« DELÍRIOS ESCAQUÍSTICOS | Entrada | DECLARAÇÃO DE VOTO »

maio 29, 2005

O EIXO MOLE (2)

Há largas semanas que não via o “Eixo do Mal”, na Sic Notícias. Hoje, calhou-me o que se me afigurou ser uma repetição do programa especial de Halloween: cada um dos comparsas fingia ser qualquer coisa. O Nuno Artur Silva fazia de conta que tinha jeito para apresentador de programas; a Clara Ferreira Alves tentava convencer-nos, à força de esgares e truísmos do tipo “toda a gente sabe”, que sabia do que estava a falar; o Daniel Oliveira estava fabuloso na sua imitação do homem invisível; o Mexia pareceu-me muito convincente no seu disfarce de gato pingado; e o Júdice até dava mesmo ideia de lá estar.
Mas como é que eu tenho andado a perder isto?

Publicado por Luis Rainha às maio 29, 2005 01:15 AM

Comentários

Tudo isto no programa que quase não existe

Publicado por: bin.tex em maio 29, 2005 03:55 AM

Ainda não percebi o que move o sr. Luís Rainha contra a Clara Ferreira Alves - a que se deverá essa dor de cotovelo que de quando em vez se agudiza?
Como para grandes males grandes remédios, e uma vez que não gosta desse programa, recomendava-lhe que visse outros que sem dúvida se adequam mais ao seu perfil intelectual: Morangos com Açúcar ou Ana e os 7. Bom proveito.

Publicado por: Romeu em maio 29, 2005 10:40 AM

Ainda não percebi o que move o sr. Luís Rainha contra a Clara Ferreira Alves - a que se deverá essa dor de cotovelo que de quando em vez se agudiza?
Como para grandes males grandes remédios, e uma vez que não gosta desse programa, recomendava-lhe que visse outros que sem dúvida se adequam mais ao seu perfil intelectual: Morangos com Açúcar ou Ana e os 7. Bom proveito.

Publicado por: Romeu em maio 29, 2005 10:41 AM

Ah, Romeuzito, isso é aquele tipo de comentários com que a gente quereria rir mas não consegue. Você é uma pessoa excessivamente «séria». Não insista nesse caminho.

O Luís Rainha não tem nada contra a CFA (ou tem o que todos temos, uma vontade de dizer-lhe umas coisas, mas sem saber por onde lhe pegar), e quis contar-nos impressões dum programa possivelmente feito para os intelectuais que se tomam muito, mas muito a sério, que também há, Romeu. E o Rainha não é desses. Culpa dele? Não diga.

Publicado por: fernando venâncio em maio 29, 2005 11:35 AM

Eu gostei, aliás tenho gostado sempre. É que eu não gosto de ouvir só aquilo com que concordo. Tenho pena se não voltarem.

Publicado por: toix em maio 29, 2005 12:33 PM

cinco cromos de uma colecção de intelectuais que se inserem naturalmente num programa tipo cultura das celebridades.

Publicado por: fernando esteves pinto em maio 29, 2005 04:11 PM

eu não percebo é como que ainda há quem queira ver aquela trampa...

Publicado por: marujo em maio 29, 2005 09:50 PM

a mim enfastiou-me. E Júdice está lá a mais. Aquela tirada "aleém da Madeira o Porto podia tornar-se independente" é de uma parvoíce atroz. Se alguém falasse do seu Algarve desses modos como seria?

Publicado por: João Pedro em maio 30, 2005 12:35 AM