« IN MEMORIAM CABRERA INFANTE (2) | Entrada | IN MEMORIAM CABRERA INFANTE (3) »

fevereiro 24, 2005

FEYENOORD- 1; SPORTING- 2

O golo do Liedson (parábola perfeita) é tão belo como a Vénus de Milo. Deram por isso?

Publicado por José Mário Silva às fevereiro 24, 2005 11:18 PM

Comentários

dei! ;)

Publicado por: Paulo em fevereiro 25, 2005 12:52 PM

Foi de levantar do sofá e tentar tocar "aquele" ponto no tecto :-)

Publicado por: Rui MCB em fevereiro 25, 2005 02:06 PM

Pobre rapariga; gamaram-na, partiram-lhe os bracitos, compararam-na ao calçado americano, ao binómio de Newton e agora a um... chuto numa bola!?
Com tanto fervor futebolístico, a que compararás uma época inteira do Barcelona? À obra completa de Borges?

Publicado por: Brrr.... em fevereiro 25, 2005 02:12 PM

Não, Brrr..., a obra completa de Borges só é comparável com uma época inteira do Boca Juniors. E nesse caso não é só fervor futebolístico, é fervor de Buenos Aires.
Ou como diria a outra: uma hipérbole é uma hipérbole é uma hipérbole.

Publicado por: José Mário Silva em fevereiro 25, 2005 03:45 PM

Apreciei, sobretudo, o movimento de cabeça antes do remate, olhando para a bola. A face de um raciocínio.

Publicado por: Valupi em fevereiro 25, 2005 05:13 PM

Mau, é uma hipérbole ou uma parábola?
Se considerarmos o campo gravítico constante, a trajectória da bola é uma parábola, de facto.
Se considerarmos o campo gravítico variável (problema de Kepler), a trajectória dependerá da energia. Mas não me parece razoável comparar a bola a uma nave espacial.
:)

Publicado por: Filipe Moura em fevereiro 25, 2005 05:20 PM