« HANS BETHE (1906 - 2005) | Entrada | KNOW YOUR ENEMIES »

março 09, 2005

ENFIM, A COISA É MAIS COMPLICADA DO QUE PARECE

Na segunda-feira, talvez 10 mil libaneses assinalaram a terceira semana da morte do assassínio de Hariri. São principalmente cristãos, alguns drusos e poucos sunitas. Os seus principais partidos são o Movimento Livre Patriótico Maronita, liderado pelo general Michael Aoun, exilado em França, e o Partido Progressista Socialista Druso, de Walid Jumblatt.
Os manifestantes são jovens, ocidentalizados e ricos. Aoun apoia a resolução 1559 da ONU, que pede o desarmamento das milícias e que o Líbano fique livre de toda a influência estrangeira (isto é, síria). Jumblatt apoia o mesmo, mas hesita em relação à resolução já que foi proposta pelos EUA e pela França, a antiga potência colonial.
(...)
Ontem, a Praça Riad el-Sulh, encheu-se de milhares [400 000 a um milhão] de muçulmanos, maioritariamente xiitas, do Sul do Líbano ou dos subúrbios de Beirute. A maior parte são conservadores, religiosos e pobres. Mas acreditam que a sua reivindicação de representar o Líbano se sobrepõe à dos que se juntam na Praça dos Mártires.
"Estão a ver o Líbano real agora", afirmou Munir Bargas, um antigo professor. "As pessoas não são apenas de Beirute Ocidental [cristão] mas do Norte, Leste, Oeste e Sul de Beirute. Eles são o Líbano." E não vieram elogiar a resolução 1559, mas sim enterrá-la. A sua plataforma é antes o Acordo de Taif, mediado pela Liga Árabe, que terminou, na prática, com 15 anos de guerra civil.

Pois é, não sei se alguém se lembra, mas antes da ingerência síria, o Líbano tinha tido a ingerência de Israel e estava mergulhado numa brutal guerra civil.
Mas pelo menos já serviu para alguns falarem dos "efeitos positivos" da intervenção norte-americana no Iraque.

Publicado por Jorge Palinhos às março 9, 2005 09:59 AM

Comentários

Ah, pronto. A história começa com a ingerência de Israel. Nada como um bom esclarecimento.

jcd

Publicado por: jcd em março 9, 2005 10:20 AM

Sem esquecer os Estados Unidos da América!!!


http://www.createphpbb.com/phpbb/index.php?mforum=pantera

Publicado por: Pantera em março 9, 2005 10:31 AM

pois é, pois é, parece que o mundo insiste em não ser a preto e branco. Nada como um bom miliciano falangista reciclado a clamar pela democracia no Líbano. Com o devido patrocínio das organizações "arraçadas" da OTPOR e financiadas por não se sabe bem quem. A ver no que dá tanta pressão sobre o elo mais fraco da zona.

Publicado por: Pedro Vieira em março 9, 2005 10:38 AM

Ah! finalmente!
Bem que andei por aqui a ver se alguém dava pelo que se tem passado em Beirute, mas nada...
Mas a minha esperança não foi em vão!
Com grande alegria verifico, agora, que estavam atentos!
E aprendi muito:
1- a ocupação síria é boa porque impede a guerra civil; (só não percebo porque é que, então, a ocupação americana no Iraque é má, mas isto sou eu que devo ter falta de "iluminação")
2- as resoluções da ONU só são para seguir às vezes; (quando a gente gosta, são para seguir e devemos ir para a rua gritar contra os bandidos que se recusam a pô-las em prática; quando a gente não gosta, podemos enterrá-las, fingir que não existem ou, simplesmente, nem falar delas)
3- (e esta não resulta do post) a Síria não teve nada a ver com o assassínio político de uma das pessoas que se esforçou por mostrar aos sírios que podiam viver em paz sem ocupação estrangeira. Basta ver como os governos Libanês e Sírio têm reagido às manifestações dos "talvez 10000". A julgar pelos "400000 a 1000000", aguardo a mudança radical de posição em ambos os governos e o pedido e cedência de mais 20 ou 30 mil soldados sírios para o Lìbano, por forma a consolidar a paz!

Publicado por: JotaVê em março 9, 2005 03:54 PM

jcd:

Não desconverses. Não disse que isto começou com Israel. Até porque começou com a França e os EUA (who else?).

JotaVê:

Não desconverses. Não disse que a ocupação síria era boa ou que as resoluções da ONU eram para ignorar. O que disse é que o caso é mais complicado do que parece e é ridículo falar de "democratização do Líbano graças ao W. Bush" quando podemos estamos perante o re-atiçar de tensões étnico-religiosas.

Publicado por: Jorge P. em março 9, 2005 06:52 PM


Jorge P., fez bem em nos lembrar essa perspectiva das coisas, a bem da verdade.

Publicado por: Vitor em março 9, 2005 10:16 PM

olha olha, mas então o jotavê não tinha ameaçado ir comentar para outro lado mais arejado isento do sufocante anti-americanismo primário aqui do blogue?

Publicado por: tchernignobyl em março 11, 2005 04:51 PM