« A BOA NOTÍCIA FUTEBOLÍSTICA DO DIA | Entrada | E ENTRETANTO, NOS EUA... »

julho 05, 2004

MAIS UMA TEORIA DA CONSPIRAÇÃO

Nestes dias, a vida política portuguesa parece ter alcançado um novo mínimo absoluto em termos de elevação e elegância. Há notícias falsas postas a circular em benefício de um candidato a primeiro-ministro de aviário (o inexistente apoio de Cavaco a Santana e o suposto pedido de desculpas de Manuela Ferreira Leite à mesma ave rara). Há uma legião de figuras pouco recomendáveis que se erguem dos seus purgatórios políticos, como zombies desconjuntados que ainda acreditam que estão vivos (Menezes, Isaltino, Pinto da Costa... só falta nesta linda lista o Valentim e a fugitiva de Felgueiras...). O nosso estimado Presidente continua a consultar toda a gente que tenha tido o nome num jornal durante a última década (o processo deverá terminar algures em Agosto de 2006, quando o famoso Emplastro emitir por fim a sua douta opinião sobre a crise). Já há quem escreva, no "Expresso", que a chamada de Arlindo Cunha para o governo visou apenas impedir que o mesmo fosse promovido a Comissário Europeu da Agricultura, o que impossibilitaria, dada a importância do pelouro, que a Presidência da Comissão pudesse ser também confiada a um português. Por fim, hoje até apareceu o ogre da Madeira a recomendar que PP e PSD tratem de evitar a participação em hipotéticas eleições antecipadas (claro que isto de uma ida a votos acarretar um risco de derrota é coisa impensável para o soba insular).
Que este deslizar em direcção à fossa coincida com a ascensão de Santana Lopes à liderança do PSD (ou do PPD, ou lá como aquilo se chama agora), não surpreende ninguém. Mas que tenha sido Durão Barroso, o mais feroz adversário interno de Santana, a abrir as portas às hordas da mediocridade ambiciosa e ao seu inimigo coberto de gel... isso sempre me intrigou. Até agora.
Por fim, entendi o que levou Barroso a entregar o ouro ao bandido. Não foi medo de continuar amarrado a esta choldra camuflada de país. Não foi por ambicionar sinecuras menos trabalhosas e mais bem pagas. Foi simplesmente desejo de vingança. Ter ganho em congresso o partido não bastava para ele se ressarcir das ofensas passadas (que não interessa esmiuçar aqui). Não; era preciso mais.

O plano é deveras maquiavélico, quase genial. Barroso sai e deixa o partido entregue a Santana, teoricamente o menino de oiro que ganha todas as eleições. Só que o demissionário já sabe . depois de conferenciar com Sampaio - que as eleições antecipadas são inevitáveis, e com elas a derrota da coligação. Derrota essa que vai ter como figura de proa Santana Lopes, retirando-lhe para todo o sempre o "carisma" de grande vencedor dos desafios difíceis. Ou seja: o partido ficará nas mãos de Santana apenas o tempo necessário para que ele se desgrace e perca toda a credibilidade. A partir daí, passará a ser visto pelos seus correligionários como aquilo que realmente é: um menino-prodígio que passou o prazo de validade, um cromo entradote e inchado com delírios de grandezas.
Cúmulo da duplicidade: para se certificar do bom andamento do esquema, Durão até trata de deixar cair algumas insinuações sibilinas de que Jorge Sampaio teria entrado numa negociata para garantir a elevação do tosco delfim a primeiro-ministro. É óbvio o fito de irritar o PR, levando-o a optar ainda mais depressa pela solução oposta.

Isto parece um esquema tão refinadamente diabólico que até me inspira algum respeito pelas meninges do "Joe" Barroso...

Publicado por Luis Rainha às julho 5, 2004 11:56 AM

Comentários

O problema, caro Luís, é que não estou assim tão certo de que o Santana Lopes, com o seu populismo todo-o-terreno, não consiga, apesar do estado deplorável em que o país se encontra (por causa do PSD), vencer as eleições antecipadas, se Sampaio as convocar.
É esse, aliás, neste momento, o meu pior pesadelo.

Publicado por: José Mário Silva em julho 5, 2004 12:59 PM

Tal como demonstra José Mário Silva, é esse o receio do PS e é por isso que o PS até nem está muito entusiasmado e muito menos mobilizado para a realização de eleições antecipadas.
E não façam caras de espanto. Alguém duvida de que se o PS pretendesse mesmo a realização de eleições antecipadas não andava todo pela rua a fazer um escarcéu de todo o tamanho? E, então, onde andam eles?

Publicado por: Direitinho em julho 5, 2004 01:49 PM

Não me parece que exista alguém capaz de levar o PSD a ganhar essas hipotéticas eleições antecipadas. É dar crédito demais ao morcão julgá-lo capaz de inverter a situação verificada nas últimas europeias, ainda por cima com o ónus para o PSD de o cherne ter abandonado o barco a meio da viagem...
Quanto ao PS, a última coisa que lhes interessa é poderem ser depois acusados de culpados pela antecipação das eleições; deixando a decisão do PR seguir o seu curso natural, a responsabilidade cairá toda sobre as longínquas costas do Durão.

Publicado por: Luis Rainha em julho 5, 2004 02:26 PM

Andámos todos distraídos nesta bebedeira colectiva chamada Euro 2004.De jornada em jornada, o povinho nem ligava a mais nada, a não ser com a possibilidade de vitória na competição. Como em todas as bebedeiras, sucede a ressaca, no nosso caso tem um nome: Durão Barroso. Quando nos apercebermos que a gravata da sorte não obteve o resultado desejado e o proprietário de tal adereço está de saída, prolongando a crise até não sei quando, será tarde demais. Esse senhor deveria ser responsabilizado pelo que está a fazer ao país, criando uma crise política tremenda por questões de conforto e vaidade pessoais, esquecendo-se de todos os que sofrem na pele um dia-a-dia de incertezas e privações. O Sr. Primeiro ministro deveria ter pensado no que iria provocar ao aceitar tal cargo. Falo por mim e devo dizer-lhe que não estou em condições emocionais e financeiras para suportar muito mais tempo uma crise cada vez mais dolorosa. O mal está feito, temos que começar de novo com eleições.

Publicado por: c.camacho em julho 5, 2004 02:31 PM

Ó Luis, olha que o ZM tem razão. Esse fulano é bem capaz de ganhar as eleições, caso as haja. Já olhaste bem para o adversário? Não vai bem numa feira...

Publicado por: Rogério da Costa Pereira em julho 5, 2004 07:04 PM