« SANTANA - THAT'S OUR BUSH! | Entrada | O FIM DO SEMIPRESIDENCIALISMO? »

julho 10, 2004

PARA ACABAR DE VEZ COM O PSD

Sejamos minimamente optimistas. Este é um governo que, apesar de legal, é contra a vontade popular desde a sua génese. Não lhe prevejo grande sucesso. Tem contra si toda a esquerda e, mais importante, grande parte do PSD. Não nos iludamos: as "bases", o "aparelho", podem ter apoiado Santana Lopes com 98% dos votos. Mas muitas das principais figuras do partido estão contra este líder. Santana Lopes, o seu populismo, a sua despreparação, vão conduzir a direita e o PSD ao abismo. Depois de dois anos de Santana Lopes, a esquerda vai ganhar as autárquicas, as presidenciais e as legislativas. O pior é o país até lá ficar entregue a ele.
E com esta divisão interna talvez acabe de vez essa aberração chamada PSD, um partido completamente contra natura (até no nome, que não tem rigorosamente nada a ver com a sua prática política) e onde cabe tudo: de herdeiros do salazarismo a Pacheco Pereira. Sousa Franco e o seu grupo sairam do PSD por causa da primeira AD. Agora, talvez outros membros façam o mesmo e a história se repita. Santana, em congressos, nunca chegou à presidência do partido pois, apesar de apelar às "bases", nunca convenceu os dirigentes. Várias vezes chegou a falar-se de um partido criado por Santana. Agora que, com Santana como Primeiro Ministro, o PSD real (digo, o PPD) chegou ao poder, talvez sejam os "copinhos de leite" (para usar a linguagem do colega Avelino) a sair e a fundar um novo partido.

Publicado por Filipe Moura às julho 10, 2004 02:56 AM

Comentários

Don Giorgio Coelhone, Padrinho da Ilha de Contensega, cuja capital é Mangualdini: «I´ll make him an offer he can´t refuse...»

Cliquem aqui, os Mangualdenses.

Os outros podem clicar aqui.

Publicado por: João Tilly em julho 10, 2004 09:25 AM

Por muito que custe a aceitar, o PSD, entre todos, é o partido mais genuinamente português. É um saco de gatos? Se calhar... mas reflecte bem o País que somos.

Publicado por: lusof. em julho 10, 2004 10:04 AM

"a esquerda vai ganhar as autárquicas, as presidenciais e as legislativas"

Ó Filipe, e se não ganhar quem é que ides culpar?

Publicado por: Nuno Morais em julho 10, 2004 10:04 AM

Não estou tão certo de que um governo PSL esteja condenado a perder as eleições. Se uma coisa ele tem mostrado, é que o seu populismo é eleitoralmente ganhador, desde o Sporting à Câmara de Lisboa.

Publicado por: JVC em julho 10, 2004 11:17 AM

Vai esperando, mas talvez seja melhor encontrares uma cadeira confortável. Quando chegar a hora da distribuição de tachos e poder, logo verás os barões "copinho de leite" transformados em frenéticas "santanetes". E não duvido que ele venha a ganhar as próximas eleições, mesmo sem nada fazer por isso: é só olhares para as sondagens de Lisboa, onde a sua acção (apesar de inexistente ou disparatada) é hoje aprovada por larga maioria.

Publicado por: Luis Rainha em julho 10, 2004 11:52 AM

Filipe,

o PSD é certo, é intelectualmente contra-natura (no que se refere ao facto de ser um partido com aquela designação a ser colocado à direita) mas sociologicamente e pela integração na sociedade é o partido mais popular, portanto o menos contra-natura de todos, designadamente se comparado com o PS.

É, além disso, o partido menos previsível e de onde, exactamente por isso, podem vir as piores mas também as melhores surpresas.

O futuro vai ser difícil para o PSD porque Santana Lopes e o Paulinho das Feiras vão afastá-lo do eleitorado urbano e progressista que é essencial para o PSD e que foi decisivo para num período de dez anos entregar duas maiorias absolutas a um só e único partido. Por isso, naturalmente, um destes anos, o PSD vai fazer a travessia do deserto e vai ter de achar novas caras para reconquistar aquele "PSD" que tratou mal e com quem vai ter de "fazer as pazes".

Entretanto, obviamente, o PS pode ir-se preparando para ganhar vantagem, se quiser.

Publicado por: gibel em julho 10, 2004 02:18 PM

Estranho que anunciem que com o Santana o PSD vai perder o eleitorado urbano. Não foi em Lisboa a sua última vitória eleitoral? Inquietadora a ideia de que o poder no partido é dos barões, é que sempre que o Santana foi a votos fora do PSD ganhou sempre, arrumou com o PS da Figueira da Foz e tornou a cidade bem mais atractiva. Arrumou com PS de Lisboa, realidade que não conheço o suficiente para me pronunciar. Se calhar por isso é que ele incomoda a esquerda.

Publicado por: ICH em julho 10, 2004 02:28 PM

Ele arrumou o PS da Figueira pois tal câmara andava a ser tratada com os pés por um tonto sem competência.
Quanto a Lisboa, "arrumar" significou ganhar por 812 votos ou coisa parecida. Significou, acima de tudo, vomitar sobre os eleitores uma lista descomunal de promessas, das quais, hoje, nem uma foi integralmente cumprida.
É esta forma de estar na política que me incomoda.

Publicado por: Luis Rainha em julho 10, 2004 03:22 PM

Má decisão. A mais cómoda, mas a pior. Pior para o país, mas não só. Pior para o próprio PSD, que já não tem forças internas para corrigir a deriva populista imposta por um verdadeiro "azeiteiro" politico. O Conselho Nacional é um conjunto acéfalo de carneiros e lateiros de aparelho. O PSD precisa de uma derrota (mais uma...) para ter um sobressalto de dignidade civica, afastar a mediocridade e chamar os seus membros capazes que andam afastados e enojados com esta canalhada de "líderes" (Burrão, Copos, Fardas...)

Sampaio acobardou-se, quando tinha legitimidade democrática (é eleito por sufrágio universal)para evitar que um tolo apavoado vá envergonhar todos os portugueses com as suas figuras tristes. Já acharia correcta a decisão do Presidente se o candidato do PSD a primeiro-ministro fosse, por exemplo, um Marcelo R.S....

Agora um medíocre jurista travestido de comentador de futebol, acompanhante de tias ? Um copofónico que aparece em revistas rosa com uma fita vermelha na cabeça ? Give me a break...

A direita decente (Cavaco, Marcelo, Freitas, etc.) está envergonhada com esta decisão do Presidente Cenoura (ou Banana ?). Não é só a esquerda...

Publicado por: euroliberal em julho 10, 2004 06:06 PM