« DISCO DO DIA | Entrada | A CULTURA, CAPITALIST-CHIC »

março 24, 2005

O LIVRO-MONO

O Vincent resolveu doar através do blog parte da sua colecção de livros.
Pois é, muito se exaltam as qualidades do livro, mas pouco se lembra que este também é um objecto físico — uma coisa — que ocupa espaço, que ganha pó, que se rasga, que fica amarelo e apodrece, que se desfolha uma vez e nunca mais é lido.
Pois é, que fazer com aquele livro aclamado pela crítica que nunca lemos além da terceira página? Que fazer com o clássico de 3000 páginas arrumado na prateleira que juramos todos os anos que vamos começar a ler no Verão? Que fazer com o policial que já não vale a pena reler porque já sabemos quem é o assassino? Que fazer com o último grito ensaístico que não temos a mínima vontade de ler? Que fazer com os livros que nos marcaram na adolescência e agora são embaraçosos? Que fazer com o livro que na livraria tínhamos absolutamente que comprar, mas que em casa já não interessa?
Pois, o tão louvado livro, quando rejeitado, torna-se um fardo. Ocupa espaço nas prateleiras necessário para livros mais frescos e prometedores. As editoras não aceitam devoluções, aos alfarrabistas só interessam primeiras edições de António Nobre, abandoná-los no lixo soa a anti-ecológico e destruí-los é demasiado bradburyano. Que fazer?

E eis então que o tão adorado, idolatrado e venerado livro se torna, subitamente, um mono.

Publicado por Jorge Palinhos às março 24, 2005 04:35 PM

Comentários

bom... na minha pequena colecção de livros constam alguns monos do tipo "fidel e a religião" que não sei como lá foram parar.
tudo o resto,lido ou não lido, embora sem valor para os alfarrabistas, é mais ou menos indispensável à minha sobrevivência como qualquer fetiche, não ocupa espaço.

Publicado por: tchernignobyl em março 24, 2005 06:01 PM

Os que mais aprecio na minha colecção de monos são os livros de "Uma Aventura" e a colecção do Júlio Verne [agora de volta, no Público]. E concordo inteiramente com o Tcher: são coisas que nunca ocupam demasiado espaç0.

Publicado por: Francisco Curate em março 24, 2005 07:06 PM