« O JERÓNIMO É UM BACANO | Entrada | VÁ LÁ, ALICE, AGRADECE AO DR. PACHECO PEREIRA »

fevereiro 16, 2005

«A CAMPANHA ELEITORAL É MÁ DEMAIS»

Dos comentários de Miguel Sousa Tavares na TVI, na semana passada, reproduzidos no Diário Económico (vale a pena ler tudo, para que não viu):

«Eu diria até, ironicamente, que esta campanha é disputada por um menino mimado, o Santana Lopes - então aquela canção do menino guerreiro é das coisas mais pirosas que alguma vez vi em política em Portugal, não tem descrição - é tudo centrado nele, na sua própria pessoa. Além de menino mimado é também um vendedor de automóveis em segunda mão. Quer-nos vender um carro usado como se fosse novo. Aquele cartaz que ele tem com as obras feitas, que começa por lhe atribuir o Centro Cultural de Belém e acaba por lhe atribuir também o túnel do Marquês - aqui devia estar calado - e também a Cidade Administrativa (que só foi aprovada, em plano, aqui há uns quinze dias) é notável. Vem depois o Sócrates, uma espécie de agente funerário, que põe nos comícios um entusiasmo que mais parecem velórios. A falta de garra, de empenho, de motivação, de convicção do engº. Sócrates a falar é uma coisa aterrorizante. Ele até tem algumas ideias com as quais eu estou de acordo, mas parece-me sempre uma pessoa que vem assistir a um funeral. Acho que ele era incapaz de mobilizar alguém às portas da morte mesmo que lhe prometesse a vida eterna. Vem depois o embrião precocemente envelhecido que é o Paulo Portas com aquela pose de Estado, com aquele discurso todo. Ele não tem idade para aquilo. Tem idade para ser uma pessoa mais solta, mais à vontade a falar das coisas. E aquele fato às riscas! Seguidamente temos o tele-evangelista que é o Francisco Louçã, que a falar parece mesmo um bispo, mas um bispo muito chato. Concordo com ele em muitas das coisas que diz, mas aquele tom de voz, aquele tom de virtude que ele tem, de moral, de homem virtuoso, aquela voz de sacerdote, enfim… Sobra, por exclusão de partes, Jerónimo de Sousa, que, acho eu, está a fazer a melhor campanha. Não só ele, como a CDU. É o único que me parece convicto do que está a dizer. É o único a pensar nos problemas. É o único que diz coisas com algum interesse e que não se refugia em simples banalidades. Por exemplo, na proposta da revisão da lei da nacionalidade dos emigrantes, tem toda a razão. Por isso acho que a CDU e Jerónimo de Sousa estão a ser a excepção nesta campanha. A campanha é má demais.»

Publicado por Filipe Moura às fevereiro 16, 2005 08:59 AM

Comentários

"um menino mimado, o Santana Lopes - então aquela canção do menino guerreiro é das coisas mais pirosas que alguma vez vi em política em Portugal, não tem descrição"


Sem dúvida!

Eu até acho que Santana no fundo, no fundo (nem será preciso ir muito fundo eheh), ele não é democrata.
O Santana é um monárquico!
E repare-se nas suas súbditas, vulgo "santanetes"... ahh, qual sultão e suas odaliscas!


eheheh

Publicado por: corvo‡ em fevereiro 16, 2005 11:01 AM

Banalidades superficiais baseadas em aparências, no que este ou aquele "parece". Para quê afixar aqui, em mero "corta e cola", estes lugares-comuns? O que é que aqui "vale a pena ler"?

Publicado por: Pensativo em fevereiro 16, 2005 11:37 AM

Giro foi ver o Bruno Oliveira Santos na campanha pelo PRN esqueceu-se porém de mencionar o seu extraordinário livro sobre a pide.

Publicado por: antonietapaulo em fevereiro 17, 2005 10:38 AM

Giro foi ver o Bruno Oliveira Santos na campanha pelo PNR esqueceu-se porém de mencionar o seu extraordinário livro sobre a pide.

Publicado por: antonietapaulo em fevereiro 17, 2005 10:38 AM

Quanto ao debate televisivo dos "chamados Cinco" não há dúvida que só gostei de um dos intervenientes porque falou pouco mas foi o único que disse a verdade, veja-se: JERÓNIMO DE SOUSA FOI O MAIOR. Disse: "ESTOU ROUCO, NÃO POSSO FALAR"
a única verdade!..... Grande Jerónimo!...

Publicado por: a. martins em fevereiro 17, 2005 12:21 PM