novembro 28, 2003

Votação Terminada

O Pirómano resolveu decretar o fim da votação decorrente para saber as opiniões dos respeitáveis leitores acerca do novo template.
Os resultados estão aqui; devo dizer que fiquei agradavelmente surpreendido com o número de votantes e com o feedback que tive.
Poderia ter sido melhor, mas... Estava à espera de muito pior. A todos, muito obrigado!!

Publicado por aShBuRn em 08:27 PM | Comentários (2) | TrackBack

Pensamento do Dia

Vencer é para os perdedores. O jogo é tudo o que importa.

Paulo Ferreira

Publicado por aShBuRn em 08:10 PM | Comentários (4) | TrackBack

Santo António

Muita tinta tem corrido à custa do último álbum dos Metallica. Esta é apenas mais uma opinião:
O álbum não é bom, nem é mau. É simplesmente diferente. Tal como, na altura, o foram o Load e o ReLoad. Alguns gostam, outros não. É assim com todas as coisas... Eu digo como é o álbum para mim: Existir ou não, é-me indiferente. Demasiado cru, é, no entanto, bastante rápido. Sem solos, mas com efeitos mais ou menos porreiros. Enfim, dá para concorrer com uns Limp Bizkit ou uns Linkin Park. Mas nunca com uns Pantera ou uns Manowar, como faziam antes.
Para tentar compensar o verdadeiro fiasco que foi este álbum, desdobram-se em tentativas de recuperação de fans. Seja com lançamentos de novas faixas em edições limitadas de "St. Anger", seja com (como vai acontecer) re-edições em DVD de sucessos em VHS do passado (no caso concreto, Live Shit Binge and Purge, a ser editado em Janeiro de 2004).
Pois bem, o Pirómano é um fan que eles não recuperam.
A não ser que recuperem os seus dias de Glória de álbuns como Master Of Puppets, ...And Justice For All ou Ride The Lightning.
Coisa que me parece, neste momento, possível apenas em sonhos.
Mas a quem é que não é permitido sonhar?...

Publicado por aShBuRn em 07:08 PM | Comentários (2) | TrackBack

novembro 27, 2003

Vergonha

Pura e simples vergonha, o que se passou hoje no Alvalade XXI.
Perder com uma equipa turca não é vergonha; eles não são nenhuns toscos. Basta olhar para o exemplo do Galatasaray ou da própria Selecção turca.
Mas perder da maneira como perdemos...
Três razões fundamentais, divididas por temas (a ordem não interessa):

1 - Arbitragem.
Dois jogadores do Gençlerbirligi por expulsar mais uma grande penalidade por assinalar.

2 - Táctica.
Jogar sem trincos (Rochemback não é trinco, embora possa fazer a posição - nunca com a mesma eficácia - e Carlos Martins é um número 10) é suicídio, ainda para mais contra uma equipa que, sabia-se, vinha jogar para ganhar.

3 - Adeptos.
Já com a Selecção é a mesma história; se ganhamos, somos os maiores. Se perdemos, somos uma merda. É triste ver uma equipa a tentar reagir e ser vaiada pelos próprios "adeptos"!!!

Levámos um banho de bola, sem dúvida. Que sirva de lição; não apenas a nós, mas a todas as equipas portuguesas, Selecção incluída; é uma frase feita, mas espelha na perfeição o que se passa hoje em dia:
Não há equipas fáceis, metam isso na cabeça de uma vez por todas!!!

Publicado por aShBuRn em 10:59 PM | Comentários (2) | TrackBack

Dia Internacional das Mulheres

3 mulheres, numa conferência, contam o resultado de uma experiência que consistia em dizer aos maridos que não mexeriam mais uma palha, até que eles começassem a ajudar na lida da casa.
Estes foram os resultados:

Mulher 1 - No primeiro dia, não vi nada... No segundo, também não... Ao terceiro, lavou-me a loiça e passou-me a roupa a ferro!!!

Mulher 2 - No primeiro dia, não vi nada... No segundo, também não... Ao terceiro, lavou-me a casa de banho TODINHA e limpou-me a sala!!!

Mulher 3 - No primeiro dia, não vi nada... No segundo, também não... Ao terceiro, consegui abrir o olho esquerdo e já via normalmente no fim da semana...

Publicado por aShBuRn em 07:56 PM | Comentários (2) | TrackBack

novembro 26, 2003

Frase do dia

O Pirómano, levantando-se da mesa do restaurante, a seguir ao almoço, recebe a seguinte pergunta dos colegas:
"Estás a levantar-te para quê, pá?!?"
Resposta do Pirómano:
"Para não estar sentado."

Publicado por aShBuRn em 06:35 PM | Comentários (2) | TrackBack

As Verdadeiras Amizades

A VERDADEIRA AMIZADE FEMININA

Duas mulheres encontram-se na rua, uma delas saindo do cabeleireiro:
Mulher 1: - "Olá, querida!!! Você cortou o cabelo?"
Mulher 2: - "Cortei amor! Você não imagina com quem... o Antoine, aquele mago da tesoura."
M1: - "Maaaraaaviiilhooosooo. Ficou 10 anos mais jovem. Essas madeixas,que giro! Vou mandar fazer igualzinho. Foram luzes?"
M2: - "Não menina, é uma técnica nova de clareamento que ele trouxe de Itália. Imagina que...bla, bla,..." (Meia hora depois...)
M1: - "Então tá bom querida. Corre pra casa que o teu namorado vai morrer de orgulho da mulher que tem."
M2: - "Ai amiga, adoro-te! Beijinhos!"
Mulher 1 sai pensando: - "Como esta galinha ficou ridícula! Será que ela não se enxerga? Não sei como aquele pedaço do namorado continua com ela. Se
houver uma oportunidade... dou em cima dele."
Mulher 2 sai pensando: - "Esta fulaninha deve estar a morrer de inveja do meu visual. Ainda quer fazer igual, cara de pau! Com aquele cabelo que parece rame de fardo. Nem com implante!"

A VERDADEIRA AMIZADE MASCULINA

Dois Homens encontram-se na rua, um deles saindo do barbeiro:
Homem 1: -"É pá! Como é que é, chulo? Foste á tosquia?"
Homem 2: -"Não cabrão... fui só cortar as patilhas!"
H1: - "Que merda de corte, hein? Pareces um maricas. Acho que pegas de marcha atrás!"
H2: - "É... mas tua mãe gosta."
H1: - "Vá porta-te!...ah, manda um beijo pra boazona da tua irmã, ok?"
H2: - "Vai-te foder, corno de merda! Não tens piça para ela! Bem tchau."
Homen 1 sai pensando: - "Este gajo...Gente porreira!"
Homem 2 sai pensando: - "Adoro este gajo... Mesmo boa gente..."

Publicado por aShBuRn em 06:20 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 24, 2003

Comunicado

A Gerência comunica algumas mudanças no funcionamento do blog:

1 - Não mais será o blog advertido:
a) Quem conhece, porreiro.
b) Quem não conhece:
b1) Procure.
b2) Não se chateie (ao fim e ao cabo, não vale a pena. =) )

2 - Não mais serão os (eventuais) leitores informados da existência de novas entradas:
a) Se quiserem saber, venham ver.
b) Ou não se chateiem; ao fim e ao cabo, não vale a pena. =)

3 - Excepção à regra 2: Informam-se os eventuais leitores do merdosíssimo blog para que não esperem um fluxo tão intenso de novas entradas como é habitual; a vida privada do pirómano tem maiores prioridades.

Aos eventuais lesados, as minhas desculpas;
Aos desinteressados... Respondo com o mesmo desinteresse.
Aos indiferentes... Falsas modéstias à parte, eu não deixo ninguém indiferente.
Ponto final.

--- Fim do Comunicado ---

A Gerência.

Publicado por aShBuRn em 11:41 PM | Comentários (4) | TrackBack

novembro 21, 2003

Olhos, Espelho da Alma

Sometimes, when I look deep in your Eyes, I swear I can see your Soul...

Publicado por aShBuRn em 06:29 PM | Comentários (4) | TrackBack

novembro 20, 2003

Que pena isto ser uma anedota... :(

Um automobilista fica parado num engarrafamento monstruoso na CREL. Ao fim de uma hora, pergunta a um dos colegas de calvário se houve algum acidente.
- Não, um comando terrorista sequestrou a Dra. Manuela Ferreira Leite e exige o pagamento de um resgate de 100 milhões de euros dentro de duas horas ou regam-na com gasolina e queimam-na viva! Agora o pessoal está a fazer uma colecta!
- Ah, e quanto é que já conseguiram reunir até agora?
- Até agora, 580 litros de gasolina, 320 litros de gasóleo, 38 caixas de
fósforos e 21 isqueiros.

Publicado por aShBuRn em 12:29 AM | Comentários (10) | TrackBack

Votação Terminada

Chegou ao fim a votação das datas para a janta do canal ForgottenHopes.
Aqui estão os resultados:

Total de votos - 15

Votos para dia 15 de Novembro - 1 Voto (6%)
Votos para dia 29 de Novembro - 0 Votos (0%)
Votos para dia 6 de Dezembro - 3 Votos (20%)
Votos para dia 20 de Dezembro - 8 Votos (53%)
Votos para outro dia à sugestão dos leitores - 3 Votos (20%)

Ganha, por larga maioria, o dia 20 de Dezembro.
A janta está marcada... Divirtam-se e não bebam muito. =P

Publicado por aShBuRn em 12:14 AM | Comentários (6) | TrackBack

novembro 18, 2003

A Realidade

...É mesmo assim. Infelizmente.

Publicado por aShBuRn em 09:17 PM | Comentários (0) | TrackBack

Corpos em Movimento

Corpos movimentam-se por entre sombras de luxúria.
Movimentam-se por entre as trevas da loucura.
Movem-se por entre a escuridão do desejo.
Morrem, num Labirinto sem fim, por uma libertação que nunca chegará...


Publicado por aShBuRn em 09:07 PM | Comentários (0) | TrackBack

Último dia

Hoje é o último dia da votação para a data do jantar do #ForgottenHopes.
Agradece-se que quem quiser votar, o faça rapidamente.
Amanhã serão postados os resultados.
A gerência. =)

Publicado por aShBuRn em 07:55 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 17, 2003

Sem comentários.

A propósito disto:

"Segunda-feira, Novembro 17, 2003
"O Senhor dos Anais", que não sabe o que diz há muito tempo, o único que não gostou que lhe retocassem a pintura umbilical, ficou zangado e pede-me para retirar o blog de circulação que lhe estraga a reputação e o negócio, senão dá-me táu-táu. Tão Queriducho, até fez um link aqui para o pasquim...Faça o favor de retirá-lo, seu palhaço cibernético."

Queria apenas ver-te a fazer o que ele faz. E sem o cobrar. Não é preciso dizer mais nada.

Publicado por aShBuRn em 11:28 PM | Comentários (2) | TrackBack

Life's Not Fair

E dizem que a vida é justa.
Segundo as regras de um torneio, se uma equipa não vem a um jogo, é falta de comparência, derrota e três pontos para o adversário. Ponto final.
Hoje, a equipa que ia jogar contra a minha não apareceu.
A direcção telefonou-lhes a avisar que o jogo está remarcado para Sexta Feira.
Queria ver se fosse ao contrário; pois é... Uns são filhos da mãe, os outros são filhos da puta.
Meus senhores... Sem palavras, apenas um gesto: .|.

Publicado por aShBuRn em 11:01 PM | Comentários (2) | TrackBack

Impotência

...É uma situação bastante lixada.
É o que sinto neste momento; quero escrever, dizer algo, transmitir uma mensagem, mas nenhum pensamento de jeito acompanha a minha vontade...
Simplesmente, não tenho ideias.
Não tenho links para por (que é o que disfarça, por vezes, a minha falta de inspiração...).
Nada. Apenas uma terrível e insaciável vontade de escrever.
Neste espaço... Ou noutro qualquer. Apenas escrever.
Dizer-vos o que penso. Quem sou. Quem não sou. Quem gostaria de ser. Quem nunca serei.
Quem... Mas isso não interessa nada; não foi disso que vim falar.
Vim falar da impotência. Não a sexual; ainda não cheguei a essas idades.
Impotência é quando não conseguimos fazer absolutamente nada, por mais que tentemos, para mudar uma determinada situação. Como a falta de inspiração que me assola neste momento... Daí que tenha escrito este merdum; não estou, minimamente, inspirado. E ainda tenho jogo às 10...
Ó, dias merdosos... =|

Publicado por aShBuRn em 08:52 PM | Comentários (9) | TrackBack

Teste de Sanidade

Ide aqui.
Se conseguirdes aguentar 60 segundos sem vos foderdes a rir, sois completamente sãos.
(Sim, eu falhei o teste.)

Publicado por aShBuRn em 12:23 PM | Comentários (10) | TrackBack

novembro 16, 2003

O Anjo da Morte

Sai das sombras, em direcção a um destino desconhecido.
Carrega consigo as suas ferramentas, os instrumentos do seu trabalho; trabalho esse que mais ninguém quer fazer.
Move-se por entre as trevas, escondido na escuridão, onde nenhuma luz pode o
alcançar.
O Anjo da Morte vai para a matança.
E, um dia, será a tua vez.



O Anjo da Morte

Publicado por aShBuRn em 07:14 PM | Comentários (11) | TrackBack

Definitivo

Como podeis ver, o template foi de novo alterado.
Ficará como está; este é o modelo definitivo.
Espero que gostem; não o mudarei mais, a não ser uma corzita mais escura, ou cena do género.
Opiniões, já sabem!! Ou votam, ou comentam. =PPPP
Greets!
A gerência.

Publicado por aShBuRn em 06:21 PM | Comentários (6) | TrackBack

novembro 15, 2003

F

de Foda-se.

Publicado por aShBuRn em 10:09 PM | Comentários (2) | TrackBack

novembro 14, 2003

Radicalidades

O seu toque era como seda, suave e delicado contra o meu pescoço...
A sua textura, quente como flanela, que me aquecia as orelhas no frio vento do Inverno...
A sua cor, negra, a noite personificada em mim...
As suas formas, onduladas, mil ondas em cascata, abraçando a minha face...
A sua mobilidade e agilidade felinas, descendo suavemente, aconchegando-me e fazendo-me cócegas...
Hoje, nada resta.
Apenas espetos, agulhas que penetram o ar circundante, ferem o vento que corre, célere, para ninguém sabe onde...
Torreões povoam hoje o que ontem era apenas campo perfumado com o cheiro a leite, mel e aveia...
O seu toque é agora como que agulhas, entranhando-se na carne, golpeando, cortando...
Já não aquece, já não suaviza, já não aconchega, já não faz cócegas, já não...
Já não está lá.
Mas ainda guardo uma recordação sua...
Meu rico cabelito!!!
(Não, não me lamento, estou bastante contente com a escolha que fiz. =) )

Publicado por aShBuRn em 02:51 PM | Comentários (18) | TrackBack

novembro 12, 2003

Dúvida Existencial

Porque é que, desde que mudei de template, passei a ter mais visitas e menos comentários?!?!?!?!?!? Alguém que me explique isto... =P

Publicado por aShBuRn em 09:15 PM | Comentários (14) | TrackBack

Broken

Alone I am,
In solutide of a broken promess;
Your company is requested by a man
Who tries to crawl out of darkness.

In silence, my soul cryes
For an end never to come
Tears drop from my eyes
And still, I am alone.

Alive and kicking,
Full power to get up again
Insanities, delusions, awakening...
I die once more, in pain...

Master of Evil, Father of Lies
Drags me into the abyss
"Hear, the sound of flies"
Is his coming, his...

Victorious over me,
A powerless sheep...
It was easy, you see?
Getting me so down, so deep...

Publicado por aShBuRn em 07:36 PM | Comentários (0) | TrackBack

Falta de tempo

Por manifesta falta de tempo, não tenho lido os blogs dos meus caros colegas; O trabalho não mo permite durante o dia, e o meu próprio blog (que andou em obras) e o cansaço não me deixam à noite. A partir de amanhã, lá estarei eu de novo a ler tudo quanto escrevem (sim, os posts antigos que não li também estão contemplados). Sorry!!! =\

Publicado por aShBuRn em 07:29 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 11, 2003

Para Além...

Esforço-me além dos meus limites
Noites infindáveis sem descanso
Gastas num sonho utópico
A derrota, assumida à nascença

Devora-me as entranhas o estado de culpa
Por nem sequer ter tentado;
Poderia ter conseguido, mas...
Para quê esforçar-me se começo o jogo a perder?

Pensava eu que seria, talvez, o caminho mais fácil
No entanto, forças inexplicáveis impliam-me para a luta..

Apenas para sofrer mais?
Talvez...
Ou então, aprender coisas tais
Para não cometer os mesmos erros,
Outra vez...

Águas passadas, histórias nunca contadas
Voltam para atormentar o meu presente
Acontecimentos esquecidos no baú das memórias
Agora realidades latentes, ameaças ao futuro...

Bebo da fonte do desespero,
Afogo-me no mar das esperanças
À espera de uma oportunidade
Que, se chegar... Será sempre tarde demais.

Publicado por aShBuRn em 09:55 PM | Comentários (2) | TrackBack

Amigos!!!

É para isto que servem os amigos!!! Vejam como é boa, a amizade...
E eu sou vosso amigo, ao mostrar-vos isto!!!
Admitam, eu sou amigo...! =)

Publicado por aShBuRn em 06:17 PM | Comentários (4) | TrackBack

novembro 10, 2003

Soccer

Acabei de chegar de um jogo... Liga de Futebol de 3.
Em poucas palavras... ESTOU TODO FODIDO!!!!
E, ainda por cima, esfalfei-me para nada... Perdemos 7-3. =\\\\\
Ah, que bem que me vai saber um banhito, jantar e camita...
Mas primeiro as primeiras coisas; para tirar o stress, vou matar uns gajos no Max Payne... =DDD

Publicado por aShBuRn em 10:25 PM | Comentários (0) | TrackBack

Votação

Está a decorrer uma votação no blog para se encontrar a melhor data para o jantar do canal #ForgottenHopes.
Pede-se que a votação seja exclusiva a utilizadores do canal.
Para quaisqueres sugestões, utilizar os comentários.
A votação decorre até Quinta-Feira, dia 14, podendo estender-se mais uma semana, caso os votos para dia 15 não justifiquem a continuidade da votação.
A gerência.

Publicado por aShBuRn em 07:59 PM | Comentários (13) | TrackBack

As Respostas das Mulheres

Ele disse... Não sei porque usas soutien; não tens nada para pôr lá dentro.
Ela disse... Tu usas cuecas, não usas?

Ele disse... É verdade que só me amas por causa da fortuna que o meu pai me deixou?
Ela disse... Não, querido. Eu amar-te-ia de qualquer maneira, independentemente de quem te deixou a fortuna.

Ele disse... Tens peito liso e pêlos nas pernas. Alguma vez te confundiram com um homem?
Ela disse... Não, e a ti?

Ele disse... Porque é que vocês mulheres sempre nos tentam impressionar com O vosso aspecto em vez de com o vosso cérebro?
Ela disse... Porque há mais chances de um homem ser imbecil do que ser cego.

Ele disse... Vamos sair e divertirmo-nos hoje?
Ela disse... Está bem, mas se chegares a casa primeiro do que eu,deixa a luz do corredor ligada.

Publicado por aShBuRn em 12:48 PM | Comentários (8) | TrackBack

The One

Para todos vós que sois fans do filme Matrix;
Para todos vós que sonhais ser como o Neo, que sonhais ser o Escolhido;
Para todos vós, que sonhais conhecer Morpheus;
Para todos vós, que sonhais descobrir Zion;
Para todos vós, que sonhais comer a Trinity;
Para todos vós, que sonhais babar-vos a olhar as mamas da Persephone;
Para todos vós, que acorrestes às salas de cinema às duas da tarde:
Aqui está o segredo de Neo.
Não aconselhável a menores de 18. =)

Publicado por aShBuRn em 12:45 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 09, 2003

Relief

Em explorações numa terra distante, remota, escondida nas profundezas do Mundo conhecido. Esta era a nossa situação. O que procurávamos? Nem nós sabíamos. Íamos de encontro ao perfeito desconhecido. Atravessámos a densa selva da Amazónia e estávamos, presentemente, no que julgávamos ser o seu coração.
Vestígios de uma antiga civilização jaziam dispersos no solo; potes, colares, talheres.
Tudo em perfeito estado de conservação.
Olhámos uns para os outros, completamente aturdidos. Mas como seria possível? Olhando apenas para a constituição dos artefactos, diríamos que teriam, no mínimo, dois mil anos. No entanto, pareciam ter sido feitos há poucas horas.
Fomos reconhecer o terreno. Mais um pote aqui, um medalhão ali...
Até que ouvimos um grito desesperado.
A Ilmana caíra e pedia por socorro.
Acorremos ao local onde ela e a Rhianna estavam. A Rhianna estava pálida; nem um fantasma conseguiria ser tão branco.
"Que se passa?!?", perguntei eu.
"A Ilmana... Ela caiu!!! Aqui!!!"
"Bolas... Bela altura ela escolheu para andar de escorrega... Ray, consegues ver alguma coisa?"
"Nada. Isto é escuro como bréu."
"Então, não temos escolha. Quem quer ir primeiro?"
Obviamente, ninguém. Então, fui eu quem tomou a iniciativa.
Ainda o meu corpo não estava totalmente dentro do buraco e já eu me arrependia para o resto da vida. O túnel, além de ser completamente imundo, estava literalmente a abarrotar pelas costuras com aranhas e ratazanas. À medidxa que ia escorregando, sentia as suas raivosas mordidelas. Pequenos dentes enterravam-se-me na carne, deixando a sua pútrida marca. Mais tarde, haveria de desinfectar aquilo.
Finalmente, cheguei ao fim. Ainda tive que sacudir dois ou três bichos.
Atrás de mim, Rhianna. Logo a seguir, Ray.
E à nossa frente, Ilmana.
"Estás bem??"
"Hmmm... Estou... Acho..."
"Consegues andar?"
"Sim..."
Seguimos. Eu à frente, Rhianna, apoiando Ilmana, logo a seguir, e Ray atrás.
Começámos a sentir um pulsar; uma espécie de energia vibrante que nos fazia abanar os ossos. Não conseguíamos sentir mais nada.
Aquela batida... Chamáva-nos. Era simplesmente irresistível.
Até que a encontrámos... Um centro de energia acumulada, poderosa. Energia antiga.
À sua frente, um guardião.
Imenso, feroz, um autêntico monte de músculos.
"Que querem vocês daqui?"
"Nós... Não sabemos, fomos atraídos."
"Atraídos? Como assim?"
"Não sabemos, simplesmente sentimos um pulsar e fomos seguindo..."
"O Centro de Rhiilissa não lança o seu encanto sobre qualquer um... Vós fostes escolhidos. Cada um de vós deverá tocar o Centro."
"E que nos acontecerá?"
"NADA DE PERGUNTAS! Haveis sido escolhidos para uma honra como nenhuma outra. Façam-no!"
Sem escolha.
Um a um, posicionámo-nos à volta do Centro. A energia que sentíamos em seu redor era indescritível.
Tocámo-lo... E era lindo. Voávamos por entre mil sonhos, éramos livres...
Éramos, finalmente, livres...

O Centro do Rhiilissa

Publicado por aShBuRn em 09:37 PM | Comentários (0) | TrackBack

Stylesheet

Como podem ver, fiz algumas alterações no blog. Umas corzitas a mais aqui, outras a menos ali... Nada de muito radical. No entanto, acho que as novas cores se identificam mais com o espírito do blog do que as anteriores.
Opiniões esperam-se!!!: Preferem este novo set de cores ou o antigo?
Don't be shy, digam de vossa justiça... =)

Publicado por aShBuRn em 09:05 PM | Comentários (14) | TrackBack

Versos sem Nexo

Abrindo caminho pelas profundas trevas da minha mente,
Vem um Halo de Luz brilhante, um clarão, um irresistível escrutínio
Uma necessidade de lhe tocar, intensa, premente,
Utilitários de uma vida execrável prendem-me o raciocínio.

Olho para cima, abro os braços em direcção a um Céu
Estrelado, nublado, tempestuoso, enraivecido
A chuva cai, um trovão reverbera, num mundo só meu
E eu sinto-me, por si, aconchegado e aquecido...

Guerras entre dois mundos
Mil exércitos, uma só alma
Bem e Mal, conjuntos
De Trevas e Luz, a Guerra é feita Paz, é feita Calma...

Na solidão, choro sozinho
Num mundo disperso
A ti, te dou o carinho
De um Mundo que não soube apreciar o Verso...

A Palavra que sai dos teus lábios
Carnudos, sensuais, de veludo feitos
Rivaliza com as dos mais sábios
E os seus anos de estudos e sonhos desfeitos...

Por uma Sabedoria que nunca chegou, nem nunca poderá chegar.

Publicado por aShBuRn em 05:32 PM | Comentários (0) | TrackBack

novembro 08, 2003

Novidade!!

Chamai-me plagiador; tanto me faz.
Seguindo os exemplos do HeartLess e do AlmAhperditae, decidi criar um canal de IRC exclusivamente dedicado ao blog, onde poderão discutir... Bem.. O que vos der na real gana. =)
Um pouco mais a sério: É o lugar onde poderão discutir o que gostam e o que não gostam, dar sugestões, ou simplesmente... Marcar presença. Ou até nem ir!! É convosco. =) (Não se esqueçam é que isto tem comentários!!!! =PPP)
O canal, para quem estiver interessado, é o #Chamas.
Boas visitas ao blog e boas estadias no canal!
A gerência. =)

Publicado por aShBuRn em 04:22 PM | Comentários (0) | TrackBack

Recorde

Pela primeira vez, As Chamas de aShBuRn entraram no Top 25 dos mais visitados do dia. A primeira vez!!!
Sinal do sucesso que o blog está a ter, com um crescimento continuado; mais não me resta do que agradecer aos leitores, que cada vez mais contribuem para o crescimento d'As Chamas, assim como da comunidade em geral. Um grande Bem-Haja!
Last but surely not the least: É, de facto, muito bom ver o mentor do projecto verdadeiramente preocupado e empenhado em que as coisas corram bem a toda a gente; isto, a propósito do problema ontem referido com os comentários. Um grandíssimo Bem-Haja também para si, Paulo. =)

Publicado por aShBuRn em 04:08 PM | Comentários (4) | TrackBack

novembro 07, 2003

Informações.

Informação 1: A pedido expresso da autora, a entrada "Mais um dia e uma noite" foi retirada do blog. Aos leitores e à autora, as minhas desculpas.

Informação 2: Recentemente, tive alguns problemas com os comentários, entretanto resolvidos pelo HeartLess. Thanks, dude! =) []

Publicado por aShBuRn em 07:32 PM | Comentários (4) | TrackBack

Traffic (Shit) Talk

Uma senhora toda Jet-7, ao conduzir o seu Mercedes, nas maiores calmas, sem pressas, pelas tempetivas ruas de Lisboa, depara-se com um sinal vermelho. Sem stresses, a senhora agarra num maço, saca um cigarro e, na sua, fuma o cigarrito à espera do verde.
Ao mesmo tempo, um taxista bêbado acabado de sair do serviço, no seu chasso (Leia-se Fiat Uno a cair de podre) barulhento, chega até aos semáforos aos zigue-zagues e a berrar impropérios aos plenos pulmões, para quem o quisesse ouvir.
A senhora, algo indignada mas achando a situação bastante cómica, diz para o bêbado:
"A paciência é uma das mais sublimes virtudes humanas", em MacBeth, de Shakespeare.
Ao que ele responde...
"Estou-me a cagar para essa merda", em Processo Casa Pia, de Ferro Rodrigues!!!

Publicado por aShBuRn em 12:41 PM | Comentários (0) | TrackBack

Guarda... Quê????

Uma senhora respeitável leva a sua filha ao ginecologista.
Quando lá chegam, ela pede ao dito para examinar o "guarda-jóias" da sua querida filha. Ele não entende, ao que ela repete: "Quero que examine o guarda-jóias da minha filha!!!", apontando para os montes da crica da rapariga.
Passado uma boa hora, a senhora já preocupadíssima com o tempo que a consulta estava a levar, quando chega o ginecologista e lhe pergunta:
"Desculpe, como disse que chamava à vagina da sua filha?"
"Guarda-jóias!"
"Guarda-jóias, o caralho!!! Aquilo é mas é um guarda-fatos, só camisas tirei de lá sete!!!"

Publicado por aShBuRn em 12:37 PM | Comentários (2) | TrackBack

O Grande Engenhocas

Uma rapariga adolescente vai à sua primeira festa.
Com medo dos avanços dos rapazes, pede conselho à sua mãe, que lhe diz o seguinte:
"Filhota, quando eles forem contigo lá para fora, e eles avançarem demais, perguntas 'Que nome vamos dar à criança?' É garantido que eles fogem!!!"
Então a filha assim faz: vai à festa e, passado um pouco, lá está ela no jardim com um dos rapazes que lá estavam.
Enquanto estão na conversa, tudo bem, mas quando ele começa a apalpar, ela vira-se e diz:
"Que nome vamos dar à criança?"
Remédio santo!!! Ele diz que se esqueceu de algo no bar, sai e nunca mais volta.
Algum tempo depois, já com outro rapaz, a história repete-se; enquanto conversam, tudo bem. Ele mete a mão, e ela...
"Que nome vamos dar à criança?"
Mais uma vez, resulta!!! Ele foge e nunca mais volta.
Passado uma meia hora... Aparece um outro rapaz com o qual ela vai até ao jardim.
Conversam, e tal, até que ele começa a desapertar-lhe o vestido, quando ela diz:
"Que nome vamos dar à criança?"
Ele tira-lhe o vestido, e ela:
"Que nome vamos dar à criança?"
Ele tira as próprias calças, e ela:
"Que nome vamos dar à criança?"
Ele faz o que tem a fazer, e ela sempre:
"Que nome vamos dar à criança?"
Até que ele, no fim do serviço feito, se vira para ela, ergue bem alto a camisinha cheia, amarra-a na ponta com um nó firme e diz: "Se ele conseguir sair, chamamos-lhe MacGyver!!!!!"

Publicado por aShBuRn em 12:34 PM | Comentários (10) | TrackBack

Considerações

Hoje, resolvi fazer uma crítica aos críticos.
E, também, armar-me em Pipi.
Tenho, ultimamente, recebido algumas críticas em relação às coisas que escrevo. Que não são originais, etc etc etc...
Três palavras: Estou-me pouco fodendo.
O que eu escrevo, escrevo porque quero, porque gosto e porque, no momento, me senti com vontade para escrever o que lá está.
Agora, em relação aos críticos propriamente ditos: Pensam vocês, seus abichanados com os entrefolhos recheados de negro e vigoroso vergalho, que eu ligo alguma às críticas? Parafraseando Ferro Rodrigues: "Estou-me a cagar para" as críticas. Não apenas às vossas, mas às críticas em geral. Sempre achei os críticos as pessoas mais apaneleiradas de entre toda a humanidade. Pensais que sois donos da verdade... Mas serdes apenas uns merdosíssimos pederastas que não arranjam tempo para fazer algo de verdadeiramente útil. Mais fúteis ainda são as pessoas (?) que seguem as suas rabetíssimas opiniões.
Ide-vos foder violentamente com um poste de alimentação eléctrica via anal. Então não terdes opinião própria, suas cabeças de "nabo" carnal enfeitado com arcaica pintelheira? Aposto o meu glorificado papa-cricas que se eu fosse crítico e vos dissesse "Atirai-vos de um poço", vós até de cabeça (para magoar os chifres de enfeite, seus masoquistas do caralho) iríeis.
Tomai juízo (e, já agora, a pílula do dia seguinte contra a fodenga estupidez), ide rechear de mangalho as vossas peidas lassas e fazei algo de útil na vida...

P.S.: As críticas são aceites. Mas críticas construtivas, ou seja, algo que me ajude a melhorar o estilo de escrita e a própria escrita em si. Agora, dizerem-me que não sou original é perfeitamente escusado; eu sei isso perfeitamente. O meu objectivo nem sequer é esse... Mas essa é uma outra história.

Publicado por aShBuRn em 11:43 AM | Comentários (12) | TrackBack

novembro 06, 2003

Visões do Apocalipse - Parte III

Ainda não consigo acreditar. A suspeita sempre me acompanhou, sempre tive no pensamento a hipótese de ser ele o culpado. Mas ainda me custa a acreditar...
Tenho que o encontrar.
Desço a rua em direcção ao que era, antes da explosão, um banco. Os bancos são os edifícios mais resistentes em caso de catástrofe (natural ou não); construídos para proteger a podridão monetária, resistem a praticamente tudo.
Era ali que tinha que ir; tentar aceder, por um qualquer computador (esperava eu) que ainda funcionasse, a uma base de dados qualquer.
Puro engano, constatei quando lá cheguei. O banco ainda se mantinha, é um facto... Mas os computadores, nem um. Tudo morto.
Fui ver os arquivos do banco. Escusado será dizer que estava tudo completamente destruído. Os móveis, completamente destroçados. Os arquivos, queimados.
Não obstante, fui bafejado pela sorte: numa vistoria à secretária do Presidente do Banco (que olhava fixamente para o vazio, parecendo não ter consciência da sua morte recente) encontrei uma carta do Presidente da Zanya; pelos vistos, um financiava o outro, que por sua vez o fornecia com tecnologia topo de gama. Encontrei a morada na carta e foi para lá que me dirigi.
Pelo caminho, tempo para encontrar algumas armas e um carro (melhor dizendo: um chaço).
Ligo o motor e ponho-me a caminho, pensando na melhor abordagem ao edifício; certamente, estará guardado a sete chaves e imensamente bem protegido por algumas centenas de guardas. Isto, se tiverem sobrevivido à sua própria asneira.
Passo a explicar: Eu trabalhava para a Zanya, na área de Desenvolvimento de Novas Tecnologias. Descobrimos como implementar chips biomecânicos no cérebro e nos músculos, como forma de potenciar o raciocínio e os estímulos físicos. O 'Engenheiro' era o meu patrão.
Após testes em cadáveres e em alguns animais (para vossa informação, a Associação da Defesa dos Animais não tem poder algum), muito bem sucedidos, por sinal, começámos com os testes humanos. Quando vimos os resultados, foi o êxtase: Sucesso completo. Sem um efeito secundário sequer. Tínhamos criado o ser quase perfeito; uma máquina orgânica, com uma capacidade de processamento superior a um milhão de computadores topo de gama e fisicamente infalível. Quase perfeito, porque havia um ponto fraco: Os vírus. Que eram duplamente perigosos, visto as máquinas serem imunes a vírus informáticos e vírus orgânicos.
No entanto, nunca informámos ninguém acerca desse facto; nem autoridades, nem clientes, nada. Simplesmente, ignorámos o caso.
Nunca cometemos pior erro nas nossas vidas.
A partir do momento em que a primeira máquina apanhou um vírus (nada de significativo, pensámos nós), foi o caos total. As partes biomecânicas não reagiram como esperávamos e a máquina sofreu mutações inacreditáveis; começaram a nascer-lhe protusões ósseas nos membros e no peito, que formavam uma couraça impenetrável, ao mesmo tempo que a sua mente ensandecia. E isto foram apenas os efeitos visíveis.
E era daí que tinha vindo o "gárgulomem". O monstro que eu tinha acabado de matar.
Mas havia, pelo menos, mais um... O 'Engenheiro'.

Continua...

Publicado por aShBuRn em 11:43 AM | Comentários (6) | TrackBack

novembro 05, 2003

Tears of Sorrow

Perdidas num limbo imenso
Almas perdidas choram em solidão
Por elas, acendo um pau de incenso
Esperando que encontrem paz e perdão.

"Lágrimas de sangue brotam da sua face, em jorros tais que afogam a humanidade num mar de agonia..."

Publicado por aShBuRn em 02:56 PM | Comentários (12) | TrackBack

novembro 04, 2003

Mamã, mamã!!!

Mamã, mamã... o leiteiro chegou! Tens dinheiro para pagar ou queres que vá brincar lá para fora?

Mamã, mamã... porque estamos a empurrar o carro até ao precipício?
Cala-te, senão ainda acordas o teu pai!

Mamã, mamã... o que é um orgasmo?
Não sei, filho, pergunta ao teu pai!

Mamã, mamã... na escola chamaram-me mafioso.
Amanhã mesmo eu vou tratar do assunto, meu filho.
Boa, mamã... mas faz com que tudo pareça um acidente!

Mamã, mamã... na escola chamaram-me mentiroso.
Cala-te, filho... tu nem sequer andas na escola ainda.

Mamã, mamã... eu não quero conhecer o avô.
Cala-te, filho, e continua a cavar!

Mamã, mamã... uma menina de 8 anos pode engravidar?
Claro que não, filhota!
Yupi...Yupiii!!!

Mamã, mamã... deixei as drogas!
Graças a Deus, meu filho!
Pois, e não me lembro onde!

Mamã, mamã... leva-me ao circo!
Não, filho... quem te quiser ver, que venha cá a casa!

Mamã, mamã... não gosto da avó!
Tá bem, filho, come só as batatas!

Mamã, mamã... na escola um menino chamou-me mariquinhas...
E porque é que não lhe bateste, filho?
Oh, é que ele é tão bonito!!!

Mamã, mamã... eu já tenho 13 anos. Compra-me um soutien.
Não...
Mamã, mamã... todas as meninas da minha idade já têm!
Já te disse que não...
Vá lá mamã... compra-me um!
Não... e pára de me chatear, Artur!

Mamã, mamã... porque é que a noiva vai de branco?
Porque é o momento mais feliz da sua vida.
Ah... e porque é que o noivo vai de preto?

Mamã, mamã... porque é que o papa é careca?
Porque é muito inteligente e trabalha muito, meu filho!
Ah...e porque é que tu tens tanto cabelo, mamã???

Mamã, mamã... é verdade que descendemos dos macacos?
Não sei, filho... o teu pai nunca me apresentou a família dele.

Mamã, mamã... na escola chamaram-me dentolas!
Não lhes ligues, filho... e fecha a boca, que estás a riscar o chão!

Mamã, mamã... se é Deus que nos dá que comer, a cegonha traz os bébés e o Pai Natal é que nos dá os presentes... para que é que serve o papá??

Mamã, mamã... não quero ir ao Brasil!!!
Cala-te e continua a nadar!

Mamã, mamã... o papá tá a cambalear...
Então dispara outra vez, seu idiota!

Publicado por aShBuRn em 04:21 PM | Comentários (20) | TrackBack

Visões do Apocalipse - Parte II

Continuação...
Balbuciante, o homem olha para mim com o olhar vago de quem sabe que a morte é certa. Corro para ele, para tentar ganhar mais alguns segundos que podem ser preciosos.
"Conta-me. Que se passou aqui? Que deu origem a isto tudo?"
"Não... Não queiras saber algo que... Que ultrapassa aquilo que a tua limitada mente pode entender..."
"Mas eu tenho que saber!!! CONTA-ME!!!" - Gritei, abanando-o com todas as minhas forças.
"Eu não tenho toda a verdade... Apenas te sei dizer que isto é tudo culpa nossa, dos... Humanos... Encontra o... Culpado... Chamam-lhe 'Eng'... 'Engenheiro'..."
Morreu-me nos braços.
Mas quem é o 'Engenheiro'?
Corro para fora do edifício, de volta à fogueira. Talvez encontrasse por lá alguns mendigos, mas... Uma perturbação no ar envolveu-me. Algo se deslocava à minha volta. Tentei captar um movimento, uma sombra, mas os meus olhos não conseguiam focar nada de estranho, apenas a total quietude da devastação. No entanto, o arrepio na minha nuca dizia-me que não estava só.
Com um grito lancinante, ele atacou. Rápido como a luz, acertou-me em cheio nos dentes com um golpe que por pouco não me fez girar a cabeça e partir o pescoço.
Mas que raio era a criatura que se apresentava perante mim?!? Uma visão hedionda, uma besta demoníaca com corpo de lobisomem e cabeça e asas de gárgula... E uma força e rapidez estrondosas.
Num segundo, estava novamente no chão, derrubado por mais um inacreditavelmente forte golpe, com o bicho em cima de mim, imobilizando-me com o seu peso e cegando-me com a sua baba.
O momento em que o seu corpo tombou sobre mim foi uma faca de dois gumes; Por um lado, estava livre da criatura. Por outro, o seu enorme peso esmagava-me os ossos e prendia-me o sangue nas veias. Bendita a hora em que peguei na arma... Já nem me lembrava que a tinha.
Muito a custo, lá consegui rastejar de debaixo da criatura. Detive-me um bom bocado... Poderia encontrar pistas. A pele da criatura, mesmo depois de morta queimava como fogo, devido ao calor emanado. Imaginei o que aquele bicho não comeria para poder gerar energia suficiente para mover o seu monstruoso corpo.
Senti algo por trás da sua orelha. Uma pequena saliência...
Uma fresta.
Como eu imaginei; Não poderia ser um bicho totalmente orgânico. Ao pressionar a fresta, esta distendeu-se e deu lugar a uma abertura longitudinal, que me permitia aceder ao cérebro da criatura.
Onde eu encontrei aquilo que procurava.
E o que encontrei atingiu-me com mais força do que mil golpes daquela besta demoníaca. Um chip. Com uma marca.
Zanya. Eles. Foram Eles. E o 'Engenheiro'...

Continua...

Publicado por aShBuRn em 01:10 PM | Comentários (6) | TrackBack

novembro 03, 2003

Don't Shoot!!!

A incrível imagem de uma alma inocente na sua luta contra a morte, que a encara sem piedade... Não aconselhado a cardíacos!!!

Publicado por aShBuRn em 12:20 PM | Comentários (16) | TrackBack

Ouch...

Agora imaginem se fosse mesmo assim...
Nunca mais ia a um estádio!!! Só o cheiro... =X

Publicado por aShBuRn em 11:46 AM | Comentários (12) | TrackBack

Visões do Apocalipse - Parte I

Abro os olhos e dirijo-me à janela. Sou imediatamente acossado por visões de um mundo envolto no caos e na desordem.
Para onde quer que olhe, vejo apenas miséria.
Um prédio, outrora orgulhoso e imponente no alto dos seus 126 andares, jaz agora, apenas um monte de pedras e cimento envolto nas sombras de um passado glorioso.
Um centenário carvalho, rachado a meio pelo poder dos relâmpagos do Apocalipse que se abateu sobre nós.
Passa por mim um cão sarnento, levando na boca uma mão humana, separada do resto do corpo pela violenta explosão que se abateu sobre a cidade.
Levanto-me e percorro o ensaguentado corredor até à saída. O panorama é ainda mais desolador visto de fora que pela janela do cubículo onde me encontrava. Corpos sem vida espalhados ao acaso, casas completamente destruídas, estátuas que outrora contavam o passado, olham agora sem esperança para o futuro.
Percorro a avenida, procurando por outros que, como eu, não se lembram do que aconteceu. Viro numa esquina e o calor de uma fogueira abraça-me, confortando-me. Olho em redor, mas não se vê vivalma. Que terá acontecido? Serei o único sobrevivente? Não posso acreditar nisso. Lembro-me do cão sarnento e penso que, se um cão conseguiu sobreviver, também mais humanos terão conseguido.
Entro na porta à minha esquerda. Mais sinais de miséria; frases escritas na parede por alguém que, contando em total desespero o que se passava, escreveu com o seu próprio sangue:
"São demasiados. Não conseguimos suportar a sua carga. O seu poder é fulminante!!! O Apocalipse abate-se sobre nós e nada podemos fazer para o evitar... E eles vê aí!! Eles vê.."
Não conseguiu acabar a frase. Olho para o lado e fecho os olhos. Uma lágrima solitária solta-se, rebelde, contrariando o meu coração, que não pode falhar. Não é o momento de fraquejar. Tenho que continuar a procurar. Tenho que...
Um barulho. Ouço algo na desolação que me rodeia. Será... Sim. É um lamento. Corro na direcção do som que me chega aos ouvidos, quase demasiado ténue para ser humano. Viro à direita numa porta e encontro-o. Meio morto, está à minha frente um homem torturado, cego pela dor e enlouquecido pela impotência. Não é o momento de me compadecer dele. Preciso de saber. Tenho de saber.

Continua...

Publicado por aShBuRn em 11:30 AM | Comentários (11) | TrackBack

novembro 02, 2003

Posfácio

"Eu, Lúcifer, Anjo Caído, Príncipe das Trevas, Portador da Luz, Governante do Inferno, Senhor das Moscas, Pai das Mentiras, Apóstata Supremo, Tentador da Humanidade, Serpente Velha, Príncipe deste Mundo, Sedutor, Acusador, Atormentador, Blasfemo, e, sem dúvida, a Melhor Foda do Universo Visível e Invisível (perguntem a Eva, essa descarada!), decidi - ô-lá-lá - contar toda a Verdade."

In Eu, Lúcifer - Glen Duncan

Publicado por aShBuRn em 11:10 PM | Comentários (8) | TrackBack

novembro 01, 2003

Mar Revolto

Como alguns de vós sabem, eu sou da Nazaré. Não que goste da terra (de facto, detesto aquilo), mas há espectáculos que valem a pena apreciar.
Como o mar, revolto, a beijar a areia.
Como ele galga toda a praia e, na sua fúria, invade estradas e casas, destrói esplanadas, vira carros...
É um espectáculo prejudicial (imaginem o que é terem a vossa loja completamente inundada), mas é, ao mesmo tempo, um dos mais belos espectáculos que podem haver: Uma onda, na sua insanidade, invadir o que é, por direito, da Natureza, e que o Homem, na sua loucura, lhe tirou...


Publicado por aShBuRn em 11:16 PM | Comentários (8) | TrackBack