« TEIMOSIA & MASOCHISMO | Entrada | ÚLTIMAS PALAVRAS »

março 17, 2005

HANDICAP

No século XIX, era habitual os melhores xadrezistas jogarem com menos um peão (e às vezes com menos um cavalo ou uma torre) quando defrontavam jogadores mais fracos. No século XXI, José Peseiro insiste em manter Hugo no tabuleiro. É a mesma coisa.

Publicado por José Mário Silva às março 17, 2005 10:59 AM

Comentários

Se a isso juntarmos o facto de já termos duas torres a menos (Rochemback e Polga)...

Publicado por: Marco Oliveira em março 17, 2005 11:09 AM

Mais logo falamos. Como dizia o grande pensador João Pinto (do F.C.Porto): "Prognósticos só no fim do jogo".

Publicado por: afonso salgueiro em março 17, 2005 12:50 PM

LOL

O Peseiro é um cavalheiro!

PS: já agora a lógica do serviço no ténis é (ou antes, era..) idêntica.

Publicado por: Miguel em março 17, 2005 01:09 PM

Como grande adepto dos dois desportos: xadrez e futebol, adorei a analogia. :-)

Publicado por: LP em março 17, 2005 04:28 PM

Excelente!

Só é pena que não seja possível estabelecer total paralelismo entre os "melhores xadrezistas do séc. XIX" e o "peseiro do séc. XXI"

Publicado por: The Bird @ frangosparafora.blogspot.com em março 17, 2005 06:11 PM

Eh...eh...eh...ri melhor quem ri por último. "Ganda" Sporting.

Publicado por: afonso salgueiro em março 17, 2005 09:33 PM