junho 22, 2005

[ não posso adiar o amor para outro século
não posso
ainda que o grito sufoque a garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda
sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas

não posso adiar este abraço
que é uma arma de dois gumes
amor e ódio
não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação
não posso adiar o coração ]
"António Ramos Rosa"


Só queria poder abraçar-te num abraço nunca desfeito,
Só queria poder limpar as lágrimas tristes que brotam da minha alma,
Só queria pintar a luz do sol nas folhas secas do silêncio do meu coração.

tenho muitas saudades tuas

Publicado por checoturco em 07:30 PM | Comentários (0)

junho 13, 2005

um dia, quando a ternura for a única regra da manhã,
acordarei entre os teus braços, a tua pele será talvez demasiado bela.
e a luz compreenderá a impossível compreensão do amor.
um dia, qundo a chuva secar na memória, quando o inverno for
tão distante, quando o frio responder devagar com a voz arrastada
de um velho, estarei contigo e cantarão pássaros no parapeito da
nossa janela. sim,cantarão pássaros, haverá flores, mas nada disso
será culpa minha, porque eu acordarei nos teus braços e não direi
nem uma palavra, nem o príncipio de uma palavra,para não estragar
a perfeição da felicidade

Publicado por checoturco em 05:49 PM | Comentários (0)