« DICIONÁRIO | Entrada | GHASP! OUTRA VEZ OS BLOGUES »

março 29, 2005

O MELHOR QUADRO DE TODOS OS TEMPOS


«Las Meninas», Diego Velázquez (1656)

É uma escolha pessoal, claro, reforçada pelos 35 minutos de puro esmagamento estético que vivi diante desta tela, no Museu do Prado, numa tarde de Julho (não me lembro de que ano), às cotoveladas com um grupo de turistas austríacos que teimava em apreciar os detalhes a uma distância imprópria.

[Protestos e votos alternativos, com a necessária fundamentação, podem ser afixados na caixa de comentários.]

Publicado por José Mário Silva às março 29, 2005 06:11 PM

Comentários

Protestos...não, isso não, sentimos o que sentimos ante a qualquer manifestação artística. Eu sugiro não um nome, ou uma pintura apenas - sugiro uma vista de olhos à escola Flamenga, aos vans todos...~paixão absoluta. E no prado compreende-se porquê. Sair da sala dos flamengos e passar depois para a escola italiana...as cores, a paixão desaparece.
Flamengos, flamengos!

Publicado por: vanessa a. em março 29, 2005 06:47 PM

É um quadro bonito, sim senhora. Há um muito conhecido que também me emociona bastante, que é um que tem um menino a chorar. Tenho um na sala e outro no escritório.

Publicado por: Sousa em março 29, 2005 07:44 PM

Não vou entrar nessa de comparações, votos (de castidadde) e alternativas. Passo por aqui apenas para assinalar a quase coincidência. Foi por pouco, muito pouco mesmo que não ilustrei o meu blogue hoje com "Las meninas." Dada a antecipação, tenho agora um problema em mãos. Não vão dizer que andamos desconcertados.
Abraço.

Publicado por: bicho da seda em março 29, 2005 08:16 PM

É uma boa hipótese...

por mim escolho a "Guernica"...

Publicado por: João Gundersen em março 29, 2005 11:07 PM

Não sei se é o melhor
É algo sempre dificil de aferir
Mas que também fui esmagado, fui
Também não sei de que ano
Só sei que era AGosto

Publicado por: Nuno em março 29, 2005 11:22 PM

Conhece o video "89 Seconds at Alcazar" de Eve Sussman? Se gosta assim tanto do quadro julgo que talvez ache este video muito interessante.
http://www.hd-cinema.com/pr06.htm

Publicado por: Carlos em março 29, 2005 11:47 PM

É de facto fabuloso, mas nisto como noutras coisas da arte, dizer o melhor é sempre complicado. Também lá estive no Prado, numa altura em que Paul Klee reinava no Thyssen. Foi num 5 de Outubro de um ano passado.

Abraço,
Zeca

Publicado por: Zeca em março 30, 2005 12:15 AM

Vais desculpar-me a franqueza; mas do mesmo pintor, no mesmo museu, tens este prodígio.">http://abcgallery.com/V/velazquez/velazquez34.html"target="_blank">prodígio.
Num simples retrato de um anão, vês um artista enorme devolver toda a humanidade a alguém que, aos olhos dos seus contemporâneos, era apenas uma curiosidade disforme, um brinquedo vagamente humano. Isto sem condescendência, sem truques de espelhos, sem pirotecnias do pincel; apenas com um olhar que sabia ir directo à raiz das coisas, nunca dispensando, no entanto, a necessária beleza das aparências.
Da mesma forma, há que investigar o que se passa ao lado das propaladas obras-primas que atraem chusmas de turistas...

Publicado por: Pensativo em março 30, 2005 12:19 AM

Protestar? Sellecionar o melhor? Em arte???????? Isso seria esquecer O Grito ou Guernica (o ruido silencioso dos vencidos? dos aniquilados?), ou o jarro de lindos lírios de Van Gogh com um pequeno, murcho, tombado e olvidado lírio (como ele próprio? como os loucos da sociedade?). Seria esquecer... nem vale a pena mencionar mais... seleccionar o melhor em arte é excluir... excluir em arte é ignorância.

Publicado por: Iris em março 30, 2005 12:22 AM

Este é um dos meus. Na mosca. É um quadro que intriga muito quem se coloca em frente dele. Parece que o pintor nos pinta. E parece que o espelho no fundo confunde a nossa imagem com a imagem do casal Real. É espantoso.
PS: A melhor leitura deste quadro que eu já li está no primeiro capítulo de "As Palavras e as Coisas", do Michel Foucault.

Publicado por: ZeroAesquerda em março 30, 2005 12:26 AM

Que lindo, Íris. Não podemos ter preferências nem escolher os "nossas" obras-primas. Fica assim proibido o gosto pessoal, interdita a subjectividade. "Excluir em arte é ignorância"; que magnífica sentença! Que ninguém diga que Marco Paulo é incomparável a Bartok; que tonto algum se aventure a declarar uma malsã preferência por El Greco, em detrimento de Malhoa... Face a tamanha sapiência, deixem-me ficar no meu cantinho, enovelado no calor da minha ignorância espantosa.

Publicado por: Pensativo em março 30, 2005 01:43 AM

Entre o embarque para Cítera de Watteau e o "rapariga de brinco de pérola" de Vermeer hesito.

Publicado por: parca em março 30, 2005 09:19 AM

Fantástico quadro!
Embora a minha preferência vá para o "filósoso em meditação", do Rembrandt.
É este ano que tenho de ir ao Prado!

Publicado por: Stephen King em março 30, 2005 09:46 AM

Essa merda so poderia ser observada em todo o seu esplendor da minha mesa de jantar, com um copo de cahor da georgia e um charuto ligeiro. Mas o melhor quadro de todos os tempos é o famosíssimo anonimo "Dogs playing poker".

Publicado por: pataphisico_azul em março 30, 2005 02:25 PM