« MAIS PIEDRA DE TOQUE | Entrada | O MAIS PERVERSO DOS LABIRINTOS (2) »

julho 30, 2004

A INTERNET DÁ, A INTERNET TIRA...

Continuando o meu périplo nostálgico, lembrei-me de visitar a cidade onde nasci. Lembrei-me também de marcar quarto de hotel através da Net. Até aqui, tudo bem: com meia dúzia de "clicks", poupei 15 euros na diária.
O pior foi que me deixei entusiasmar e resolvi ligar-me ao BdE através do telefone do quarto. Resultado? Paguei 8 euros por uns míseros 16 minutitos de ligação!
Foram, muito provavelmente, os posts mais caros do ano...

Publicado por Luis Rainha às julho 30, 2004 12:12 PM

Comentários

Para desanuviar...

O tomate processou o quiabo. O quiabo arrumou um advogado. Qual o nome do filme?

"O Advogado do Quiabo"

E o cara que estava mexendo na horta e morreu?

"O Ex-Hortista"

Publicado por: sónia em julho 30, 2004 03:21 PM

Venho por este meio informar os responsáveis por este Blog, que repúdio os métodos usados por V. Exa. em relação aos comentaristas com opiniões diferentes das vossas e que usam métodos não convencionais de exprimirem opiniões. A Liberdade de Expressão é um valor sagrado da Democracia. O Verdadeiro Democrata também o é na sua própria casa!

Com os Melhores Cumprimentos,

JM

Publicado por: José Magalhães em julho 30, 2004 03:52 PM

Caro José Magalhães (se se tratar do verdadeiro José Magalhães, deputado do PS): só pode fazer um comentário desses porque não assistiu ao que se tem passado, todos os dias, neste blogue. Se lhe fizessem o que nos têm feito, gostaria francamente de ver qual seria a sua reacção.

Publicado por: José Mário Silva em julho 30, 2004 04:32 PM

Fui visitar o blogue do verdadeiro José Magalhães, e praticamente os únicos comentários que lá encontrei eram de membros da RIAPA...
Se foi realmente José Magalhães o autor deste comentário, daqui lhe respondo: fique lá você com os RIAPAs, se gosta tanto deles. Ao fim e ao cabo, a esse blogue (e não ao BdE) deve aplicar-se o slogan RIAPA: são a verdadeira força motriz do blogue. Devem ser os seus visitantes mais assíduos. Talvez José Magalhães agora perceba porquê.

Publicado por: Filipe Moura em julho 30, 2004 04:39 PM

E aqui? Praticamente também são da RIAPA. Quando eles não aparecem os números ficam muito mal. Vejam no de baixo. Neste momento está a zero.
No site do JM não se Cemsura. É essa a diferença. E quem levantou o problema da "Censura" (um tema muito bom) foi a RIAPA, enquanto vocês andavanm com a obcessão ridicula de atacar constantemente a direita. Conclusão: no vosso Blog, quem ditou as regras e teve sucesso foram as pessoas da RIAPA.
Acordem, não sejam teimosos!

Publicado por: Tulipa em julho 30, 2004 05:05 PM

Ai, Tulipa, Tulipa, que não percebes mesmo nada disto.
Em primeiro lugar, os nossos visitantes principais não são da RIAPA (um gajo sozinho, paranóico e heteronímico, com tempo livre a mais e problemas psíquicos por resolver). Espreita o nosso contador de visitas e perceberás que o nosso público é muito mais vasto.
Em segundo lugar, a expressão "quando eles não aparecem" (os da RIAPA) está profundamente errada, por razões que talvez te escapem, singela Tulipa. É que eles nunca "não aparecem". Eles estão sempre a aparecer, minha cara, várias vezes ao dia e em doses maciças (às dezenas de comentários de cada vez). Acontece que levam uma corrida em osso e são imediatamente apagados, às vezes menos de um minuto depois de infestarem as nossas caixas. Os serviços de desparasitação têm sido eficazes, para desespero dos persistentes parasitas.
Em terceiro lugar, nem todos os posts têm que ser comentados. Haver alguns que ficam a "zero" é perfeitamente natural, sobretudo num blogue que produz em grande quantidade como o nosso. A vida principal do blogue está no "primeiro caderno" (chamemos-lhe assim), não está na área de comentários.
Em quarto lugar, a eliminação do lixo que temos feito não é "censura", como já expliquei vezes demais. É uma medida de higiene, para garantir a salubridade e legibilidade do blogue. Só não compreende isto quem não quer compreender.
Em quinto lugar, a conclusão do seu comentário («no vosso Blog, quem ditou as regras e teve sucesso foram as pessoas da RIAPA») é no mínimo patética. Quem ditou as regras e teve sucesso foi a RIAPA? Pode repetir? Apesar das suas ridículas proclamações de posse sobre o BdE, a RIAPA tem sido expurgada com uma rapidez e limpeza que até mete dó. Por esta altura, o centro de saúde de Paço de Arcos já deve ter esgotado o stock de ligaduras e tintura de iodo.
Finalmente, em sexto lugar, sejamos pedagógicos: a palavra obsessão não leva "c".
Disponha sempre,
JMS

Publicado por: José Mário Silva em julho 30, 2004 05:35 PM


E "térmitas" escreve-se assim.

Publicado por: Anhuca em julho 30, 2004 06:22 PM

Lá de térmitas percebem vocês, é um facto. Pelo menos, têm agido como elas: à bruta e apoiados na lógica de uma ilusória superioridade numérica.
Acontece que tiveram azar, porque a nossa madeira é demasiado dura para os vossos dentinhos. Por isso, sugiro que concentrem as vossas alarvidades noutros blogues mais tenros. Pode ser que tenham sorte.

Publicado por: José Mário Silva em julho 30, 2004 06:33 PM

Este tema acabou, de forma indirecta, por levantar uma outra questão, com o "número de comentários". Pelo que li, algumas pessoas parecem dar demasiada importância a isso.

Pergunto se isso da quantidade dos comentários serve de facto para alguma coisa? Leio o BdE desde o início, recordo-me da introdução das caixas de comentários, penso que um dos primeiros temas a ser comentado/debatido prendia-se com a literatura, com uma questão qualquer à volta de um dos quasi. Bom, havia realmente pouco comentários, mas gostava muito mais de os ler e acompanhava as discussões com frequência (mesmo não participando).

Ultimamente, com a explosão de comentários, do riaca e outros (alguns bizarríssimos, como um sobre automóveis e a VCI do Porto) o nível foi decaindo e o grau de interesse também. Por tudo isso, penso que assim se está bem melhor, mesmo que tenham menos comentários.

Cumprimentos

Publicado por: MBP em julho 30, 2004 08:21 PM

O "Anhuuca", como bom insecto rastejante, pode perceber muito de "térmitas"; mas podia ter avançado um pouco no dicionário, que teria lá encontrado também "térmite", como sinónimo...

Publicado por: Luis Rainha em julho 31, 2004 12:37 AM

Só faltava vir o "defensor da liberdade de expressão" defender sabotagem , pura sabotagem. Sou visitante diário do vosso blogue e aquilo com que nos deparávamos era lixo, toneladas de lixo repetido até á exaustão. Já me questionava a mim próprio se valia a pena ou não fazer uma visita e comentar.
Continuação de bom trabalho.

Publicado por: anafadinho em julho 31, 2004 11:38 AM

Que roubalheira... provavelmente seriam à mesma 8 euros se fosse 1 hora...

Publicado por: Gotinha em julho 31, 2004 12:49 PM

José Magalhâes,quando pronuncias a palavra Democracia em que é que pensas realmente??? O direito de voto? O direito de dires bla bla onde ninguem te escuta,o de fazêres aquilo que tu pensas,sem imcomodar outro.Olha,como posso eu e milhares d'outros têr pêna d'uma pupolaçâo,que todos os seus havêres foram queimados pêla inércia da tua democracia?Mas como posso eu têr pêna da tua democracia se éla se aparenta a 48 anos de dictadura.Olha tu e a tua democracia talvêz tenha algum valôr,quando os bilhêtes para vêr a Madona se vendenrem um pouco mais de oito horas,e,os teus deputados tenham uma fortuna em reformas enquanto o teu povo morre de fome

Publicado por: dydy em julho 31, 2004 10:03 PM

Afixado por dydy em julho 31, 2004 10:03 PM

pupolaçâo
pêla
têr pêna
dictadura
valôr
dires
ninguem
fazêres
imcomodar
havêres
pêla
bilhêtes
vêr
vendenrem

PORRA!!! é demais...
ai Camões, se soubesses, o que te fazem à LÍNGUA...

Publicado por: Moita em julho 31, 2004 10:27 PM

Plenamente de acordo com o MPB. Se tivesse necessidade de comentar tudo e mais alguma coisa então criaria o meu próprio blogue e chegaria à conclusão que poucos o leriam e o meu ego iria sentir-se mal mal. Comento... logo existo???

Publicado por: FS em agosto 1, 2004 12:35 PM