« REACCIONARISMO TRIPEIRO | Entrada | PRIMEIRAS REACÇÕES À DECISÃO DE JORGE SAMPAIO »

julho 09, 2004

QUATRO ASSOALHADAS

Terrível, esta certeza de que a casa ideal existe . algures na cidade . chamando por nós como a agulha no palheiro.

Publicado por José Mário Silva às julho 9, 2004 02:20 PM

Comentários

Tu e as casas. Passas a vida a mudar de casa?

Publicado por: Rogério da Costa Pereira em julho 9, 2004 02:39 PM

Não pense na cidade... Arrabalde é que é bom, Lisboa é uma miragem oca... Há mais vida e mais humanidade em Queluz do que em qualquer bairro lisboeta, há comboios para Lisboa de 7 em 7 minutos, em 20 minutos está no Rossio, em 15 em Sete Rios... Mas evite a Amadora (horripilante) e as zonas demasiado novas. Partindo do princípio de que as casas estão caras em todo o lado. Boa sorte, porque a casa é tudo...
jm

Publicado por: jm em julho 9, 2004 02:41 PM

A casa ideal existe por certo. Mas já está ocupada.
;-)

Publicado por: Luis Rainha em julho 9, 2004 02:44 PM

Porque não vens para a Covilhã?
Com a A23 estás em Lx em menos de duas horas. Claro que tens que passar por um processo intrincado de "berçarização" até seres aceite como um de nós!

Publicado por: Rogério da Costa Pereira em julho 9, 2004 03:26 PM

Bolas, meu caro: então com tantos quadros fantásticos, e agora não há casa (e portanto paredes) onde pendurá-los?

Publicado por: PP em julho 9, 2004 03:32 PM

Não desistas, Zé Mário! No Centro é que se está bem. A casa ideal existe certamente e vais valorizá-la ainda mais por ser tão difícil de encontrar.

Publicado por: Nuno Morais em julho 9, 2004 05:28 PM

Zé Màrio:
Boa sorte para essas buscas. Gostei de ler a tua opinião sobre «A Amante de Brecht».

Publicado por: Marta Lança em julho 9, 2004 07:58 PM