« TRÊS PALAVRINHAS APENAS | Entrada | PEQUENA SÍNTESE DO EURO 2004 (DEZ DIAS DEPOIS) »

julho 14, 2004

ALLONS ENFANTS...

Francófilos da blogosfera, uni-vos. Ici et ailleurs.

Publicado por José Mário Silva às julho 14, 2004 11:48 AM

Comentários

Há francofilos na blogosefera?

Mais: há francofilos em algum lado deste país?

A avaliar pela sua selecção de futebol nem os franceses são lá muito francofilos...

Publicado por: Rui Silva em julho 14, 2004 05:15 PM

Bolas, Rui Silva, sempre é 14 de Julho!!!
Se não for hoje quando é?

Publicado por: Emiéle em julho 14, 2004 05:48 PM

Liberdade, Liberdade, Liberdade.

Publicado por: o liberal em julho 14, 2004 06:42 PM

E o Chouriço do Vitorino que espetou com cara de mau a brutal nega ao PS !!!!!?????!!!!!
Ia meter-se na mixórdia ?
Sabe Deus o que saberá ele !!!

A esquerda resvala inexoravelmente .
No futuro ,( sei lá daqui a uns 200 anos) só vai haver PP e PSD.
Depois aparece o PS, uma sombra esqualida , uma curiosidade.
E o PC e o BE não passarão de fósseis há muito extintos.

Publicado por: Afonso Henriques em julho 14, 2004 07:25 PM

Este atestado de "fósseis" passado por alguém que assina Afonso Henriques é, no mínimo, interessante. Ele deve ter autoridade para falar.

Publicado por: Emiéle em julho 14, 2004 08:30 PM

Ups! Não tinha visto que o Afonso Henriques tinha o disco rachado e afinal dizia sempre o mesmo. Mas, está bem, sempre vos aumenta o nº de comentários para as estatísticas.
LOL
:)

Publicado por: Emiéle em julho 14, 2004 08:34 PM

Emiéle por esses dois comentários, "Venérut"

Publicado por: tchernignobyl em julho 14, 2004 10:37 PM

14 DE JULHO

Em 14 de Julho de 1789, deu-se a tomada da Bastilha, que determinou o início da Revolução Francesa. Caía o feudalismo. O espírito original daquela Revolução estava certo, só que, foi, posteriormente, pervertido por acção da esquerda (os jacobinos).
Na Assembleia Nacional Francesa, os liberais moderados (girondinos) sentavam-se à direita, enquanto os radicais (jacobinos) se sentavam à esquerda. Foi a partir daí que se passou a falar de esquerda e direita, na política.
A direita defendia a tolerância, a liberdade e a coexistência pacífica entre adversários. A esquerda, no período do terror, na primeira metade da década de 90 do séc XVIII, prendeu e matou milhares e milhares de franceses, não só absolutistas, mas também girondinos, sem sequer serem submetidos a julgamento. Curiosamente, os seus dirigentes mais destacados, como Robespierre, acabaram na guilhotina, onde acabou também o seu criador, Guilhotan.
A direita dividia-se em democrática (girondina) e reaccionária (absolutista). A esquerda, era toda ela totalitária, dividindo-se, mais tarde, em democrática e defensora do pluralismo(socialista) e anti-democrática, apostando na tomada e conservação do poder pela violência (comunista). No entanto, os socialistas actuais ainda passam sobre o terror da Revolução Francesa como gato sobre brasas...
No séc. XX, movimentos como o fascismo, regimes nacionalistas autoritários, como o de Salazar, ou ditaduras militares, inserem-se na direita anti-democrática. Os girondinos influenciaram os actuais partidos conservadores, liberais ou democratas-cristãos.

A DEMOCRACIA MODERNA NÃO NASCE COM A REVOLUÇÃO FRANCESA

É falso que o conceiro moderno de democracia tenha nascido com a Revolução Francesa, pois como se viu aquela Revolução, após o período inicial, descambou para o esmagar das liberdades fundamentais, em nome da "vontade geral".
Antes, surgiram Revoluções democráticas em Inglaterra (Glorious Revolucion), em 1688, que pôs fim ao absolutismo e retomou uma tradição demo-liberal inglesa, que vinha desde a Magna Carta, outorgada por João Sem Terra, em 1215 e a que conduziu à independência dos EUA, em 1776. Estas revoluções recusavam a vontade geral, eram tolerantes, defendiam o poder como emanação da vontade popular e o primado da lei, bem como a limitação da acção de poderes que se controlavam uns aos outros.
A estas diferenças não foram alheias influências iluministas e maçónicas. Em França, os iluministas eram anti-clericais, em nome da deusa razão e da negação de Deus, e a maçonaria primava pelo ateismo e a perseguição às religiões. Na Inglaterra e na América, os iluministas e os maçons eram maioritariamente cristãos, uns protestantes (a maioria) e outros católicos. Os maçons eram crentes em Deus. Aliás, quem fosse ateu não entraria, nem entra hoje para a maçonaria anglo-saxónica. Recordamos que a Constituição Maçónica, escrita em 1723 pelo pastor protestante Andersen, diz "nenhum verdadeiro maçon pode ser um estúpido ateu ou um libertino irreligioso".

DIREITA E ESQUERDA HOJE

As diferenças entre direita e esquerda são menores: a direita que tem preocupações sociais adopta nesse plano políticas que começaram por ser de esquerda. A esquerda mais moderada adopta, na economia, o capitalismo, divergindo com a direita em mais ou menos intervenção limitada do Estado e em despesas públicas sociais elevadas( a esquerda) ou um Estado Solidário com os mais desfavorecidos, que faça apenas o que não possa ser feito pela sociedade civil e o voluntariado social (a direita), de forma a baixar os impostos, com vista ao crescimento económico, sem o qual não é possível acabar com a pobreza.
Em Portugal, o PSD, porque baseado em conceitos tradicionalmente de direita, mas também de esquerda, embora aceites pela direita com preocupações sociais, sempre teve um carácter de partido de centro e reformista, tendo no nosso País um papel parecido ao do PSOE, em Espanha.
Com a actual viragem à direita, está em vias de perder esse papel, o qual poderá passar para o PS se encontrar um novo líder com formação política e carisma, na senda de um Blair, que como facilmente se constata, de socialista e de esquerda pouco mais tem que o autor destas linhas, liberal.

Publicado por: Manuel Silva em julho 15, 2004 01:21 AM

Sim há francófilos - ou francófonos- na blogoesfera, e eu conto-me entre eles. Mais uma vez farei publicidade, mas escrevi um post um pouco à pressa no meu blog, A Ágora (onde verdadeiramente nasceu a democracia!), mostrando as diferenças básicas entre a Revolução Francesa e as Anglo-Saxònicas.

Publicado por: João Pedro em julho 15, 2004 04:31 AM

Manuel Silva, lamento mas o teu ensaio-comentário está pejado de imprecisões e omissões. Limito-me a assinalar uma: essa de a direita de 1789 defender a "tolerância, a liberdade e a coexistência pacífica". Se te referes aos girondinos, não discordo. Mas o verdadeiro contraponto aos excessos jacobinos era a direita "ultra", tradicionalista, intransigente e legitimista, cuja fúria latente se desencadeou essencialmente a partir de 1815, como reacção retardada à Revolução, e cuja intolerância faria inveja a Pol Pot. Já antes, foram numerosos os exemplos de "terror branco" protagonizado pelos realistas (pelos quais passaste "como gato sobre brasas"), por exemplo a seguir ao 9 Termidor.

Não defendo que a democracia moderna "tenha nascido com a Revolução Francesa", mas esta teve uma influência infinitamente maior do que as que citas, ao nível europeu, e muitas das ideias e conceitos que ajudaram a construir as democracias ocidentais tiveram aí o seu embrião.

Publicado por: alexandre andrade em julho 15, 2004 09:11 AM

Só por ignorância ou má fé se pode dizer que os girondinos não constituiam a direita liberal. Leiam melhor a História....
A instauração da república teve, sim senhor, um carácter violento e totalitário. Foi aí que os comunistas se inspiraram no séc XX, matando 100 milhões de seres humanos e não nos absolutistas.
Dizer que os democratas cristãos e conservadores se inspiram no absolutismo tem a mesma lógica que afirmar que quem não é de esquerda é fascista.

Antes da França, já havia democracia na América e na Inglaterra. Aí, democracia significava mesmo liberdade, enquanto, em França, "democracia" significava terror em nome dessa entidade mítica chamada povo. Essa influência teve consequências nefastas nas democracias (im)populares de leste. O Estado de direito actual tem inspiração no modelo anglo-saxónico. Não se falsifique a História. nem se caia no Wishful Thinking.

Publicado por: Manuel Silva em julho 15, 2004 11:58 AM

Quem diz 200 anos pode dizer 50 , porque hoje tudo corre mais depressa .
Nós temos democracia há 30 anos , certo ?
Os USA têm democracia há cerca de 200 anos , certo ?

Actualmente não existe PS nem PC nem BE nos USA !! porque será ???

Será que é por não haver pobres que cheguem ?
Que milagre !!! ufff

De facto é o milagre das democracias . acabar com os pobres.

Publicado por: Afonso Henriques em julho 15, 2004 12:24 PM

Manuel Silva, pensar que em Inglaterra havia uma democracia tal como a entendemos hoje é pedir demais. Quando muito aburguesia tinha mais influ~encia do que nos outros países.
é verdade que na América já havia um regime democrático. Mas isso aconteceu imediatamente antes da Revolução Francesa, e em grande parte inspirada pelo Iluminismo francês. Há uma ligação directa entre as duas. Não esquecer que as mudanças liberais que ocorreram posteriromente na Europa se devem à Revolução de 1789, enão ás outras duas.Por alguma razão Beresford tentou travar o liberalismo em Portugal

Publicado por: João Pedro em julho 15, 2004 12:33 PM

Quem diz 200 anos pode dizer 50 para acabar a esquerda, porque hoje tudo corre mais depressa .
Nós temos democracia há 30 anos , certo ?
Os USA têm democracia há cerca de 200 anos , certo ?

Actualmente não existe PS nem PC nem BE nos USA !! porque será ???

Será que é por não haver pobres que cheguem ?
Que milagre !!! ufff

De facto é o milagre das democracias . acabar com os pobres, logo acabar com os abutres de esquerda, esses intelectualoides perigosos como o louça, que mais não fazem do que enganar o menino e papar-lhe o pão

A esquerda vive dos pobres , quando os pobres acabarem ....

Publicado por: Afonso Henriques em julho 15, 2004 01:35 PM