« VERSOS QUE NOS SALVAM | Entrada | SE HOUVER JUSTIÇA NO MUNDO »

abril 26, 2005

TUDO MARADO

Desde há uns tempos atrás que ao entrar nos transportes publicos ou no restaurante tenho a sensação de que cerca de um terço das pessoas olham para mim com ar malévolo e cochicham baixinho. Ouço vozes suspeitas no escritório, e mesmo na rua parece que um terço dos condutores me fitam com um ar arrogante e comentam qualquer coisa quando me vêem parado para atravessar a passadeira.
O ambiente é o dos Mitos de Cthulhu de Lovecraft ilustrados pelo magistral Alberto Breccia, um livro que, lembro, não é conveniente alguém que viaje só levar de companhia para um local isolado.
Está tudo explicado nesta notícia.

Publicado por tchernignobyl às abril 26, 2005 06:30 PM

Comentários

Haha. E tb fazes o mesmo?

Publicado por: Kraak/Peixinho em abril 26, 2005 07:17 PM

Amigos,
Eu não percebo muito de poesia nem de política.
Aconselho uma visita ao site www.animal.org.pt para verem um vídeo a propósito da Fátima Lopes dos vestidos que aconselha e usa peles de animais, que "devem ser retiradas com o animal vivo, para terem mais brilho".
Antes que perguntem: sim, sou vegetariano, e de qualquer forma, uma coisa é matar por electrocussão, outra é esfolar vivo!

Publicado por: António Borges em abril 26, 2005 07:24 PM

eu é que sou o antónio borges! Agora há outro por aqui?! e gosto muito de ser omnívoro a descaír pró carnívoro e gostava ainda mais de esfolar a Fatinha!

entrando no tema do post: ó tchern, então eu não te tinha dito que andávamos de olho em ti ?! ;)

Publicado por: eu é que sou o antónio borges em abril 26, 2005 07:57 PM

É lá isso!!!!!!

eu é que sou mesmo o tal, o da moção sebastianista!

Publicado por: eu é que sou mesmo o antónio borges em abril 26, 2005 07:59 PM

é o que eu digo... aquilo da duplicação de personalidades...

Publicado por: tchernignobyl em abril 26, 2005 08:12 PM


Tcher,

Segui o teu conselho no outro post e aqui estou para te deixar o meu comentário. Terrivel estado de saúde o da nossa pátria florida. Visão alarmista, como sempre, para justificar os cobres que o estado esbanja com a medicina. Mas em vez do livro do Alberto, devias ter vindo com outro, o do Illich (não, não do Lenine, filho) que há trinta anos já desmascarava a podridão da medicina e da sua mamã farmacêutica - Medical Nemesis. Pelo menos podias poderias imitar a nostalgia Maçónica, ou o Tristão da Silva - Ó Vida, volta para trás...

Publicado por: Madalena em abril 26, 2005 10:19 PM

vá lá madalena agora tiro-te o chapéu. nem em todas as bibliotecas constam textos sobre a "iatrogénese", desse pensador visionário e católico subversivo que foi o grande Iavn Illich infelizmente um pouco esquecido mesmo na época em que a "sustentabilidade" entrou na moda.

Publicado por: tchernignobyl em abril 26, 2005 11:10 PM