« CORTEJO DA QUEIMA | Entrada | O AZAR »

maio 03, 2005

QUEIMA OU BÊNÇÃO?

Já agora, a propósito do texto do Jorge: alguém pode explicar-me a diferença entre a Queima e a Bênção das Fitas? Eu sempre ouvi falar nas duas, e como nunca participei em nenhuma nunca percebi a diferença. Aquelas fitinhas que eu assinava às minhas colegas de outras faculdades (no Técnico, pelo menos no meu tempo, não havia disso) eram para ser queimadas ou benzidas? E aquela concentração anual de finalistas na Alameda da Universidade de Lisboa, constituída essencialmente por alunos das mais obscuras universidades privadas, e que gastaram balúrdios em propinas, convencidos de que iam obter um curso? Era para benzer as fitas, ou para as queimar? Nunca percebi.

Isto são dúvidas de um lisboeta. Pelo que me foi dado a saber, em Coimbra, mais do que uma afirmação de "tradição académica" - que eu desprezo -, a Queima das Fitas é um grande espectáculo a que eu nunca assisti, mas bem gostaria de assistir um dia. Quem estiver em Coimbra que aproveite.

Publicado por Filipe Moura às maio 3, 2005 06:58 PM

Comentários

Eles benzem-nas para depois as queimar. Conversão e apostasia em 10 minutos.

Publicado por: RG em maio 3, 2005 07:06 PM

www.queimadasfitas.net: Bem Vindos à Queima 2005 -Tradição,Festa,Cultura, Desporto, "solariedade"...
Para que serve realmente um curso?

Publicado por: tb em maio 3, 2005 10:30 PM

O que se queima não são as fitas mas sim o "Grelo" [insígnia de um segundanista ou semi-puto] e benzem-se as fitas na Missa de Benção das Pastas dos Quintanistas. De qualquer forma a "tradição académica de Coimbra" só é compreendida por quem a vive ou viveu, uma espécie de observação participante a la Malinowski. "Desprezo" é uma palavra tão forte e tão redutora que, no fundo, corresponde a uma atitude de arrogância moral e sociocêntrica. é tudo uma questão de relativismo cultural...

Publicado por: Francisco Curate em maio 4, 2005 12:00 AM

Infelizmente acho que isso tambem acontece no tecnico! Pelo menos fui abordada por algumas colegas acerca do meu interesse em participar na queima das fitas... Nao consegui conter o riso!

Publicado por: lithium em maio 4, 2005 12:25 AM

Lithium, mas afinal em Lisboa é queima ou bênção?

Francisco, desculpa (sinceramente) se te pareço "arrogante" por desprezar todo e qualquer tipo de tradição académica. Mas é que para mim não faz de todo sentido. Acabar um curso, uma licenciatura, um doutoramento, é uma valorização pessoal e uma etapa na vida. Nada que justifique tanto êxtase colectivo, que a meu ver tem muito de elitista e, por vees, de provinciano. E nota que tanto digo isto em Coimbra como em Harvard.
Agora, é preciso não confundir este aspecto com o grande festival que vocês vão ter aí em Coimbra. Fui convidado para estar aí, mas não posso. Espero que aproveites bem, mas não te esqueças de apoiar o Sporting!
Obrigado entretanto pelos teus esclarecimentos e um abraço.

Publicado por: Filipe Moura em maio 4, 2005 02:09 AM

Em Lisboa é benção. Não há queima. A queima é em Coimbra. E quanto às "obscuras universidades privadas", quando foi a minha vez de lá passar estava o ensino público em peso descontando as escolas comunistas de Lisboa.

Publicado por: Bruno em maio 4, 2005 11:02 AM

Deixa lá que elas também te desprezam a ti. Junta-te ao MATA e trorna-te ainda mais triste...

Publicado por: Miguel Nascimento em maio 4, 2005 11:07 AM

Cá para mim benziam-se as fitas e queimavam-se os alunos...

Publicado por: pataphisico_azul em maio 4, 2005 12:57 PM

Filipe,
são duas coisas diferentes, mas que acabam por se relacionar.
Em Lisboa, há a SAL - Semana Académica de Lisboa, que não se chama Queima, por pruridos tradicionalistas ou outra coisa qualquer.
A bênção das fitas é uma actividade extra-academias, organizada pelas pastorais universitárias nas diferentes dioceses católicas portuguesas, onde há ensino superior (e serão todas, hoje em dia). Mas, por ignorância, saloismo ou vontade de ir à festa, há muitos finalistas que acabam por ir à missa da bênção das fitas, apenas para fazer a festa.
A minha mulher quando acabou o curso foi "instigada" a participar. Recusou-se: não é crente, não fazia sentido. Eu recusar-me-ia, apesar de ser crente, por questões que não cabem aqui, mas que têm a ver mais com o espírito de Queima e menos de bênção com que muitos encaram a bênção...
Espero ter ajudado.

Publicado por: Marujo em maio 4, 2005 01:00 PM

Claro que não acho q sejas arrogante, Filipe. Só te pedi para olhares a queima sem filtros morais ou ideológicos. Quem participa é porque gosta, quem não gosta fica em casa. é simples. eu este ano não vou participar no festival, nãp porque não queira, mas porque o trabalho não se compadece com noitadas. abraço

Publicado por: francisco curate em maio 4, 2005 07:06 PM

Na altura não percebi muito bem... bastou ouvir a palavra missa para não ser capaz de me concentrar no que me diziam. mas ja averiguei e ha quem participe numa delas ou em ambas.

Publicado por: lithium em maio 4, 2005 10:02 PM

Marujo, em Coimbra, ainda que a Benção das Pastas (e não das Fitas) seja parte da tradição, também só lá vai quem seja crente (e estiver para acordar cedo no domingo). Quanto ao resto é como o Francisco Curate descreveu.

Devo dizer que também não fiz parte da praxe (entendida como o conjunto das tradições académicas, não apenas aquelas coisas parvas que se fazem aos novos alunos) e que apenas aproveitei a festa, como refere bem o Filipe. Para além disso acho que se devem deixar as coisas nas mãos de cada um: é uma escolha pessoal, pelo menos em Coimbra onde nunca vislumbrei abusos.

Publicado por: João André em maio 4, 2005 11:48 PM

João André, também não falei de abusos - e só falei de Lisboa, que era ao que vinha o Filipe. O que quis dizer é que à missa da bênção das fitas (que noutros sítios tem outros nomes, é verdade) vai muita gente, às vezes gente que não quer ter nada a ver com aquilo e que só lá está para uma eventual festarola... E daí a confusão de outra tanta gente.

Publicado por: Marujo em maio 5, 2005 01:47 AM

Foi mesmo da praxe, de que fala o João, que eu me lembrei quando o Francisco disse que "quem participa gosta, quem não gosta fica em casa". Será mesmo assim, com a praxe pelo menos, Francisco? Teria de viver aí e passar pela experiência para distinguir o mito da realidade.
João, sempre vais ver o jogo "in-loco" hoje? Não queres juntar-te ao Fernando e dar-nos o relato?

Publicado por: Filipe Moura em maio 5, 2005 12:55 PM

Marujo, eu entretanto lembrei-me de uma coisa que não vem nada a propósito. O António-qualquer-coisa que fez para o Público a cobertura da tomada de posse do novo Papa... rings a bell?

Publicado por: Filipe Moura em maio 5, 2005 12:56 PM

Na maior Queima das Fitas do país (a do Porto, que por acaso até é considerada pela própria cãmara da cidade "a segunda maior manifestação cultural da cidade do Porto), o que se benze são as pastas (este ano juntou 28 mil pessoas no Estádio do Bessa, queria ver o Boavista a meter lá tanta gente) e não as fitas. As fitas, que são 8 e estão colocadas na pasta são queimadas posteriormente. E embora haja muitos abusos durante a queima (o que é normal, pois só no cortejo deste ano estavam lá perto de 400 mil pessoas), esta não se pode reduzir às bebedeiras que uma pequena percentagem apanha (na 1ª noite em 30 mil pessoas foram assistidas 70, e destas apenas 40 necessitaram de assistências devido ao excesso de álcool, o que dá uma pouco mais de 0,01%, o que é muito menos do que muitos "grandes eventos" que por aí andam), pois as pessoas que vão para o Queimódromo só se querem divertir com os amigos, ver os concertos e tomar qualquer coisa.

Publicado por: MikeX em maio 5, 2005 02:21 PM

Sim, Filipe, rings a bell... É o meu irmão!

Publicado por: Marujo em maio 5, 2005 04:07 PM

Apenas rectificar q o correcto é mesmo benção dos finalistas pois são eles q necessitam da benção, mt embora durante o acto/rito tds os estudantes levantem as pastas onde estão as fitas, daí a confusão.

Eu ñ percebi o comentário ás privadas, mas deixa-me elucidar-te... vês + aludos do publico do q do privado na benção ou na keima. Além disso o mercado de trabalho está tão mau para qm sai de um lado ou de outro.

É natural q ñ percebas nd do assunto, se é um anti-tradição académica (se é q me permites chamar-te assim)mas se investigares um pco na net arranjas resposta para todas as duvidas, agora ñ te baralhes qd vires informação diferente, ñ te eskeças q tens a forte tradição de Coimbra mas dp ainda existe Évora, Lisboa, Porto, Trás-os-Montes.... e claro algumas faculdades têm a sua propria tradição.

Qt ao técnico deixem-me dizer q eles tb têm benção. Aliás todas as faculdades e todos os cursos desde que sejam licenciatura estão convidados a participar da Eucaristia (Missa) da benção.

Publicado por: Shed. em maio 5, 2005 09:46 PM

Apenas rectificar q o correcto é mesmo benção dos finalistas pois são eles q necessitam da benção, mt embora durante o acto/rito tds os estudantes levantem as pastas onde estão as fitas, daí a confusão.

Eu ñ percebi o comentário ás privadas, mas deixa-me elucidar-te... ñ vês + aludos do publico do q do privado na benção ou na keima. Além disso o mercado de trabalho está tão mau para qm sai de um lado ou de outro.

É natural q ñ percebas nd do assunto, se é um anti-tradição académica (se é q me permites chamar-te assim)mas se investigares um pco na net arranjas resposta para todas as duvidas, agora ñ te baralhes qd vires informação diferente, ñ te eskeças q tens a forte tradição de Coimbra mas dp ainda existe Évora, Lisboa, Porto, Trás-os-Montes.... e claro algumas faculdades têm a sua propria tradição.

Qt ao técnico deixem-me dizer q eles tb têm benção. Aliás todas as faculdades e todos os cursos desde que sejam licenciatura estão convidados a participar da Eucaristia (Missa) da benção.

Publicado por: Shed. em maio 5, 2005 09:46 PM

Estava na net a ver qdo era a benção , pois renho aqui umas fitas de um primo meu que este ano é finalista de medecina e eu ainda n assinei. Parece que ainda vou a tempo. Quanto à benção, ela é um ritual , neste caso católico, que mtos aproveitam. Eu fui finalista há 18 anos. A minha benção foi no campo pequeno, estranho, não? Aquilo estava cheio que nem um ovo, por isso é que nos anos seguintes tiveram que mudar de local.
Já casei , tenho um emprego estável, tenho dois filhos que adoro , mas acreditem ainda hoje me emociono qdo penso na minha benção. Foi um dos dias mais felizes da minha vida. Claro que tudo aquilo, tb é uma festa e há mta ilusão e sonho naquele dia. Mas agora com quase 40 anos digo-vos a vida é também feita de sonhos e de ilusões .Se puderem aproveitem bem esse dia como eu fiz, divirtam-se e sejam felizes . Atenção podem ser felizes sem se embebedarem .
Tenho a certeza que alguns de vocês já foram meus alunos e isso tb me deixa feliz , significa que conseguiram chegar lá.
Claro que há o desemprego, mas não desistam. Lutem pelos vossos sonhos , não esperem nque o emprego lhes caia do céu, procurem.
Qto á questão das privadas é ridiculo... eu tirei o curso numa pública mas os meus filhos estão no ensino privado e é mto bom. Público ou privado deixem-se disso há espaço para tudo .

Publicado por: lua em maio 7, 2005 07:34 PM

olha, deixa-me k te diga.. eu tb nao entendia muito bem a diferença... mas depois acabaram por me explicar... o que eu nao gostei do teu texto foi a tua referencia a facs privada.. porque é assim, quando temos um sonho queremos segui-lo.. se a media da fac publica nao nos permitem, ou simplesmente ha poucas vagas... e temos a sorte de poder pagar fac privadas e seguir esse sonho, porque nao?? a serio, acho a tua ideia de fac privada retrograda... e no ensino secundario publico comprado com o privado ha muita diferença ( os pais pagam e passam) mas ans facs privadas nao é assim, pagam na mesma e o nosso trablahu é estudar. o curso nao cai do ceu... desculpa mas eu tinha que mostrar a minha opiniao!! e so quem ja passou por ensino publico e privado é que sabe a diferença... se é k em termos de fac ha... fica bem... e estuda!! xau**

Publicado por: susana em maio 8, 2005 03:42 PM