« QUEIMA OU BÊNÇÃO? | Entrada | DEBATE »

maio 03, 2005

O AZAR

O Pinilla lesionou-se.

Publicado por Filipe Moura às maio 3, 2005 08:54 PM

Comentários

Calma.

Publicado por: Afonso Bivar em maio 3, 2005 10:23 PM

O ideal é manter a calma. O pinilla é um jogador fundamentar mas psicologicamente tende a incutir uma confiança que pode ser destabilizadora já que, do ponto de vista meramente teórico, é preciso manter a carroça antes dos bois. Do ponto de vista pragmático a força do jogador reside na gestão de desequilíbrios gerados propositadamente claro!, não sejamos ingénuos - já o poeta dizia. Este post é passível de duas leituras - uma da esquerda para a direita, outra da direita para a esquerda - a segunda não se percebe nada.

Publicado por: Pedro Gil em maio 4, 2005 12:22 AM

Pedro, os blogues - como tudo - devem ler-se por ordem cronológica, i.e. neste caso de baixo para cima. Se tivesses visto quantos posts houve esta semana sobre o Pinilla entenderias.
E essas fotos da festa da Casa de Portugal? Estou à espera delas.

Publicado por: Filipe Moura em maio 4, 2005 01:06 AM

Eu li todo (a parte ainda visível) o blogue. Cheguei à conclusão que o Pinilla é importantíssimo. Nem tudo se deve ler por ordem cronológica. Seria humanamente impossível faze-lo - não apenas por falta de tempo - a leitura por ordem cronológica tirar-nos-ia em muitos casos a capacidade de visualização mais alargada - se se estudasse ciência, por exemplo, por ordem cronológica, uma pessoa ficaria de tal modo entranhada que nunca conseguiria inovar, ter ideias, tal o peso carregado aos ombros - mais uma vez - não falo de falta de tempo.

Publicado por: Pedro Gil em maio 4, 2005 01:16 AM

Como diz o outro: "não há dois jogos iguais". Aquele hat trick também pode ter sido pura sorte.

I still believe!

Abraços e obrigado pela visita.

Spooooooooooorting!

Publicado por: The Bird @ frangosparafora.blogspot.co em maio 4, 2005 07:47 AM

É bluf para desorientar o adversário.
Os holandeses estão à espera dele e vai-lhes sair o Liedson.
Entretanto, o Benfica fica à espera do Liedson e a gente espeta-lhes com o Pinilla.
É mesmo assim. Os adversários nem percebm quem é que lhes marca golos!

Publicado por: Marco Oliveira em maio 4, 2005 09:50 AM

E depois, que interessa não estar lá o Pinilla... se EU estou? Só não digo em que bancada. Ah, maraus!


Publicado por: fernando venâncio em maio 4, 2005 12:13 PM

Acho que o Marco desvendou o segredo :-)

Publicado por: Rui MCB em maio 4, 2005 02:01 PM

Também estou com o Marco. E fico com inveja de não estar com o Fernando.

Publicado por: Valupi em maio 4, 2005 02:05 PM

Ah, Valupi. Nem sei como poderíamos estar os dois. Primeiro, tu não saberias em que bancada eu vou estar. Segundo, mas muito mais importante, eu nunca conseguiria achar-te: simplesmente porque não sei quem tu és. Tu serias aquele gajo tatuado de verde, com verdes penas de índio? Não podia ser. Tu serias aquele barrigudo que grita hora e meia um som talvez querido mas pouco musical: sporting! sporting! ? Impossível. Teria eu de percorrer a bancada lusa à procura dum ser fradiquiano? Passava-se o tempo e tu ias-te embora. Não, Valupi. Poderias vir. Mas comigo não estarias. E adivinhe-se de quem era a culpa!

Publicado por: fernando venâncio em maio 4, 2005 02:21 PM

E o relato queiroziano da partida, Fernando, podemos contar com ele?

Publicado por: José Mário Silva em maio 4, 2005 03:42 PM

Talvez, talvez... Mas decerto não 'em directo', coisa só possível para o José Pacheco Pereira e outros seres alados.

(De resto, aprecio esse 'z' do teu queirosiano. Há bons espíritos que dão a vida por ele).

Publicado por: fernando venâncio em maio 4, 2005 04:14 PM

Ilustre Fernando, que não fosse por isso. Ostentaria uma cartolina branca, formato A3, com os dizeres a verde:
trotamundos, "touriste" da inteligência

Sufisant, certo?...

Publicado por: Valupi em maio 4, 2005 07:38 PM

Valupi, guarda a ideia, poupa só no formato. Algum dia será preciso.

Conto-te só uma cena antiga. Era eu um puto pequeno (na lúgubre rua Pedro Dias, aí às Cortes), e a minha mãe apareceu em casa com uma bela fazenda verde, para mandar fazer um casaco. Desculpa o arrepio medieval do cenário. Agarrei numa tesoura, porque convictamente queria desfazer o tecido. Motivo? Não queria mais verdura em casa. Eu era do Benfica, e por uma razão irrefutável: o meu pai era do Sporting. Meio século depois, o meu pai continua com a cisma dele. Eu perdi a minha.


Publicado por: fernando venâncio em maio 4, 2005 08:46 PM

Qual lesionado qual quê? O Pinilla anda mas é dopado e calhou-lhe, em azar, sujeitar-se ao controlo anti-doping no jogo da Uefa.

Publicado por: Vitor Vicente em maio 4, 2005 10:29 PM

Em nome do conclave, o nosso obrigado pela verde memória, Fernando. Imagino que, actualmente, não ligues pevide ao futebol. Porquê a ida ao estádio ver este jogo?

Publicado por: Valupi em maio 4, 2005 11:01 PM

Não é bem não ligar pevide ao futebol, Valupi. Embora nos sintomas coincida.

Mas sim, tenho certa dificuldade em identificar um fora-de-jogo. Facto é que sei defini-lo lindamente. Já não é a total obtusidade. Nem a total indiferença.

Publicado por: fernando venâncio em maio 5, 2005 06:14 AM

Está mal! O Pinilla só se devia lesionar na sexta-feira.

Publicado por: Pedro Oliveira em maio 5, 2005 05:20 PM