« DIA MUNDIAL DA POESIA | Entrada | E AINDA OUTRO POEMA (ESCRITO NA BLOGOSFERA) »

março 21, 2005

E JÁ AGORA, UM POEMA

AXIOMA

No desespero te confirmam
os que sabem (saberão?)
do estrume dos conceitos
e das épocas que morrem,
iguais ao vazio.
Mas não é bem isso:

querias apenas um lugar
de sombra, cercado de ausência,
um lugar comum combustível
e sem Deus. Aí, perdoando o corpo,
falarias do Inverno e dos
cigarros que se enrolam
ao lado de uma cerveja fria.

Curtas sentenças prosaicas
que em silêncio te confirmam
nos sítios de fora, errados,
onde a outra voz era esta.

Manuel de Freitas (in «Game Over», &Etc)

(Clicar na imagem)

Publicado por José Mário Silva às março 21, 2005 05:10 PM

Comentários