« SE HOUVER JUSTIÇA NO MUNDO | Entrada | CÍRCULOS »

abril 26, 2005

ENERGIA E EQUIDADE - JÁ QUE A MADALENA INSISTE...

Este texto foi publicado em 1973! Por um padre, o que mostra bem a marcha à ré que a Igreja (arrastando os crentes mais distraídos) fez em cerca de trinta anos. Chocante como se passa do diálogo com as tendências mais vanguardistas, da produção de ideias mais subversivas e utópicas para o enquistamento mais reaccionário perante a passividade de um rebanho que adopta práticas modernas mas que vai a reboque e não pensa nem quer pensar no significado e implicações dessas práticas.
Uma geração de..."agnósticos", dentro da Igreja, de pessoas que não pensam... seguem a hierarquia reaças e "infalível" do Padre Seabra.
É um texto "irrealista" sobretudo se pensarmos em "anos 70", numa altura em que não parecia haver limites para o consumo do petróleo.
Ninguém percebia o que queria ele dizer com conceitos o da "velocidade que gera a lentidão" até à célebre corrida entre o Ferrari e o burro organizada muito mais tarde salvo erro pela Câmara de Loures...
Nos anos setenta os ecologistas eram considerados uma curiosidade. Nenhuma das grandes companhias se tivera de dar ao trabalho de apresentar fachadas "verdes". O "desenvolvimento sustentável" era conversa de meia dúzia de hippies semi alienados com o consumo de marijuana que publicavam o "Whole Earth Catalog".
E no entanto... leiam por favor.

Publicado por tchernignobyl às abril 26, 2005 11:30 PM

Comentários

Que grande fixação e mania de superioridade. Achas mesmo provável que os católicos sejam uma carneirada que não pensa? Parece-me que isso explica muita coisa sobre a tua estupidez...

Publicado por: Miguel Nascimento em abril 27, 2005 09:48 AM

É que talvez não te ocorra que estás rodeado deles por todos os lado nem como eles podem intervir na tua vida. Pode ser quem te ouve, quem te dá trabalho, quem te avalia, quem te paga... Se imaginasses ficarias surpreendido! Achas mesmo que são uma carneirada que não pensa?

Publicado por: Miguel Nascimento em abril 27, 2005 09:51 AM

Utilizar um texto para definir uma marcha à ré... É preciso coragem! Da mesma forma, os católicos podem utilizar os textos e doutrinas tantas vezes usados contra eles( inquisição e blá,blá,blá) para afirmarem a clara evolução.

Publicado por: Zangalamanga em abril 27, 2005 09:59 AM

Além disso, ser verde ainda não é comprovadamente estar bem informado. O desenvolvimento sustentável depende de todos nós e pouco de bocas e conversa retórica.

Tem reutilizado a água que usa no banho? E as latinhas de Sagres vão sempre para onde devem? E o carro?

Publicado por: Zangalamanga em abril 27, 2005 10:06 AM

miguel, o texto é ilustrativo do que era possível um padre escrever nos anos setenta e do que isso representava quanto ao papel progressista que vários sectores da igreja tentavam desempenhar nessa época. a imbecilidade grunha da generalidade dos comentários que por aqui deixas, pelo seu lado, sem ser exclusividade nem tua nem da igreja e sem que ela no seu conjunto tenha alguma culpa do teu atraso testemunha esse enquistamento contra o progresso. De resto eu nem procurava atingir idiotas do teu calibre que sempre existiram e sempre existirão independentemente do que seja a tendência prevalecente no "seio" da iigreja. parece-me bem mais significativo a este respeito o cada vez mais evidente alinhamento dos "progressistas" ultra liberais com as posições moralistas e conservadoras em matéria de costumes.

Publicado por: tchernignobyl em abril 27, 2005 10:17 AM

Conheço padres bem esclarecido e progressistas, mas isso não quer dizer que tenham ido para a praça de S.Pedro gritar BUUUUUUUUUUUUUUUUUU! A educação, o respeito, a confiança e a aversão a revoluções não são sinónimo de carneirada. Se têm algumas destas caractérísticas em demasia, it´s not our business.

Publicado por: zangalamanga em abril 27, 2005 10:35 AM

zangalamanga, quem utiliza o texto és tu.
e os católicos naturalmente podem utilizar os textos que quiserem.
e o que eu tenho visto é a utilizaçãop das posições mais reaccionárias. um dos exemplos é a forma como as pessoas falam dos teólogos da libertação sem qualquer referência ao contexto como se tratasse de um grupo de hereges torcionários, eles que na maioria foram heróis sensíveis capazes de deixar ladainhas para pegar em armas para combater a opressão aberrante muitas vezes vindo da parte de carniceiros que não hesitavam em reclamar-se do catolicismo mais "integro" sem que isso trouxesse grandes engulhos ideológicos ao vaticano.
para quem quiser entender, o texto apenas ilustra um espírito do tempo.
e se nessa época se poderia falar de "clara evolução" hoje pode falar-se claramente em retrocesso.
O cardeal português que mencionou o Che Guevara a propósito do recente episódio dos momentos finais do papa jpII, é já um resquício.
quanto aos verdes... hoje meu caro, qualquer um sabe fazer sugestões sobre a "sustentabilidade", entrou no marketing da novlang mas não há muito tempo a manada achava que quem tocava nesses assuntos era maluco.

Publicado por: tchernignobyl em abril 27, 2005 10:35 AM

Eu não ataco os progressistas, acho é que cometem tantos erros como os conservadores. O cliché do equilíbrio é neste caso, o acertdao. Não vale a pena transformar os teólogos da libertação em hereges nem os conservadores em assassinos. E averdade é que todo o mundo vive em ambiguidade de valores, e isso enjoa. Faz bem à alma e desperta consciências haver na igreja católica quem defenda intransigentemente posições consideradas por alguns como aberrantes, extremas e opressoras.Também é bom ouvir padres dizer que milagre era os pastorinhos fazerem aparecer o braço a um amputado.

Comparar o Papa ao Che... O papa nunca mandou fuzilar ninguém.

Publicado por: zangalamanga em abril 27, 2005 10:50 AM

Pode ser o teu chefe...

Publicado por: Miguel Nascimento em abril 27, 2005 11:01 AM

Na verdade acho que és um anti-clerical primário, um cretino intelectualmente desonesto, um comunista reaccionário e um ressabiado da catequese.

Publicado por: Miguel Nascimento em abril 27, 2005 11:09 AM

-Quem, eu?!
-Não, o padre!

Ahahaha! How funny!

Publicado por: zangalamanga em abril 27, 2005 11:31 AM

perante a importância de textos como este, todas estas considerações não passam de um "red herring"... vai mas é ler o texto.

Publicado por: tchernignobyl em abril 27, 2005 11:54 AM