, PSD e CDS, sózinhos ou acompanhados? Está então a admitir a "acção irresponsável" do PS, PSD e CDS no governo do país?

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 11:53 AM

Margarida, eu li a parte sobre "A divisão administrativa do território será estabelecida por lei", apenas continuo a sustentar que não tem de ser necessariamente através de regiões. Tal como disse, as autarquias poderiam receber aumento de poderes o que, de facto, constituiria uma descentralização democrática baseada na divisão administrativa. Mas talvez tenha razão, talvez aquilo queira dizer "terão de se fazer regiões administrativas e ponto final!". Eu é que, na minha ignorância, sempre pensei que os textos legais estivessem abertos a mais que uma interpretação.

Quanto ao que o Filipe disse ou quis dizer, isso é lá com ele e será ele a ter de respnder a isso. O que eu li na frase "um 'erro colossal' que de vez em quando o PCP tenta, irresponsavelmente, desenterrar", foi que o Filipe acha as regiões administrativas um "erro colossal" (e isso é uma opinião pessoal, assunto para outra discussão em si mesma) e que o PCP a tenta desenterrar de tempos a tempos e, temos que reconhecer, que o PCP é precisamente o partido que mais vezes levanta a questão. Não significa que os outros partidos não desejem a regionalização, apenas que o PCP é o partido que pugna por ela activamente.

De resto, o problema que teve em me compreender sobre as regiões autónomas tem a ver com o facto de eu não ter feito nem a sua defesa nem o seu ataque. Antes ter querido demonstrar que têm aspectos que podem ser bons, como outros que podem ser maus. Com isso eu quero dizer que não é pelo simples facto de estas existirem que as coisas melhoram.

Relativamente aos separatistas, parece-me incorrecto trazer Mota Amaral para a lide. Pode até ter sido separatista no passado, mas recentemente foi presidente da AR. Não me parece que um separatista o aceitasse. Quanto a Alberto João Jardim, ele é o exemplo do clientelismo que pode existir com a autonomia. A ilha depende do governo regional, mesmo que ainda não tenham sido provados, há indícios fortes de autoritarismo e não é por causa de se ganharem eleições que se é realmente o melhor. Para irmos a casos extremos poderemos referir que Salazar, Saddam ou outros também as ganhavam (Nota importante, são casos extremos, não digo que Alberto João Jardim seja comparável a esses ditadores!!!). E no final de tudo, não me respondeu sobre aquilo que as regiões autónomas custam ao país precisamente por serem autónomas (quando deveria ser o oposto, deveriam ser economicamente auto-sustentadas com base nas receitas que geram e no que recebem, por lei, do governo central).

Para terminar, não defendo um país centralizado. Defendo antes um país que, administrativamente, possa distribuir competências localmente. Isto significa que se poderiam colocar algumas responsabilidades sobre as autarquias. Claro que o perigo é o mesmo que poderia existir com regiões ou com qualquer outro modelo: a irresponsabilidade e corrupção dos autarcas, os quais já existem hoje. Mas nesse caso não falaríamos de modelos, não é verdade?

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 12:03 PM

La Palisse não escreveria melhor do que o João André.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 01:03 PM

La Palisse não escreveria melhor do que o João André.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 01:07 PM

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 12:03 PM

A irresponsabilidade dos autarcas, é, antes de mais, uma consequência do centralismo. É por existir um estado central excessivamente forte (e 'rico' - enfim, em relação às autarquias) que os autarcas se podem dar ao luxo de serem irresponsáveis: está sempre disponível a velha teta do estado central para pagar as rotundas, as festas partidárias e outras, etc... Até a corrupção é causada pela ineficiência do sistema judicial, também ele sujeito a forte controlo centralizado. No entanto, gostaria de relembrar, que não há direito sem responsabilidades: menos controlo central tem que ser acompanhado por menos transferências do dito poder central... E com isto, lá se vai o princípio do subsidiarismo.

Publicado por: Pedro Oliveira em setembro 1, 2005 01:39 PM

Isso significa que tenho razão, não é verdade? (ainda por cima duas vezes...).

Caso contrário, caso eu não esteja a dizer o óbvio, diga-me lá em que é que discorda, de foutra forma está a desconversar...

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 01:40 PM

João André

Você tem direito às opiniões que entender ter. Mas não confunda as suas opiniões com ter razão. As suas opiniões são a sua razão. Ponto final parágrafo. Nunca ouviu dizer que há liberdade de asneira? Às vezes as suas razões são isso mesmo, asneiras. Mas continuam a ser as suas razões, percebeu?

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 01:55 PM

Estão bem um para o outro: o Flipe Moura quando fala da “repressão sangrenta” que se seguiu à contestação estudantil quando a Ferreira Leite era ministra de Cavaco e o Francisco Louça quando diz que “Cavaco Silva não é um candidato temível”.

Publicado por: João Lopes em setembro 1, 2005 01:56 PM

Vem aí outra vez o Nino Português!

“O Mário é um monarca caprichoso e arrogante, que sacrificou amizades, princípios, valores, lealdades, coerência, o partido e os interesses do País, à sua ambição longamente calculada de vir a ser Presidente da República” – Quitéria Barbuda in “O regresso do Patife”, Revista “Espírito”, nº16, 2005.


Portugal é definitivamente um país do Terceiro Mundo, que tem Leis que permitem que um fora-da-lei se candidate à eleição para o mais alto cargo da Nação.

Vejamos o seu Currículo:

- Papa Doc quando era Primeiro-Ministro teve ligações perigosas com Kadhafi.
- Alpeida Santos foi o impulsionador e accionista das sociedades anónimas que receberam “donativos” e “contribuições” de mafiosos.
- Papa Doc só se exilou em Paris depois de garantida a sobrevivência como consultor do Banco d’Outre de Manuel Bullosa.
- “Papa Doc comentou que os que estivessem com ele nunca teriam razão para se arrependerem desse apoio, enquanto que os outros se ‘lixassem’ “ – Rui.
- Papa Doc só não aceitou o convite do director de campanha de Marcello Caetano, Guilherme de Mello e Castro, para integrar as listas da ANP, em 1969, porque pretendia a garantia de um lugar no Governo.
- “O Papa Doc é um pobre vaidoso sem uma verdadeira noção dos acontecimentos históricos em que participava” – Tony Benn, Londres, 1994.
- Na madrugada do dia 25 de Novembro, enquanto as forças democráticas se preparavam para o confronto com os sial-fascistas, o Mário pirou-se com a família para o Porto. Quando as forças patrióticas declararam vitória, o Papa Doc veio a correr para Lisboa reclamar os louros e declarar-se líder da Democracia.
- Soares sempre nutriu um indesfarçável embirração por Guterres.
- Quando foi Primeiro Ministro e fez um ano de Governo, o Mário ordenou a publicação de um livro intitulado “Vencer a Crise, Preparar o Futuro”, com 50 mil exemplares, pagos pelo erário público. Foi um livro revelador das tendências absolutistas de Soares, que tinha muitas semelhanças com as publicações dos regimes despóticos, com elogios ao chefe, acompanhado de inúmeras fotos do Mário, revelando a sua avassaladora e imodéstia omnipresença.

“Papa Doc foi sempre obcecado pelo poder, e por isso nunca o descentralizará”

Publicado por: Rui Pinhão em setembro 1, 2005 02:11 PM

ORA!

SOARES É FIXE...E PRONTO!

Publicado por: oriana em setembro 1, 2005 02:50 PM

Publicado por: oriana em setembro 1, 2005 02:50 PM

Ora aqui está um argumento cheio de profundidade...

Publicado por: Pedro Oliveira em setembro 1, 2005 03:04 PM

Margarida,

continuo entediada. Quanto aos motivos, óbvios e diversos tendo em conta alguns posts soberbos, um deve-se às suas exposições partidárias e longas. A regionalização não é o tema em destaque mas a diversão. Na verdade, a redutora deverei ser eu, pois só um objecto me move nestes comentários:

«Na miudeza do conhecimento quase bíblico com Mário Soares, conheci, não o Presidente, mas o Arrogante, o Mal-Criado, o Bazófias. E epítetos à parte, Mário, o Traidor Alegre, não merece nem terá o meu voto. Mário, o Contrabandista, deveria ter a consciência sóbria de 80 anos para saber que a ambição manifesta em cada gesto seu não passa impune ao rastreio popular. Mário, o bastião da Liberdade Bacoca, é daqueles pilares que se auto-implantaram pela retórica. Mário sonha com uma peregrinação fúnebre à imagem do Cunhal. E se sonha... nunca a terá. Nem a peregrinação nem o meu voto e muito menos o meu respeito.»

Lamento a redundância. É necessário recordar às memórias parcas, jovens e lavadas de onde vem este senhor e para onde pensa ele que vai. E a vossa insistência leiga em considerar este um mal menor arrepia-me...

Publicado por: Justo Erro em setembro 1, 2005 03:18 PM

São evidentes as vantagens para Portugal do candidato Mário Soares sobre um candidato apoiado pelo PSD e CDS. Senão vejamos:

a) Muito maior experiência de Mario Soares, em especial na cena internacional. Se for preciso abrir uma porta em qualquer lado em favor de Portugal, o peso de Soares é muito maior do que o de Cavaco Silva. Mesmo na direita europeia, pesa mais Soares do que Cavaco.

b) Soares tem experiência interna em matéria de crises e de como as ultrapassar. Foi em dois govermos presididos por ele, em 1977/78 e em 1983/85, que o FMI ajudou Portugal a ultrapassar duas graves crises financeiras do país. Cavaco, ao contrário, foi o perdulário nos anos dos seus governos que conduziu o país para o buraco em que estamos. Soares equilibrou as finanças públicas (com a ajuda de Vítor Constâncio, primeiro, e Hernani Lopes, depois), Cavaco desequilibrou-as, por não conseguir conter o apetite dos seus companheiros de partido. Os défices reais (sem receitas extraordinárias) dos anos da governação de Cavaco Silva são pavorosos e foram tão grandes ou superiores aos de hoje, da governação de Durão Barroso e de Santana Lopes.

c) Muitos apoiantes de Cavaco Silva julgam que se ele for eleito poderá encetar reformas do nosso sistema político e administrativo.
Nada mais ilusório, pois quem tem poderes para tal, nos termos Constitucionais, é a Assembleia da República e o Governo e partido(s) que o apoia. Ora, o governo actual é do PS, que tem apoio maioritário na AR. Portanto, se o governo quiser encetar reformas profundas, terá em Mário Soares um interlocutor mais compreensivo do que em Cavaco Silva, pois este pertence a uma família política diferente da do executivo e que nunca esteve para aí virada.

d) O actual governo está a levar a cabo um conjunto de reformas de fundo importantes. Se Cavaco Silva for eleito, por pressão de lobies ligados aos partidos que o apoiam, poderá tender a ceder a essas pressões, acabando por boicotar a acção do governo e da maioria da Assemblea da República. Cavaco Silva, em vez de ser a solução, seria parte do problema. E não se diga que Cavaco Silva não é pessoa para se deixar pressionar porque o seu passado deixa antever exactamente o contrário. Não se deixará pressionar pela oposição nem por comentaristas agressivos, mas é-o pelos seus apaniguados mais espertos, como demonstra o lixo todo de corrupção que se desenvolveu ao longo dos seus mandatos como primeiro ministro, precisamente envolvendo altas figuras do seu partido. Alguém se esquece do que foi o Fundo Social Europeu, entregue a figuras gradas do PSD estrategicamente colocadas em certas empresas e organismos do Estado? Fez na altura Cavaco Silva alguma coisa para evitar essa corrupção?
Soares sim, deu provas de combater a corrupção, tendo criado um Alto Comissariado para o efeito quando foi primeiro ministro pela primeira vez, chefiado por Costa Brás, o qual teve uma acção importante no combate à corrupção.

e) Cavaco Silva é um candidato que divide os portugueses, ao contrário do que querem fazer crer alguns dos seus apoiantes. Cavaco nunca terá boa imagem dentro do mundo do trabalho. Carvalho da Silva e Proença, os dois líderes mais representaivos das duas confederações sindicais estiveram presentes na apresentação da candidatura de Soares. Isto diz muito da simpatia que Soares goza no mundo do trabalho. E Cavaco Silva?
Ora, estando o governo a proceder a reformas profundas, algumas manifestamente impopulares para certos sectores da população, na presidência da república quere-se alguém que tenha uma base social de apoio forte no mundo do trabalho. Neste contexto, é evidente que Soares e Sócrates congregam em ambos essa maior base social de apoio, o que tornará muito mais fácil fazer as refomas de que o país precisa.

Por estas razões principais, as classes médias e uma certa tecnocracia do país, se forem inteligentes, votam em Mário Soares.
Não que Cavaco Silva não seja de per si um homem inteligente e íntegro, mas está rodeado de sanguessugas corporativas que se degladiam entre elas para ver quem apanha o melhor bocado.
Soares pode ter atrás de si poetas, pintores, artistas, escritores, gente de letras e de ciência que mal conhece a tabuada das finanças e da economia. Embora também tenha com ele ilustres economistas e gestores.
Cavaco Silva tem à sua volta duas classes de gente: os revanchistas de antigamente e as sanguessugas insaciáveis. Na sua corte, pouco sobra para gente de bem. O resto, ou são eleitores indiferenciados ou gente que sonha com outro país que nunca existiu nem jamais existirá.
Soares é o realismo político. Já deu provas disso como presidente da república e como combatente contra o descalabro das finanças públicas.
Cavaco é um mito, que falhou mais rotundamente exactamente onde alguns julgam que ele é mais fiável - nas finanças públicas. E não sou eu que o digo, foi o ex-ministro de Cavaco Silva, Miguel Cadilhe.

Publicado por: zepovinho em setembro 1, 2005 03:19 PM

São evidentes as vantagens para Portugal do candidato Mário Soares sobre um candidato apoiado pelo PSD e CDS. Senão vejamos:

a) Muito maior experiência de Mario Soares, em especial na cena internacional. Se for preciso abrir uma porta em qualquer lado em favor de Portugal, o peso de Soares é muito maior do que o de Cavaco Silva. Mesmo na direita europeia, pesa mais Soares do que Cavaco.

b) Soares tem experiência interna em matéria de crises e de como as ultrapassar. Foi em dois govermos presididos por ele, em 1977/78 e em 1983/85, que o FMI ajudou Portugal a ultrapassar duas graves crises financeiras do país. Cavaco, ao contrário, foi o perdulário nos anos dos seus governos que conduziu o país para o buraco em que estamos. Soares equilibrou as finanças públicas (com a ajuda de Vítor Constâncio, primeiro, e Hernani Lopes, depois), Cavaco desequilibrou-as, por não conseguir conter o apetite dos seus companheiros de partido. Os défices reais (sem receitas extraordinárias) dos anos da governação de Cavaco Silva são pavorosos e foram tão grandes ou superiores aos de hoje, da governação de Durão Barroso e de Santana Lopes.

c) Muitos apoiantes de Cavaco Silva julgam que se ele for eleito poderá encetar reformas do nosso sistema político e administrativo.
Nada mais ilusório, pois quem tem poderes para tal, nos termos Constitucionais, é a Assembleia da República e o Governo e partido(s) que o apoia. Ora, o governo actual é do PS, que tem apoio maioritário na AR. Portanto, se o governo quiser encetar reformas profundas, terá em Mário Soares um interlocutor mais compreensivo do que em Cavaco Silva, pois este pertence a uma família política diferente da do executivo e que nunca esteve para aí virada.

d) O actual governo está a levar a cabo um conjunto de reformas de fundo importantes. Se Cavaco Silva for eleito, por pressão de lobies ligados aos partidos que o apoiam, poderá tender a ceder a essas pressões, acabando por boicotar a acção do governo e da maioria da Assemblea da República. Cavaco Silva, em vez de ser a solução, seria parte do problema. E não se diga que Cavaco Silva não é pessoa para se deixar pressionar porque o seu passado deixa antever exactamente o contrário. Não se deixará pressionar pela oposição nem por comentaristas agressivos, mas é-o pelos seus apaniguados mais espertos, como demonstra o lixo todo de corrupção que se desenvolveu ao longo dos seus mandatos como primeiro ministro, precisamente envolvendo altas figuras do seu partido. Alguém se esquece do que foi o Fundo Social Europeu, entregue a figuras gradas do PSD estrategicamente colocadas em certas empresas e organismos do Estado? Fez na altura Cavaco Silva alguma coisa para evitar essa corrupção?
Soares sim, deu provas de combater a corrupção, tendo criado um Alto Comissariado para o efeito quando foi primeiro ministro pela primeira vez, chefiado por Costa Brás, o qual teve uma acção importante no combate à corrupção.

e) Cavaco Silva é um candidato que divide os portugueses, ao contrário do que querem fazer crer alguns dos seus apoiantes. Cavaco nunca terá boa imagem dentro do mundo do trabalho. Carvalho da Silva e Proença, os dois líderes mais representaivos das duas confederações sindicais estiveram presentes na apresentação da candidatura de Soares. Isto diz muito da simpatia que Soares goza no mundo do trabalho. E Cavaco Silva?
Ora, estando o governo a proceder a reformas profundas, algumas manifestamente impopulares para certos sectores da população, na presidência da república quere-se alguém que tenha uma base social de apoio forte no mundo do trabalho. Neste contexto, é evidente que Soares e Sócrates congregam em ambos essa maior base social de apoio, o que tornará muito mais fácil fazer as refomas de que o país precisa.

Por estas razões principais, as classes médias e uma certa tecnocracia do país, se forem inteligentes, votam em Mário Soares.
Não que Cavaco Silva não seja de per si um homem inteligente e íntegro, mas está rodeado de sanguessugas corporativas que se degladiam entre elas para ver quem apanha o melhor bocado.
Soares pode ter atrás de si poetas, pintores, artistas, escritores, gente de letras e de ciência que mal conhece a tabuada das finanças e da economia. Embora também tenha com ele ilustres economistas e gestores.
Cavaco Silva tem à sua volta duas classes de gente: os revanchistas de antigamente e as sanguessugas insaciáveis. Na sua corte, pouco sobra para gente de bem. O resto, ou são eleitores indiferenciados ou gente que sonha com outro país que nunca existiu nem jamais existirá.
Soares é o realismo político. Já deu provas disso como presidente da república e como combatente contra o descalabro das finanças públicas.
Cavaco é um mito, que falhou mais rotundamente exactamente onde alguns julgam que ele é mais fiável - nas finanças públicas. E não sou eu que o digo, foi o ex-ministro de Cavaco Silva, Miguel Cadilhe.

Publicado por: zepovinho em setembro 1, 2005 03:20 PM

Justo Erro
Fiquei na mesma, mas não faz mal. Não precisa de responder.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 03:29 PM


Isto fás frever o sangue das veias. Pois ca pra mim o queu acho é que a maior parte destas desconverças so ajudam as reações estremistas como esssa tal de Margarida vir pra qui dizere que a dereita é a mais estupida do mundo e esquecere a esquerda ultra tam boa ou peor pois, pelo menos temes de ser parceais e ela, até diz que todas as pessoas têm dereito a dezer ajeneiras, que rai de mulher e esta, digão-me lá eu vou votare no Mário do PSD mas não presizam de andarem pra qui a convencerme a bem e a mal porque a mal nam vou e o cavaco é como todes sabemos um riassas de primeira ou se calhare ate de segunda ou mais, o Felipe Mora é dos meus e temos mais camaradas mas e tudo da esquerda mudrada que vai vencere-se digasse o que disserem. Deviem ler era um articolista queu vi no púbico esta semana que passou sobre o assunto e acabavam logo isto tudo Por que alembremonos que já vam os tempos quera uma sardinha pra dois.

Publicado por: APIRITIVO em setembro 1, 2005 03:34 PM

Deixe estar, Margarida.
Eu compreendo.

Publicado por: Justo Erro em setembro 1, 2005 03:39 PM

Margarida, agradecidíssimo por me ter reconhecido o direito à asneira. Em troca, e até porque não me apresentou um argumento que contestasse o meu segundo comentário (que me pareceu muito razoável, para dizer a verdade), reconheço-lhe também o seu direito. À asneira, ao autismo e à falta de capacidade de encaixe.

Pedro Oliveira, quanto a esta sua opinião:

"É por existir um estado central excessivamente forte (e 'rico' - enfim, em relação às autarquias) que os autarcas se podem dar ao luxo de serem irresponsáveis: está sempre disponível a velha teta do estado central para pagar as rotundas, as festas partidárias e outras, etc..."

não posso apontar muito, a não ser o facto de ser talvez excessivamente redutora. Mas não deixa de ter enorme razão. Afinal de contas, ainda vão ser os contribuintes em geral a pagar os estádios do Euro, mesmo que indirectamente.

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 04:21 PM

João André
A sua avó nunca lhe disse que presunção e água benta cada um toma a que quer? Pois a minha disse-me.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 05:03 PM

Pena não lhe ter dado ouvidos então...

Ainda assim reitero: eu garanto que lhe dou razão se me demonstrar que alguma coisa do que disse está errado (e até acredito muito que esteja). Está disposta a uma discussão séria ou prefere continuar a mandar postas de pescada que em vez de desacreditarem o alvo antes a desacreditam a si?

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 05:33 PM

Acalme-se João André. Já parece as testemunhas de Jeová que só desistiram de me baterem à porta (e ainda por cima aos sábados de manhã...) quando um dia as tratei malcriadamente. Deixe de tentar obrigar toda a gente a dar-lhe razão. Parece aqueles pirralhos mimados que têm que ter sempre o que querem, que têm que ter sempre a atenção dos outros. Até para pirralhos mimados a vida às vezes é ingrata. Habitue-se.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 05:48 PM

Margarida, este fica o último comentário (que até me agradecerá). Chame lá malcriado a quem quiser, quem começou com historietas sobre asneiras não fui eu, apenas lhe tentei fazer ver a minha opinião.

Não quer discutir esteja à vontade. Eu não quero que me venha dar razão (leia lá a parte sobre eu acreditar que até posso estar errado), apenas gostaria que me desse a sua opinião sobre o meu comentário, afinal eu apenas lhe dei duas notas simples e que em nada atacavam a sua opinião, apenas pretendiam um esclarecimento extra (que quis dar a atacar o Filipe Moura sem que este lho solicitasse, não é verdade?). Estou a ver que não está para isso, é um direito seu. A soberba também. A parvoíce idem. Só ainda não percebi qual dos dois está a exercer, mas também não é comigo. Passe lá bem.

Publicado por: João André em setembro 1, 2005 06:02 PM

Sabe o que significa "a pin in the neck"? É o que é.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 06:30 PM

Bem... um alfinte no pescoço é expressão que não conheço. :)

Mas daí também não me lembro da "repressão sangrenta", lembro-me de uns traseiros ao léu, de resto...

Publicado por: Afonso em setembro 1, 2005 06:48 PM

Em certos sítios significa chato.

Publicado por: João Lopes em setembro 1, 2005 06:58 PM

Vem aí outra vez o Nino Português!

“O Mário é um monarca caprichoso e arrogante, que sacrificou amizades, princípios, valores, lealdades, coerência, o partido e os interesses do País, à sua ambição longamente calculada de vir a ser Presidente da República” – Quitéria Barbuda in “O regresso do Patife”, Revista “Espírito”, nº16, 2005.


Portugal é definitivamente um país do Terceiro Mundo, que tem Leis que permitem que um fora-da-lei se candidate à eleição para o mais alto cargo da Nação.

Vejamos o seu Currículo:

- Papa Doc quando era Primeiro-Ministro teve ligações perigosas com Kadhafi.
- Alpeida Santos foi o impulsionador e accionista das sociedades anónimas que receberam “donativos” e “contribuições” de mafiosos.
- Papa Doc só se exilou em Paris depois de garantida a sobrevivência como consultor do Banco d’Outre de Manuel Bullosa.
- “Papa Doc comentou que os que estivessem com ele nunca teriam razão para se arrependerem desse apoio, enquanto que os outros se ‘lixassem’ “ – Rui.
- Papa Doc só não aceitou o convite do director de campanha de Marcello Caetano, Guilherme de Mello e Castro, para integrar as listas da ANP, em 1969, porque pretendia a garantia de um lugar no Governo.
- “O Papa Doc é um pobre vaidoso sem uma verdadeira noção dos acontecimentos históricos em que participava” – Tony Benn, Londres, 1994.
- Na madrugada do dia 25 de Novembro, enquanto as forças democráticas se preparavam para o confronto com os sial-fascistas, o Mário pirou-se com a família para o Porto. Quando as forças patrióticas declararam vitória, o Papa Doc veio a correr para Lisboa reclamar os louros e declarar-se líder da Democracia.
- Soares sempre nutriu um indesfarçável embirração por Guterres.
- Quando foi Primeiro Ministro e fez um ano de Governo, o Mário ordenou a publicação de um livro intitulado “Vencer a Crise, Preparar o Futuro”, com 50 mil exemplares, pagos pelo erário público. Foi um livro revelador das tendências absolutistas de Soares, que tinha muitas semelhanças com as publicações dos regimes despóticos, com elogios ao chefe, acompanhado de inúmeras fotos do Mário, revelando a sua avassaladora e imodéstia omnipresença.

“Papa Doc foi sempre obcecado pelo poder, e por isso nunca o descentralizará”

Publicado por: Rui Pinhão em setembro 1, 2005 07:00 PM

repressão sangrenta???
Será que tens noção da gravidade das palavras?
Morreu alguém? caíram umas bastonadas, poucas, se comparadas com as alarvidades cometidas na "luta".
Num dia de greve, cheguei à minha faculdade. A porta estava fechada a cadeado, por alguns idiotas de boininha à "Che" (esse sim, um assassino sangrento...). Nao me deixaram entrar. Chamamos a policia, eramos centenas a querer entrar e os meninos grevistas nao passavam de uma duzia. Em vez de os correr dali, a policia pediu simpaticamente paciencia...
Sangrenta... tenham juízo, cortem o cabelo e tomem um banho e vao trabalhar.

Publicado por: sangrenta... em setembro 1, 2005 07:10 PM

Sangrenta

O Che "um assassino sangrento"? Um médico e revolucionário que já quase há 40 anos a CIA assassinou quando aos 39 anos, mais uma vez, tentava ajudar a luta dum povo da desgraçada América Latina? Pode-se discordar das ideias dele mas há que respeitar o homem e a sua luta.

E por favor não compare o seu "sofrimento" no decurso de uma greve em Portugal com a vida sofrida dos latinoamericanos nos anos 60.

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 07:26 PM

heheheh...estou com vontade de ouvir um disco da diana ross!

Publicado por: triciclo em setembro 1, 2005 09:22 PM

Querida Margarida,

Não imoles mais a esquerda no altar da direita estúpida. Entra mais é em negociações com a tua inimiga sangrenta e vão as duas dar uma volta ao Algarve para espairecer. Volta depressa, porque gostamos de ti. Mas não uses novamente a expressão "pin in the neck" senão fazes rir os ingleses que te lêm. Se quizeres usar "pain" em vez de "pin" come-se, e no "ass" é muito melhor que no pescoço, isto é, é muito mais vigoroso para traduzir o que te vai na alma.

Publicado por: Bombatomica em setembro 1, 2005 09:28 PM

Mas não sabe que a tal expressão é dos States? Ai estes british's de trazer por casa...

Publicado por: Margarida em setembro 1, 2005 09:52 PM

Sinceramente, bem que eu gostava de subscrever este "post". Acontece que, desde a regionalização, tenho discordado de Soares em praticamente tudo que é aqui referido. O que não impede que, sendo entre ele e Cavaco a escolha, nele vote. Mas gostaria de deixar umas coisas escritas no boletim...

Publicado por: Aliás [F.A.M.] em setembro 1, 2005 10:50 PM

Margarida,

Desculpa, julgava que esses gajos só tinham cruise missiles. Nesse caso, não vale a pena fazeres as pazes com a Sangrenta nem ires para o Algarve. Fica aqui com a gente a discutir o futuro da nação.

Publicado por: Bomatomica em setembro 1, 2005 11:27 PM

entre cavaco e soares, não voto ou voto em branco - ainda não decidi o que merece esta súcia.
é para que conste.

Publicado por: 1deabril em setembro 2, 2005 12:57 AM

Ó margarida tens que dar un desconto a bombatomica porque ela como boa católica não é capaz de fazer a "coisa" por menos ....

Publicado por: Luis Oliveira em setembro 2, 2005 01:56 AM

E se ficássemos 10 anos sem presidente?
Se fizermos bem as contas, é bem possível que fiquemos a ganhar. A manutenção da presidência é bastante cara. E no caso de ganhar o Soares imaginem quanto irá gastar em médicos. Uma coisa boa é que pode já não estar com forças para tantas viagens.

Publicado por: tarik em setembro 2, 2005 02:16 AM

Ó tarik e se mandassem fechar o tribunal constitucional? E o parlamento? Isso é que era poupar dinheirinho ... gasto desnecessariamente ...

Publicado por: Luis Oliveira em setembro 2, 2005 06:06 AM

Bombatótica
Não vou de viagem nem para o Algarve, Vou mas é para a Atalaia para a festa do Avante! E convido toda a malta a deixar-se de comodismos e ir também até lá, Hoje, amanhã e depois.

Publicado por: Margarida em setembro 2, 2005 07:42 AM

A repressão deve ter sido sangrenta porque algumas das reprimidas estavam menstruadas.

Lê-se cada imbecilidade... se semelhante parvoice fosse dita por alguém com um minimo de responsabilidade e num meio com um minimo de divulgação semelhante disparate podia custar-lhe um processo judicial e respectiva condenação.

Publicado por: Camilo em setembro 2, 2005 08:58 AM

E já agora o eterno presidente Mário Soares... vitalicios são os reis.

Não sabia que o BE também tinha monarquicos.

Publicado por: Camilo em setembro 2, 2005 09:00 AM

Publicado por: Camilo em setembro 2, 2005 09:00 AM

Não sabia que o BE também tinha monarquicos.

Depois de tomarem o poder, imporem um qualquer juche, tornam-se monárquicos: olha a Coreia do Norte...

Publicado por: Pedro Oliveira em setembro 2, 2005 09:34 AM

Pelo vistos, há mais gente que não vota nem Soares, nem Cavaco, nem coisa alguma. Sinto-me cada vez menos só.

Publicado por: escrevinhador em setembro 2, 2005 12:49 PM

Mário Soares já angariou duas personalidades internacionais de peso para a sua campanha:

O Inglês Parkinson e o Alemão Alzheimer.

Publicado por: Miguel Nascimento em setembro 2, 2005 01:06 PM

Para algumas pessoas a esquerda é uma santa porque de facto é mentira que existe na Coreia do Norte um comunismo repressivo, belicista e de tipo monárquico (é simplesmente uma invenção americana), o Estaline foi um Herói da Rússia Comunista e não um carniceiro que mandou assassinar o próprio Povo russo (isso é propaganda ocidental), a China é o exemplo a seguir na aplicação dos Direitos do Homem (isso de violação dos D.H. é tudo uma forma de Marketing para afectar as exportações dos produtos chineses), Portugal sempre foi um país governado pela Direita (não, o PS quando governou passou a ser da Direita, como? não sei, perguntem à Margarida que ela deve saber), O Dr. Mário Soares é uma personalidade jovem quem tem como principais conselheiros o Dr. Parkinson e o Dr. Alzheimer, reputados cientistas com provas dadas na área da Medicina.
Por tudo isto devíamos todos votar na Esquerda e no seu jovem representante o Dr. Mário Soares!

Publicado por: Supermarine Spitfire em setembro 2, 2005 02:17 PM

Não sei como explicar. Surgiu um sorriso vero e inocente com a leitura deste post do Supermarine... Que delícia textual! Isto sim, é ter a consciência plena da falácia que pode ser a esquerda. Um bem-haja!

Publicado por: Justo Erro em setembro 2, 2005 06:43 PM

Publicado por: Miguel Nascimento em setembro 2, 2005 01:06 PM

Vou imortalizar esse teu poste no meu blogue! Uma vénia para ti.

Publicado por: Pedro Oliveira em setembro 2, 2005 07:26 PM

Dizer que a “esquerda à santa” é uma boca tão oca como dizer que a direita é tonta. Agora o que eu sei é que onde houve (e há) regimes de esquerda se deu e se dá a prioridade às pessoas e às suas necessidades.

E podemos ver que nesses países, primeiro se tenta que toda a gente tenha trabalho, que as riquezas dos seus países sejam colocadas a favor dos seus habitantes, que tentam que todos tenham acesso à educação e à saúde, que têm em atenção as necessidades dos idosos. Cuba é pobre e sofre desde há quase 40 anos um bloqueio económico dos USA, mas em Cuba toda a gente tem trabalho e toda a gente tem educação e saúde de borla. E são cuidados totais e de qualidade. E quando lá há furacões, o Governo garante a segurança de todos os habitantes, o governo se é preciso evacuar populações toma à sua responsabilidade essa evacuação e o regresso. Porque o governo de Cuba sabe que governar é tomar a responsabilidade pelo básico e essencial de todos e cada um dos seus habitantes e fá-lo e todas as ocasiões, tanto nos dias bons como nos dias piores.

Era assim na URSS quando o regime era de esquerda. A miséria que hoje lá há é o resultado da vitória do capitalismo. Foi o capitalismo que trouxe desemprego, fome, e o fim das garantias sociais e do acesso gratuito à saúde aos seus povos. Foi a vitória do capitalismo na URSS que fez com que licenciados ucranianos sejam hoje obrigados a emigrar para cá para darem serventia nas obras, ou que pianistas, professoras ou médicas da Moldávia andem hoje por cá a trabalhar a dias para que possam pagar os estudos aos filhos, ou a fome aos pais idosos.

Quando o PS foi para o Governo (Guterres, Sócrates) não passou a governar à esquerda, pelo contrário passou a governar como governavam Cavaco, Durão e Santana Lopes, isto é passou a praticar políticas de direita. Por isso os resultados destas políticas de direita seja o PSD ou o PS ou CDS que estejam no Governo é o mesmo: estão-se marimbando para o bem-estar do povo e para os direitos dos trabalhadores que por isso não saem da cepa torta.

Percebeu agora o marinheiro cuspidor de fogo? E deixe o Estaline em paz que o homem já morreu há mais de 50 anos (e parece que para algumas "almas"o grande crime que cometeu foi os soviéticos terem ganho, há 60 anos, a guerra contra o nazi-fascismo).

Porque não se preocupa com quem hoje está vivo e invade, massacra outros povos que nunca ameaçaram ninguém? Porque é que não memciona o Bush que invadiu o Iraque e o Afganistão e não contente com isso nem sequer soube garantir o socorro dos mais pobres dos estados atingidos pelo Katrina, que uma semana depois da tragédia, morrem como tordos pela desidratação provocada pela falta de água e de comida na nação mais rica do mundo?

Publicado por: João Lopes em setembro 3, 2005 08:01 AM

O Mario é o candidato da Maçonaria e dele próprio. Está-se completamente a borrifar para o pais. Ponto final.

Publicado por: Irascivel em setembro 4, 2005 03:31 PM

Eu voto Mário Soares, Cavaco nunca!

Publicado por: canzoada em setembro 4, 2005 05:44 PM

Agradeçam ao Mário Soares pelo facto de não estarmos a viver num regime totalitário inspirado nas "democracias" de leste!

Publicado por: canzoada em setembro 4, 2005 05:46 PM

Ó Lopes,

Vejo-me aflito para conter os soluços que a tua lamúria teima em arrancar-me do peito. E escrevo isto com toda a sinceridade. Pelo tom dos teus comentários e conteudo dos comunicados que nos ofereces como pasto, pareces uma pessoa de bom coração, crente das suas ideias, bom aprendedor daquilo que lhe ensinaram. Mas pelo teu nome não posso dizer se começaste há dias, se já passaste a pronto, ou se serás simplesmente sentinela do partido, de serviço neste fórum da Internet. Ou, quem sabe, talvez sejas apenas o velho camarada independente que ainda tem forças para gritar-nos que as reivindicações de antanho não ficaram todas nas águas de bacalhau da História das palavras de ordem. No teu queixume nota-se que ainda há o fogo da promessa marxista, de socialismos marca roscoff e doutras curas populares e não me admiraria nada se me dissesses que a tua ambição principal é morreres de pé a fazer continência à bandeira e a beijar uma cópia do “manifesto” comunista em papel biblia.

Uma situação realmente triste, não importa de que idade são as veias onde corre esse teu sangue. E mais triste hoje, nestes tempos da Internet e duma certa “liberdade” de imprensa, onde podemos comparar a experiência e as denúncias de tantos milhares de desiludidos e os descuidos, escarrapachados em papel para toda a gente ler, dos intriguistas do poder cuja missão principal é a de nos conservarem escravos insconscientes dum processo histórico que os seus antepassados e mestres criaram, falsificaram e transformaram numa ferramenta poderosa de dominação. Os pratos principais da grande refeição de mentira que nos servem são os da religião e da ciência. Pouco sabemos da origem duma e dos contratos e arranjinhos entre as várias combinações e dos primeiros avanços e das descobertas mais recentes da outra. A única forma que os detentores do poder têm para nos conservarerm nesta ignorância é a de nos amarrarem à politica que administra e açaima o conhecimento de acordo com as suas conveniências. Se não sabemos bastante sobre estas duas senhoras, porque nos esconderam, ainda menos sabemos de política ou do que é que andamos a fazer nela. E entre a gente apologista de sistemas e cantigas que defendem o progresso social por etapas, uma festa onde a ciência oculta dá as mãos e se amantiza com a políitica sob o olhar benevolente da religião que se reforma e adapta para não se diluir, o condimento ainda muito em voga e necessário é o do sal inflamador da raiva de classe que adormece o couro cabeludo que facilita o enfiamento do garruço sem dor.
Este portuoso blogue acolhe quase toda a gente de braços abertos. És tu, sou eu, é o Nascimento e o André, o Martelo e o Irascível e muitos outros. Mas bàsicamente o que acontece é isto. A direita vem aqui cagar as merdas que aprende a jogar só à baliza, porque não precisa de mais, e os regimentos de escaravelhos da esquerda dão duas voltas aos dejectos da forma tradicional e empurram as bolas pelas ribanceiras da democracia abaixo. E o processo repete-se no dia seguinte.

Por isso, Lopes, segue um conselho deste rapaz. Não vás em fitas nem ligues às fitas que os “marines” da direita fazem porque eles andam tão enganados como tu. Esquece os pasquins de todos os tipos e as opiniões politicas de todos os quadrantes e vai dar uma volta pela Internet, agora que já sabes que spitfire é “cuspidor de fogo”. Procura coisas estranhas que tenham o condão de enfurecer politica e ideológicamente tanto a direita como a esquerda - todas as direitas e todas as esquerdas e centros, aqui não há gente descontaminada. Criva e filtra usando essa cabeça e canta as cantigas em vez de te deixares levar por elas. Aproveita enquanto é tempo, porque esta Liberdade não vai andar por aqui muito tempo, pelo caminho que as coisas levam. Andam por aí gajos à solta apregoando doutrinas com consequências muito piores que as do Hitler que odeias e do Staline que veneras.

Publicado por: Bombatomica em setembro 5, 2005 09:18 AM

Bom dia para todos!
Primeiro queria esclarecer uma coisa sobre o meu nickname "supermarine spitfire" porque a confusão é tanta que me admira tanta falta de conhecimento. Para saberem o que significa façam uma pesquisa na NET para ficarem mais elucidados. Uma pista: foi o herói da Batalha da Inglaterra na II Guerra Mundial e ajudou a evitar a invasão daquele país pelas tropas nazis de Hitler.
Mas em resposta ao João Lopes queria lembrar-lhe que apesar de Estaline ter contribuído muito para a derrota do nazismo foi um dos obreiros da II Guerra Mundial porque em 1939 negociou em segredo com o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros de Hitler, o sr. Ribentropp, a invasão da Polónia e se não acredita em mim então faça uma pesquisa na NET e vai ver que tenho razão.
Sobre o Afeganistão, esse ninho de cobras Taliban que não respeita nada nem ninguém, queria lembrar-lhe que a URSS também esteve lá e sofreu elevadas baixas tanto que, aqui no Ocidente diz-se que o Afeganistão foi o "Vietname" dos russos, mas se não sabe ou não se lembra faça uma pesquisa na NET e assim já ficará mais iluminado.
Por outro lado, e mais grave ainda, é a atitude repressiva que existe dentro do Partido Comunista Português quando um grupo de militantes seus (velhos e jovens) não estando de acordo com a linha política do partido e mostrando esse desagrado é lhes mostrada a porta da rua, de uma forma quase semelhante à da Inquisição ("ou calas-te para sempre ou então vais para a fogueira"). Pessoas que lutaram contra o Estado Novo e jovens com novas ideias que pretendem revitalizar um partido já de si em agonia e que só consegue atrair alguma juventude revolucionária porque anualmente realizam uma festa anual que tem no seu cartaz um qualquer grupo de "Heavy Metal" onde toda a gente anda aos encontrões. Mas é preciso ir de encontro aos novos tempos, não é verdade?!
Por isso, tenha cuidado quando fala contra o capitalismo porque é graças a ele que pode ter uma conta bancária, um carro, uma casa sua e não do Estado, comida de várias formas e feitios, um computador em sua casa para exprimir as suas opiniões, uma democracia (boa ou má) e mesmo um bom emprego. E quando os nossos direitos estiverem ameaçados devemos fazer greves e apoiar os nossos sindicatos nesse tipo de lutas porque se elas resultaram no passado também resultam agora.
Mas se está ainda convencido sobre as virtudes dos regimes de esquerda, lembre-se da queda do muro de Berlim e da alegria emocionada que os cidadãos da Alemanha de Leste sentiram quando passaram essa barreira significado de morte, de perseguição política do Estado com o uso da sua polícia secreta: a Stasi. Existe um documentário muito importante sobre este tema no Canal de História e que eu aconselho qualquer pessoa de qualquer quadrante político a ver.
Sobre Cuba, é condenável o bloqueio (disso ninguém tem dúvidas) dos EUA mas também é condenável o facto de um homem estar no poder até morrer, como é o caso do sr. Fidel Castro, isso mostra que estamos perante uma ditadura flagrante e que eu ainda não vi um comunista a condenar, o que é grave muito grave. E é por estas e por outras que eu receio um regime de esquerda (do PCP ou do BE) porque não era de admirar que caíssem na tentação de alterar a nossa Constituição que ainda garante a liberdade de expressão e os direitos dos cidadãos.

Publicado por: Supermarine Spitfire em setembro 5, 2005 10:37 AM

SUPERMARINE,


A obrares desta maneira, só podes andar a comer a tal "comida de várias formas e feitios" que o capitalismo tão desinteressadamente te põe na malga. Infelizmente, para quantidades destas vais ter que trazer os teus próprios reboladores de excremento. E já fiz a pesquisa na Net sobre o Spitfire. Tinhas razão, é isso mesmo, um avião com dentes. Nunca tinha visto nenhum.


Publicado por: Bombatomica em setembro 5, 2005 01:06 PM

Bem, há pessoas que na falta de argumentos utilizam a sua estupidez para mostrar que estão em desacordo com a opinião dos outros, e chegam mesmo ao limiar do insulto para fazerem valer a sua opinião. Mas está bem, é a opinião que temos e é aquela que temos de lutar com argumentos mais ou menos fundamentados.
Mas para ti Bombatomica ponho-te a seguinte questão: Se tivessemos um regime político semelhante ao que existe em Cuba achas que podias estar aqui a falar abertamante de política e de eleições presidenciais?
Argumenta mais e insulta menos!

Publicado por: Supermarine Spitfire em setembro 5, 2005 02:00 PM

Não. Mas lê os meus conselhos ao Lopes e talvez compreendas porquê, Supermarine. Se não, volta, que eu explico-te. Quanto a insultos, ainda bem que me controlei e cheguei só ao limiar. Mas tu entraste pela porta adentro com a "estupidez" em riste, não fosse eu pensar que estava a tratar com um menino educado. Não faças isso porque sou fraco do coração.

Publicado por: Bombatomica em setembro 5, 2005 02:25 PM

Então talvez fosse melhor consultares um cardiologista não vá dar-te uma síncope, como aconteceu ao famigerado Sousa Franco.
E obrigado por não responderes à questão que tu pus. O teu silêncio disse tudo.

Publicado por: Supermarine Spitfire em setembro 5, 2005 02:47 PM

Agradeçam ao Mário Soares pelo facto de não estarmos a viver num regime totalitário inspirado nas "democracias" de leste!
??????????????????''

E porquê?? que eu saiba quem nos livrou de cair nas mãos da URSS por via do PCP não foi o Soares, que até foi comuna e só saiu quando percebeu que não lhe davam o lugar de destaque que ele tanto ambicionava.
O verdadeiro responsável foi o palerma do Eanes, e por isso foi presidente 10 anos. Foi o maior e aliás único feito do general em toda a sua vida.

Já agora, não foi o Soares que nos seus governos tirou o país da crise com o FMI, na realidade o FMI foi necessário para corrigir os enormes desmandos económicos e financeiros criados pelo próprio Soares, que até então acreditava que para pagar aos milhões de funcionarios do Estado no pós-nacionalizações, bastava mandar imprimir notas de 20 e de 50, durante muitos anos, até aos anos 90, quase todas as notas de 20 e de 50 em circulação eram desse periodo negro.
O resultado dessa política de "fabricar dinheiro" foi uma inflação galopante e uma derrapagem gigantesca das contas públicas, até que finalmente ganhou juizo e ouviu os seus concelheiros, tarde demais contudo, o país teve de negociar com o FMI em moldes mais que humilhantes (durante vários anos, até ao governo cavaco) o FMI tinha a prerrogativa de verificar todas as contas públicas e de as corrigir se nece´ssário, era tb interveniente na discussão dos orçamentos, ou seja, praticamente governava o país.
Quanto a Cavaco, a ideia de que é ele o causador da crise, e não os anos de desmando Gutierrista, mais que uma mentira descarada é um insulto à inteligência dos Portugueses.
Nesse tempo viviamos bem, não havia crise e o país até resistia bem às crises externas, a crise veio com Gutierrez e o seu governo dos "Boys". Cadilhe nunca criticou Cavaco em matéria de finanças e economia de estado, apenas na política de desenvovlimento económico, que dado ter sido a única com cabeça tronco e membros dos últimos tempos, deveria ter sido mais eficaz e rigorosa.
Cavaco de facto não se preocupou tanto quanto devia com o futuro já que nunca lhe passou pela cabeça que 2 governos socialistas sucessivos poderiam vir a arruinar o país.

Publicado por: cão em setembro 5, 2005 03:36 PM

SUPERMARINE,

Então eu respondo “não” à tua pergunta e tu dizes-me que o meu “silêncio diz tudo”. Está bem, para próxima mando-te o relatório semestral do presidente da junta da freguesia de Alhos Vedros sobre o programa paleontológico da Quinta do Lacrau. Mas aponta aí. O facto de não haver democracia em Cuba não implica que há verdadeira democracia em Portugal, França ou São Marino. Para uns democracia é poder votar nos presidentes ou personalidades com maior poder de publicidade ou em gente que logo à partida se sabe que não tem chance nenhuma. Para outros, como eu, democracia é ter a liberdade de dar volta aos ninhos das cobras e obrigá-las a mostrar os umbigos. Este tipo de democracia ainda não chegou a Portugal nem a lado nenhum. Mas segue-se que neste cantinho da Europa a malta ainda anda na fase de chamar nomes aos presidentes e a fumar marijuana pelas aldeias e a fazer beicinhos às belezas mamalhudas. Ou a largar postas como tu, que também é uma liberdade muito grande e muito querida. E coitado do Sousa Franco, que se calhar andava a tomar comprimidos para tensões arteriais elevadas. Não sei se sabes mas as cobras também se arrastam nessas áreas... põe-te a pau, aviador.

Publicado por: Bombatomica em setembro 5, 2005 07:22 PM

Caro Bombástico:

Enquanto houver um parvo qual escaravelho disposto a chafurdar no seu charco você será feliz. Sobre si nada diz, dos outros só sabe dizer mal. Provoca para atrair os escaravelhos para o seu charco niilista.

Fala-nos de ciência e religião. Sobre a sua ciência nada diz. E a sua religião qual é. Egocentrismo niilista?

Dou 5 tostões pelos seus pensamentos nem mais nem menos ...

Publicado por: D. João e a mascara em setembro 5, 2005 09:48 PM

Como as férias já acabaram e eu saio de casa antes das 8 e chego depois das 21 horas não tenho já a disponibilidade que tive até há uns dias atrás. Mas quero deixar breves apontamentos a quem me interpelou.

Primeiro ao marine: tenha calma homem, então agora era o PCP que iria alterar a nossa Constituição? O PCP que foi um dos seus obreiros mais convictos? O PCP que tem denunciado as entorses que as sucessivas revisões lhe têm feito? O PCP que tem mostrado ao longo dos seus mais de 80 anos de vida e de luta que fala sempre a verdade? Se é isso que o preocupa, esteja descansado. Somos gente séria, de palavra, temos mostrado que somos a garantia da nossa Constituição não ser subvertida.

Depois à bombatómica: bastante mais palavrosa que o marine, cai contudo no mesmo preconceito anticomunista: no entendimento dos dois quem está no PCP sofre duma qualquer deformação que os impede de serem pessoas como aos demais. A bombatómica até me imagina “sentinela do partido, de serviço neste fórum da Internet”. Logo eu que até estava de férias…na cabeça destas duas alminhas um comunista não pode ter gostos próprios, iniciativa própria, não pode ser um normalíssimo cidadão deste país. Mas enquanto os “fantasmas” anticomunistas do marine o tornam numa pessoa angustiado e com medo do que “aí pode vir”, a bombatómica revela-se um paradigma do pós-modernismo, que tudo relativiza, que apela ao hedonismo individual, “canta as cantigas em vez de te deixares levar por elas”, aconselha ela, maternal.

Esquecem-se ambos de que “é o homem que com a sua consciência, a sua acção e a sua luta determinará o curso da história”, como vi escrito na parede dum bar na Festa do Avante onde ontem estive. Um homem com a sua consciência, consciência de classe, acrescento eu, consciência dos conhecimentos que vai adquirindo, consciência das dificuldades que vai ultrapassando, consciência do que vale a unidade na acção e na luta com seus colegas de trabalho, com os seus vizinhos, com os seus amigos e com os seus camaradas.

E só mais uma coisa para a bombatómica: para mim um rio tem duas margens, uma tronqueira tem dois lados, uma moeda tem duas faces. Ambos, marine e bomba parecem-me ser a mesma face duma qualquer moeda. Eu escolho a outra face.

Publicado por: João Lopes em setembro 5, 2005 10:05 PM

Bom dia a todos!
Se sou a "face de uma moeda" é porque já vi a outra face e o que vi desagradou-me imenso. Porque para mim o PCP é um partido que realmente lutou contra o regime do Estado Novo para depois, pós 25 de Abril de 1974, quererem instaurar um regime de tipo marxista-leninista em Portugal pondo o país à beira da Guerra Civil, semelhante às que na mesma altura semeavam o continente sul americano, e verdade seja dita, nessa altura valeu a frontalidade do Dr. Mário Soares que consiguiu travar esse expansionismo.
Sobre se os comunistas são gente séria, de palavra disso não duvido todavia a "palavra" vai ficar pelo caminho como é "uso e costume" nas vossas hostes. Porquê? Porque quando o Dr. Mário Soares foi eleito presidente pela 1ª vez (e espero não estar engano senão desculpem-me) o Dr. Álvaro Cunhal "aconselhou" (e já no fim da campanha) os seus militantes a votarem no Dr.Mário Soares. E parece que esta prática tornou-se numa tradição política.
E quando fala em fantasmas, eles ganham vida como aconteceu nas eleições em que o Povo Português escolheu o Dr. Durão Barroso para governar o país. Nessa situação particular o PCP mostrou uma total falta de respeito por essa eleição legítima quando o seu secretário-geral, o então Dr. Carlos Carvalhas, começou imediatamente a atirar pedras a um governo que ainda nem sequer tinha tomado posse só porque era de «Direita».
Porque tudo o que é de Direita é mau mas tudo o que é da Esquerda é bom e se não for é desculpável.

Publicado por: Supermarine Spitfire em setembro 6, 2005 10:01 AM

D. João E Mascarinha,


Deverias ter dedicado mais uns quantos minutos à escolha dum disfarce sugestivo e gravável nas memórias. Aquele que, na minha opinião, realmente te assentaria a matar seria a máscara amarela tipo “Tu Tão Camone”, ou “Anus Na Qem”, principes ou faraós, com caneleiras de ouro e pulseiras benzidas de marfim e pedras preciosas da região. Depois darias uma volta pelo Sinai para requeimares os costados e vinhas aqui beber um refresco com a malta, onde aprenderias a ser mais cortez nos teus discursos de coice curto com pretensões a fuzilante. E é verdade, como verificaste, a minha ciência e religião, o meu niilhismo egocentrista, mais os pensamentos e o resto, só valem cinco tostões, ou seja, 500 réis bem pesados. Lá no preço estamos de acordo.Mas não estão à venda. Também não vou perder tempo a pedir-te para trocares os teus desprazeres em miúdos ou dares largas à gaita de foles. Mas se preferires abrir esse gargalo e falares dos livros que se queimaram em Alexandria e dos que não se lêm em Portugal e noutras democracias porque são incomodativos tanto para a esquerda como para a direita, estarei sempre às ordens. Pelo menos servirá para desenjoar o anti-niilhismo saudável de andarmos a falar por falar nas vidas e ambições ou missões ou repetições e re-edições do Mário e do Cavaco.

Lopes,


Eu julguei que nestes tempos já não havia comunistas como tu que adaptam a voz de inocências clericais piedosas às suas laringes de homens que falam da solidariedade entre toda a gente, incluindo os vizinhos. E munido dessas cordas vocais melhoradas não perdes tempo a mandares-me orações sobre a consciência de classe, a vontade de ultrapassar (eterno verbo muito assimilável pelas massas) as dificuldades, o crer na vitória segura e das muitas batalhas que se avizinham, tudo enfeitado pela decrépita acusação de anti-comunismo que nos é lançada à cara como se estivéssemos a cometer um dos sete pecados mortais - orações que parecem expressamente entoadas para nos ajudarem a subir ao reino do prometido e vetusto enjoo. Ah ele é isso? Então deixa-me continuar a ser maternalmente crítico para te dizer que nos dás a ideia que ainda não reparaste que todas essas coisas militantistas que alegas em tua defesa não resistem, depois de espremidas, ao simples reparo de que a União Soviética falhou estrondosamente mesmo com a ajuda de gente muito mais esperta e qualificada que tu. “Falhou” é como quem diz. Calma, minha gente. Para mim esse falhanço não passou dum plano lindamente executado como o de 1917.

Mas não é só isso que se opõe à concretização dos teus sonhos de comunista.. A “grande revolução de outubro” foi planeada por gente (pensa em sectores da banca se estás com dificuldade em ajuizar) que nada tinha a ver com os interesses daqueles que andavam a dar o coirão nas fábricas e nos campos ou com o povo em geral.. Porque se tivesse não terias para consultar em papel as declarações de reaccionários imperialistas a confessarem as sua simpatias pelo socialismo soviético, incluindo membros do governo americano de várias épocas. A chamada guerra fria foi, somos obrigados a concluir, uma farsa necessária num mundo onde a filosofia dos todo-poderosos é dividir para reinar. O teu “bloqueio” de Cuba parece pertencer à mesma família de entremezes.

Nem sequer me dou ao trabalho de citar fontes em minha ajuda, quer de livros ou da Internet que só usas para vires depositar os teus ramos de flores murchas que apanhas penduradas nos pavilhões em ultimos dias de festas do Avante. Todos temos direito a uma opinião, se não te importas. E a minha é a de que se quizeres ser da “esquerda”, ser coerente e estares mais perto dos centros das decisões, trata de te meteres na maçonaria. Essa é que é a verdadeira mãe dos socialismos e comunismos e com bons conhecimentos e contactos na direita e na religião a que tradicionalmente acreditamos opor-se. O teu partido, apesar dos mártires inocentes, pertence à segunda divisão, a carne para canhão das forças da chamada alavanca do progresso.. Esquece a russa e faz, como o Lénine fez, da revolução Francesa a tua favorita que libertou o astronómico numero de 7 presos da Bastilha que foi logo deitada abaixo antes que alguem começasse a fazer perguntas indiscretas.

E já agora deixa-me brindar ao dístico na festa da Atalaia. “É o homem que com a sua consciência, com a sua acção e a sua luta determinará o curso da história”. Isto só podia sair da cabeça de dirigentes comunistas 2005. A mim parece-me que não temos outro remédio, a menos que se pense que os burros ou camelos poderiam se fossem ensinados determinar esse curso da história por nós! Burros vá lá, mas camelos teriamos de importá-los das Arábias.


Publicado por: Bombatomica em setembro 6, 2005 03:32 PM

Quanto aos livros que vários sectores da vida politica queimaram tens toda a razão.

Eu só queria saber os que tu tens na tua mesinha de cabeceira ...

Publicado por: D. João e a mascara em setembro 6, 2005 03:46 PM

A Biblia está lá sempre, para me não me esquecer dos favoritismos de Deus e para ver se consigo descobrir em que capítulo se diz que Cristo nasceu num estábulo. O Resto muda com as estações. E há muitas maneiras de se "queimar" livros. Por exemplo "How the world really Works" de Alan B. Jones, custa no Amazon dos Sates 15 dólares e no UK 50 libras e duvido que o encontres em França. E isto são apenas os que ainda consegues encontrar. Porque há muitos que desapareceram do mapa e das estantes de bibliotecas publicas. Any more questions, special agent X?

Publicado por: Bombatomica em setembro 6, 2005 05:49 PM

Caríssima Bombinha:

Obrigado pelos teus esclarecimentos!

Recomendo-te apenas o mui anglosaxónico:
"Sobre a pobreza e a riqueza das nações"
com sugestivo subtítulo:
"porque umas são tão pobres e outras tão ricas"
do incontornável David Landes.
(o Luís Rainha aparenta já ter lido o livro, se tiveres dúvidas pergunta-lhe a ele, digo aparenta porque o livro tem de facto uma dimensão "bíblica")

Publicado por: D. João e a Mascara em setembro 6, 2005 06:21 PM

Parece interessante. Vou investigar e certamente perguntarei ao Rainha quando o "ver" por aqui. Muito obrigado

Publicado por: Bombatomica em setembro 6, 2005 06:50 PM

A frase mais badalada de Mario Soares:

" Toda a gente sabe que as Filipinas são um país da América Latina !! "

E que "isto" ser presidente ?!!
Mais valia a Odete Santos

Publicado por: bate papo em outubro 3, 2005 12:31 PM

JÁ QUE O KAMARADA SOARES SE INTITULA TÃO DEMOCRATA E SÁBIO, VEJA SE CONSEGUE TER UM POUCO DE DISCERNIMENTO SUFICIENTE PARA ENTENDER QUE JÁ CHEGA DE TANTA FANFARRONICE, DE TANTA FALSIDADE, DE TANTA PALHAÇADA...

-Escrever acerca deste politiqueiro oportunista, fruto da máquina da
internacional socialista, é talvez uma perca de tempo, sobretudo agora que já está mais do que desmascarado perante todos os portugueses de bom senso...

Mas, considerando que ele é do género amado ou odiado, e como infelizmente ainda existem alguns idiotas iguais, parvos inocentes esperançados em novas benesses subtraídas traiçoeiramente do tesouro da "pesada herança" ,convém dar mais um aviso á navegação para não se deixar iludir nem mais um pouco, senão por este dinossauro apodrecido e ridículo ilusionista de retórica, mas porque sempre pode surgir algum herdeiro submisso e fanático a tentar estender seus tentáculos aos incautos iludidos da falácia propaganda e da baixa política.

Este desacreditado e exilado pseudo advogado,que nunca demonstrou boas obras nem a defesa de boas causas, nunca será perdoado nem sequer desculpado por quem como eu e muitos milhões sofreram e sofrerão toda a vida o trauma da descolonização "exemplar" perdendo todo o fruto de uma vida digna e árdua de trabalho na construção de um grande país e de um nobre povo,também destroçados por um bando de terroristas assassinos a soldo
destes pseudo-democratas, que colocaram no poder os piores ditadores de
sempre. Veja-se o caso de Angola !!!
Onde está a tal democracia?
Onde está a distribuição da riqueza?
Quem comanda e quem usurpa o poder castrando todo um povo, estropiado,maioritáriamente faminto,apesar de viverem num dos países mais ricos do mundo e afinal com 98% da sua população na maior miséria, sem saúde, cultura, e sem futuro !!!???
Onde apenas esperam a chegada dos tais terríveis "colonialistas" para poderem ver de novo sua terra produzir a tão necessária agricultura,indústria e comércio geral, única forma para terem de novo uma vida condigna, junto de quem verdadeiramente os respeita, os valoriza e com eles vivem sem racismos nem descriminações de credos ou partidarites.

Que benefício sobra para este povo da grande exploração petrolífera e diamantífera que rende biliões aos seus governantes...!!!???
O que tinham de sobra e exportavam, agora importam porque assim convém aos traidores de lá e de cá.
Foi para isto que fizeram a dita descolonização...!!!???
Existe maior e pior colonização do que a actual?
E existe povo mais triste, que em Portugal e nas ex-colónias nos dias de hoje?
Nós, os verdadeiros patriotas ainda esperamos pelo dia, não de vingança, mas
da reposição da verdade, em que toda aquela palhaçada da descolonização seja
finalmente desmascarada, e tal como hoje acontece com o ex todo poderoso
SADAM, também estes escrotos como Soares sejam levados a tribunal público e no mínimo
moralmente responsabilizados por tantos crimes e horrores, de lesa-pátria e
de concidadãos indefesos.
Coloca-los numa jaula em praça pública para serem diariamente observados como os piores males da humanidade, animais corruptos e traidores da pátria, seria o mínimo desejável.

Depois de ser um império digno perante os grandes e o mundo civilizado, como Portugal ficou pequenino,frágil e,insignificante no conceito internacional.

Ele que antes apregoava a necessidade dos portugueses emigrarem por causa da ditadura devido á miséria, que fez quando presidente ? Apenas se pavoneou usufruindo do trabalho do tecnocrata- mas também infelizmente pouco humanista- CAVAcO SILVA.

E agora, já não existem emigrantes a procurarem novos mundos e novos rumos !!!

BASTA KAMARADA,CHEGA DE TANTA HIPOCRISIA, DE TANTA FALSIDADE, DE TANTA ARROGÂNCIA E
SENILIDADE.SE QUER CONTINUAR A SER PALHAÇO, MONTE UMA TENDA, UM CIRCO, E MOSTRE AÍ OS SEUS VERDADEIROS DOTES.
ENQUANTO PODE,TENTE AINDA DESFRUTAR DOS FRUTOS QUE Á SOMBRA DO ULTRAPASSADO SOCIALISMO TRAIÇOEIRAMENTE COLHEU E ARRECADOU.
E QUANTO ANTES, DESCANSE EM PAZ, SE A SUA CONSCIÊNCIA OU INCONSCIÊNCIA LHO
PERMITIR .

Publicado por: ZÉ DE PORTUGAL em outubro 19, 2005 03:28 PM