November 19, 2008

Paradoxo da democracia

O sistema democrático baseia-se na representação popular, o famoso bordão do governo do povo, pelo povo e para o povo. Um dos fundamentos básicos da democracia é o respeito e direito a todas as manifestações ideológicas e sua convivência no campo democrático. Não há veto ou censuras ao livre pensar e a manifestação, desde que não atentatórias a própria existência da democracia ou aos princípios fundamentais consagrados em todo o texto constitucional.

E aí está um ponto fundamental: como permitir que a democracia respeite o direito daqueles que obram para acabar com essa mesma democracia? Lembro dos tempos da ditadura militar em que em um dos quartéis de Porto Alegre se lia: "Nego em nome dos vossos princípios, os princípios que me exigis em nome dos meus".

O sentido da frase é claro e insofismável. Como conceder liberdade para os que tramam contra essa mesma liberdade? Caso de vários grupos que defendem sistemas cujo primeiro objetivo ao tomar o poder é acabar com a a mesma democracia que os levou ao poder.

Isso sem falar nas outras características básicas da democracia: liberdade de imprensa, pluralismo político, liberdade de expressão, liberdade de ir e vir, etc. Quem pode negar que nos sistemas comunistas essas liberdades simplesmente evaporam?

Publicado por Renato Souza às 09:14 AM | Comentários (0) | TrackBack (0)

June 16, 2008

Abobrinhas

Não gosto de escrever sobre abobrinhas. Falo sobre alguns assuntos considerados "menos sérios", para usar uma metáfora mais delicado do que o termo hortifrutigranjeiro. Falar é diferente de escrever, o oral tem a duração do momento, se esvai, se perde no ar; o escrito fica imortalizado, para o futuro, para sempre. É a bobagem materializada, consubstanciada, eterna.

Feita essa ressalva - desnecessária - vou escrever sobre futebol, numa aparente contradição entre o que falo e faço. Ocorre que, para alguns, futebol é assunto sério, não se enquadraria na estante dos assuntos fúteis e inúteis - dos assuntos abobrinhas. Discordo. Não consigo ver seriedade no futebol, ao menos aqui no chamado "país do futebol";

Discordam? Pois senão vejamos: num país em que o horário dos jogos noturnos foi transferido das 21 para as 21:45 h, para não atrapalhar o capítulo da novela das nove da noite, pode ser considerado um "Pais do Futebol"?

Num país onde a Federação que controla o esporte funciona como uma espécie de cartório, onde um dirigente, depois de permanecer décadas no comando, transfere o poder para o seu genro, que continua depois de décadas no comando, pode ser chamado de "país do futebol"?

Num país onde é escolhido para técnico do selecionado nacional um jogador que nunca havia treinado time algum de futebol na sua vida, esse país pode ser chamado de "país do futebol"?

Melhor escrever sobre assuntos sérios.

Publicado por Renato Souza às 10:14 AM | Comentários (0) | TrackBack (0)

March 24, 2008

Escolher

Não concordo com o ditado popular que afirma ser "a voz do povo a voz de Deus". E não concordo porque, a julgar pela qualidade das opiniões que que escuto na boca do nosso povo, Deus não pode ser tão néscio.

Deus, o criador, dotado de toda a sabedoria, certamente deve se chocar e entristecer quando ouve esse tipo de comparação - que afinal, acabou por expulsar o homem do paraíso!

Digam - e façam - as suas asneiras, mas por favor, deixem Deus de fora disso!

Publicado por Renato Souza às 02:56 PM | Comentários (0) | TrackBack (0)

April 07, 2007

Da importância relativa

Os cientistas alertam que, mantidas as condições atuais, no final do século a temperatura da terra terá aumentado 2 graus centígrados. Assim, a temperatura média da terra que é de 24 graus, passará para 26.

O leigo lê a notícia e pensa: "Dois graus? Tudo bem, 24 para 26 não vai mudar muito estado de coisas", sem saber que esses dois graus de incremento serão responsáveis, por exemplo, pela eliminação de um quarto do total das espécies existentes hoje dia.

O leigo não tem consciência da importância vital desses dois graus para a vida do planeta. Consequências tais como o descongelamento das geleiras, falta de água potável para as populações, enchentes e inundações, falta de alimentos pelo diminuição das safras, tudo passa longe da consciência popular.

É preciso ser claro ao alertar para os perigos desse efeito estufa, para os perigos do descaso com a conservação ambiental. Falar uma linguagem técnica/científica não ajuda na conscientização da massa.

Publicado por Renato Souza às 03:30 AM | Comentários (0) | TrackBack (0)

February 17, 2007

Crime e Castigo

Essa dupla, crime e castigo, garante a possibilidade da vida regrada em sociedade. Em outras palavras: se houver crime, dever haver a certeza de que haverá castigo. Em palavras mais claras ainda: não deve restar na cabeça do criminoso a menor idéia de impunidade.

Com isso não se está autorizando o cometimento do delito, só se está advertindo ao delinqüente de que ele será inapelavelmente penalizado por sua ação. Nessa certeza se assenta o funcionamento do sistema.

Quando, pela ineficiência do sistema punitivo, seja pela fraqueza das leis, seja pela incompetência do persecutor penal, o criminoso permanece impune, estimula de maneira formidável o cometimento de outros crimes.

A grande chave para a segurança está numa afirmação antiga, simples e fácil: o crime não pode compensar.

Publicado por Renato Souza às 02:30 AM | Comentários (0) | TrackBack (0)

January 18, 2007

O preço da vida

Dizer que tudo nesta vida tem um preço, é exagero? Melhor ter uma posição poética, idealista, dizer que há coisas nessa vida que não tem preço! Fica mais bonita a afirmação, embora não saiba se mais verdadeira.

Os exemplos são sempre os mesmos, e são sempre fracos. Logo vem alguém e fala que a saúde não tem preço. Estranho, nessa hora ninguém lembra de outros valores, da virtude, por exemplo. A antítese é a de praxe: melhor ser doente com dinheiro, ao menos pode pagar o tratamento.

Quem tem o vil metal é tratado e considerado - sempre! - melhor. O dinheiro compra atenção, olhares, consideração. Para os pobres resta a pecha de serem simpáticos, de serem bonzinhos...

Publicado por Renato Souza às 08:17 PM | Comentários (0) | TrackBack (0)

December 19, 2006

Seu amigo quem?

Essa é a época em que aparecem os "seus amigos" desconhecidos começam a se apresentar. É um tal de cartãozinho com "Essa é uma mensagem do seu amigo..." que não acaba mais. Todos viram, incondicionalmente, seus amigos, a inimizade some da face da terra. Sabe aquele cara que atira o jornal na poça no dia de chuva? Vira "o seu amigo entregador de jornal", e repentinamente fica com uma pontaria digna de selecionado olímpico.

Sabe o cara aquele que amassa toda a correspondência sabe lá de quem, por que a sua foi parar sabe-se lá aonde? Vira "o seu amigo carteiro" e, pelo jeito, troca de óculos e não erra uma única carta que seja. Consegue ainda mais, consegue enfiar a revista enorme sem amassar uma folhinha que seja, quando antes amassava qualquer envelope mínimo. E a lista continua, é grande, tem o lixeiro, o marcador da água, o da luz, o cara do lixo sêxo - as vezes aparece até um do lixo molhado???

O cartãozinho é uma senha que significa "gratifique-me nesse natal por eu fazer - mal - o meu serviço". E quer saber de uma coisa? Se eu fosse você, independente de mal ou bem, de ser o cara certo ou não, eu gratificaria. Não se esqueça de uma outra máxima mais verdadeira: "Nada é tão ruim que não possa piorar..."

Publicado por Renato Souza às 06:54 PM | Comentários (0)

November 24, 2006

Fazer diferença

Quem de nós não se preocupa em ser útil, em fazer diferença? O conceito é amplo e não limita o universo em que atuamos, ou para quantos fazemos diferença, para quantos de uma forma ou outra somos importantes. Em nossos sonhos esse universo tende ao universo, mas a modéstia e a nossa limitação de recursos - tanto intelectuais como materiais - nos chama à realidade, e limita essa influência a um meio mais restrito, ao meio em que vivemos e atuamos.

Com o aparecimento do fenômeno internete perdemos um pouco a noção da amplitude do alcance, por exemplo, dos nossos textos. Esse texto, desimportante como ele é, poderá influenciar um grupo de pessoas difícil de se magnificar no momento em que você disponibiliza-o no mundo virtual. É difícil prever com absoluta certeza o que fará sucesso e, muitas vezes, até de mesurar esse sucesso.

Se há uma preocupação com o conteúdo? Claro, há que ser algo amparado pela lógica, algo dotado de razoabilidade. Entretanto, não há de se buscar unanimidade, pois mesmo entre aqueles que fizeram diferença para quase toda a humanidade, não se encontram figuras incontestes, figuras unânimes. Basta que surja uma determinada forma de pensar, uma corrente e aparecerão, imediatamente, os seus opositores, e isso desde que o mundo é mundo.

Publicado por Renato Souza às 01:08 PM | Comentários (0)

November 10, 2006

V de Vendetta ou I de Impossível?

Está no site do filme: "Na paisagem futurista de uma Inglaterra totalitária, V de Vingança conta a história de uma pacata jovem chamada Evey (NATALIE PORTMAN), que é resgatada de uma situação de vida e morte por um homem mascarado, conhecido apenas como “V”. Incomparavelmente carismático e extremamente abilidoso na arte do combate e destruição, V inicia uma revolução quando convoca seus compatriotas a erguerem-se contra a tirania e opressão. Enquanto Evey descobre a verdade sobre o misterioso passado de V, ela também descobre a verdade sobre si mesma – e emerge como uma improvável aliada na culminação do plano de V, para trazer liberdade e justiça de volta à sociedade repleta de crueldade e corrupção."

Evoluímos dos estados totalitários medievais, das ditaduras imperiais, infelizmente caímos na ditadura do capital - em algumas partes caímos na ditadura, não a prometida do proletariado, mas da burrocracia do "partido". Aparentemente mais democrático, sem exigência dos laços de sangue da realeza; ou fora da ditadura do partido, o capitalismo se pretendeu, ao menos aparentemente, repito, estar aberto a qualquer um. Na prática há uma ditadura do capital sobre o trabalho, e as chances do operário ascender ao status de capitalista não passa de um sonho.

V de vendetta nos apresentou um quadro de dupla ficção: uma sociedade totalitária sendo resgatada por um herói medieval. Saindo do quadro da ficção, do cinema, a grande verdade é que o mundo não encontrou um sistema de governo que atendesse aos anseios do povo. Todos os sistemas presentes, de uma forma ou de outra, sofismam, prometem o que não podem cumprir, gerando multidões de insatisfeitos. Muito mais do que sistemas defeituosos, o que em realidade temos é um homem falho.

Não há como encontrar uma sociedade perfeita para o homem imperfeito. Sempre teremos simulacros, tentativas de alcançar uma perfeição inatingível por nossas próprias limitações. A solução sempre rouba o que há de mais precioso para o homem: a liberdade, inclusive de errar.

Publicado por Renato Souza às 07:20 AM | Comentários (0)

November 07, 2006

Astrólogo Sindicalizado

Essa eu ouvi do Diogo Mainardi que, preso num engarrafamento de trânsito, viu num carro que estava ao seu lado um adesivo afixado no vidro lateral com os seguintes dizeres: "Não seja enganado. Consulte um astrólogo sindicalizado."

Eu não sei quais as garantias que o Sindicato dos Astrólogos fornece sobre o acerto das previsões astrológicas dos seus membros; ou quais as que os membros não sindicalizados não têm, mas este tipo de afirmação sobre uma ciência (?) tão discutível é... pra dizer o mínimo, igualmente muio discutível.

Publicado por Renato Souza às 01:59 AM | Comentários (0)

October 24, 2006

Poucos dizeres, muitos afazeres

São coisas que se excluem, muitos afazeres deixam pouco espaço para os dizeres, se pelo menos não para muitos, para frequentes. Isso talvez explique a minha ausência desse blog. Vá lá, um tanto quanto de falta de assunto de minha parte (ou o meu julgamento de que os assuntos não são interessantes a ponto de justificarem um post no blog).

Interessante isso, eu que gosto tanto de escrever, vejo muitas vezes, pelo menos nos últimos tempos, uma falta de assuntos instigantes. Deve ser coisa de fase, que passa - eu espero!

Publicado por Renato Souza às 09:58 PM | Comentários (0)

September 12, 2006

Primaveras

Não é à toa que se igualam os anos de vida de uma pessoa com o número de primaveras. Esse simbolismo, a troca do número de anos pelo número de estações representa cada renascer da vida após a temporada de inverno. Sim, porque também temos os nossos invernos na vida e renascer após cada um deles é preciso!

As metáforas que envolvem as estações são uma constante: "na vida nem tudo são flores", dizem, como a quererem dizer que nem tudo são primaveras, que há invernos no nosso caminho.

Mas que fique, acima de tudo, acima das dificuldade, a idéia de que, assim como as primaveras, é preciso renascer todos os dias. Sempre!

Publicado por Renato Souza às 11:07 AM | Comentários (0)

July 15, 2006

Fim de festa

Andei algum tempo afastado dos blogs, os olhos voltados para o Campeonato Mundial de Futebol na Alemanha com mais interesse do que eu poderia imaginar antes do início dos jogos. Achei que essa minha fase de torcedor, ou de apreciador do esporte bretão já estava superada, estava enganado.

Diga-se bem, não estava torcendo desesperadamente pelo país, posso dizer que sabia que não iríamos longe no torneio, não tínhamos orientação técnica, com uma dupla de nulos, um zero total no comando da equipe fomos até longe demais. Acompanhei os jogos com um fã de futebol e só.

De tudo ficou um gosto amargo de fim de festa, não pelo fim em si dela, mas pela forma como terminou: com aquela cena de tourada coroando o pouco futebol apresentado durante todos os jogos.

Daqui a quatro anos, quem sabe?

Publicado por Renato Souza às 08:40 PM | Comentários (0)

June 19, 2006

Não salvou?

Você digita um texto, melhor dizendo, você cria um novo texto, com carinho, com cuidado. Uma crônica? Conto? Uma crítica? Seja lá o que for, o texto está ali, correto, corrigido, revisado, você prime a tecla "Enter" e fica esperando pelo milagre, que aqueles bytes sejam corretamente processados e devolvidos na forma de algo publicado na web.

Não existe muita mágica envolvida no processo, o seu computador, um programa que funciona como um editor de texto, um ligação fisíca com o seu provedor de internete que faz a conecção com o host onde é publicada a sua página? o seu blog?

Estes bytes viajam na velocidade da luz, melhor dizendo, na velocidade contratada com o seu provedor, que funciona como um "segurador" do seu conteúdo para que ele não flua tão rápido assim se você não pagou o valor devido por isso, e só solta se você pagar! Assim você espera que o texto flua do seu pc para a tela do seu pc, mas saindo do editor para o arquivos de textos da sua página, do seu blog.

O processo inicia, isso quer dizer que o texto sai do seu pc, entra nesse caminho, nesse mundo digital de terabytes, de gigabytes, anda, percorrer caminhos, servidores, cabos, e... e... nada!

Mas como assim nada? Pois é, por um desses dramas do mundo virtual, o seu texto sai do seu pc e vai para o lugar nenhum, para o limbo do mundo digital. Você salvou o texto antes de apertar a tecla fatídica?
Não? Não??? Você ainda pode tentar um improvável backlink, tentar fazer a página do editor voltar ao estado anterior, ao estado em que ainda havia o texto. Aperto e nada?

(Playing a funebre march here!) Sinto muito mas o seu texto morreu. Ele agora está no limbo dos bons textos que não foram previamente salvos. Meu pêsames...

Publicado por Renato Souza às 07:24 PM | Comentários (0)

June 08, 2006

Notícias!

Qual a preferência nesse prato cheio? Militantes do MLST invadem o Congresso Nacional brasileiro, ferem funcionários e depredam as instalações. O presidente Bush encaminha ao Congresso americano medida prevendo o fim do casamento gay. Morre o terrorista considerado o segundo homem na hierarquia da Al Quaeda no Iraque. Ronaldinho fenômeno não treina em virtude de uma febre de 38,5 graus. Relatório da CPI dos Bingos termina pedindo o indiciamento de várias pessoas, entre elas o ex-ministro Palocci e Okamotto, o homem que gosta de pagar as contas do chefe. Congresso americano rejeita projeto de Bush contrário ao casamento gay. Ataque ao Congresso Nacional comandado por militante do Partido dos Trabalhadores.

Publicado por Renato Souza às 08:52 PM | Comentários (0)