« SIMPLESMENTE SIM | Entrada | A DERROTA DO APARELHO? »

maio 26, 2005

A PROPAGANDA BUSHISTA DO "NÃO"

A propaganda do "não de esquerda" em França assemelha-se cada vez mais à propaganda republicana de George W. Bush relativamente aos democratas, fosse Gore ou Kerry: caricaturizar o adversário, alimentar o estereótipo, fugir aos argumentos e à discussão séria. Tudo muito dirigido ao "bom homem do povo", da "província", o verdadeiro bom francês. Tal está especialmente patente neste texto de Michel Onfray. Que pensaria Onfray, que terá ele escrito, sobre os americanos eleitores típicos de George W. Bush?

Publicado por Filipe Moura às maio 26, 2005 12:08 PM

Comentários

Esta faz-me rir... então quem anda a dizer que na Europa é o caos se o NAO ganhar ou que é preciso votar SIM contra o Bush?... Há algum argumento mais primário (i.e. ao estilo de Bush) que estes?! Quem caricaturiza o adversário como sendo formado por uma coligação de campónios ignorantes com ultra-radicais-extremistas comunistas-de-esquerda e fascistas-de-direita? Quem alimenta o estereótipo de quem vota NAO vota contra a Europa? Quem foge aos argumentos e à discussão séria pedindo para votar SIM porque senão a França/Portugal perdem influência na Europa, e no limite é isso que interessa, e dizendo que a Constituição Europeia não contém quase nada de novo, sendo apenas um somatório de anteriores tratados (que por terem sido já aprovados não devem ter o seu conteúdo re-discutido), e que portanto não há realmente nada para discutir?....

Publicado por: viana em maio 26, 2005 01:13 PM

Filipe, que falta de argumentação tão gritante!

Então os do "Não" não discutem com argumentos? E tu fazes o quê neste post?

Publicado por: Helena Romao em maio 26, 2005 04:52 PM

Nos governos aristocráticos os homens que aí chegam são pessoas ricas que só desejam o poder. Nas democracias, os homens de Estado são pobres e precisam de fazer fortuna.

Publicado por: Titó em maio 26, 2005 05:10 PM

Pois é e é tão interessante ver o campeão do Maio de 68 Cohn Bendit ao lado do patrão dos patrões de França a fazerem campanha pelo Sim..

Já estou a ver num cházinho de tias do Faubourg St. Germain o nosso Bendit a botar faladura ao lado de um banqueiro e a tecer loas á nova Europa neo-liberal

Quem os viu e quem os vê....

Publicado por: a.pacheco em maio 26, 2005 06:04 PM

Quem tem medo do debate é os defendores do SIM e não o contrário!!!Temos que rejeitá-la.....

http://anacleto-a-mula-maluca.blogspot.com

Publicado por: Pantera em maio 26, 2005 08:52 PM

Filipe,
estás a ler mal o texto - completamente - Onfray está a ser irónico, está a criticar os apologistas do sim por eles, os defensores do sim, alimentarem estereótipos (segundo Onfray claro). Ele está a criticar o mesmo que tu.

Publicado por: Pedro Gil em maio 26, 2005 10:24 PM

Filipe,
Tresleste tudo.

Publicado por: LM em maio 26, 2005 11:00 PM

Pacheco, mas eu julgava que tu é que eras o grande defensor do Maio de 68...
Era só o que faltava, entretanto, era virem estes dois últimos para aqui passarem-me atestados de analfabeto e explicarem-me o texto do Onfray. Não, meus caros, eu li muito bem o texto do Onfray. Quem não leu bem o meu texto foram vocês.

Publicado por: Filipe Moura em maio 27, 2005 12:12 AM

O que é estranho para mim é ver o Cohn Bendit em semelhante companhia.

Para quem viveu a data em Paris

Sejamos realistas ...vamos pedir o impossível

É proibido ...proibir

Sur le pavée ...la plage

De braço dado com tudo o que existe de mais capitalista em França.

Os ideais de Maio não mudaram o Bendit é que se pôs de cócoras.

Que me dizes há arenga de hoje do Chirac o homem já não sabe o que inventar, e depois acham estranho que o NÃO cresça todos os dias.

Publicado por: a.pacheco em maio 27, 2005 04:06 AM

Pacheco, pior que ouvir o Chirac, só ouvir o Giscard. Com estes dois não admira que o "não" cresça.

Publicado por: Filipe Moura em maio 27, 2005 09:21 AM

Filipe, o homem mais caricaturado dos últimos tempos (lado a lado com Reagan) foi George W. Bush...

Publicado por: André em maio 27, 2005 10:59 AM

Creio que eu, o Pedro e o Andre estamos a falar de coisas diferentes, pois temos perspectivas diferentes.
Estou a falar da utilizacao da caricatura como arma eleitoral. Ora o Bush pode ser muito caricaturado (principalmente no estrangeiro), mas os democratas nao usam a caricatura do Bush como arma eleitoral. Nem eles enm os seus apoiantes. Fazem uma campanha seria. Ja a Ann Coulter e companhia estao sempre a denegrir tudo o que e democrata e a queixar-se dos "iluminados urbanos liberais" que votam democrata. Exactamente como este senhor Onfray faz com os partidarios do sim. Entendidos?

Publicado por: Filipe Moura em maio 27, 2005 02:59 PM

Por acaso, fui ler o texto em questão e não encontro o que lá lês, Filipe... Onde é que o "senhor Onfray" denigre os partidários do "sim"? Ele limita-se a queixar-se precisamente do tipo de ataques de que tu o acusas!

Publicado por: Homessa! em maio 27, 2005 06:12 PM

Fiquei com uma dúvida: chegou a ler o texto?

Publicado por: Nuno Tito em maio 27, 2005 06:14 PM

Fiquei com uma dúvida: chegou a ler o texto?

Publicado por: Nuno Tito em maio 27, 2005 06:15 PM

Epá, já disse tudo o que tinha a dizer. Quem se vitimiza como esse senhor é o Bush.
E há perguntas a que nem tenho que responder. Bem basta ter de as ler.
Homessa!, andas muito educadinho ultimamente. É da primavera?

Publicado por: Filipe Moura em maio 27, 2005 08:56 PM

É, ou não, verdade que Onfray está a criticar os apostolos do "Sim" por eles caricaturarem os defensores do "Não", retratando-os como incultos, apoiantes de Le Pen, homens do campo, etc...? É. Ele está a chamar a atenção para o ridículo que é a enorme simplificação que os defensores do sim tentam fazer. Para estes ultimos ser Sim é ser por "Mais Europa" e ser "Não" é ser dos maus... A existencia desta simplificação é palpavel - basta ler os telejornais. Em suma, na minha opinião ele critica a simplificação redutora, não os iluminados urbanos.

Publicado por: Pedro Gil em maio 27, 2005 11:39 PM

Ó Pedro, eu afinal sempre fui ver o jogo. Depois, à hora a que escreveste este comentário, estava na grande pelouse com a malta da tua casa. Havia uns peruanos a tocarem guitarra. E tu aí, a escreveres comentários?

Publicado por: Filipe Moura em maio 28, 2005 04:40 PM

A ironia de Onfray (espanto, espanto!)é demasiado súbtil para certos intelectos... daqueles a quem tudo tem de ser dito com mapas e desenhos. São pérolas a porcos.

Haja paciência!

Só não entendo por que chamam a este blogue blogue de esquerda. Deve ser para baralhar os distraidos.

Publicado por: o sitio do também não em maio 28, 2005 07:38 PM

De esquerda, uma ova. Do centro com a palavra esquerda e juras solenes à direita a que pertence e de que é filho. Haja paciência.

Publicado por: Injecção na Orelha em maio 28, 2005 09:12 PM

Será que te custa assim tanto, Filipe, admitir que não leste bem o texto que te apressaste a criticar? Porra, pá, um bocado de humildade não fica mal a ninguém!

Publicado por: Chissa! em maio 28, 2005 11:12 PM

Essa é para rir, com certeza, ó Chissa! Logo vinda de ti, que deste a maior demonstração de falta de humildade de que há memória na blogosfera portuguesa.

Publicado por: Filipe Moura em maio 29, 2005 05:42 PM

Filipe,
Não atingi o teu argumento.

Publicado por: Pedro Gil em maio 29, 2005 06:44 PM