« VALUPI É NOME DE CIDADE | Entrada | MUDANÇA DE MENTALIDADES »

abril 14, 2005

O PRESIDENTE DO CONSENSO

Durante a sua visita a França, Jorge Sampaio foi questionado (e bem) sobre o aborto. Ao responder, limitou-se a reafirmar o que sempre defendeu. Pois tal bastou para ser logo criticado pela direita.
Durante a mesma visita, exprimiu (e bem, a meu ver) o seu apoio ao projecto de Constituição Europeia. Jacques Chirac faz exactamente o mesmo: ainda hoje o presidente francês vai participar num debate sobre o tema, para defender o "sim". Pois logo apareceu o velho arauto do nacionalismo bacoco (a razão pela qual ainda se presta atenção a este indivíduo é algo que me escapa) igualmente a queixar-se da tomada de posição do Presidente.
A pergunta que eu faço é: até quando prevalecerá, principalmente à direita, esta concepção monarquizante (ou à Américo Tomás) da função presidencial?

Publicado por Filipe Moura às abril 14, 2005 07:15 PM

Comentários

Não se podia esperar outra coisa de um Presidente que condecora TERRORISTAS para além de lhes oferecer AMNESTIAS !!!.

É este pais de mentalidades barrocas que temos !!!

Publicado por: Mr X em abril 14, 2005 09:52 PM

Se o presidente fala em nome pessoal, está no seu direito. Se fala como presidente de todos nós então que não se faça o referendo à constiuição europeia. Já quando se pretende marcá-lo junto com as autárquicas é para que seja aprovado sem discussão, pois muito malefício ía aparecer. Pelo que conheço sou pelo "não". estrelinha ajuizada

Publicado por: vermelhofaial em abril 14, 2005 10:58 PM

Estás a brincar. Não estás? De certeza?
Mas não fazes mesmo ideia das diferenças entre o nosso sistema e o francês? E onde estava a tua indignação quando o Presidente usou os seus poderes "à Américo Tomás" para despedir o amigo Santana?
Por uma vez, o tosco do Telmo Correia até tem alguma razão. É a velha história de até os relógios parados darem horas certas duas vezes ao dia...

Publicado por: Ai... fosga-se! em abril 15, 2005 11:11 AM

Aiai, se pensasses um bocadinho em vez de vires para aqui só insultar, vias que não há contradição nenhuma. Nunca fui contra o Sampaio usar os seus poderes. Quem foi, e é, no caso Santana e não só, é a direita.
Recomendo-te que arranjes uma vida. A tua de facto deve ser muito pouco interessante. Se não conseguires, olha, resta-me recordar-te o velho conselho da vaselina. Vais ver que te passam logo os ais.

Publicado por: Filipe Moura em abril 15, 2005 06:11 PM

Engraçado: onde estará o insulto? Criticar os lugares-comuns que aqui despejas, disfarçados de pensamentos, é insulto? Só se for à mediocridade.
O que te falta perceber ao certo é mesmo quais são os poderes do Sampaio e em que é que diferem dos do Chirac. Mais: o que separa o sistema constitucional francês do nosso. Mas isso obrigava-te a desviar a vista do teu umbigo, não é?

Publicado por: Ai... fosga-se! em abril 15, 2005 06:24 PM

Já não é de agora que defendo mais poderes para o Presidente, ou pelo menos que use os que tem. Já escrevi sobre isso. Tu partes sempre do pressuposto que eu não sei o que digo, e assim não dá para manter um debate civilizado. A minha paciência contigo chegou ao fim. Não sou obrigado a ler insultos a cada post de quem não tem mais nada que fazer.Se queres insultar vai escrever para o Matalanta. Em alternativa, vai-te fosguer.

Publicado por: Filipe Moura em abril 15, 2005 06:31 PM

Onde chega ou não a tua paciência é-me indiferente. O que tu já escreveste sobre seja o que for, idem.
Se comparas as atitudes que o Chirac toma com o comportamento que as baias constitucionais permitem ao nosso Sampaio... é mesmo porque não sabes do que falas. Ponto.

Publicado por: IRRA! em abril 15, 2005 10:32 PM

Eu comparo as situações em si e não a sua legalidade. Interessam-me justamente os diferentes sistemas políticos, era aí que queria chegar. Mas a tua ânsia de dizeres que eu "não sei nada" é tal, a cada texto meu, que te impede de os leres como deve ser. Se é para não os leres não faças comentários. Se é para continuares a fazer desse tipo de comentários, garanto-te que nos meus textos não os fazes mais.
Garanto que jamais alguém foi tratado assim por mim. Mas com a breca, ninguém alguma vez me tratou como tu... Até hoje, as únicas pessoas que conheci obcecadas em mostrarem às outras que "não sabiam nada" eram pessoas muito inseguras. Geralmente os veteranos repetentes do meu curso, que entraram antes de mim e ainda por lá andavam quando eu acabei - no tempo previsto, diga-se.
Arranja uma vida.

Publicado por: Filipe Moura em abril 16, 2005 02:50 AM

Pois é; mas, apesar da tua teorização sobre a minha vida, tem aparecido gente por aqui com opinião idêntica acerca dos teus projectos de posts. Mas deves se como o Santana: um pobre e oprimido perseguido.
Já agora: claro que não podes comparar "as situações em si", pois elas provêm de quadros incomparáveis.

Publicado por: SAFA! em abril 16, 2005 05:41 PM