« APOIADO (2) | Entrada | TRIBUTO CINÉFILO »

fevereiro 09, 2005

BANCADA NIILISTA

No outro dia, um ouvinte da «Bancada Central» (esse extraordinário "espaço de debate" sobre futebol da TSF) queixava-se amargamente das medidas em estudo pela FIFA para evitar "golos-fantasma", foras-de-jogo mal assinalados e outros erros das equipas de arbitragem que alteram, tantas vezes, a justiça dos resultados. Com o estilo acintoso que é imagem de marca do programa moderado por Fernando Correia, o ouvinte dizia que as previstas actualizações tecnológicas — como os sensores dentro da bola ou o recurso "in loco" às imagens televisivas — não passavam de um «gigantesco disparate». E acrescentava (cito de memória): «Estão a querer matar o futebol. Ou, pelo menos, o futebol de que nós gostamos. Se essas modernices propostas por alguns senhores lá na FIFA forem avante, o que vai ser de nós? Se deixar de haver dúvidas nos golos, se soubermos logo que a bola entrou mesmo ou não entrou, se todos os foras-de-jogo forem assinalados correctamente, se todos os penaltys forem confirmados pelas imagens de vídeo, o que vai ser de nós, hem? De que é que vamos falar na segunda de manhã, no autocarro, no café ou no emprego? Que piada é que vai ter comentar a jornada? E que sentido é que terá um programa como este, senhor Fernando Correia? O que é que viremos aqui fazer todos os dias se não houver nada para discutir e polemizar? Alguém me responde?»
Por esta altura, o tom de voz já estava perto do choro, perto da súplica. E garanto-vos: há muito tempo que não via semelhante desespero existencial face à aproximação do grande vazio.

Publicado por José Mário Silva às fevereiro 9, 2005 12:29 PM

Comentários

ehehehe calma, a bancada central está a tornar-se num clássico incontornável. e não sei se não concordo com a tese do ouvinte.

Publicado por: tchernignobyl em fevereiro 9, 2005 01:15 PM

Tem muita graça, sim senhor, o desespero do ouvinte antes do fim da ambiguidade. E a verdade permanece, para muitos e muitos, o clube é o território da identidade.

Publicado por: Valupi em fevereiro 9, 2005 01:49 PM

Fantástico. Com o evoluír da tecnologia, cada vez mais se discutem as máquinas e menos os objectivos para que são feitas, como por ex. "tenho uma aparelhagem com uns graves fantásticos" ao invés de "ouvi a música tal". Assim, para os apreciadores de futebol do futuro, quanto mais tecnologia melhor.

Publicado por: JC Vieira em fevereiro 9, 2005 02:54 PM