« K. (ATRAVESSANDO AS PALAVRAS) | Entrada | O TONTO-MOR JÁ TEM RESIDÊNCIA DE FÉRIAS »

julho 24, 2004

Nó górdio

Leio com interesse o blog Rua da Judiaria , um excelente blog por quem tenho simpatia apesar de muito longe quanto às interpretações do conflito israelo-palestiniano.
Quase que percebo os dilemas com que se confronta o Nuno Guerreiro.
Por um lado afirma-se como uma pessoa de esquerda e acredito que o seja, mas quando analisa a situação em Israel ele bem se esforça por ser humano e pesar os prós e os contras mas acaba sempre sem outra saída que não seja o justificar a política israelita e em particular as medidas do Sharon, como uma inevitabilidade do destino.
Neste post tenta fazer a destrinça entre o muro mau e o muro bom.
O bom, a jaula vergonhosa que os israelitas estão a fazer para encerrar uns milhões de palestinianos num guetto.
Se o outro muro diz ele, O MURO da VerGONHA, era para impedir as deserções, este é para impedir a entrada dos terroristas.
Eu sugiro que o Nuno reveja urgentemente o "adeus Lenine" mas sem a perspectiva tranquilizadora dos que nele não vêem mais do que uma critica demolidora a uma situação localizada.
Diz ele que muita gente de esquerda em Israel apoia o muro, apenas desejaria um outro traçado. Bom, se muita gente de esquerda o apoia já é meio caminho andado para a legitimação do muro, podemos ficar tranquilos com o muro e a gente de esquerda.
Em Israel a justiça funciona e nalguns pontos o traçado do muro já foi "corrigido". Mais um terço do caminho andado, continuamos tranquilos.
O mundo condena Sharon (com a inevitável excepção dos neoconservadores americanos) ?
Pois isso apenas reforça Sharon, porque dá aos israelitas uma sensação de isolamento: quer dizer, o mundo não pode fazer nada, nem condenar mesmo que seja simbolicamente, há que aceitar e calar. (o mundo condenou o Saddam, a ONU aplicou sanções que fizeram sofrer mais os iraquianos do que o Saddam, mas aí ninguém se preocupou com a possibilidade do mesmo tipo de "reforço").
O Nuno não analisa esta possibilidade mas ao aceitar e calar, o mundo legitimaria mesmo que simbolicamente o Muro.
Ou seja o Muro é uma inevitabilidade.

O único a "lamentar" esta situação "necessária", o único com legitimidade para fazê-lo? O Nuno Guerreiro e todos aqueles que não gostam do Sharon mas.... a mensagem que passam é a de que: eu detesto o meu primo mas se o atacarem é como se me atacassem a mim.

Não ocorre ao Nuno uma coisa simples que evitaria todo este sururu. O fim da ocupação dos territórios palestinianos e o fim do encorajamento ao estabelecimento de colonatos judaicos .

Publicado por tchernignobyl às julho 24, 2004 01:34 AM

Comentários

Cherne,
lá voltamos nós à divergência do conflito israel/palestiniano, agora com a introdução, abusiva da tua parte, da esquerda para a justificação da impossibilidade de israel se defender. Dizes tu, se se é de esquerda devemos apoiar a barbárie palestiniana contra o Estado de Israel e o seu direito mais que legitimo à auto-defesa. Sim, porque a questão do muro, condenável, altamente condenável, é um meio em desespero de causa para acautelar a segurança do estado e dos cidadãos.
Tivesse a posição de muitos que se reclama de esquerda sido outra e talvez não tivessemos chegado a onde chegámos.
Devia-te pesar a consciência

Publicado por: Real em julho 24, 2004 03:05 AM

Estranho nessa ideia da "auto-defesa" é que as vítimas palestinianas continuem a ser 4 vezes mais numerosas que as israelitas...

Publicado por: Luis Rainha em julho 24, 2004 03:22 AM

Peço desculpa. Queria escrever "3 vezes mais numerosas". É do adiantado da hora...
A triste contabilidade, tal como estava em Março, anda por aqui, num post antigo mas bem a propósito...

Publicado por: Luis Rainha em julho 24, 2004 03:33 AM

real estás equivocado, isto já não é uma questão de saber quem começou com o quê e estás a ser mais papista do que o papa.
nem o judiarias coloca as coisas de uma forma tão primária como persistes em continuar a fazê-lo após tantos meses de discussões sobre este assunto.
Admitamos que há diferenças dificilmente ultrapassáveis de sensibilidade mas para se escrever frases como esta "a barbárie palestiniana contra o Estado de Israel e o seu direito mais que legitimo à auto-defesa" é preciso um certo estômago face às imagens diárias da ocupação .

Publicado por: tchernignobyl em julho 24, 2004 07:22 AM

Grilo votante, achas que basta "Votar-se" para se fazer uma democracia?

Publicado por: tchernignobyl em julho 24, 2004 04:19 PM

Errata aos disparates do Grilo e do Real, ssharonescos e estúpidos (passe o pleonasmo)...

Em Israel vota-se ? Votam 40% dos que deviam votar, quer você dizer... chamar a isso "democracia" seria legitimar também a "democracia" sul-africana do apartheid onde só votavam 20%...

Sua besta, meta uma cisa na sua cabecinha: só há democracia quando TODOS votam (one man, one vote), sem isso há ditadura. Certo ? E na Palestina, todos os palestinianos (7 milhões) devem ter o direito de votar, estejam no teritório, como os 1,2 milhões de "tolerados" com direitos diminuidos, seja nos territórios ocupados, seja em campos de refugiados no Líbano, Jordânia, etc. Logo, ISSrael não é seguramente uma democracia, mas um estado fundamentalista, nazi, racista e apartheidesco. Que será aniquilado pela Nação árabe a seu tempo...

Quanto ao judeo-nazi Real: fala esta besta acéfala no "mais que legítimo direito à autodefesa de Israel". O grunho ignora que Israel é o ocupante (desde 1948), o agressor e que, em direito (não só em direito internacional), a legítima defesa cabe apenas ao agredido, não ao agressor para se furtar à LEGÍTIMA REACÇÂO do agredido ! Percebido ?

Aliás cabe perguntar: se Israel é o fruto de um roubo de terras acompanhado de massacres e limpezas étnicas levadas a cabo pela FORÇA, por que razão não haveria a Nação árabe de recuperar esses territórios também pela FORÇA ?

Além de que a ONU não tem autoridade para dar territórios (que não lhe pertencem) a ninguém ! Se queriam compensar os judeus pelo holocausto, deviam-lhes dar terras da antiga Alemanha (Silésia, Pomerânia ou Prússia Oriental...), não terras árabes, porque os árabes nunca cometeram pogroms contra judeus, antes os acolhiam quando perseguidos. Logo, uma coisa é morarem judeus na Palestina (sempre houve aí judeus), outra é instalarem aí um estado fundamentalista só para judeus expulsando e massacrando não judeus (cristãos incluídos), o que é (só) CRIME DE GUERRA !

P.S. Arafat foi eleito em eleições fiscalizadas internacionalmente, onde participaram todos... Sobre democracia estamos conversados... Quanto ao Nuno Guerreiro, ele só prova o que já se sabe: 90% da judiaria, mesmo quando inteligentes e razoáveis sobre outras questões, na questão do estado terrorista israelita pensam sempre em termos de solidariedade comunitária. depois queixem-se de antisemitismos...Ninguém persegue hoje judeus por serem judeus, mas apenas por serem sshaoronescos e defenderem os crimes de guerra dessa escumalha... e aí ser judeu não pode ser atenuante...

Publicado por: Euroliberal em julho 24, 2004 07:40 PM

Dizia a minha avó que o melhor era eu não atravessar a rua porque os meninos da casa grande tinham pedras e cães . Mas eu atravessava ali a rua porque mesmo ali ao lado da casa grande que ficava a mercearia do Sr. Joaquim que era onde eu ia às gomas. E muitas vezes me partiram a cabeça e outras tantas fui mordida.

E sempre que eu chorava e berrava e perguntava à minha avó porque é que eu não podia ir à mercearia ao lado da casa grande ela passava-me a mão pelos cabelos e dizia-me com um ar triste:
«Os pais deles não lhes cortam a mesada!»

Os judeus, coitadinhos, continuam a ser um bocadinho assim!

Publicado por: Xica Benta em julho 24, 2004 08:35 PM

Tubarão é burro velho e não aprende...
Você só desconversa...não sei se é táctica de quem não tem argumentos, se é burrice mesmo...

Só um exemplo: em Israel só votam os judeus (5 milhões). Também votam 1,2 milhões de árabes israelitas, mas estes têm cidadania limitada (tem direito a poucos deputados, não tem direito a reagrupamento familiar nem a viver em zonas judaicas, não podem ser ministros nem militares, etc.). Os palestinianos expulsos, exilados e refugiados, que continuam a ser cidadãos palestinianos, NÂO PODEM VOTAR nem que queiram(não é como os 60% de portugueses que não quiseram votar nas últimas eleições, mas que PODIAM TER VOTADO). Porque se votassem haveria maioria muçulmana ! Grande democracia ! Era como se, em Portugal, o Berloque retirasse a cidadania portuguesa a todos os católicos ou não ateus e depois ganhava as eleições com o voto dos restantes. Discriminações religiosas não devem servir para definir a nacionalidade (numa democracia, é claro). Ora se os semitas palestinianos são um mesmo povo, sejam muçulmanos, judeus ou cristãos, todos deveriam poder votar. Um estado fundamentalista judeu instalado à força numa zona densamente povoada, à custa da expulsão e massacre de milhões é um crime contra a humanidade. E se nós cristãos, que até somos 2 biliões, nos lembrásse,os também de instalar um Estado Cristão como no tempo das cruzadas, massacrando de novo toda a população de Jerusalém ? E se aplicassem aos judeus em todo o mundo a mesma receita, privando-os da nacionalidade, como no tempo da Inquisição ? Não se pode defender 2 pesos e duas medidas !

As Espanhas são árabes ? Já foram. Hoje são nossas, cristãs. E se não reconheço à minoria judaica o direito de reconquistar a Palestina que fora de maioria judaica há 2000 anos, também não reconheço aos árabes o direito de nos invadirem... Já os que defendem o sionismo não poderiam opor-se logicamente a uma reconquista do Al-Andaluz pelos árabes...

Quanto à ONU e as colónias, há que lembrar: em todos os casos, menos NUM, a ONU defendeu e impôs a descolonização e a autodeterminação das colónias, entregando o poder aos colonizados, NÂO A TERCEIROS INVASORES ! A excepção foi a Palestina ! O que nunca será aceite pelos palestinianos ! A Palestina será livre, laica e democrática, o que implica a destruição do estado fundamentalista israelita (não dos judeus, pelo menos dos não-sionistas, note-se)

Publicado por: euroliberal em julho 24, 2004 10:01 PM

tuh tuh tuh... essa já faz boneca! E já foi anulada no tempo do Clinton.
Tudo isso é conversa fiada: há judeus que querem a terra toda para eles e acabou. Sharon foi para lá para fazer isso, com as mãos carinhosas que sempre se lhe conheceram.

Um povo reduzido à miséria faz bombas artesanais, mata-se para matar alguèm, tem g3 fora de moda e anda à pedrada e é terrorista.

Outros atiram mísseis, tem helis todos artilhados como os que andaram e andam no Iraque, têm aviões, carros de assalto, blindados e gruas, deitam quarteirões abaixo porque tem lá tuneis de bombas, etc e troca o passo e é o direito à autodefesa...
tuh tuh tuh... vai cantar essa à tua mãezinha e reza para que ela esteja feliz aqui em Portugal!
A vossa independência só dá jeito aos judeus, nem aos israelitas ajuda!

Publicado por: Xica Benta em julho 24, 2004 11:07 PM

Porque motivo Israel ocupou Gaza e a Margem Ocidental? Odiar Israel já não é uma questão histórica. É puro fanatismo. E ninguém perde um minuto a consultar factos: uma guerra de extermínio lançada contra os judeus em 1967, a ocupação defensiva dos territórios e a posterior devolução destes em troca da paz (coisa que o Egipto e a Jordânia aceitaram; coisa que Arafat, em Camp David, recusou). E sobre o Estado palestiniano, os factos estão à vista: no espaço de uma semana, Gaza saiu à rua. Contra quem? Precisamente: contra Arafat e a cleptocracia criminosa que ele foi construindo sobre a miséria que ele foi construindo sobre a miséria do seu povo . um sentimento que abre caminho para o Hamas. Isto, claro, ninguém vê. A cegueira ideológica, que em tempos legitimou Auschwitz e o gulag, continua entre nós.

Publicado por: Historiador em julho 24, 2004 11:16 PM

Heil Historiador ! Que ironia, um grunho como você, que nunca abriu um livro de história, com um nick desses !

Você é burro e não tem albarda ! No Médio Oriente existe há muito uma cultura de tolerância religiosa. Nunca cristãos ou judeus foram perseguidos. Sempre houve aí mosteiros cristãos. No Líbano há 40% de cristãos, no Egipto 10% (coptas), etc. e em todos esses países não muçulmanos podem ser ministros e dispõem de todos os direitos proprios de sociedades laicas. Nunca houve pogroms (uma especialidade cristã). Os judeus perseguidos refugiaram-se aos milhões em todo o império otomano (da Argélia, ao Egipto, Iraque, Turquia e Balcãs), tal como antes o tinham feito no Al Andaluz dos séculos VII-XI, a mais florescente civilização europeia de então.

É essa ordem e harmonia natural que a criação do estado terrorista, fundamentalista, nazi e apartheidesco de ISSrael em 48 veio quebrar. Tal como o fizeram os cruzados de 1099 (chacinaram os 70.000 habitantes de Jerusalém, dos quais a maioria era então até cristã, só no séc. XII é que as crescentes conversões deram maioria aos muçulmanos...).

Por que razão devia o mundo aceitar um estado fundamentalista baseado na religião, quando isso é combatido em toda a parte e os próprios judeus criticam com razão as expulsões de que foram alvo ? Não eram os Reis Católicos que diziam que judeus e mouriscos não podiam ser espanhóis ? Pois, hoje os judeus (judeu é religião, não é raça) dizem o mesmo dos cristãos e muçulmanos palestinianos, expulsam-nos e massacram-nos na sua terra santa. A Palestina é a Terra Santa para 2 biliões de cristãos e 1,3 biliões de muçulmanos, mas uma minoria de 5 milhões de judeus fanáticos e fundamentalistas querem monopolizar essa terra para eles !!! E há cristãos que lhes baixam as calças, como estes miseráveis "historiador" e tubarão !!!!

Israel rouba terras, massacra, bantustiza palestinianos e humilha todas as nações vizinhas. Vive pelo ferro e morrerá pelo ferro. Os árabes limitam-se a defender-se e a retaliarem. Só um palhaço ignorante e buxeco como você é que afirma que os cruzados sionistas é que são agredidos. Não é isso que vemos na televisão todos os dias há 50 anos... As guerras de conquista territorial são hoje crimes de guerra. Mainada !

A Nação árabe tem todo o direito de atacar esse foco de terrorismo e desrespeito pelo direito internacional para permitir finalmente a autodeterminação do povo palestiniano (entre os quais há muitos cristãos traídos por Judas como o palhaço Tubarão..). Israel, estado pária e ilegal, será aniquilado, tal como os assassinos cruzados do séc. XI. SSharon e os generais das SS Tsahal serão terão um "Nuremberga" e serão enforcados na Esplanada das Mesquitas que planearam demolir...

Nestes dias de luta heróica dos povos palestiniano e iraquiano contra o nazismo buxo-sharonesco, todos somos árabes e somos solidários com o seu grito de guerra: ALLAH U AKBAR !

Publicado por: Euroliberal em julho 25, 2004 12:36 AM

só me faltava o grito de guerra do Lawrence da Arábia, El Aurens!

Publicado por: Xica Benta em julho 25, 2004 03:38 AM

"Água mole em pedra dura bate tanto até que fura!

O Euroliberal só diz asneiras de cada vez que aparece.Não percebe nada de História e depois inventa!

Repetição da Lição Anterior

Porque motivo Israel ocupou Gaza e a Margem Ocidental? Odiar Israel já não é uma questão histórica. É puro fanatismo. E ninguém perde um minuto a consultar factos: uma guerra de extermínio lançada contra os judeus em 1967, a ocupação defensiva dos territórios e a posterior devolução destes em troca da paz (coisa que o Egipto e a Jordânia aceitaram; coisa que Arafat, em Camp David, recusou). E sobre o Estado palestiniano, os factos estão à vista: no espaço de uma semana, Gaza saiu à rua. Contra quem? Precisamente: contra Arafat e a cleptocracia criminosa que ele foi construindo sobre a miséria do seu povo . um sentimento que abre caminho para o Hamas. Isto, claro, ninguém vê. A cegueira ideológica, que em tempos legitimou Auschwitz e o gulag, continua entre nós.

Publicado por: Historiador em julho 25, 2004 12:09 PM

O nazi-bussho-ssharonesco Tubarão, dada a pequenez da sua caixinha craniana, anda a ensaiar uma táctica de diversão: chamar o que ele é aos outros, como quem atira barro à parede...

Traidores e colaboracionistas são hoje os cidadãos europeus (eles nem olham para o passaporte nem para uma bandeira com estrelas douradas presente em todas as cerimónias oficiais...) que defendem que a Grande Europa de 500 milhões de habitantes, o maior exportador mundial com um PIB de 10 triliões de euros, se deve submeter à Coboilãndia de 280 milhões de anões cobóis e abanar a cauda e ladrar como um caniche obediente sempre que o buldogue americano se lança sobre uma presa que cheire a petróleo..

Traidores são os judas "cristãos" que defendem que os Lugares Santos devem ser dominados por judeus (uma minoria de sectários racistas que há 2.000 anos assasinaram Cristo)e que estes fazem muito bem em expulsar e massacrar os cristãos (e seguidores de outras crenças) que aí viviam há milénios, retirar-lhes a cidadania e direito de voto relegando-os para guettos e bantustões onde são massacrados e humilhados a toda a hora.

Traidores e collabos destes foram atados a um poste e regados com 12 balas no coirão pela resistência (eles diriam "terroristas"...) e por De Gaulle (um verdadeiro europeu patriota) após a guerra em França...

"Europeus" que hoje baixam as calças a Bush e a SSharon deviam ter o mesmo fim...

Vê lá tubarão se ainda te f**** uma barbatana...

Publicado por: Euroliberal em julho 25, 2004 12:22 PM

"Historiador" é um primata com um cérebro ainda mais pequeno que o de Bush... vejamos os disparates do labroste:

"Porque motivo Israel ocupou Gaza e a Margem Ocidental?"

Porque quer o Grande Israel (Eretz Israel) que vai pelo menos até ao Jordão e na Tora e para os mais extremistas até ao Nilo e Eufrates... e como não o pode fazer em 48, fê-lo em 67... e por isso vai anexando porções sucessivas desses territórios... de vitória em vitória até à derrota final !

"Odiar Israel já não é uma questão histórica. É puro fanatismo."

E por que é que eu (e 95% do mundo) não deveria
odiar um estado pária nascido de um roubo de terras acompanhado de limpezas étnicas e massacres, um estado com ADM que viola impunemente centenas de resoluções da ONU, que pratica o apartheid sobre cristãos e muçulmanos, que humilha as nações vizinhas com raides e ameaças nucleares constantes, que é (para mais de 60% dos europeus) a maior ameaça à paz mundial e que procura arrastar o mundo para uma hecatombe nuclear ? É claro que eu odeio ISSrael e acho que deve ter o fim da Alemanha Nazi !


"E ninguém perde um minuto a consultar factos: uma guerra de extermínio lançada contra os judeus em 1967, a ocupação defensiva dos territórios e a posterior devolução destes em troca da paz (coisa que o Egipto e a Jordânia aceitaram; coisa que Arafat, em Camp David, recusou)."

Em 1967 foi Israel que atacou os estados árabes vizinhos, sem declaração de guerra prévia, tal como os japs em Pearl Harbour. Ocupação defensiva ? Essa é boa ! Hitler dizia o mesmo quando conquistava o seu Lebensraum da França à Ucrânia... Egipto e Jordânia trairam a Nação árabe ao assinar uma apaz separada que não garantia a devolução de cidadania e de terras roubadas aos palestinianos, nem a devolução de Jerusalém e da Esplanada das Mesquitas. Por isso, Sadat foi abatido e o mesmo acontecerá com os outros traidores. O paralelo é com Pétain, Léopold III, Quisling, etc. colaboracionistas que nos seus estados ocupados assinaram a "paz" com Hitler... A Nação árabe nunca assinará tal paz com SSharon, que só merece ser tratado como criminoso de guerra e enforcado... tal como os fantoches Abdallah e Mubarak...

"E sobre o Estado palestiniano, os factos estão à vista: no espaço de uma semana, Gaza saiu à rua. Contra quem? Precisamente: contra Arafat e a cleptocracia criminosa que ele foi construindo sobre a miséria do seu povo . um sentimento que abre caminho para o Hamas. Isto, claro, ninguém vê."

A revolta é chefiada pelas Brigadas Al Aqsa e Hamas, a elite patriótica da resistência à ocupação da soldadesca das SS Tsahal. E não é dirigida contra o Nobel da Paz e presidente democraticamente eleito Arafat (que não é corrupto e continua a ter grande popularidade por não vergar a SSharon), mas contra os corruptos que o rodeiam e que bem gostariam de baixar as calças a SSharon em troco de uns bantustões cercados de arame farpado...

"A cegueira ideológica, que em tempos legitimou Auschwitz e o gulag, continua entre nós."

Aqui estamos de acordo: Auschwitz e os gulags (ou guettos) são o verdadeiro modelo dos sionistas nos territórios ocupados. Os abusados de ontem viraram os abusadores de hoje (até o bibi, o nosso, o sabe...), os nazis deram o lugar aos judeo-nazis, a Raça (ariana) de senhores (Herrenvolk) deu lugar ao "Povo Eleito" ambos com direitos aos territórios dos Outros (Untermenschen ou palestinianos...). ISSrael mete nojo e deve ser destruído...a bem da paz mundial !

Publicado por: Euroliberal em julho 25, 2004 12:55 PM

Ao nazi Euroliberal (estranho nome; é como se o Hitler se intitulasse "Rosinha")

"A quando do dilúvio, Deus foi de uma escandalosa particularidade a favor dos peixes"

Jean d'Ormesson no "Rapport Gabriel"

Nazismo Nunca Mais!

Publicado por: Tulipa em julho 25, 2004 02:27 PM

Também dedico uma frase ao Nazi EuroLiberal

"Eis outra vez o mundo real tão bondoso para os nervos"

Álvaro Campos

Publicado por: Mac Macléu Ferreira em julho 25, 2004 02:31 PM

"Água mole em pedra dura bate tanto até que fura!

O Eterno Retorno

"Um dia o bombo da festa é o Estado de Israel, no dia seguinte são os judeus"

A pouco e pouco nas cidades do mundo de hoje, as manifestações anti-judeus vão destapando as hordas de nazis. Estigmatizados pelas Igrejas cristãs há quase dois mil anos, os judeus foram excluidos e maltratados, com o horror final atingido no Holocausto. Arafat condena o terrorismo em inglês e encoraja-o em árabe. A sua incompetência desacreditaram a causa palestina no exterior e estão a levar Gaza e os territórios ocupados à guerra civil.

Publicado por: Historiador em julho 25, 2004 02:37 PM

Fascista amigo Euroliberal, estamos contigo. Os judeus devem voltar a ser exterminados, mas desta vez definitivamente. O nosso tio Hitler fez bem em acabar com os judeus europeus. Agora há muito poucos e podemos dar cabo deles rapidamente.

Publicado por: Fascista em julho 25, 2004 02:39 PM

A ONU considera ilegal uma barreira que, até agora, diminuiu drasticamente ataques terroristas contra a população israelita.

Publicado por: Paula Bicos em julho 25, 2004 02:46 PM

Faz-me comfusão que ainda hoje haja nazis tão primitivos: o Euroliberal e o Fascista.
Graças a Deus que a Europa não vai deixar vingar as teses deles.

Publicado por: Julia Campos em julho 25, 2004 02:48 PM

Ao Nazi Euroliberal

Sentes-te infeliz e medíocre, repulsivo, impotente, sem vida, vazio. Não tens mulher e, se a tens, vais com ela para a cama só para provar que és .homem.. Nem sabes o que é o amor. Tens prisão de ventre e tomas laxantes. Cheiras mal e a tua pele é pegajosa, desagradável. Não sabes envolver o teu filho nos braços, de modo que o tratas como um cachorro em quem se pode bater à vontade.

Publicado por: Verdade Suprema em julho 25, 2004 02:49 PM

Não me queria meter nesta contenda, mas li algo que ultrapassa tudo. O senhor EuroLiberal escreve: Allah U Akbar! Como se isto fosse algum grito de guerra.
Como a maioria não percebe nada de árabe, ele passava como uma pessoa muito culta. Mas, e há aqui um "mas", escreveu asneira. Deve ter ouvido e passou para escrita, ou copiou de algum jornal. Os jornalistas europeus cometem muitos erros quando resolvem passar para escrito algo que não se escreve.

Assim, "Allah U Akbar" quer dizer mais ou menos isto: "mãe dá-me uma carcaça que eu estou cheio de traça"!

O Euroliberal apresenta-o com um grito de guerra! Santa Ignorância.

Publicado por: Árabe Bygornas em julho 25, 2004 02:58 PM


A cambada RIAPA, ratazanas infectadas pelo buxo-sharonismo, ataca sempre em grupo, mas mesmo juntando os seus escassos neurónios, não exibe qualquer argumento válido e é esmagada pelo nutrido fogo de barragem aqui do Euroliberal, um humilde patriota liberal e europeu...

A "Paula (faz?) bicos" apresenta a seguinte pérola: "A ONU considera ilegal uma barreira que, até agora, diminuiu drasticamente ataques terroristas contra a população israelita".

Ora a decisão foi do Tribunal Internacional de Justiça, órgão judicial máximo da Comunidade internacional (onde só houve, em 15, um juíz parcialmente vencido...) bem como da AG da ONU onde 150 países (repito, 150) voaram a favor e só 6 (só 6 !!!) voataram a favor do muro da vergonha judeo-nazi. Será todo o mundo (incluindo toda a Europa) "fascista" como pretendem estes extremistas "riapas", ou será antes que são eles uns porcos nazis "orgulhosamente sós" contra todo o mundo ?

E claro, como nazis que são, não se esquecem de chamar "terroristas" à heroica resistência palestiniana que tem todo o direito (à luz do direito internacional) de golpear o inimigo ocupante, onde quer que ele se encontre, vingando assim os seus mártires. Resistir à ocupação é um um dever patriótico, ocupar um crime de guerra ! Mas para o "cérebro" de traidores e colaboracionistas riapas isso é difícil de compreender...

Publicado por: Euroliberal em julho 25, 2004 03:02 PM


Ratazanas Riapas: vocês são muito limitados, muito burrinhos. Assim não dá. Não gosto de massacres, nem de bater em ceguinhos...Eu até gosto de um bom debate, mesmo com ssharonescos como vocês, mas exijo um mínimo de nível intelectual, que nenhum de vocês está sequer perto de satisfazer...

Não têm um primo, um amigo que saiba alinhar duas ideias adequadamente ? Vejam lá... senão vão ficar a "falar" sozinhos. Vá, voltem lá para o vosso buraco infecto, o Riapa no sapo e reduzam-se à vossa insignificância...

Publicado por: euroliberal em julho 25, 2004 03:19 PM

Boa, Titinha, você parece ser a única pessoa realista nos Riapa e advinhou a única coisa que vos resta fazer: desamparar a loja. Está a ver que quando procuramos ser razoáveis há sempre maneira de nos pormos de acordo ? Vá, vá lá e não se esqueça de lavar os pezinhos...

Publicado por: euroliberal em julho 25, 2004 06:44 PM

agradeço à familia riapa que continue os seus "estudos" (uma necessidade urgente em bastantes matérias incluindo aprender como é feio postar comentários com nomes ou nicks falsos) noutro local.
Aqui, não há mais pachorra.

Euroliberal, nestas caixas de comentários sempre se admitiu o comentário politico com toda a veemência e quase sem restrições mas peço-te que distingas entre:
um grupo de fascistóides que está de serviço desde há uns dias a este blog que como eles dizem se estão a borrifar para os judeus e para os árabes, e com quem argumentar é como discutir contra uma parede pelo que nem vale a pena perder-se muto tempo com eles, e outros comentadores que embora com posições pró-israelitas procuram discutir com argumentos pelo que te peço que defendas os teus pontos de vista sem misturares os dois tipo de atitudes.
Uma coisa é o "tubarão", a "tita" e cia que são meramente um bando de zombies e psicopatas e outra são pessoas como o Real e outros frequentadores habituais do blog sobre o qual mantêm uma posição geralmente crítica mas que queremos que continuem a ser sempre bem vindas.

Publicado por: tchernignobyl em julho 25, 2004 07:01 PM