« O CENÁRIO RADIOSO QUE ESCONDE AS RUÍNAS | Entrada | GUERRA DE EXPLORADORES »

fevereiro 01, 2005

AS COISAS EM PERSPECTIVA

O foguetório que se vê em certas partes da blogosfera torna evidente o imenso ressabianço que se andava a acumular em alguns.
Enfim... Parece-me muito saudável essa libertação de frustrações. Mas tentemos colocar as coisas em perspectiva:

It is necessary to recognise the fact that many Iraqis did vote but the Shias and the Kurds were always expected to turn out in large numbers.
The majority Shias believe that the future belongs to them and were under religious orders to vote. The Kurds want to maintain their distinct identity and needed no instruction.
What is not yet clear is the turnout among the Sunnis. As it is the Sunnis who are fuelling the insurrection, that figure is vital. The full tally is not likely to emerge for several days as the Electoral Commission collates the numbers.
At the very least one can say that the insurgents did not make a decisive mark on election day.
All this has left one observer, the former British representative to the Coalition Authority, Sir Jeremy Greenstock, a little less worried.
"This went better than we expected or feared," he said. "It is a huge step, it legitimises the political process and moves away from perceived American control to put matters firmly under Iraqi control. It is a terrific step.
"The violence will continue but it did not dent the determination of Iraqis to vote.
"The Sunni problem remains however and must be addressed."

BBC

e

EUA Dizem Que Sucesso Eleitoral Não Implica Retirada das Tropas

Portanto, muito ainda falta fazer para me sentir à vontade para me juntar ao foguetório.

Publicado por Jorge Palinhos às fevereiro 1, 2005 10:28 AM

Comentários

tens razão jorge, até porque esse "foguetório" afinal de contas NUNCA ACABOU desde que os EUA enveredaram por esta estratégia celerada da "guerra ao terorismo".
Esta foi apenas mais "uma vitória" entre outras que os "fogueteiros" têm comemorado todos os dias com mais ou menos estrondo desde há quase quatro anos.

Publicado por: tchernignobyl em fevereiro 1, 2005 12:10 PM

A única coisa que tenho realmente que saudar é a coragem dos muitos (muito mais que julgaria possível) que votaram. Quanto ao António Ribeiro Ferreira, é compreensível o texto dele, afinal está contra os neo-fascistas entre outros. Para um velho fascista como ele certamente que isso faz impressão.

Quanto ao resto do texto é puro lixo, de alguém que não tem nível para escrever em mais lado nenhum, um nojo de pura propaganda, mas enfim, é o DN que temos.

Publicado por: João André em fevereiro 1, 2005 03:31 PM

Afinal, parece que o "imenso ressabianço" foi mesmo aqui no BdE. Primeiro apoiaram os "lutadores da liberdade" que só provocaram mais 35 mortos (desta vez entre os seus), depois ignoraram as estatísticas preliminares de afluência às urnas e mantiveram-se calados durante o dia inteiro de ontem (quiçá de tão nervosos que estavam, esperando concerteza instruções ideológicas do Francisco Louçã), logo vocês que são sempre tão lestos a comentar tudo o que diga respeito ao Iraque, e hoje, para finalizar, fazem uns comentários em relação à saída das tropas, esperando, com certeza, que elas começassem a marchar logo depois das eleições que vocôes não queriam (até porque o próprio conceito de eleições não é muito comprensível num enquadramento trotskista ou estalinista - conforme se identifiquem com o ex-PSR ou a ex-UDP - e, por isso, a vejam como uma simples via para o poder).

Realmente, se vocês continuam do lado da morte, como é que conseguem discutir temas como o aborto sem ser numa lógica eleitoral de "cantar a canção do bandido" ao "Zé Pagode"!

Publicado por: LFP em fevereiro 1, 2005 04:06 PM

Estou a imaginar o LFP a cantar Odes à Vida sobre uma pilha de 100000 cadáveres iraquianos e 1500 cadáveres americanos, ou agarrado ao amigalhaço dele, o George Bush, enquanto fritam mais um condenado à morte nos EUA, ou torturam só um bocadinho mais um prisioneiro de "guerra". Quantos pontos cegos tem o "raciocínio" (?) de um "defensor da vida"?...

Quanto a quem não queria eleições directas no Iraque, talvez o LFP se devesse informar melhor e estar atento ao que se passa à volta dele: foi Ayatollah Ali al-Sistani que exactamente há um ano exigiu eleições directas contra a intenção da administração americana de fazer apenas eleições indirectas, mais facilmente "controláveis" e passíveis de serem "cozinhadas". Quando a ignorância e a arrogância se misturam dá: um clone de Bush!

E agora uma pergunta histórico-gramatical: a guerrilha afegã que combatia o Império do Mal Soviético com a ajuda de Ronald "Paladino da Liberdade" Reagan lutava

a) pela liberdade;

b) pelo direito a usar burka;

c) pela soberania do seu país;

d) porque havia quem se sentisse ressabiado.

Publicado por: viana em fevereiro 1, 2005 05:03 PM

«Se vocês continuam do lado da morte», diz o LFP, com a leviandade dos néscios.
Pois bem: se espera troco para os insultos que nos lança, pode esperar sentado.
Só vale a pena discutir e conversar com quem revela um mínimo de respeito pelo "adversário". Não é o seu caso, LFP.
Para o seu estilo cavernícola, estou certo que haverá poisos mais reconfortantes algures na blogosfera de direita. Não se canse por aqui que não vale a pena.

Publicado por: José Mário Silva em fevereiro 1, 2005 06:20 PM

Eu é que não vou mesmo atirar foguete nenhum. Estas eleições são prematuras e o resultado pode ser ainda pior para os Iraquianos. Logo que os americanos partirem, aquelas forças políticas extremistas vão atirar-se para cima do país como a peste. E anda por aí pessoal, seja nos blogues ou até na imprensa, que já faz do Bush um santinho e um heroí da democracia...

Publicado por: Elvira em fevereiro 1, 2005 06:41 PM

descansa elvira que esse pessoal já fazia do bush um santo e herói da democracia ANTES das eleições. as eleições são só uma arma de arremesse, de resto não são para aqui chamadas

Publicado por: tchernignobyl em fevereiro 1, 2005 08:31 PM

Eleições no Iraque:
os opressores do Iraque
vieram confirmar o que já sabia

VOTAR NÃO É SINÓNIMO DE LIBERDADE

Nota: tenho por lá (no blogue) o que pode ser um bom cartaz eleitoral.

Publicado por: Neo-normal em fevereiro 1, 2005 10:59 PM

Não percebi Zé Mário. Sentiste-te ofendido por ter dito "esperando concerteza instruções ideológicas do Francisco Louçã" (talvez pelo erro ortográfico inadvertido- é com certeza e não concerteza) ou por ter dito "conforme se identifiquem com o ex-PSR ou a ex-UDP" (podias ser da Política XXI e eu, nesse caso, também me sentia ofendido)? É que, quanto ao resto, não podes ficar ofendido, porque a verdade não ofende.

Publicado por: LFP em fevereiro 2, 2005 04:56 PM

eu acho é que tu deverias ansiar urgentemente pelos serviços de um psicólogo que te receite qualquer coisa para a esquizofrenia antes que comeces a ouvir vozes a darem-te "instruções ideológicas".

Publicado por: tchernignobyl em fevereiro 2, 2005 05:32 PM

Olha o insulto fácil!!! Estalou o verniz!!! É agora que se vai iniciar o vosso processo de des-desradicalização. Que lindos!

Publicado por: LFP em fevereiro 3, 2005 03:16 PM

Essa tem piada, LFP. Depois de tudo o que escreveste (nomeadamente que apoiamos os "lutadores da liberdade" no Iraque e que estamos «do lado da morte»), ainda te vens queixar dos insultos fáceis, qual virgem ofendida? Por favor. Temos mais que fazer do que aturar birrinhas destas.

Publicado por: José Mário Silva em fevereiro 3, 2005 05:23 PM