« LÁ LONGE | Entrada | ISTO É CADA VEZ MAIS ESTRANHO »

abril 26, 2005

A TEORIA E A PRÁTICA

Há que reconhecer que o João Miranda tem realmente teorias muito bonitas. Esta, por exemplo, é tão harmoniosa e elegante que uma pessoa até quer acreditar nela. O pior é quando nos começamos a lembrar que a democracia ateniense era politeísta e foi a democracia mais duradoura do mundo. Que Roma Antiga era politeísta e nunca teve inquisição, cismas ou guerras religiosas. Que a maior democracia do mundo (em termos numéricos) é também a mais politeísta. Que o monoteísmo nasceu no seio do politeísmo (1, 2), mas não há casos conhecidos de sociedades monoteístas tolerarem o nascimento de politeísmos. Que o apogeu do poder da religião monoteísta cristã correspondeu à guetização ou extermínio de todas as outras variantes protestante, muçulmana ou judaica. E que só quando se deu a dessacralização da sociedade após as revoluções francesa e americana é que a liberdade de culto se tornou um facto consensual.
Pois é, a teoria é bonita, mas é mais útil para coar leite.

Publicado por Jorge Palinhos às abril 26, 2005 10:58 AM

Comentários

as teorias do joão miranda são normalmente assim limpinhas e construidas com lógica. em ambientes virtuais funcionam que nem ginjas.

Publicado por: tchernignobyl em abril 26, 2005 01:44 PM

A teoria é uma boa teoria, não destituída de verdade. Contudo, tem as suas falhas. Haverá teorias perfeitas? Há que pelo menos reconhecer o valor da estrutura do texto argumentativo!

Publicado por: ginja em abril 26, 2005 05:12 PM

Os amigos têm alguma coisa contra as teorias bonitinhas, limpinhas e construídas com lógica? :)

Publicado por: Filipe Moura em abril 26, 2005 05:34 PM

A teoria do Miranda, de harmoniosa só tem a forma circular do buraco que ela é (se for necessário, especificarei), cheia de falácias e pontas soltas. Por outro lado, que tem de bonito uma teoria que assenta principalmente nestes patamares:cada homem tem o seu deus, cada um se pode achar dono da verdade,logo, é inevitável o conflito? Isto quer dizer que a diversidade (seja ela qual for)é perigosa? E a liberdade de pensamento, também? Acho que faltou ao Miranda ler no bde o post "Autocarro I".

Publicado por: tb em abril 26, 2005 05:50 PM

tunga! toma que já almoçaste.

boa, J, continuas em forma.

Publicado por: rui tavares em abril 27, 2005 02:51 AM