« ESTOU-ME A SENTIR O DALAI LAMA | Entrada | DILEMAS DE UM ESCRITOR POTENCIAL »

março 28, 2005

O CHATO

A leitura do último Inimigo Público assim o comprova: o José Sócrates é mau para o sector humorístico português.

Publicado por Jorge Palinhos às março 28, 2005 05:51 PM

Comentários

Sim, sem dúvida. Mas deixa estar que não vão faltar figuras públicas para nos fazerem soltar as gargalhadas...

Publicado por: armando em março 28, 2005 10:07 PM

É mau porquê? Por ser rabeta? Por ser Oco? Vago?
Contraditório? É igual a todos que passaram por lá, ainda agora começou é dar tempo ao tempo, quando ele começar a tomar medidas não vão dizer mais isso concerteza!!!!
Estou a ver que este blog é Rosa, como o próprio nome indica.
A favor da liberdade sem côr Política!!!!!
Ainda bem que sou burro.

http://souburro.blogspot.com

Publicado por: Pedro Oliveira em março 29, 2005 02:03 AM

Burro e analfabeto. "Concerteza"? "Côr"? São palavras que desconheço.

Publicado por: Sousa em março 29, 2005 02:54 AM

Por enquanto, por enquanto... De momento ainda os nossos media cor-de-rosa (e não me refiro às revistas do «jet-set» pindérico) estão maravilhados com a ascensão do «povo de esquerda».

Publicado por: Pedro Oliveira em março 29, 2005 10:50 AM

Claro. As revistas do jet-set pindérico continuam maravilhadas com a decadência do "povo de direita".

Publicado por: Sousa em março 29, 2005 07:52 PM

Camarada Sousa, «o povo de direita» não existe! Então não sabes que o verdadeiro povo é todo de esquerda? Cuidado com os desvios à linha!

VIGILÂNCIA POPULAR!

Publicado por: Pedro Oliveira em março 30, 2005 09:18 AM

o "povo" pode ser de esquerda ou direita, mas é um facto que aquela criatura grotesca e semianalfabeta que compensa as bojardas na gramática com um conhecimento enciclopédico de nomes de marcas de roupa se "assume" como conservador e repete até à caricatura todos os tiques do género desde a religiosidade pacóvia ao paternalismo impecil precisamente para com o "povo".

Publicado por: tchernignobyl em março 30, 2005 05:55 PM