« QUATRO ASSOALHADAS | Entrada | O SANTO PADROEIRO DAS ANTECIPADAS »

julho 09, 2004

PRIMEIRAS REACÇÕES À DECISÃO DE JORGE SAMPAIO

Um intelectualóide de esquerda como eu tem mais que fazer além de estar aqui à espera que Sua Hesitação por fim escolha um caminho: há o ciclo de cinema búlgaro no cineclube lá do bairro, uma manifestação em defesa dos antílopes do Alto Volta, a palestra do Vasco Gonçalves; um sem fim de obrigações incontornáveis a encher a minha agenda para hoje. Vai daí, deixo-vos já na companhia de um sumário das notícias que aí vêm. Para que a coisa se adapte aos condicionalismos impostos pela realidade, vocês só têm de, a cada frase, riscar o que não interessa. Vamos lá então:

"Jorge Sampaio, como é já do conhecimento geral, optou por convidar o PSD a formar novo governo/antecipar as eleições .
Naturalmente que o BdE, enquanto organismo colectivo visceralmente de Esquerda, só pode ficar com vontade de bater em alguém/congratular-se com semelhante escolha. Esta vem provar que a confiança que sempre depositámos em Jorge Sampaio era uma idiotice completa/inteiramente justificada.
Num PSD condenado a mais dois anos de poder/morder o pó da derrota, a situação parece invocar um silêncio de sepulcro. Santana Lopes tem recusado todos os contactos com a imprensa, tendo sido, no entanto, apanhado pelas câmaras da TVI a vociferar um sonoro Yes!/Porra! ao telemóvel, à porta da Kapital/da sua residência oficial. O seu apoiante/ex-apoiante, Alberto João Jardim, menos circunspecto, declarou que "está pronto a assumir responsabilidades a nível nacional"/"está pronto para declarar a independência" da sua ilhota.
No Largo do Caldas, preparam-se excursões de joelhos a Fátima/multiplicam-se os casos de imolação pelo fogo de futuros desempregados. Paulo Portas já veio a público "aplaudir a coragem demonstrada por Sua Excelência ao resistir às infames pressões da esquerda"/"condenar o golpe de estado subreptício consubstanciado através da pusilanimidade do PR".
Quanto ao PS, temos que Ferro Rodrigues passa a ter os dias contados/vê assim a sua liderança reforçada; os seus adversários internos/apoiantes de sempre fazem já bicha para pedir a sua cabeça/um lugarzito no governo.
Na sede do BE, Louçã manifestou-se "veementemente contra o presente estado de coisas". No Parlamento Europeu, não foi possível obter um comentário de Miguel Portas, ausente em missão oficial na Festa da Cerveja de Knokke le Zoute."

Amanhã, prometo voltar ao assunto/passar mas é o dia na praia, a comemorar.

Publicado por Luis Rainha às julho 9, 2004 03:46 PM

Comentários

Concordo em absoluto/antes pelo contrário.

Publicado por: Vi em julho 9, 2004 04:16 PM

Assoberbado de trabalho e sem cinco minutos que sejam para um postezito, subscrevo a tua prosa bicéfala. Não diria melhor.

Publicado por: José Mário Silva em julho 9, 2004 04:56 PM

Pormenor curioso o de pores o Louçã a protestar veementemente independentemente da decisão a ser tomada

Publicado por: Pedro Farinha em julho 9, 2004 05:59 PM


vou abrir uma garrafa de Mateus Rosé / Casa de Santar Reserva 1997

Publicado por: gibel em julho 9, 2004 06:02 PM

Qualquer intelectual de esquerda, da verdadeira, sabe que Tomas Sankara, general do Alto Volta, quando subiu ao poder em 1983/4 iniciando uma experiência desalinhada de poder popular mudou o nome do país. O resquício do colonialismo francês foi mudado para Burkina Faso, que na língua maioritária significa "Terra dos homens íntegros".
Há compilações dos discursos de Sankara à venda nos Centros Sociais italianos, onde a sua experiência goza de alguma simpatia. Resta dizer que foi morto, pouco mais de um ano depois da subida ao poder, pelo seu braço direito.
Viva Sankara! Todo o poder aos Conselhos!
Pode parecer uma piadinha, mas não o é...

Publicado por: pvc em julho 9, 2004 09:07 PM

Enquanto suturava uma laceração na mão de um velho lavrador (ferido por
um caco de vidro indevidamente deitado na terra), o médico e o doente
começaram a conversar sobre o Santana Lopes.
E o velhinho disse:
- Bom, o senhor sabe...o Santana é uma tartaruga num poste...
Sem saber o que o camponês quer dizer, o médico perguntou o que era uma
tartaruga num poste.
A resposta foi:
- É quando o senhor vai por uma estradinha e vê um poste da vedação de
arame farpado com uma tartaruga equilibrando-se em cima dele. Isto é uma
tartaruga num poste...
O velho camponês olhou para a cara de espanto do médico e continuou com a
explicação:
- Você não entende como ela chegou lá;
- Você não acredita que ela esteja lá;
- Você sabe que ela não subiu lá sozinha;
- Você sabe que ela não deveria nem poderia estar lá;
- Você sabe que ela não vai conseguir fazer absolutamente nada enquanto
estiver lá;

- Então tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá!

Publicado por: curioso em julho 9, 2004 09:21 PM

O poste acabou de cair sobre a cabeça da lebre que ia a caminho de eleições antecipadas, e a única coisa que antecipou foi a sua saída... de cena.

Publicado por: Guarda-Mor em julho 9, 2004 11:25 PM

ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha
ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha
ehehehehheheheheheheeheheheheheheheheheheheh
eehehehehehehehehehehehehehehehehehehehehe
eheheheheheheheheheheheheheheheheheheheheh
estou chorar de tanto rir!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Publicado por: Afonso Henriques em julho 10, 2004 03:55 PM

Fumo laranja a ensombrar a mordacidade do artigo.

Publicado por: riverfl0w em julho 11, 2004 07:45 PM

ministério da agricultura:coina
= da administração interna para a piça
= dos tranportes para a baixa da banheira
= das finanças para a buraca

e s. bento para as docas,JÁ

Publicado por: antonietapaulo em julho 13, 2004 09:59 AM