« FARTO DESTA SEITA | Entrada | QUEIMA OU BÊNÇÃO? »

maio 03, 2005

CORTEJO DA QUEIMA

Há algo de intrinsecamente maravilhoso nos casais de meia idade que põem o seu fato domingueiro e o seu ar mais composto para irem ver os filhos universitários apanhar pifos e berrar "Se o Calimero vai ao cu da Abelha Maiaaaa..."

Publicado por Jorge Palinhos às maio 3, 2005 04:56 PM

Comentários

Jorge, a versão correcta (nos meus registos) é: "O Calimero foi à cona à Abelha Maiaaaa" E sabemos isto porque só assim liga com o segundo verso "Veio-se e esporrou-lhe toda a saiaaaaa..."

Publicado por: The Bird @ frangosparafora.blogspot.com em maio 3, 2005 05:19 PM

Podemos ficar aqui a discutir isto... Bird, tens razão: é "O Calimero foi..." e não "se o Calimero vai". Mas por acaso acho que era "ao cu", pá. Se eu bem me lembro, era
"O Calimero foi ao cu à Abelha Maia
Veio-se, esporrou-lhe toda a saia
Maia, p*** do c******,
F***, f*** sem parar".

Se o Monty estiver a ler, ele pode dar uma ajuda.

Publicado por: Filipe Moura em maio 3, 2005 05:38 PM

fogo Monty, ajuda lá estes gajos que a Abelha Maia deu-lhes volta ao miolo

Publicado por: tchernignobyl em maio 3, 2005 05:50 PM

Pois é, tchern, fez-se o 25 de Abril, andou a malta a comer porrada nas manifs, a ser presa - como o director-sindicalista da PT de que falava com o André nuns posts abaixo -, fecharam-se escolas, fizeram-se greves, para isto, não é?
Já n'"Os Maias" o sábio Vilaça dizia: "grande coisa, ter um curso!"

Publicado por: Filipe Moura em maio 3, 2005 05:59 PM

Ó Filipe, usaste o verbo "esporrar" sem timidez nem pruridos burgueses. E depois censuras um adjectivo/substantivo, um substantivo/adjectivo e um verbo, tudo léxico que entra nas casas dos portugueses por canais televisivos diversos e em horários familiares. Explica lá o teu critério, aqui à malta adepta do vernáculo.

Publicado por: Valupi em maio 3, 2005 06:03 PM

Revivalismos académicos...

Publicado por: Katraponga em maio 3, 2005 06:48 PM

Valupi, utilizei somente o vernáculo que o Bird já tinha utilizado.

Publicado por: Filipe Moura em maio 3, 2005 07:03 PM

Filipe, eu sempre cantei "cona" (oops, desculpem) "c**a", mas posso ter sido sugestionado pelas minhas preferências.

Os restantes versos estão tal e qual.

Publicado por: The Bird @ frangosparafora.blogspot.com em maio 3, 2005 07:35 PM

Filipe e Tcher, fico muito lisonjeado por apelarem para mim em tão valoroso assunto.

Atento o meu imenso activismo académico, posso afiançar que é ao cu que ele vai e que é a saia que ele esporra. Já quanto ao restante, acho que a Maia era uma puta do caralho, que fodia sem parar (não confundir com fode, fode sem parar - é mesmo: "Mááááia, fode sem parar!).

Foi uma honra poder ser útil a Vexas.

Publicado por: Monty em maio 3, 2005 07:47 PM

ao menos que fique esclarecido de vez o assunto por tamanha autoridade e se siga em frente depois deste momento "Villon"

Publicado por: tchernignobyl em maio 3, 2005 08:13 PM

Gosto de vos ver perorar sobre assunto tão candente. Há comentários que são realmente a satisfação de necessidades fisiológicas, mas esta vossa tão óbvia necessidade de verbalização demonstra que já só vos falta arranjar a outra metade...para respirar de alívio. Há muita necessidade encoberta!...

Publicado por: tb em maio 3, 2005 10:55 PM

The Bird, com esta é que a tb nos topou! :)

Publicado por: Filipe Moura em maio 4, 2005 02:11 AM

a versão do Monty é a mais próxima da realidade; julgo que há um "cabrão" no lugar do "veio-se"; mas a letra correcta perde-se na noite dos tempos.

Publicado por: João Pedro em maio 4, 2005 03:25 AM

I'm in the need! The need for speed! E nunca mais chega cá a PSP para animar as pausas no trabalho (talvez seja melhor que nunca chegue, a bem da produtividade nacional... pensando bem... qual produtividade?)

Publicado por: The Bird@frangosparafora.blogspot.com em maio 4, 2005 07:52 AM

Valupi,

Que resposta é que esperavas destes galrões de língua de caca, destes trovadores que meteram nas pontas retorcidas, onde penduram as violas e guitarras, que queimar fitas e participar em regabofes estudantis lhes confere autoridade para vomitarem opiniões sobre coisas políticas, sociais, filosóficas e científicas quando se fala nisso, aqui, com a intenção de aprender ou ensinar? Ainda bem que não temos de aguentar com estes arreitamentos estercorosos desta sub-classe privilegiada. Até me admira não terem falado das eleições nas repúblicas pelo voto democrático de comprimento de pila. Se calhar nem possuiam os comprimentos mínimos. Isto não é de malta que vai à missa, não é, não senhor. Tomara que o Zé Maria volte já da Alemanha (onde desconfio deve ter ido a convite dalgum bildeberguista tirolês) para dar um esporranço bem merecido nestes patetas.

Publicado por: Madalena em maio 4, 2005 10:34 AM

A questão é de importância vital convindo, portanto, ser-se preciso. Por causa das tosse pus-me a ouvir a referida cançoneta pelo q posso garantir com 100% de certeza: o Filipe Moura tem rão, é "cona".

Publicado por: Shyznogud em maio 4, 2005 03:28 PM

Madalena, meu borracho iconoclasta, não batas tanto nesta rapaziada que nos anima o teclado. Tens de abrir o teu coração para as delicias gasosas da compaixão.

Publicado por: Valupi em maio 4, 2005 06:42 PM

Mais maravilhoso ainda é ver casais de meia idade de fato domingueiro na festa do Avante a apanhar pifos e verem os filhos a fumar charros e a berrar "A LUTA CONTINUA!".

Publicado por: Pedro Oliveira em maio 4, 2005 07:31 PM

e o calimero foi ao cu à abelha maia
veio-se, esporrou-lhe a saia,
maia puta do caralho,
maia fode sem parar

espero ter sido de alguma utilidade

Publicado por: tosquiador em maio 4, 2005 08:21 PM

estou a ver que o debate na esquerda inteligente continua bastante elevado. deve ser da qualidade da passa.

Publicado por: fidel em maio 5, 2005 09:57 AM

De bonito ñ tem nd... lá isso é verdade, um pai ver o filho a fazer figurinhas dessas, mas qd se pensa no porquê até se dá um desconto.
É o festejar a fim da vida académica e o início do mundo chato do trabalho. É o comemorar o fim de todo o esforço e empenho gastos para fazer o curso(ou ñ). É o virar de uma página mt importante na vida de cd 1. Será q são justificações minimamente plausíveis para desculpar as bebedeiras, brincadeiras, linguagem?? Acho q isso fika na consideração de cd 1, de se é adepto ou ñ da tradição académica e de excessos.

Publicado por: Shed. em maio 5, 2005 09:57 PM

http://www.ajferrao.blogspot.com/

Importante.

Qualquer académico que se preze sabe bem que não é “se o calimero…” mas sim “O calimero vai …” etc. etc.
Achei importante esta adenda!
Mais, acho importante salientar neste momento o vosso espírito de democraticidade e liberdade de opção para todos. Interessante a maneira como respeitam as pessoas que preferem seguir outros caminhos, outras tradições, e viver a vida segundo outros princípios.
Pena é que rapidamente se esqueçam dos princípios e diversões da esquerda portuguesa, do belo do charrinho e do jambé. Da liberdade de escolha quando convém como é no caso do aborto.

Enfim, ambiguidades! Como só a esquerda sabe.

http://www.ajferrao.blogspot.com/

Publicado por: AJFerrão em maio 6, 2005 01:18 PM

se querem saber como é a musica e so ir ao sit www.jaimão.com e descobrem que foi o jaimão que fez essa musica a lketra é com cona e não cu

Publicado por: edgard em maio 7, 2005 07:58 PM

Eh pá, Queima é a de Coimbra.

Publicado por: Mariana Pereira da Costa em maio 9, 2005 10:31 PM

A análise da questão não pode ficar superficialmente por aqui...apesar de ter ficado confuso se o calimero atacou pela frente ou por trás e de não ter dúvida que entre os dois houve um clique não podemos esquecer que se trata de sexo na adolescência sem qualquer tipo de protecção...jovens usem e recomendem o uso do pzv...

Publicado por: LP em maio 14, 2005 07:28 PM