janeiro 26, 2004

Fehér - A Homenagem e as Questões.

Vários blogs relataram a morte de Miklos Fehér. Desde o Delírios até ao Omeletes Sem Ovos. Tudo a dar condolências, a mostrar respeito por um desportista, a contar a morte do artista. Várias questões surgem, no entanto.
Primeira: Que se passa no Benfica? 19 lesões musculares a meio da época, uma morte por enfarte do miocárdio + princípio de trombose (para quem não sabe, a trombose é o entupimento do trombo, uma veia no cérebro) + enchimento de sangue nos pulmões (derivado da trombose). Meus amigos, das duas uma: Ou o Benfica tem o pior departamento médico (?) do Mundo, ou andam a dar aos seus desportistas substâncias não aconselháveis. Não me atrevo, no entanto, a acusar sem ter os resultados da autópsia ao jogador no "meu" poder. Mas que é estranho, é.
Segunda (atenção, meramente retórica): É triste ver a hipocrisia da nação benfiquista. As mesmas pessoas que eu anteontem via a criticar a direcção do Benfica por não despachar Fehér para outro clube, porque estava simplesmente a ocupar espaço e a debilitar as finanças do clube, são as mesmas pessoas que eu hoje ouço a dizerem que o Fehér era o melhor ponta-de-lança do plantel, que devia ter mais oportunidades, que isto, que aquilo... Não fora a morte do jogador (e eu, mesmo sendo sportinguista, apresento as minhas condolências, pois num caso destes o clubismo não existe - ou não deveria), e nada disto se passaria. Fehér continuaria a ser um jogador ignorado tanto pela massa adepta do clube da Luz como pelos seus treinadores, sendo apenas um jogador de recurso. Fehér não era um jogador de recurso. Fehér era, isso sim, um jogador demasiado tempestivo. Demasiado abnegado. Demasiado lutador. Talvez tenha sido isso que o levou para onde agora está...
Terceira: Porque será que não somos capazes de ser solidários todo o tempo uns com os outros? Porque será que é preciso a morte de um jogador em campo para que Sportinguistas, Benfiquistas, Portistas, Boavisteiros, Beira-marenses, Vimaranenses e etcéteras se unam e lamentem em conjunto a morte de um deles?
Quarta e última: Porque será que damos tanta importância à morte de um jogador que tinha óptimas condições de vida, que tinha tudo o que desejava, cama, comida e roupa lavada (e, diga-se, uma bela conta bancária) e não conseguimos sentir o mesmo pelos milhares de pessoas que morrem diariamente de fome, de frio, de doenças sem cura?
Ponham a mão na consciência... Lutem pelos que cá estão, deixem descansar os que cá ficam!
Go in peace, Miklos Fehér... God Rest Your Soul.

Publicado por aShBuRn em janeiro 26, 2004 09:57 PM
Comentários

Não dira melhor!!! Totalmente de acordo.

Afixado por: querolasaber em janeiro 26, 2004 10:00 PM

Apenas uma correcção; trombo é o nome que se dá à acumulação de material, não à veia. Thanks pelo esclarecimento, mor! =) * * * * *

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 10:08 PM

é bem verdade... mas eu ponho a 5ª kestão: Será k as kestões a k fizeste referencia, vão ter resposta? Feher R.I.P.

Afixado por: Sweet_Lust em janeiro 26, 2004 10:14 PM

A primeira, duvido; a segunda, é impossível ter resposta; a terceira, talvez... A quarta, é geneticamente impossível de responder; claro que todos nos estamos nas tintas para eles... Até mesmo eu, incluindo-me, assim, na categoria de hipócritas.

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 10:19 PM

E tb n ves nenhum deles a morrer em directo... =\

Afixado por: Sweet_Lust em janeiro 26, 2004 10:26 PM

Mas tenho as suas mortes na consciência; posso não ver, mas sei que as mortes aconteceram.

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 10:33 PM

O facto de o jogador falecido ter ou não mais posses que os outros milhares de pessoas que têm mortes idênticas, não é isso que vai fazer com que o jogador não seja um ser humano...

R.I.P. Fehér, descansa em paz campeão!

Afixado por: RicK em janeiro 26, 2004 11:07 PM

Eu não disse isso; disse, simplesmente, (e isso é um facto inegável) que se dá mais atenção à morte dele (que tem posses e é famoso e etc) que aos 14 milhões de anónimos que morrem diariamente pelas mais variadas razões.

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 11:13 PM

Bem...
devo dizer-te k me entristeceu muito ler a tua entrada. em 1º lugar tinhas ai uma incorrecçao, mas o teu mor ja te corrigiu, é o k dá falar sem saber :P
dp vou-te dar as respostas tal e qual elas são:
1ª: o k se passou é praticamente impossivel de detectar. nem agora dp da autopsia (e achei piada a tua frase de entendido "Não me atrevo, no entanto, a acusar sem ter os resultados da autópsia ao jogador no "meu" poder.") foi possivel determinar o que se passou.`´por isso acho um bocado demagogico acusar (pq foi o k fizeste) departamentos medicos que mais nao fazem k prevenir e acompanhar casos de cariz desportivo. a morte ultrapassa a questao medica.
2º tens razao em questao a hipocrisia, mas entras tb nela. feher era um jogador limitado, e isso é inegavel. nao adianta agora dizer k ele merecia mais oportunidades pq era combativo e isso e k o levou a morte. demagogia.
3º eu acho piada lol l~e bem o k disseste:"Porque será que é preciso a morte de um jogador em campo para que Sportinguistas, Benfiquistas, Portistas, Boavisteiros, Beira-marenses, Vimaranenses e etcéteras se unam e lamentem em conjunto a morte de um deles?" sem palavras lol
4ª o choque nao é por ser um jogador. o choque esta em assistir ao vivo, em directo, de um modo tao cru e violento a morte de um ser humano. pq o k a gente viu (e isso é k choca, pelo menos a mim) é assistir-mos em grande plano em directo a morte de uma pessoa. pq foi isso k vimos, em meros 2 segundos vimos um grande plano de uma pessoa a sorrir e a cair fulminada pela morte. isso é k choca, nao o facto de ser jogador.

tens um espirito demasiado combativo ash, tem mais respeito pelas coisas,nao queiras tornar tudo uma luta pessoal, o homem morreu tem respeito pela morte, nao faças disso uma desculpa para te insurgires contra as coisas...

Afixado por: Almah Perditae em janeiro 26, 2004 11:25 PM

Primeiro; eu respeito a morte dele. Segundo: Eu não acusei ninguém; simplesmente levantei uma suspeita. Terceiro: Ele não morreu no campo, morreu no Hospital. Quarto: a)O que se passou não é impossível de detectar. O que se passou já se sabe; foi fulminado por vários ataques. E volto a dizer: Não acusei ninguém. Apenas levantei uma suspeita (muito justificada, diga-se).
b) Eu não disse que foi o facto de ele ser combativo que o levou à morte. E admiti que faço parte da "legião hipócrita".
c) Com "um deles" referia-me a um colega de profissão, um futebolista. Não vejo a piada disso, penso que tenho toda a razão.
d)Eu não vi o jogo, como tal não assisti à morte. Mesmo que o tivesse feito, já vi pessoas a morrer à minha frente. Não é algo que me afecte; estou habituado à morte, não conheço os seus caminhos, mas também não os receio; como tal, isto não me impressiona minimamente.

Comentário final ao que disseste... Eu sei que sou demasiado combativo. Sou mesmo assim. E aproveito estas ocasiões para o demonstrar. Pelo simples facto de os hipócritas aproveitarem estas ocasiões para se fazerem notar pelas "condolências" enviadas, quando de facto se estão pouco cagando, na sua maioria. Eu respeito a morte dele. Mas não o faço em demasia, como vejo toda a gente fazer. Muito mais gente morre e esses ninguém respeita. É contra isso que me insurjo.

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 11:46 PM

Acho que o melhor que poderiam fazer era não fazer disto uma palhaçada tal como os média fizeram e continuam a fazer. Mostrar a imagem da queda sei lá quantas vezes seguidas ineterruptamente já parece até estarem a gozar. Depois transmiterem em directo o local onde o caixão vai ficar em câmara ardente e até se darem ao trabalho de localizar o carro funerário antes de chegar e fizerem um zoom ao caixão pelo vidro... bem sem comentários... os jornalistas a atropelarem-se a tirar fotografias e a filmarem à volta do caixão... sem comentários... A melhor forma de homenagear o homem - é sempre homem antes de ser jogar - é não fazerem tanto alarido acerca disto e deixarem a família e os amigos próximos lamentar a sua perda em paz. Essa foi também a razão porque nem comentei isto no meu blog. Também não foi a primeira morte em directo nem a mais chocante e é algo que pode acontecer a qualquer pessoa, o que é de lamentar, mas acontece. Como tal deveria tratar isto como uma morte normal em vez de montarem um circo mediático. Além disso também muito bonito ver o povo portugues (a maioria) a lamentar a morte de alguém quando todos os dias morrem tanta gente que pode ser ajudada a tempo e eles passam ao lado e desviam o olhar. Enfim... a morte de um ser humano é sempre de lamentar, e lamento a morte do Miklos Fehér, mas acho que acima de tudo é preciso respeitar as pessoas proximas de quem morre e tentar ajudar quem está vivo.
Mas é só a minha opinião pessoal...

Afixado por: HeartLess em janeiro 26, 2004 11:53 PM

Até que enfim alguém compreende o que digo e tem uma opinião similar à minha...

Afixado por: aShBuRn em janeiro 26, 2004 11:56 PM

O teu comentário peca por ter todos os defeitos que tu acusas aos outros! Sê mais comedido!

Afixado por: quintanilha em janeiro 27, 2004 10:03 PM

Isso é um facto; contudo, eu disse que pecava pelos mesmos defeitos. No entanto, e mesmo por ter a consciência pesada em relação a alguns aspectos é que disse o que disse. E não, não sou comedido; "faz o que eu digo, não o que eu faço".

Afixado por: aShBuRn em janeiro 27, 2004 10:07 PM

ash tens k entender k houve mtas circunstancias para este mediatismo todo:morreu em directo,sorriu antes de morer. de certeza que se nao fosse no campo e em directo n ia ser tao falado como por expemplo o rui filipe do fcp. osk hoje xoram por ele foram os mesmos k metiam nos jornais k ele ia ser dispensado pk n tinha lugar na ekipa. so 1 pergunta:onde esta o pinto da costa? estimem as pessoas enkanto sao vivas,n dps de faleceram..

Afixado por: whiplash em janeiro 28, 2004 06:59 PM

Também viste morrer em directo as vítimas do 11 de Setembro. Como sabes que muitas delas não terão sorrido? No entanto, tenho certeza que não choraste por nenhuma.Em relação aos que choram ou deixam de chorar por ele, concordo contigo (aliàs, disse-o). E depois... Pinto da Costa é Pinto da Costa, o homem não muda.

Afixado por: aShBuRn em janeiro 28, 2004 09:25 PM