janeiro 16, 2004

Cenas à Brava

Fade In.

INT. RECEPÇÃO DE ESCRITÓRIO - DIA

Uma Recepcionista, com um ar de quem não faz muito, cerca de 25 anos está sentada na sua secretária, na recepção de um escritório sofisticado. Fala ao telefone, ou melhor, monologa, desinteressada de tudo a que a rodeia.

Recepcionista
...pois, porque a Índia não é bonito, mas Goa tem interesse para nós, porque foi uma cidade Portuguesa!

Entra uma mulher franzina, com um ar tresloucado.

Recepcionista
Olha, tenho aqui uma senhora, vou ter que desligar. Até logo!

A Recepcionista desliga o telefone e olha para a Mulher

Recepcionista
Sim?

Mulher
Boa tarde. Vinha falar com o senhor Horácio Veríssimo.

Recepcionista
Tem hora marcada?

Mulher
Bom... eu... sou uma amiga de longa data.

Recepcionista
E quem devo anunciar?

Mulher
Maria de Maio.

Recepcionista
É só um segundo.

A Recepcionista pega no telefone. Carrega num botão na central telefónica e aguarda resposta.

Recepcionista
Senhor Horácio? Está aqui a senhora Maria de Maio para falar consigo.

A Recepcionista ouve atentamente. Tapa o bocal e olha para Maria de Maio.

Recepcionista
O Senhor Horácio pergunta se quer pedir emprego ou dinheiro emprestado?

Maria de Maio
Eu... eu só queria tomar um café...

A Recepcionista acena com a cabeça e volta a falar com Horácio.

Recepcionista
A senhora diz que só quer tomar um café...(pausa de espera) muito bem!

A Recepcionista desliga o telefone e levanta-se da sua secretária. Dirige-se à máquina do café e tira uma bica em copo de plástico. Dá-o a Maria de Maio.

Recepcionista
Aqui tem o seu café. Quer açúcar ou adoçante?

Maria de Maio
Mas... eu tenho que falar com ele.

Recepcionista
Lamento, mas o senhor Horácio não a pode atender.

Maria de Maio
Mas eu tenho que falar com ele!!!

Recepcionista
O Sr. Dr. Veríssimo afirmou que a senhora passou 10 anos sem lhe dirigir a palavra. Dez anos! Parece que lhe deixou de falar quando ele ainda estava na miséria, não?

Maria de Maio
Eu... eu...

Recepcionista
Poooois... você é como todos os outros, ignoraram o coitado do meu patrão enquanto ele andava nas ruas da amargura e agora que ele é um empresário rico e bem sucedido, caem-lhe todos em cima!!!

Maria de Maio começa a soluçar.

Maria de Maio
Eu tenho que falar com ele, eu preciso de falar com ele... EU VOU FALAR COM ELE!!!

A Recepcionista pega no telefone.

Recepcionista
Segurança? Venham cá acima ao gabinete do senhor Horácio. Temos um problema.

Desliga e olha para Maria de Maio que começa a chorar.

Maria de Maio
Eu não entendo. Nós éramos tão amigos!

Abrem as portas do elevador e saem dois seguranças de fato, óculos escuros e auriculares. Agarram em Maria de Maio e arrastam-na para o elevador. Ela segura-se aos lados da porta, não a deixando fechar.

Maria de Maio
Não matem a Maria de Maio! Não matem a Maria de Maio!

A Recepcionista pega num pisa papéis e começa a bater com ele nos nós dos dedos de Maria de Maio. Esta larga finalmente a porta que se fecha, abafando os gritos. A Recepcionista recompõem-se e volta a sentar-se.

Fade Out.

Publicado por Toy em janeiro 16, 2004 07:34 PM
Comentários

"caí" aqui por engano mas fiquei colada assim q comecei a ler... e só parei qd já n havia mais nada para ver! agora quero ler mais... parabéns, o blog está excelente!!!

Afixado por: Claudia em janeiro 29, 2004 12:01 AM