« A SEZÃO | Entrada | EM JEITO DE SLOGAN »

julho 15, 2004

UM ESCÂNDALO

No ano lectivo de 2002/2003 saíram alterações aos regime de concursos dos professores. As principais alterações debruçavam-se sobre os chamados "mini-concursos". O objectivo do ainda então Governo de Durão Barroso era terminar com os ditos, o que iria beneficiar professores e alunos pois os primeiros seriam colocados mais cedo, e os segundos teriam todos os professores logo no início do ano lectivo. Até aí tudo bem.
No entanto, o início do ano lectivo 2003/2004 foi tudo menos aquilo que o Governo tinha prometido. Os "mini-concursos" terminaram (isso é verdade), mas deu-se início a algo ainda pior: as autopropostas. Em vez de ser o extinto DGAE a colocar os docentes, são estes que têm que apresentar a sua autoproposta às Escolas que disponham de um horário. Toda a transparência (prometida por David Justino e Abílio Morgado) dos concursos fica em causa.
Milhares de professores ficam de fora. Outros só são colocados em meados de Novembro (quando em primeiro em meados de Setembro tudo estava resolvido). Outros vêem o seu lugar ser ocupado por alguém com graduação inferior.
Mas o pior estava para vir: os concursos 2004/2005. Depois de milhares de euros em software informático, surgem erros em todos os verbetes de todos os professores. Num primeiro balanço são detectados mais de 20 mil excluídos.
Num balanço final esse número sobe para 100 mil. Isto é, todos os docentes do País. Com isto, os concursos são anulados e são prometidas novas listas provisórias para meados de Julho. Essas listas não surgem. Abílio Morgado vem à Comunicação Social dizer que na primeira quinzena de Agosto elas serão divulgadas. No entanto, não adianta uma data certa. Refere, ainda, que foram recebidas 25 mil reclamações e que estas estão a ser analisadas por um grupo de 20 pessoas (sim, 20) a uma média de 800 a 900 boletins por dia. Milhares de professores ficam em risco de ver as suas férias comprometidas (um direito há muito ganho por todos os trabalhadores); mas Abílio Morgado diz que os professores podem ir para férias descansados, dizendo ainda que o início do próximo ano lectivo não está em risco. Descansados? Como? Quando o futuro de alguém está nas mãos de gente como David Justino e Abílio Morgado, quem é que pode ir de férias descansado? Como pode Abílio Morgado dizer que o início do próximo ano lectivo não está em risco, quando nunca os professores foram colocados tão tarde?!
Portugal viveu embriagado com o Euro. Agora embriaga-se com o novo Governo, com as remodelações, nomeações, tachos, etc. Enquanto isso, milhares de professores esperam que o seu futuro seja decidido por gente que não tem dignidade suficiente para lhe ser atribuído o "título" de pessoa.

manuel (www.pedranocharco.blogspot.com)

Publicado por tchernignobyl às julho 15, 2004 05:10 PM

Comentários

já li este comentário cinquenta vezes aos posts deste e em pelo menos mais dois blogs dos que têm paciência para abrir os comentários a qualquer pessoa. Podes escrever o que quiseres mas peço-te que evites a repetição.
Faço o mesmo pedido às outras pessoas que fazem sistematicamente comentários repetidos em posts diferentes.

Publicado por: tchernignobyl em julho 15, 2004 07:23 PM

o pedido que fiz ao Afonso faço ao RIAPA.
Por favor já escreveste dezenas de vezes a mesma coisa na caixa dos comentários.
é de louvar a tua autoconfiança em repetir sistematicamente um texto deste tipo mas dá um intervalo ao pessoal está bem?

Publicado por: tchernignobyl em julho 15, 2004 08:51 PM

Apesar de concordar com o espírito do post, ele tem algumas incorrecções. 1) O balanço final dos erros não foi de 100 mil, foi de 40 mil, pelo que ouvi num telejornal. 2) O concurso não foi anulado. 3) As novas listas de graduação provisórias já surgiram.

Não deixa de ser chocante que os professores não se possam atrasar mais de 5 minutos para as aulas, tenham que se apresentar 48 depois de ser colocados (ou seja, se tiverem outro trabalho em full-time ou part-time, como cumprir um mês para pré-aviso?), os contratos sucessivos sejam considerados como um único para efeitos de deveres do trabalhador, mas como contratos diferentes para efeitos de direitos do trabalhador... e o ministério só saiba dar uma estimativa da quinzena em que os resultados sairão...

Fórum Político

Publicado por: Fórum Político em julho 15, 2004 10:57 PM

mocho por mim podes parolar por aí à vontade desde que não te tornes demasiado papagaio e repetitivo.
para que conste reservo-me o direito de apagar sem mais aviso todos os comentários repetidos que apanhar nos meus posts.

Publicado por: tchernignobyl em julho 16, 2004 12:25 AM

Quando Nos Ferem, Temos o Constitucional Direito a Responder.
Quando Nos Humilham, Temos o Direito á Indignação! Quando Não nos Ouvem, Temos o Direito a Gritar! Quando Nos Massacram, Temos o Direito a Ripostar! Quando Nos Violam, Temos o Dever de Não Ficar Calados!
Quando Nos Ignoram, Temos o Direito a Fazer Barulho!
Quando Nos Roubam, Temos o Direito a Prender! Quando Nos Ameaçam Temos o Direito a nos Defender!

CHEGA! BASTA YA!

PROTESTO NACIONAL --> Usem os vossos mails e listas de endereços, usem os telemoveis com as msgs, gritem, divulguem Mas Não Fiquem Calados! Protestem Contra Esta vergonha Nacional dos Concursos e Contra um Ministro Sem Soluçoes e Irresponsavel!

Publicado por: MacLord em julho 16, 2004 01:04 AM

não houve um único prazo cumprido poreste ministério...em todas as fases do concurso deram barraca...por exemplo: saiu na lei que o concurso deveria ser iniciado em Janeiro,disseram que seria em fevereiro (e de facto foi, 27 de fevereiro à tardinha -sexta feira- começa o concurso e continua de 1 a 7 de Março)...and so on, and so on...

Publicado por: andré em julho 16, 2004 01:18 AM

Completamente de acordo amigo Alpedrinha!
Que tal trocarmos de profissão? A não ser que voce não esteja a altura de passar o que nos passamos todos os anos! Seria melhor informar-se primeiro antes de se pronunciar sobre o que não sabe. è que isso estamos nos habituados a que os politicos e governantes façam!
Mas aceito a sua sugestão Arrega-se as mangas e funde vc uma ordem! Tem todo o meu apoio se para isso tiver engenho e arte!

Publicado por: Maclord em julho 16, 2004 07:51 PM

Arregace, escreve-se assim, sr."Professor{?}".

Publicado por: edite em julho 18, 2004 01:56 AM

Concordo plenamente com o que foi dito acima, vivi um tempo profissional de mais de 10 anos e fui vencida, não consegui me manter nessa luta por um lugar que eu nem imaginava que não existia. Agora me encontro no desemprego e com idade avançada. Vou fazer outro curso para ter outra profissão, pois a de professor é uma luta ingloria.

Publicado por: Aparecida Tadeu em setembro 21, 2004 10:24 AM