« ÚLTIMO ESFORÇO | Entrada | OLHAR PARA TRÁS »

fevereiro 18, 2005

O PERIGO DAS SONDAGENS

As sondagens publicadas ontem e hoje são altamente moralizadoras para a esquerda. Com maioria absoluta do PS ou sem ela, o certo é que as várias esquerdas estão em condições de obter uma vitória histórica, simétrica de uma derrota pesadíssima da direita, capaz de varrer do mapa Santana e encostar à parede um Portas que não se cansou de apregoar durante a campanha uma meta de dois dígitos.
No entanto, exige-se precaução. Há três anos e meio, uma sondagem do «Expresso» que anunciava 10 pontos de vantagem a João Soares (justamente sobre Santana), arruinou a ponta final da coligação de esquerda à Câmara Municipal de Lisboa. O efeito é simples e conhecido: quem vai à frente pensa que a vitória são favas contadas e desmobiliza, relaxa, abranda; quem se julga face a uma derrota iminente, cerra fileiras, apela a todas as forças, caça votos até à última.
A derradeira esperança de Santana Lopes (ele próprio o disse hoje) reside neste hipotético golpe de rins em cima da linha, capaz de converter os indecisos no último minuto e inverter a tendência das sondagens. Contudo, para mal dos pecados dele e para bem de Portugal, certos milagres simplesmente não se repetem.
Mesmo assim, convém estar alerta. O cenário para domingo promete. Mas antes de assistirmos ao regresso da maioria de esquerda (com reforço do BE e resistência da CDU) é preciso ir votar. Mesmo. Todos e cada um de nós. Sem excepção.
Domingo cá estaremos para festejar.

Publicado por José Mário Silva às fevereiro 18, 2005 11:53 PM

Comentários

Espero bem que sim. E tal como sinto falta de um Benfica forte sendo eu lagartão (desculpem a comparação com o futebol, mas estamos a falar de tribos, certo?), faz falta a Portugal um PSD forte e meritório, o que implica a erradicação do Santana e subsequente purga interna sem contemplações. Nunca votarei PSD ou PS, pois são apenas e só agências de empregos, mas tenho a utópica esperança de ver o Pacheco Pereira no leme dessa barca.

O único ponto de interesse no PS está no papel que António Vitorino irá assumir. Sendo o homem um tecnocrata acabado, pode promover uma racionalidade na gestão que é remédio urgente para o nosso jardim à beira-mar delapidado.

O Bloco reforçado poderá evoluir para um novo patamar de responsabilidade, cumprindo a promessa de renovar ideologicamente a Esquerda e limando arestas que lhe diminuem a credibilidade. Muitos dos votos que vai recolher são apenas tácteis, de protesto, pelo que não será por mérito do programa (que ninguém lê) ou da comunicação do Louçã (que ninguém assimila) que vão crescer. Se a pulsão demoníaca do poder for mais forte do que a vontade angélica de servir, perderão a oportunidade.

Ao PCP continua a faltar um Gorbatchov. Neste momento, temos um Kruchov. É impossível não gostar da humanidade do Jerónimo, do seu traço operário, do seu porte galhardo, da sua voz com modulações de ternura, do seu olhar honesto e sofrido. Quem sabe...

Em relação ao Portas também acalento uma secreta esperança, a de ele se fartar da política e começar uma carreira televisiva ao lado do José Castelo Branco. Há uma mesma natureza histriónica nos dois, pelo que poderiam dividir um talk-show. Um faria palhaçadas e o outro de palhaço, trocando ao intervalo. Serões bem passados com risota garantida. Precisamos é do CDS com um Freitas ou um Adriano Moreira. Não vai acontecer, até porque se calhar o molde donde estes dois vieram já se partiu (um molde digno e relevante, mesmo que contaminado por aproximações ao que de pior aconteceu em Portugal no século XX). Prognóstico reservado.

Enfim, sementes de esperança. É a hora, como sempre.

Publicado por: Valupi em fevereiro 19, 2005 06:55 AM

Festejar o que???????A subida da esquerda pró governo???Antes a morte!!!!!

Publicado por: Pantera em fevereiro 19, 2005 10:07 AM

Pronto, Pantera, tens bom remédio.

Publicado por: GonçaloP em fevereiro 19, 2005 12:27 PM

A pergunta é a mesma do post acima - festejar o quê? - As razões são opostas. Não se pode festejar o buraco em que PSD e PS nos meteram ao longo de 30 anos de governação. A única atitude a ter é fazer o funeral a estes e preparar de seguida o enterro dos outros, de manso e sem festarolas.

Publicado por: esgoto em fevereiro 19, 2005 12:38 PM

Vou-me já suicidar com a esquerda com 2/3 dos deputados!!!!


www.blocoesquerdaprocaralho.blogspot.com

Publicado por: Pantera em fevereiro 19, 2005 01:45 PM

Pois é, Zé Mário. O meu problema é que o meu voto não vai eleger ninguém, provavelmente. Com 8 deputados em disputa no círculo ainda falta que os dois partidos hegemónicos percam muito mais apoio para que quem eu quero eleger tenha alguma hipótese. O meu voto serve só como estímulo e para dar ao recipiente uma mão cheia de contos de réis vindos do orçamento geral do estado. Nada mais.

Faz falta adicionar ao sistema eleitoral um círculo nacional onde possam ser reaproveitados os votos assim tornados "inúteis".

Publicado por: Jorge em fevereiro 19, 2005 02:06 PM

A minha declaração de voto
http://nonioblog.blogspot.com

Publicado por: Nonio em fevereiro 19, 2005 02:17 PM

A minha declaração de voto:


PNR


www.blocoesquerdaprocaralho.blogspot.com

Publicado por: Pantera em fevereiro 19, 2005 03:20 PM

Amanhã, depois da missinha, irei de forma consciente cumprir o meu dever de cidadão zeloso... ;-)

Publicado por: Francisco Curate em fevereiro 19, 2005 03:35 PM

Escusavas de ser tão explícito, pantera. Nós já tínhamos percebido o teu sentido de voto.

Publicado por: José Mário Silva em fevereiro 19, 2005 04:19 PM

pois bem, amanhã votarei para que esta cambada saia do governo.

Publicado por: Belinha em fevereiro 19, 2005 04:23 PM

Pois venho aqui desejar boas votações aos senhores, e dizer que estou seriamente a pensar votar no Bloco: é que há uma vizinha na minha rua - a Dona Albertina - que eu sei que é militante do Bloco, e é uma excelente pessoa, cumpridora, solidária, boa cidadã, enfim, aquilo que se costuma dizer "uma pessoa cinco estrelas".
Ainda não estou bem certa, mas enfim, em todo o caso vou pensar bem; além do mais, um votito extra no Miguel é uma ferroadita no Paulo, e sempre ajuda a baixar um bocadinho aquela "crista" arrogante ;)

Publicado por: Eleitora anónima em fevereiro 19, 2005 04:28 PM

Eduardo Prado Coelho lembrou-nos que se os resultados das sondagens fossem preisos não seriam necessárias eleições.É preciso votar contra um governo que não está preparado para governar e contra um primeiro-ministro que não foi eleito.Mais:é preciso afastar de vez um Portas que,sedento de poder,insiste em tentar ganhar votos junto de uma população que rapidamente esquece.Já ninguém se lembra da cerimónia de entrega de medalhas aos ex-combatentes quando aqueles homens foram buscar,qual cães,os seus méritos a um caixote.Já ninguém se lembra das dúvidas que ainda persistem no caso Moderna.É por estas e por outras que certos homenzinhos(pois de político nada têm)nunca ganham vergonha na cara.

Publicado por: Maria Teresa Burgos em fevereiro 19, 2005 04:33 PM

O que este morcão das "Brigadas não-sei-quê" era mesmo "Santanismo", não era?
E a sério: recordem também o o que aconteceu ao referendo sobre o aborto...

Publicado por: Pensativo em fevereiro 19, 2005 05:48 PM

Faltou-me o "queria escrever". O gajo contagiou-me momentaneamente com a sua idiotice :-)

Publicado por: Pensativo em fevereiro 19, 2005 05:50 PM

Nesta altura,tendo em conta a situação a que o país chegou, a prioridade é que a ESQUERDA e a dita esquerda moderna, esmague a direita santanista e a direita-neo-salazarista, visto que esta é constituida, sobretudo pelos descendentes dos ministros de Salazar e dos agentes da PIDE. Uma vez que 0 25Abril não se completou,tendo ficado esta semente do antigo regime, é preciso muito cuidado.

Publicado por: M H Veiga em fevereiro 19, 2005 06:53 PM

excelente recordação dessa sondagem João Soares/Santana Lopes, Zé Mário. Ainda hoje penso nessa inteligente manobra eleitoral perpetrada pelo Expresso, jornal em que nem tudo o que parece é. Ou se quer aconteceu.

Publicado por: Pedro Vieira em fevereiro 19, 2005 08:26 PM

Pensativo, se me permites vou dar-te um conselho. Não percas tempo a responder ao Bigornas e aos "RIAPAS", pois os seus comentários em geral são apagados.
E tens muita razão em recordar o aborto, sim senhor.

Publicado por: Filipe Moura em fevereiro 20, 2005 12:28 AM

Já agora reparei: foi a primeira vez que o Pensativo, ou "Ai ai", fez um comentário a um post que não fosse meu, ou que não tivesse a ver comigo, ou estou errado?
Foi a primeira vez que o Pensativo fez um comentário sem ódio ou azedume, ou estou errado?

Publicado por: Filipe Moura em fevereiro 20, 2005 12:31 AM

Vamos a isso! O que eu quero mesmo é ver desaparecer a tromba do PSL do Governo!!!

Publicado por: Elvira em fevereiro 20, 2005 09:20 AM

Não se trata de "ódio" nem de "azedume", caramba! Tais estados de alma reservo-os para quem os mereça. Contigo, Filipe, é mesmo só tédio e embirração com a mediocridade. Não é o caso deste texto que comentei.

Publicado por: Pensativo em fevereiro 20, 2005 03:18 PM