« ECONOMIA GLOBALIZADA | Entrada | EQUINÓCIO »

março 19, 2005

MONDO FEMININO

Uma leitora do Expresso, Maria Georgina Valente, dá uma excelente achega à discussão sobre o número de mulheres presentes no Governo socialista, aspecto particular da presença das mulheres na vida pública em Portugal.
Lamenta a leitora que a apresentadora Ana Sousa Dias se "impõe demasiado", "passa o tempo a pressioná-lo".
É este talvez o problema de algumas mulheres, impõem-se demasiado.
Quantas saudades daqueles apresentadores lambe-botas da TVI que tanto contribuiram para a construção do mito do "comunicador" a quem permitiam "falar, contar, comentar, sorrir e ser feliz" (sic) sem outras intromissões no espectáculo total do discurso "informativo" do "Professor" que não olhares de pura admiração.
Aquilo é que eram homens caraças...

Publicado por tchernignobyl às março 19, 2005 01:57 PM

Comentários

ela não se impõe, intromete-se para fazer boquinhas e trejeitos o que é diferente. Que isto de feminismo tem muito que se lhe diga. A maior parte do discurso masculino sobre o assunto é uma enorme hipocrisia. Serve para vender votos e pouco mais.

Publicado por: Mafalda em março 19, 2005 03:19 PM

O pessoal gosta das boquinhas e a rapariga deu no goto. Isso explica o "estatuto". Mas não tem pedalada. A propósito: se ela não lambe botas, lambe o quê?

Publicado por: Jandira Procusta em março 19, 2005 07:05 PM

ainda não vi esta nova incursão do professor [nem sei verei].

de qualquer modo, ouço dizer que o registo de ana sousa dias está bem melhor em por outro lado.

cumprimentos.

Publicado por: fdv em março 19, 2005 08:20 PM

Se permites um palpite a uma leitora há muito ausente, deixa-me dizer-te que deverias burilar um pouco mais a prosa antes de a afixares. Dá para ver que as ideias estão lá, mas no meio de alguma confusão escusada.

A propósito: falta aqui gente, não falta? O BdE costumava ser paragem mais interessante. E de onde veio este Filipe? Safa...

Publicado por: Tamplate em março 20, 2005 03:49 PM

Meus amigos, para uns brilharem, outros tem de dar graxa e puxar o brilho. Se ganham para isso e estão dispostos a esse papel, fazem aquela figura.

Publicado por: vermelhofaial em março 20, 2005 06:02 PM

Que o professor brilhasse por ausência do papel de suscitar, talvez. Nem duvido dos eus atributos. Mas esperem . . .
A Ana Sousa Dias, que vejo há muito, e de quem me habituei à calma e serenidade de quem sabe o que está a fazer, faz aqui o pouco o papel de quem não deixa o óbvio esconder-se atrás do aspecto de novidade e opinião. Ela não tem de brilhar.
Mas o professor tem, coitado, mais dificuldade, porque afinal tmabém há inteligência fora do seu rio "verborreico".

Publicado por: jjal em março 20, 2005 07:41 PM

Pois a mim a Ana Sousa Dias parece-me uma boa seguidora dos lambe botas da Tvi. O tal professor é só mais uma das vozes da direita da nossa televisão pública, uma espécie de presente envenenado dos amigos da Tvi!

Publicado por: André em março 21, 2005 06:11 PM