junho 22, 2004

Ok, então é assim...

Bom, eu acho que me vou passar de vez da marmita...
Aliás, eu já me passei. E continuo passado. Não me perguntem como é, como não é, mas básicamente limito-me a divagar coisas sem sentido e enfim... é tudo muito estranho, mas pouco incomodativo.
Eu vou-me desligar da net... passei 4 anos da minha vida neste cyber espaço, onde passei a considerar pessoas virtuais mais, do que os meus amigos reais. Fiz amizades, inimizades, romances, whatever you can think of e de repente... dou por mim a vaguear pelas ruas de Amsterdão com a cabeça perdida por causa de virtualidades e não realidades e só me apercebi disso ao bater no fundo psicológicamente.
A culpa não é da Net... foi toda minha. Mas eu perdi o controle e deixei de controlar a realidade para manter o controlo sobre a virtualidade mas que sa foda. Eu agora voltei, tenho saído todas as noites, perdido pelas ruas da cidade que me viu nascer, onde tenho conhecido pessoas, onde os beijos, os abraços, as quecas(apesar de eu agora ter feito um voto de celibato), sentem-se enão se escrevem.
Já me disseram que eu devia escrever um livro sobre a minha experiência virtual, pois acreditem ou não, ultrapassa todas as barreiras da lógica e por muito pouco que não se deixem surpreender, a minha história não passa ao lado de ninguém.
A Internet não é perigosa...aliás, nada é perigoso. Nós é que somos o nosso verdadeiro perigo. Se nos deixarmos levar, podemos vir a ter problemas.
Mas agora já chega. Vou ver um filme Islandês e comer um Hagen Däsz.

Publicado por Toy em junho 22, 2004 09:10 PM
Comentários

Tucho,

Seja como for, com vidas virtuais ou não, há uma coisa que me esqueci de dizer em A'dam, para além do "essas pessoas não existem". É que me lembraste sempre em cada frase e em cada palavra a razão porque gosto tanto de ti. Se calhar somos mesmo um bocadinho virtuais dentro da realidade que nos rodeia.
Quando eu era mais novo, tive um amigo que me disse que o segredo para realizar os nossos sonhos é não deixar de sonhar. Sigo isso à risca até hoje.
Esse meu amigo não vai nem pode esquecer-se que isso é válido para ele também.
Entre todos os terramotos, furacões, bytes e bites, há as coisas que não mudam nunca. Como, entre outras coisas e a título de exemplo, tu e eu, e a nossa amizade. Não é tão fixe? Mais fixe que um filme islandês, anyway... :)

No need to sign

Afixado por: Varejo em junho 27, 2004 09:42 PM