« A VIDA TAL COMO ELA É FOTOGRAFADA | Entrada | PIROPO (PARA BLOGGERS QUE TRABALHEM EM ANDAIMES) »

março 09, 2005

OU NÃO TIVESSE O XADREZ SIDO INVENTADO PARA AQUELAS BANDAS

Bartoon de Luís Afonso, no «Público»

Publicado por José Mário Silva às março 9, 2005 02:20 PM

Comentários

é so rir!!!ahahhahahah...este gajo é muito bom naquilo que faz!!


http://www.createphpbb.com/phpbb/?mforum=pantera


http://blocoesquerdaprocaralho.blogspot.com

Publicado por: Pantera em março 9, 2005 02:27 PM

Humm, não tenho certezas, Zé Mário, mas tenho impressão que o xadrez nasceu na Índia ou na Pérsia e não na Mesopotâmia,

Publicado por: Jorge P. em março 9, 2005 05:07 PM

É muito fácil ironizar quando se está confortávelmente instalado num qualquer sitio longe da guerra, mas imaginem-se num desses "checkpoints",diáriamente confrontados com a possibilidade de atentados terroristas e talvez entendam melhor a realidade!

Publicado por: Tio Sam em março 9, 2005 05:31 PM

Visite este blog estrelinha ajuizada junte aos favoritos

Publicado por: vermelhofaial em março 9, 2005 06:18 PM

Metem putos de 19 anos com uma M-16 na mão e com pouca ou nenhuma preparação para uma guerra de ocupação, não admira que estas coisas aconteçam e continuem a acontecer.
O Bush quer os poços mas não quer gastar mais dinheiro em tropa, o que se há-de fazer???

Publicado por: Diesel em março 9, 2005 06:24 PM

Jorge,
«Para aquelas bandas» tinha um sentido muito abrangente, do tipo «lá para o oriente». E a Mesopotâmia não fica assim tão longe da Pérsia.

Publicado por: José Mário Silva em março 9, 2005 07:18 PM


Cheque-mate vem de "shah mat" ou "Shaw mowt", que quer dizer, morte ao rei. O xadrez foi possivelmente inventado e popularizado na Índia (embora iranianos o reinvinquem também) e, a a par do sistema numérico indiano, trazido pelos árabes para a Europa.

Publicado por: Vítor em março 9, 2005 10:12 PM

É a piada intelectial no fundo.

Publicado por: JR Ewing em março 9, 2005 11:33 PM

Porreiro. Agora que já é do conhecimento do público qual o jornal português que mais faz rir o soldado peão americano que, importa lembrar, nunca tem oportunidade de utilizá-lo como substituto de papel higiénico, vamos todos dar as mãos e uma voltinha pela Internet e tentar descobrir por que é que esse pasquim e muitos outros têm tanto prazer em nos informar de vez em quando, para não esquecermos, que as reservas mundiais de petróleo são exauríveis a curto prazo e que o mundo vai ser uma desgraça quando isso acontecer.

Porque não são e não vai, aparentemente. Jazidas desse precioso ouro negro, de acordo com muito cientista de agora e até do tempo do camarada Staline que já se interessava por esse assunto, deveriam, com um pouco de respeitinho pela verdade, ser chamadas fontes. Fontes de seiva ou suco planetário. Já há muitos anos que se sabe disso. Maz, sendo assim, quem é que tem andado a esconder esse facto e a fazer-nos acreditar que as guerras nessas terras de areia e noutras têm a ver com petróleo e que um dinossauro ou uma árvore produziram aproximadamente 3 ou quatro barris, cada, do mesmo? E, já agora, quantos dinossauros foram consumidos pelos transportes públicos de Lisboa, não contando os que se refugiaram na política e que preferiram a bicicleta ao automóvel? Boa pergunta. Oh, merda, lá vem esta gaja com outra teoria da conspiração!! ABIOTIC, ABIOGENIC, OIL –para principiantes interessados ou cansados de falarem dos problemas postos ao novo primeiro-ministro pela subida de preço das bananas.

Publicado por: Puta Relaxada em março 10, 2005 10:35 AM