« SE DEPENDESSE DE SI, QUE PAPA ESCOLHERIA? | Entrada | PALAVRAS QUE SE ENROLAM NA BOCA »

abril 19, 2005

O GRANDE CIRCO DA FÍSICA - O ARROZ QUEIMADO

Pois então, como vos disse, no outro dia deixei o arroz pegar-se. Não vos contei tudo, porém. O arroz não estava muito pegado e era perfeitamente comestível, sem qualquer mau gosto. Servi-me de uma porção, tapei o tacho e guardei o resto no frigorífico, como costumo fazer.
No dia seguinte, ia a servir-me de mais arroz e qual não é a minha surpresa quando verifico que este não estava mais pegado! Saía perfeitamente. Os mais cépticos poderão dizer que é natural que se pegue mais em certas partes do tacho do que noutras, uma vez que um tacho nunca é homogéneo, nem um condutor térmico perfeito, pelo que a temperatura e a transmissão do calor poderão ser diferentes em diferentes partes. Tudo isso é verdade, mas asseguro-vos que não era esse o caso. O primeiro arroz que eu tirei estava todo pegado, e o restante também estaria. Só assim se explica o decalque perfeito entre a primeira porção de arroz e a parte pegada, visível na fotografia. No dia seguinte mesmo o arroz adjacente ao que tirara antes estava despegado, numa variação de comportamento perfeitamente descontínua e não explicável por defeitos do material. O que se passou fazia lembrar um passe de mágica. Que se terá passado? Terei eu ganho um "toque de Midas" para o arroz queimado, de um dia para o outro?
Estamos no Ano Mundial da Física e, assim, proponho aos leitores que pensem num problema de Física. Apesar das teorias (velhas de um século, mas infelizmente ainda misteriosas para a generalidade das pessoas) da Relatividade Geral e da Mecânica Quântica, apesar dos excitantes desenvolvimentos em Teoria Quântica dos Campos e Computação Quântica, já o Feynman dizia que não há nada como um bom problema de Física Clássica. Se este vos tiver interessado, deixem as vossas ideias nos comentários.

Publicado por Filipe Moura às abril 19, 2005 01:22 PM

Comentários

Já dizia a minha namorada, se calhar antes de o gato do Schreodinger ter pensado no assunto, que a parte do arroz que fica tostadinha e se pega ao tacho é a melhor.

Publicado por: pataphisico_azul em abril 19, 2005 01:29 PM

Isso é falta de sal...

Publicado por: Blarghh em abril 19, 2005 01:33 PM

Ora segundo o que dizes o teu arroz ficou "colado" no fundo da panela, aqui vai uma possivel explicação:

- o arroz é cozido com água dentro da panela(na maior parte dos casos), após a cozedura o proprio arroz "cresce", isto deve-se ao facto de o arroz ser uma substancia relativamente higroscópica(absorve a água). Pelos vistos o teu arroz não cozeu e ainda conseguiu manter algumas propriedades higroscopicas, assim quando o introduziste no frigorifico o proprio arroz absorveu uma determinada quantidade de agua(em estado de vapor, devido a outras substancias que tinhas dentro do frigorifico), ao absorver água "ganhou" volume que o permitiu desprender-se do fundo do tacho...

caricato no minimo, mas engradaçado...
abraço e continua com o blog, que é simplesmente fenomenal.

Publicado por: obsequio em abril 19, 2005 02:06 PM

A explicação do obséquio estará na direcção certa, mas não totalmente correcta. Quando foi introduzido no frigorífico o arroz não teria muita tendência para absorver água, uma vez que a temperatura a que este - o frigorífico - se encontra garante a pouca existência de vapor de água. Ainda assim, a minha hipótese será algo parecida.

O vapor de água existente no frigorífico - e ganho cada vez que este é aberto - tende a condensar devido à temperatura. Tal como o obséquio diz, o arroz tenderá a absorver água, a qual será absorvida, muito provavelmente, no estado líquido. ora, o arroz tem um limite de saturação de água, após o qual a água terá tendência a fixar-se na superfície. Quando isto acontece, a água cria um finíssimo filme entre o arroz e a superfície do tacho, quebrando assim as interacções que prendiam o arroz ao tacho e libertando o mesmo arroz.

estaq é apenas uma hipótese e não foge assim tanto ao que o obséquio diz.

Outra hipótese, menos complicada, pode ter a ver com a temperatura do frigorífico sem ter a ver com a água. O tacho, de metal, contraiu devido ao frio. O arroz, orgânico e flexível, não - aliás, querendo usar a água, esta até poderia ter causado uma expansão do arroz. No processo de contracção de um e de não-contracção do outro, o arroz despegou-se.

Possivelmente foi uma mistura destes efeitos e de mais alguns outros.

Publicado por: João André em abril 19, 2005 03:54 PM

Filipe, FOI UM MILAGRE! Não procures perscrutar cientificamente os insondáveis mistérios do Senhor! Na cozinha, ele obra milagres!

Publicado por: Frei Bartolomeu dos Mártires em abril 19, 2005 06:37 PM

O problema é que acontece o mesmo qdo se deixa o arroz fora do frigorifico. Ele nao se estraga de um dia para o outro e mtas vezes faço isso.

Publicado por: joana em abril 19, 2005 06:44 PM

eu acho que em vez de arroz fizeste borracha e qdo foi ao frigorifico, despolimerizou. no teu lugar eu n me preocuparia com tal peripecia contudo poderava a hipotese aumentar o numero de visitas ao take away. tb podes tentar o truque das avos; a proporçao certa é 2 copos de agua para 1 de arroz.

Publicado por: lithium em abril 19, 2005 10:33 PM

Agora que vejo o alcance do Arroz Queimado I percebo algum jeito do Filipe para a produção de eventos.:)

Publicado por: tb em abril 19, 2005 11:52 PM

João e Obséquio, muito obrigado.
Houve um pormenor importante que eu me esqueci de referir. Contrariamente ao que é hábito, pus o arroz no frigorífico AINDA QUENTE e TAPADO. Assim, houve condensação e não foi pouca...
João, essa contracção do tacho não me parece relevante. Gosto mais da tua primeira explicação, a do finíssimo filme de água que quebra as ligações. Mas o que era mais espantoso - a sério que fiquei de boca aberta e discuti o fenómeno com colegas - foi que o arroz do primeiro dia não se desprendeu!!! Todo o outro desprendeu-se, menos o do primeiro dia. O tal filme não se deve ter formado, por haver menos arroz - e menos água. A água necessária era proveniente do arroz que estava por cima. Que me dizem?

Publicado por: Filipe Moura em abril 20, 2005 12:08 AM

É provável que fosse por causa de uma maior quantidade de água em cima. Lembra-te que o calor é recebido por baixo, pelo que a água que estava no arroz terá começado a evaporar ou simplesmente a migrar para as camadas superiores, ressequindo-o e criando a adesão inicial.

Quanto à contracção do tacho, também não lhe dou muita importância, mas foi apenas uma forma de dizer que poderia haver mais alguma razão. Já a possível expansão do arroz não a considero assim tão desprezável.

Publicado por: João André em abril 20, 2005 08:43 AM

És o Messias...vê se te convertes de uma vez.

Publicado por: Joao em abril 20, 2005 03:56 PM